Arquivo do dia: setembro 26, 2008

Eleições Porto Alegre: Onyx campanha em crise

Problemas na campanha do DEM para a prefeitura de Porto AlegreFoto: Robinson Estrásulas

Robinson Estrásulas

O principal mote da campanha do Democratas à Prefeitura de Porto Alegre “Onyx cumpre a palavra, Porto Alegre pode confiar” está sendo questionado por gente que até pouco trabalhava pela eleição do candidato. Desde terça-feira a produtora responsável pelo programa fechou as portas para novas gravações pela falta do pagamento de uma parcela de R$ 500 mil, a segunda de duas contratadas verbalmente com profissionais que sempre trabalharam com o Partido Progressista. O DEM atraiu o PP para a coligação com a promessa de cobrir os custos da campanha proporcional.

. “A campanha me deve dinheiro, o que deixou 40 profissionais na lona”,queixou-se Tânia Moreira, diretora da Produtora Mor, de Porto Alegre. Onyx abandonou o estúdio que usava até agora e passou a gravar de forma mais modesta no comitê da Avenida Polônia. A produtora Mor foi desautorizada de deixar os programas nas emissoras de TV. Quarenta profissionais trabalhavam na equipe e tiveram atraso no pagamento. Pessoas ligadas ao PP criticam a centralização das decisões nas mãos do candidato.

BLOG do Andre Machado

Záchia sai da campanha de Fogaça

O Coordenador político da campanha de José Fogaça em Porto Alegre, o deputado estadual Luiz Fernando Záchia ( a direita na foto ) emitiu a seguinte nota comunicando seu afastamento da função. Záchia contesta dados enviados ao Ministério Público de Contas, os quais levantariam suspeita de enriquecimento ilícito.

Leia a íntegra da nota:

Em relação as matérias veiculadas pela imprensa, venho a público prestar os seguintes esclarecimentos, a fim de repor a verdade dos fatos:
1. A denúncia apresentada ao Ministério Público de Contas do TCE não guarda relação com a minha realidade patrimonial.
2. O objeto da denúncia refere que, quando chefe da Casa Civil do Governo do Estado, em 2007, teria adquirido um apartamento de cobertura em bairro nobre da Capital. Não comprei, não possuo e não moro em uma cobertura.
Na verdade troquei de apartamento no ano de 2007, comprando em construção o apartamento – não uma cobertura- e dando como parte de pagamento o imóvel em que residia.
3. Ainda, também no ano de 2007, teria adquirido terreno e edificado uma casa no litoral gaúcho. Igualmente não é verdade. Na verdade comprei um terreno de forma parcelada em condomínio na praia no ano de 2003, onde posteriormente construí minha residência.
Nem as datas, nem as características dos imóveis, nem os valores, das transações correspondem a realidade da citada denúncia.
Para finalizar, reafirmo que todas as informações , contrato de compra e venda, declaração de imposto de renda meu e de minha família, assim como demonstração de rendimentos, relação de bens e contratos de prestação de serviços, foram encaminhados, por iniciativa própria, ao Procurador do Ministério Público de Contas.
Em função da possibilidade dos fatos noticiados interferirem no processo eleitoral em curso, buscar sobretudo, confundir os eleitores e proporcionar dúvidas quanto a postura de retidão da campanha da coligação “Cidade Melhor Futuro melhor” , comuniquei ao meu partido a decisão de me licenciar da Coordenação Política da campanha, para que tais inverdades não sejam exploradas politicamente.

Informo ainda que, face aos prejuízos causados a minha imagem de homem público, constituí representante legal para buscar na Justiça a devida reparação.
Dep. Estadual Fernando Záchia
26 DE SETEMBRO DE 2008″

TCE investiga deputado Luiz Fernando Záchia

A compra de dois imóveis de luxo levou o deputado estadual Luiz Fernando Záchia (PMDB) a ser investigado pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado) do Rio Grande do Sul por suspeita de enriquecimento ilícito. A informação está na Folha, de hoje.

Ex-presidente da Assembléia Legislativa gaúcha e ex-chefe da Casa Civil da governadora Yeda Crusius (PSDB), Záchia é o coordenador da campanha à reeleição do prefeito de Porto Alegre, José Fogaça (PMDB).

As suspeitas recaem sobre a compra de um apartamento em Porto Alegre e de uma casa no município de Xangri-lá, balneário 130 km ao Norte da capital. Nenhum deles está registrado no nome do deputado. Propriedades similares nos locais valem, somadas, entre R$ 1,4 milhão e R$ 1,6 milhão, segundo imobiliárias – mais do que o triplo dos bens que Záchia declarou à Justiça Eleitoral antes de concorrer à reeleição, em 2006 (R$ 438 mil).

O apartamento de Porto Alegre, onde Záchia vive atualmente, foi adquirido no ano passado, quando o deputado estava na Casa Civil, coordenando a articulação política da governadora tucana.O imóvel tem 234 m>2< e fica num bairro de classe média alta. Imóveis estão à venda no mesmo prédio por valores entre R$ 800 mil e R$ 1 milhão.

No cartório, o apartamento está em nome de Durafa Empreendimentos Imobiliários, que construiu o edifício. Já a casa tem 222 m e fica no Carmel (foto), um condomínio fechado que conta com um lago particular, próximo da praia de Atlântida, uma das mais badaladas do litoral gaúcho. Záchia comprou o terreno no condomínio em 2004 e construiu a casa.

O TCE-RS começou a investigar a evolução patrimonial de Záchia no início deste mês e mantém o caso sob sigilo.

O deputado Luiz Fernando Záchia (PMDB) nega irregularidades na sua evolução patrimonial e diz que comprou os imóveis por R$ 975 mil, somando os dois, e que eles constam na declaração de imposto de renda do ano passado. Ele atribuiu a adversários -cujos nomes não mencionou- a denúncia que originou a investigação do TCE (Tribunal de Contas do Estado) gaúcho sobre seus bens.
Záchia diz que o apartamento em Porto Alegre custou R$ 675 mil. Ele afirma ter pago R$ 500 mil em abril de 2007 e parcelado o restante. O dinheiro, diz, veio da venda de outro apartamento e do FGTS de sua mulher.

Uma compra abaixo do valor de mercado foi a explicação para a casa de veraneio em Xangri-lá, no litoral. Záchia afirma ter comprado o terreno em 2004 parcelado com uma entrada de R$ 10 mil e o restante dividido em 24 parcelas. Ele alega que o apartamento segue em nome da Durafa Empreendimentos Imobiliários porque ainda não foi integralmente pago, e a casa de praia continua em nome da Malpaso por causa de problemas com o licenciamento municipal.
O dono da Malpaso, Solon Soares, disse que vendeu o terreno abaixo do preço de mercado por causa de “relações de amizade e família”. A Durafa não se manifestou. O procurador do TCE, Geraldo Da Camino, não comentou o caso alegando sigilo.

FSP

Travesti dança funk após audiência com Ronaldo

O travesti André Luiz Ribeiro Albertini, conhecido como Andréia Albertini, acusada pelo jogador Ronaldo de extorsão, dançou funk ao lado do cantor MC Palito em frente à 23ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, nesta sexta-feira, após participar de audiência do processo.

A audiência começou pouco antes das 14h e terminou por volta das 18h30. Após o procedimento, Andréia se encontrou com MC Palito e os dois promoveram uma apresentação com uma música feita sobre o episódio envolvendo Ronaldo, na porta do Fórum do Rio de Janeiro.

O travesti tirou a calça e o blazer, ficando com uma minisaia e um top para dançar ao lado do funqueiro.

A música em questão, chamada Mulher Berinjela, ironiza o caso em que Ronaldo foi parar na delegacia após levar três travestis para um motel. Um dos trechos da canção, inclusive, cita o jogador. “Eu não pego ela / E quem pegou é maluco / Sabe quem pegou? / Só Ronaldinho”.

Ao prestar depoimento no início do processo em que é acusada de extorsão, Andréia Albertini voltou a dizer que fez programa com Ronaldo e que houve uso de drogas. À Justiça, a travesti disse ainda que havia mudado o depoimento na delegacia, negando todo o episódio, por ter sido coagida na delegacia. O delegado Carlos Augusto Pinto disse que não houve coação e que ela já mudou de depoimentos três vezes.

“Não importa saber se houve programa ou não. Ela já mudou o depoimento três vezes. Como ela foi coagida se estava com três advogados?”, indagou o delegado.

Terra/G1

Caseiro Francenildo rejeita oferta de indenização

O caseiro Francenildo dos Santos Costa rejeitou a proposta da Caixa Econômica Federal (CEF) de indenizá-lo em R$ 45 mil, desde que ele concordasse em assinar uma petição inocentando a instituição de ter violado o sigilo de sua conta bancária. A condição para fechar o acordo – sugerido pelo juiz da 4ª Vara da Justiça Federal, Itagiba Catta Preta Neto – consta na petição enviada pelos advogados da Caixa à defesa de Francenildo.

O documento afirma que “a Caixa mantém o seu entendimento de que em nenhum momento violou o sigilo bancário do autor”. Mais à frente, a CEF impõe a mesma afirmação a Francenildo. Ou seja, para ter direito à reparação, ele teria de recuar da denúncia de que seu sigilo bancário foi quebrado e endossar a afirmação de que “o senhor Francenildo dos Santos Costas mantém o mesmo entendimento da Caixa”, como consta na petição.

Para o advogado do caseiro, Wlicio Chaveiro Nascimento, os termos da proposta inviabilizaram de vez o acordo. “Não só por anular o esforço de reparar um ato criminoso, mas também porque fica claro a tentativa de derrubar a denúncia contra o ex-ministro Palocci no Supremo”, explica, referindo-se à petição do Ministério Público ao Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar a suposta participação do então ministro Antonio Palocci, hoje deputado, na violação da conta bancária de Francenildo.

O processo é relatado pelo presidente do STF, ministro Gilmar Mendes e está prestes a ser julgado. Na última audiência com o juiz Itagiba, dia 5 de agosto, o caseiro disse que aceitaria uma indenização de R$ 45 mil, e não de R$ 35 mil, como propunha a Caixa, não por concordar com ela, mas por “duvidar da Justiça no País”.

Francenildo teve a conta na Caixa violada em abril de 2006, após ter afirmado em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo que o então ministro era um dos freqüentadores das reuniões realizadas mansão do lago sul, alugada por seus amigos de Ribeirão Preto, em que ele trabalhava. Segundo ele, ali eram realizadas festas com garotas de programa e ocorria a partilha de dinheiro que chegava numa mala. Na CPI dos Bingos, o caseiro disse que Palocci era chamado no local de “chefe”.

AE

Estagiários terão férias de 30 dias remuneradas

Está publicada na edição desta sexta (26) do Diário Oficial da União a atualização da Lei do Estágio. De acordo com a Lei n.º 11.788, os estagiários que tenham contrato com duração igual ou superior a um ano têm direito a 30 dias de recesso, preferencialmente durante as férias escolares.

Além disso, nos casos de o estágio ter duração inferior a um ano, os dias de recesso serão concedidos de maneira proporcional. A legislação também prevê que o recesso deverá ser remunerado quando o estagiário receber bolsa ou outra forma de auxílio.

As novas regras valem para novos contratos ou para os que forem renovados a partir de agora.Quanto à duração do estágio, a nova lei diz que estudantes da educação especial e dos anos finais do ensino fundamental (na modalidade profissional de educação de jovens e adultos) só podem ser contratados para a carga horária de quatro horas diárias de trabalho.

Os alunos do ensino superior, da educação profissional de nível médio e do ensino médio regular podem trabalhar até seis horas diárias. Estágios com 40 horas semanais podem ser destinados somente a estudantes matriculados em cursos que alternem aulas teóricas e práticas.

A lei estabelece ainda que o estágio, mesmo aquele que não é obrigatório para a conclusão do curso, agora tem de estar vinculado ao projeto pedagógico da escola, inclusive no ensino médio. O estagiário tem ainda de ser supervisionado por um coordenador na universidade e por um profissional na empresa. No máximo a cada seis meses, um relatório das atividades do estágio tem de ser apresentado à instituição de ensino.

A lei também fixa limites para o número de estudantes de nível médio estagiando nas empresas. As empresas que têm de um a cinco empregados poderão recrutar apenas um estagiário; de seis a dez, até dois; de 11 a 25 empregados, até cinco estagiários; e acima de 25, até 20%. A justificativa para a mudança é reduzir a utilização do estágio como substituição de mão-de-obra.

Outra mudança é a de que o estágio deve durar no máximo dois anos — a lei anterior fixava um mínimo, de seis meses, que não está previsto na nova legislação, mas não estabelecia um máximo. Além disso, a lei estabelece que profissionais liberais de nível superior também poderão recrutar estagiários.

Com informações da Agência Brasil

IBOPE: Kassab abre 5 pontos sobre Alckmin


A nova pesquisa do Ibope, que deve ser divulgada neste fim de semana, mostrará que o prefeito Gilberto Kassab (DEM) se descolou do tucano Geraldo Alckmin e abriu cinco pontos de vantagem, chegando a 25% da preferência dos eleitores pesquisados. Marta Suplicy do PT permanece com 35%. Kassab subiu 4 pontos desde a última pesquisa, realizada entre os dias 9 e 11 de setembro, enquanto Alckmin, que tinha 21%, aparece agora com 20%.

No segundo turno, Kassab e Marta aparecem tecnicamente empatados. O prefeito leva uma pequena vantagem e aparece com 46% das intenções de voto, contra 45% da ex-prefeita.

IBOPE

“Harry Potter”: elogios por nudez na Broadway

O ator que representa o menino mago nos filmes “Harry Potter” recebeu tanta atenção na Broadway por sua nudez quanto por sua atuação na produção londrina “Equus”, do dramaturgo Peter Shaffer.

Daniel Radcliffe está reprisando o papel que já apresentou na Inglaterra, e desta vez os críticos estão se concentrando em sua atuação hábil na peça encenada pela primeira vez no National Theater de Londres em 1973.

Ben Brantley, do The New York Times, disse que Radcliffe, de 19 anos, veste seu papel de cavalariço suburbano que comete crimes grotescos contra cavalos “de um modo que alegraria o coração de um alfaiate: o papel lhe cabe perfeitamente e ainda lhe dá espaço para se esticar.”

O USA Today publicou a manchete “Equus: Radcliffe se revela um ator sério”, e a crítica Elysa Gardner disse que “o astro de Harry Potter desfaz qualquer argumento de que ele só pode agradar fazendo adolescentes sonhadores e adultos sentimentalóides.”

Para a Variety, “em sua estréia impressionante num grande papel no palco, o adolescente perturbado de ‘Equus’, Daniel Radcliffe, ajuda a superar o fato de que a peça de Peter Shaffer premiada com o Tony em 1975 não se sustenta inteiramente.”

Enquanto a maioria das críticas focou a performance de Radcliffe, algumas fizeram referência à nudez que causou tanto rebuliço em Londres.

“Apesar do caráter fisicamente visceral do papel, Radcliffe parece estar perfeitamente à vontade em sua própria pele — e, sim, garotas, graças à cena de nudez, o público a vê por inteiro”, disse a crítica Linda Winer, da Newsday, que descreveu o londrino Radcliffe como “um talento teatral inteligente, intenso e loucamente sério.”

A Variety observou que Radcliffe foi criticado em Londres por sua falta de controle vocal, mas disse que um ano e meio a mais de maturidade pode ter ajudado.

Brantley notou a semelhança entre o papel de Radcliffe em “Equus” e o de Harry Potter, na medida em que ambos os personagem chegam à maioridade “num mundo mágico e ameaçador em que a perspectiva de ser devorado pelas trevas é sempre iminente.”

Daniel Radcliffe vai voltar ao papel de Potter em breve, quando começar a ser rodado o último filme da série, “Harry Potter e as Relíquias da Morte.”

Reuters

Brasil Telecom aumenta pacote para internet

O Pacote Máximo, que permite o uso ilimitado de dados e SMS e ainda possibilita falar de graça com celulares e telefones fixos da Brasil Telecom, agora pode ser adquirido em qualquer cidade da região de atendimento da BrT. A oferta antes era restrita à área de cobertura 3G.

Além dele, passam a valer também outras quatro ofertas especiais que unem o Plano Conta Light, o Pacote de Dados, o Pacote de Torpedos e a Vídeo Chamada (exclusividade 3G). Todas elas dão descontos em aparelhos e no valor mensal dos serviços, que custam a partir de R$ 73,90.

Os clientes que aderirem ao Plano Conta Light terão como benefício todas as ofertas vigentes para voz. E para quem não quer ter preocupação com o consumo excedente, o Pacote Máximo proporciona o uso ilimitado dos serviços por apenas R$ 199,90 mensais.

Para maiores informações ligue 105 3 ou acesse o site http://www.brasiltelecom.com.br

PB

Alunos colam professora na cadeira em Campinas

Três alunos de uma escola estadual de Campinas, no interior de São Paulo, serão punidos por terem “colado” uma professora na cadeira durante o intervalo das aulas. A mulher, de 28 anos, já retornou ao trabalho, e agora o Conselho de Pais e a direção vão definir a punição aos responsáveis pela agressão.

O material corroeu a calça da professora, que teve queimaduras de primeiro grau nas pernas. Como estão em escola pública, os adolescentes, de 11, 12 e 15 anos, não podem ser expulsos, apenas advertidos, suspensos ou transferidos. Um dos envolvidos alegou que passou cola na cadeira porque não gostava da professora. Ele foi liberado após um responsável ter assinado termo de compromisso.

JP

%d blogueiros gostam disto: