Repórter gaúcho Andrei Netto é libertado na Libia


O correspondente do jornal O Estado de S.Paulo na Líbia, Andrei Netto (foto), foi libertado na tarde desta quinta-feira, 10. O jornalista havia sido capturado por tropas leais ao ditador Muamar Kadafi há oito dias, sob o argumento de que não portava documentos que autorizavam seu trabalho no país. De acordo com o Portal Imprensa, Andrei, que é natural de Ijuí, está abrigado na casa do embaixador brasileiro em Trípoli, George Ney Fernandes.

Andrei disse nesta quinta-feira (10), à reportagem da Rede Record, que as boas relações entre o Brasil e a Líbia contribuíram para a sua libertação. O repórter do jornal O Estado de S. Paulo foi capturado no último domingo (6) por forças leais ao regime de Muammar Gaddafi, enquanto cobria  o conflito no oeste do país.

– Se eu estava saindo é graças à ação da embaixada brasileira em Trípoli, em especial à relação entre os dois países, a Líbia e o Brasil.

Andrei Netto cobria os conflitos entre rebeldes e aliados de Gaddafi na região de Sábrata quando desapareceu. Ele foi agredido pelas forças leais ao ditador e passou oito dias preso.

O jornalista foi libertado nesta quinta-feira, sendo hospedado pelo embaixador brasileiro na Líbia. Andrei Netto deve deixar a Líbia nesta sexta-feira (11), para Paris, onde vive e trabalha como correspondente.

O jornalista, que passou oito dias preso no que lhe pareceu ser uma base militar, disse que não foi torturado fisicamente durante o período da detenção e que só foi agredido no momento em que foi capturado.

Netto contou ainda que recebeu água e comida e foi submetido a um interrogatório normal quando entrou na prisão. No entanto, foi impedido de fazer contato com a embaixada brasileira no país.

COMO FOI:

Netto entrou em território líbio pela fronteira da Tunísia no dia 19, dias após o início dos confrontos entre Kadafi e opositores. Pouco a pouco, ele foi avançando na direção de Trípoli, mas parou em Zawiya, onde se intensificaram os confrontos.

A cidade, que havia sido tomada pelos rebeldes, foi sitiada por soldados leais ao governo há uma semana. Em seguida, forças da brigada Khamis – tropa de elite comandada por um dos filhos de Kadafi – realizaram várias investidas contra Zawiya.

Correspondente do Estado em Paris desde 2006, Netto tem experiência em grandes coberturas internacionais, como o terremoto de L’Áquila, na Itália, o acidente do voo 447 Rio-Paris da Air France e cúpulas do G-20.

Até o último domingo, 6, o Estadão tinha informações de que o repórter estava bem e escondido na região de Zawiya, localidade em que ocorrem violentos confrontos. A presidente Dilma Rousseff chegou a se pronunciar sobre o caso e determinou ao ministro interino das Relações Exteriores, embaixador Ruy Nogueira, providências urgentes para assegurar sua integridade física.

A informação da liberdade de Andrei foi dada pelo embaixador da Líbia no Brasil, Salem Omar Abdullah Al-Zubaidi, aos senadores Eduardo Suplicy (PT) e Paulo Paim(PT).

ColetivaNet

Comente ou deixe um trackback: URL do Trackback.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: