Arquivos de tags: Vestibular

Porto Alegre terá Curso Superior de Tecnologia em Gestão Pública

O novo Curso Superior de Tecnologia em Gestão Pública que está sendo oferecido pela FTEC – Porto Alegre vai proporcionar a seus alunos uma visão integrada e inovadora, formando profissionais qualificados, capacitados para o desenvolvimento eficiente e sólido das organizações públicas.

O Vestibular acontece no dia 13 de janeiro em todas as unidades Ftec. As inscrições podem ser feitas pelo site www.vestibularftec.com.br até o dia 12 de janeiro. Além desta data, as provas acontecem também nos dias 26 de janeiro, 10 e 22 de fevereiro. Mais informações pelo telefone 0800 606 0 606. A taxa de inscrição é de R$ 25,00. A prova será realizada às 19 horas em todas as unidades da Instituição ( Porto Alegre, Bento Gonçalves, Caxias do Sul, Novo Hamburgo)

O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Pública serve para formar profissionais qualificados para administrar organizações do setor público, nos diversos níveis do governo, conservando e utilizando os bens e recursos confiados à sua gestão.

O gestor público deve buscar sempre um fim único, o bem comum da coletividade administrada, tendo capacidade para identificar problemas e buscar alternativas para a construção de soluções a partir de instrumentos que permitam a avaliação de políticas públicas locais.

Atividades Principais

  • Definição de orçamentos para a produção de produtos e serviços;
  • definição e acompanhamento das licitações;
  • acompanhamento do orçamento e dos resultados esperados;
  • acompanhamento do atendimento ao público;
  • gestão do pessoal;
  • gestão de materiais.

Mercado de Trabalho

  • Chefe de Divisão
  • Chefe de Departamento/Núcleo
  • Auditor
  • Analista de Processos Públicos
  • Assessor de Planejamento

Veja o resultado do ENEM

As notas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) foram divulgadas no início da madrugada desta quinta-feira (28) no site do Inep, órgão responsável pela prova. Os candidatos que anotaram um telefone celular na ficha de inscrição também receberão avisos por meio de mensagens sms.

Com esses resultados nas mãos, os alunos poderão escolher o curso de graduação nas 51 instituições federais que substituíram o Enem pelo vestibular, a partir das 6h desta sexta-feira (29). Para ajudar na busca por uma das 47,9 mil vagas disponíveis, o MEC (Ministério da Educação) montou um sistema online de escolha, batizado de Sisu, que funcionará em três etapas até o dia 3 de março.

O portal entrou no ar na quarta-feira (27), mas somente com orientações aos estudantes. A expectativa do MEC é que mais de 2 milhões de alunos usem o sistema para se candidatar às vagas nas universidades – o portal do Sisu, diz o ministério, aguenta 200 mil acessos simultâneos.

Para entrar no Sisu, os estudantes usarão a mesma senha fornecida para acessar o site do Enem. O sistema online calculará automaticamente as notas do candidato, conforme o desempenho nas cinco áreas do Enem: matemática, linguagens, ciências humanas, ciências da natureza e redação.

Veja como funcionará o site do Sisu, passo a passo.

A oferta de vagas será próxima a de um leilão: conforme os estudantes se inscrevem em cada uma das três rodadas, a nota de corte dos cursos vai subindo ou caindo, de acordo com a pontuação geral e do peso atribuído às matérias.

Ao fim da primeira etapa, marcada para 3 de fevereiro, o Sisu calculará as vagas preenchidas. O sistema prevê uma sobra de oportunidades, que serão reabertas na segunda rodada. O mesmo processo será repetido na última fase.

As inscrições no site devem ser feitas até as 23h59 do último dia de cada etapa. Veja o calendário oficial:

Primeira etapa
Inscrições: de 29 de janeiro até 3 de fevereiro
Resultado: 5 de fevereiro
Matrícula: de 8 de fevereiro a 12 de fevereiro

Segunda etapa
Inscrições: de 15 de fevereiro a 20 de fevereiro
Resultado: 22 de fevereiro
Matrícula: de 23 de fevereiro a 26 de fevereiro

Terceira etapa
Inscrições: de 1º de março até 3 de março
Resultado: 5 de março
Matrícula: de 9 de março a 12 de março

Wikipedia já pode publicar vídeos nos artigos

A Fundação Wikmedia, responsável pelo Wikipedia, está próximo de lançar um recurso que permitirá a publicação e edição de vídeos na enciclopédia online.

O usuário que editar um texto no Wikipedia encontrará o botão “Add Media” que possibilitará o upload de vídeos e o posicionamento em qualquer lugar do artigo.

Além do novo recurso, a Wikmedia pretende oferecer uma forma de importação de vídeos de qualquer lugar da web, desde que não sejam protegidos por direitos autorais. A fundação também oferecerá ferramentas para edição de vídeos no site da Wikipedia, assim como já é feito com os textos.

De acordo com o site Technology Review, o serviço usado para armazenar os vídeos será, inicialmente, o Internet Archive. Outra fonte será o Wikimedia Commons, um banco de dados com mais de quatro milhões de arquivos de mídia.

Enem exigirá capacidade de relacionar temas

O novo Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), que deverá substituir o vestibular de parte das universidades federais a partir deste ano, exigirá dos estudantes conhecimento, raciocínio e, principalmente, capacidade de relacionar temas para chegar à resposta correta.

Uma mesma pergunta poderá incluir, ao mesmo tempo, temas de história e geografia, de biologia e química ou de literatura e compreensão de linguagem.

Exemplos de questões preparadas  pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) mostram que o novo Enem será não apenas mais longo, mas bem mais complexo. “No Enem atual, o aluno não precisa, por exemplo, saber ciências. Uma pessoa que lê bastante pode ter um bom resultado”, explica o presidente do Inep, Reynaldo Fernandes. “O novo exige mais conhecimento de conteúdo.”

O exame concentrava suas questões em interpretação de textos e linguagens e lógica, sem contar com perguntas de ciências, história e geografia. Já os vestibulares cobrem todas as áreas, mas tendem a se concentrar em perguntas com respostas muito específicas.

Um exemplo, retirado da Fuvest de 2008, é uma questão que, após um pequeno texto, pergunta a qual movimento ele se referia: liberalismo, feudalismo, mercantilismo, escravismo ou corporativismo. “Esse tipo de questão não cairá no novo Enem. Serão todas de contextualização e situações-problema”, diz Reynaldo.

O Estado de S. Paulo.

Aprovadas mudanças no vestibular da Fuvest

A Universidade de São Paulo aprovou mudanças no vestibular da Fuvest.

As alterações incluem a fixação da prova da segunda fase em uma rotina de três dias: prova de português e redação no primeiro dia, das disciplinas gerais do ensino médio no segundo e de questões específicas de matérias ligadas à carreira escolhida no terceiro.

As provas também poderão passar a ser mais interdisciplinares, com mais foco em competências e habilidades do que em apenas conteúdo.

Um dos objetivos da mudança seria facilitar o acesso de estudantes da rede pública à universidade e caracterizar definitivamente a primeira fase como um “filtro” para o acesso á segunda rodada de provas, irrelevante, portanto, para a classificação final.

Vestibular com prova única nas Federais

Para entrar em uma das 55 universidades do país, os candidatos fariam uma prova unificada.

O Ministério da Educação (MEC) apresentou uma proposta para trocar o vestibular das universidades federais por uma prova unificada, aplicada em todo o país em um mesmo dia.

Nesta quarta-feira, o Ministério da Educação fez uma proposta às universidades federais para mudar essa realidade a partir do ano que vem.

Para entrar em qualquer uma das 55 universidades, os candidatos fariam uma única prova no mesmo dia, em todo o país. Cada universidade definiria uma nota mínima para o ingresso nos diferentes cursos. Naqueles mais concorridos, os candidatos ainda poderiam passar por uma segunda fase, com uma prova mais especifica.

As universidades federais têm autonomia para decidir sobre qualquer alteração no vestibular.

“Achamos que podemos sempre inovar na busca de melhorias e aperfeiçoamento do sistema de educação superior”, afirma Amaro Lins, presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes).

O MEC espera que a proposta de unificação das provas provoque uma mudança em sala de aula.

“É muito traumática a passagem da educação básica para a educação superior. Ela pode ser mais inteligente, mais eficiente. É isso que nós estamos perseguindo no momento”, declarou o ministro da Educação, Fernando Haddad.

O professor Cláudio Moura Castro, especialista em educação, também acredita que o resultado pode ser a melhoria da qualidade do ensino.

“O ensino médio pode se concentrar nas ideias mais fundamentais, como leitura, escrita, uso de números, resolução de problemas e deixar os detalhezinhos que hoje estão sendo introduzidos por conta dos vestibulares mais competitivos”, explica o professor.

G1

USP muda o vestibular da Fuvest

A Universidade de São Paulo (USP) pretende mudar o formato da Fuvest a partir deste ano, o que poderá facilitar o vestibular para estudantes de escolas públicas.

O jornal O Estado teve acesso a um documento que descreve as mudanças – preparado por um grupo de representantes da reitoria e de algumas unidades -, apresentado pouco antes do carnaval ao Conselho de Graduação da instituição.

Entre as modificação propostas, a primeira fase do exame deixaria de contar pontos para a nota final e a segunda etapa passaria a incluir questões de todas as disciplinas. A expectativa é de que o documento seja aprovado até maio.

No ano passado, 138 mil estudantes se inscreveram para a Fuvest, que é considerado o maior vestibular do País. O número, no entanto, foi o mais baixo registrado nos últimos 11 anos. Desde 2006, a USP vem implementando medidas para atrair mais candidatos que estudaram em escolas públicas para o exame .

O documento explica que a primeira fase da Fuvest deve ser “visualizada como um filtro de acesso para a segunda fase”, e por isso os pontos obtidos podem ser desconsiderados na próxima etapa. Dessa forma, ainda segundo o texto, “a segunda fase passa a ser disputada por candidatos de escolas públicas e particulares, que partirão das mesmas condições iniciais”. A USP ainda argumenta que a mudança pode reduzir a influência do preparo em cursinhos pré-vestibulares “que investem em treinamento intensivo para lidar com provas objetivas” e que não são acessíveis aos estudantes carentes.

Atualmente, a pontuação da primeira fase vale o equivalente à metade da nota final. Portanto, estudantes que conseguem apenas a chamada nota de corte – pontuação mínima necessária para ir para a próxima etapa – ficam em desvantagem na disputa. “Claramente, o intuito é facilitar a prova para os estudantes de escola pública, deixando todo mundo mais ou menos igual”, disse um professor da USP que participou da apresentação do projeto no dia 19, mas pediu que seu nome não fosse publicado.

O conselho reúne cerca de 50 pessoas, entre eles representantes das unidades da USP e alguns alunos.

A proposta deve ser votada em abril ou maio. Tradicionalmente, a pró-reitora consegue a aprovação de seus projetos no conselho, já que tem a maioria dos votos a favor.

SEGUNDA FASE

Para a coordenadora do Curso e Colégio Objetivo, Vera Lúcia da Costa Antunes, uma segunda fase que cobre todas as disciplinas também ajudaria estudantes menos preparados. Atualmente, apenas português e redação são obrigatórias para todos os candidatos. O restante das matérias – que pode variar de uma a três – é relacionado ao curso escolhido. “Hoje, dependendo do curso, o estudante tem de fazer dez questões de química, por exemplo. Para um aluno de escola pública, é melhor ter menos perguntas dissertativas de uma área que ele não domina”, avalia Vera Lúcia.

A intenção da USP é que a segunda fase seja feita em três dias. O primeiro continuaria a ter português e redação para todos. O segundo dia seria composto de 18 questões dissertativas de física, química, matemática, biologia, geografia e história. Outra novidade é que seis perguntas teriam de ser interdisciplinares, tendência que existe hoje só na primeira fase da Fuvest.

O Estado de SP

UFRGS: lista de aprovados no vestibular

A UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) divulgou nesta sexta-feira (16) a lista com os nomes dos candidatos classificados no vestibular 2009. Os aprovados podem ser conhecidos pelo site da instituição ou, fisicamente, no prédio anexo da reitoria (Av. Paulo Gama,110 – Campus Central), em Porto Alegre.

Os classificados deverão realizar as matrículas nas unidades de seus respectivos cursos nos dias 3 e 4 de fevereiro. A UFRGS disponibilizará em seu site, a partir de segunda-feira (19), mais informações sobre locais e horários de matrícula.

Os documentos necessários para efetivar a matrícula podem ser encontrados no manual do candidato. A segunda chamada será feita no dia 11 de fevereiro. A divulgação ocorre nove dias após o último dia de provas (07/01).  Pela internet, os candidatos podem conferir sua colocação e como forma avaliados na redação. A relação também permite verificar o semestre de início das aulas dos aprovados.

Vestibular: 1º lugar aos 13 anos na federal

Aos 13 anos, Guilherme Cardoso de Souza foi aprovado no vestibular da Universidade Federal do Paraná (UFPR). E a conquista foi com louvor: ele passou em primeiro lugar no curso de química.

Mas o jovem não estava completamente seguro na hora do exame: — Estava com medo por causa da prova de redação. De química, eu não estava com medo, porque senti que tinha ido bem. Mas na hora é uma surpresa sempre — conta o menino.

Aos dois anos, Guilherme já fazia o que as crianças só aprendem aos seis ou sete anos. — Achei que ele era de outro mundo. Com essa idade ele começou a ler e a escrever — relembra a mãe.

E pouco antes de começar o curso universitário, Guilherme se empenha em um novo projeto: a escrita de um livro didático de química para estudantes do ensino médio. — Espero que ele seja usado e que dê um melhor entendimento da química para outros estudantes — diz. O talento para ensinar Guilherme já demonstrou outras vezes. Quando estava no segundo ano do ensino médio, dava aulas de reforço para colegas bem mais velhos. O jovem foi acompanhado por especialistas, terminou o ensino fundamental com 10 anos e o ensino médio com 13.

O mais jovem universitário do Paraná, que deve se formar aos 17 anos, já escolheu a profissão. — A princípio, quero ser professor e dar aula de química em colégio — afirma.

Prouni: resultado fica para 5 de janeiro

A primeira chamada de pré-selecionados no Prouni (Programa Universidade para Todos) será divulgada em 5 de janeiro. A liberação da lista de beneficiados para o primeiro semestre de 2009 estava prevista para esta sexta (19), mas foi adiada por “motivos operacionais”, segundo o MEC (Ministério da Educação).

O novo prazo foi estabelecido pela Portaria nº 1.105, da Sesu (Secretaria de Educação Superior), do Ministério da Educação, publicada na edição desta sexta-feira do Diário Oficial da União.

Em 5 de janeiro serão divulgados também os nomes dos candidatos em lista de espera. Segundo o MEC, as demais datas não foram alteradas: a partir do dia 5 até 30 de janeiro, os convocados devem procurar as instituições de ensino onde pretendem estudar e precisam apresentar a documentação exigida para a matrícula.

O Prouni é um programa do governo federal que oferece bolsas universitárias. Tem direito a concorrer ao benefício quem fez todo o ensino médio em escola pública, prestou o Enem 2008 e teve, no mínimo, média 45.

Para o primeiro semestre de 2009, há 156.416 bolsas, 95.694 integrais e 60.722 parciais, de 50% da mensalidade.

As bolsas integrais são para estudantes com renda familiar, por pessoa, de até um salário mínimo e meio (R$ 622,15); as parciais, para quem tem renda familiar, por pessoa, de até três salários mínimos (R$ 1.245).

Outras informações podem ser obtidas no site do Prouni.

%d blogueiros gostam disto: