Arquivos de tags: Une

Carteira de estudante terá novo padrão de segurança

A carteira nacional estudantil deve ter novo padrão de segurança a partir de janeiro de 2013. Governo, entidades estudantis e indústria assinaram hoje (27) protocolo de intenções para a emissão do documento que terá certificado digital no padrão da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil).

A exigência faz parte da Lei Geral da Copa para garantir a meia-entrada nos eventos desportivos que o Brasil sediará, como a Copa das Confederações e a Copa do Mundo. Estudantes terão 50% de desconto para compra dos bilhetes mais baratos, chamados de ingressos categoria 4.

O acordo foi assinado entre o Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI), a UNE e a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia em Identificação Digital (Abrid). As carteiras estudantis com certificado digital seguirão padrão único e somente poderão ser emitidas pela União Nacional dos Estudantes (UNE), Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), pelos diretórios centrais dos estudantes (DCEs) das instituições de ensino superior e pela União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes).

Apenas apresentando carteira com certificação digital, os estudantes poderão adquirir meia-entrada para competições desportivas organizadas pela Fifa no Brasil.

Para o presidente da UNE, Daniel Iliescu, a medida de aplicar novo padrão de segurança à carteira estudantil vai ampliar a credibilidade do documento. “Vamos recuperar o padrão nacional da carteira perante os produtores culturais, esportivos e à sociedade. Atualmente há uma demanda artificial da meia-entrada devido às carteiras fraudadas. É importante regulamentar o documento para que se preveja a demanda real de meia-entrada e não haja mais uma enxurrada de meia-entrada, que na prática, são falsas e apenas elevam o valor dos ingressos”, explicou Iliescu.

O novo documento deve ter o mesmo o preço da atual carteira de estudante, que varia de R$ 8 a R$ 35, conforme a região do país, e terá validade até março de 2014.  Ela poderá ser obtida pelo site da UNE (http://www.une.org.br/) ou postos de atendimento espalhados por todo país. Segundo Iliescu, o valor obtido com os documentos dá autonomia financeira às entidades estudantis.

Heloisa Cristaldo
Agência Brasi

Educação: R$ 10 milhões amansa a UNE

A União Nacional dos Estudantes (UNE) ganhou na loteria no governo Lula. O repasse do Poder Executivo à entidade aumentou em 20 vezes nos últimos cinco anos. A soma dos recursos públicos transferidos chega aos R$ 10 milhões no período. Em contrapartida, as sexagenárias manifestações independentes e de críticas ao governo federal desapareceram.

Fotos do presidente Lula  com dirigentes da entidade são exibidas com pompa no site da UNE. O crescimento da verba recebida do governo foi meteórico. Os recursos saltaram de R$ 199 mil em 2004 para R$ 4,5 milhões no ano passado. Mas não parou por aí. O montante tende só a crescer em 2009: R$ 2,5 milhões já foram depositados na conta da UNE neste ano, segundo levantamento obtido pelo Correio no Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi).

Nada mal para quem recebeu cerca de R$ 1 milhão em oito anos do governo anterior, de Fernando Henrique. Transferidos para a UNE em 12 de janeiro passado, R$ 786 mil foram destinados à realização de shows e debates em São Paulo e Rio de Janeiro. Mas nenhuma apresentação foi feita até agora, admite a presidente da UNE, Lúcia Stumpf (PCdoB).

Em 5 de junho de 2008, o governo liberou o pagamento de R$ 435 mil para o projeto Sempre Jovem e Sexagenária. Segundo Lúcia, o recurso de quase meio milhão de reais será usado para fazer um livro sobre a história da militância estudantil secundarista. A UNE tem até junho para concluir esse projeto.

Braço político A presidência da UNE está nas mãos do PCdoB há mais de 15 anos. O partido tem como representante no governo o ministro dos Esportes, Orlando Silva, que presidiu a entidade estudantil entre 1995 e 1997. Em janeiro passado, o ministério comandado por ele liberou R$ 250 mil para patrocinar a bienal de cultura da UNE, realizada naquele mês em Salvador. Cerca de R$ 6,2 milhões do dinheiro público repassado pelo governo Lula saíram dos cofres do Ministério da Cultura.

Pelo menos seis convênios com a entidade foram alvos de tomadas de conta especial, um processo administrativo interno aberto sempre que aparece indício de irregularidade que possa dar prejuízo ao órgão público. Um deles refere-se à participação da UNE em paradas de orgulho gay em 2006. Cerca de R$ 37,5 mil foram repassados à entidade e até agora a prestação de contas não foi aprovada. A entidade estudantil também se aventurou pelo orçamento da saúde. No segundo semestre do ano passado, a UNE recebeu R$ 2,8 milhões do SUS)para fazer uma caravana pelo país. O objetivo foi abrir um debate e realizar ações ligadas à saúde. “Percorremos os 27 estados discutindo cultura, saúde e educação, visitando 41 universidades públicas e privadas no Brasil”, justifica a presidente da entidade.

A presidente da UNE, Lúcia Stumpf  (foto), garante que os milhões recebidos do governo Lula não ferem o histórico caráter contestador da entidade. “Nenhum recurso será capaz de comprar a autonomia e a independência da UNE”, diz. “A relação que a UNE tem com o governo é a mesma que teve com outros governos em seus 70 anos. É uma relação de absoluta autonomia”, ressalta.

Filiada ao PCdoB, Lúcia Stumpf foi eleita em 2007, aos 25 anos, para presidir a entidade. Estudante de jornalismo, ela sucedeu Gustavo Petta, do mesmo partido e que recentemente assumiu a Secretaria de Esportes de Campinas (SP). Para a militante estudantil, as possíveis irregularidades apuradas pelo Ministério da Cultura não são graves. “É comum ter problema pela grande burocracia existente. Por conta disso, há dificuldade de apresentação dos documentos”, explica.

Procurado pelo Correio, o Ministério da Cultura informou que a UNE não tem sido privilegiada pela pasta. “Os critérios adotados são os mesmos para qualquer projeto de apresentação ao Fundo Nacional de Cultura (FNC)”, disse a assessoria.

LEANDRO COLON/Correio Braziliense

Aprovada meia entrada em shows e teatro

12_mhg_cult_erika_estudante2Por 14 votos a sete a Comissão de Educação e Cultura do Senado aprovou nesta terça-feira (25/11) o projeto que regulamenta a cobrança da meia-entrada em shows e espetáculos teatrais. A proposta aprovada estabelece uma cota de 40% para ingressos vendidos com meia-entrada. Esse ponto da matéria encontrou resistência por parte dos estudantes, que fizeram um protesto na comissão.

“Não é preciso ter cotas. Consideramos isso nocivo, porque não haverá mecanismos de fiscalização para quando uma venda de ingressos atingir a cota”, disse a presidente da UNE (União Nacional dos Estudantes), Lúcia Stumpf.

Empresários e artistas, no entanto, se mostraram favoráveis às cotas para venda de ingressos em espetáculos. A reunião de hoje contou com a presença de vários representantes que pressionaram a aprovação do projeto, em tramitação no Senado há três anos. Alguns parlamentares passaram pela comissão apenas para cumprimentar Wagner Moura e Christiane Torloni.

Além de estabelecer cotas, a norma cria um conselho de fiscalização e determina que apenas a Casa da Moeda emita as carteirinhas com permissão para a meia-entrada. A matéria segue, agora, para a Câmara dos Deputados.

Ag Brasil


Lula vai indenizar UNE por incêndio na ditadura


Em tempos de ânimos acirrados entre militares e poder Executivo, o presidente Lula planeja assinar esta semana, no Rio, projeto de lei que reconhece a responsabilidade do Estado brasileiro no incêndio e demolição da sede da UNE (União Nacional dos Estudantes), ocorridos durante a ditadura.

O anúncio, classificado como “momento histórico” pelos estudantes, está previsto para ocorrer no terreno na praia do Flamengo onde funcionava a sede da instituição até o dia 1º de abril de 1964, quando o prédio foi incendiado por militares, após a deposição do presidente João Goulart. A estrutura depois foi demolida, em 80, no governo Figueiredo.

Além do reconhecimento político, o governo pretende bancar parte dos gastos da nova sede, um projeto do arquiteto Oscar Niemeyer doado à instituição.

FSP/Letícia Sander:

UNB: Novo reitor promete punir erros

Escolhido na lista tríplice feita pelo Conselho da UnB, o professor aposentado Roberto Aguiar, ex-secretário de Segurança do Rio e do DF, foi nomeado reitor pro tempore. Ele quer investigar as relações da UnB com as fundações de apoio.

Aguiar disse que vai investigar a relação da universidade com suas fundações de apoio. Aguiar é filiado ao PT e foi escolhido pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, entre os três nomes sugeridos ontem pelo Conselho Universitário da UnB.

– Fundação é para ser investigada. O que tem de errado é para ser punido. A gente tem que erradicar qualquer tipo de desvio de conduta.

Aguiar substitui o reitor Timothy Mulholland, que renunciou no fim de semana. O vice, Edgar Mamiya, também deixou o cargo. Mulholland saiu após ser denunciado pelo Ministério Público por uso indevido de recursos da Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec). A Finatec pagou R$470 mil para decorar o apartamento funcional do reitor. O vice era investigado pelo uso de recursos de outra fundação.

Os estudantes, que estão no prédio há 14 dias, decidem hoje, em assembléia, se terminam a ocupação. Os alunos querem a realização de eleições paritárias, nas quais os votos de estudantes, professores e funcionários tenham o mesmo peso na votação. Hoje, nas eleições, os docentes têm peso de 70%, enquanto alunos e funcionários,15% cada.

Aguiar afirmou que não usará o carro da reitoria, um Honda Civic comprado pela Finatec, sem licitação, por R$72.200. Tampouco irá morar no apartamento funcional. O ministro da Educação, Fernando Haddad, disse que escolheu Aguiar porque ele foi o mais votado da lista tríplice: recebeu 40 votos, seguido pela professora de sociologia Lourdes Bandeira (30) e o professor aposentado Marcelino Gileno (24).

 

%d blogueiros gostam disto: