Arquivos de tags: Tecnologia

Musicoterapeuta, DJ, e barista, algumas das profissões incluídas na classificação MTE

24525_1372803121892_1286217738_31051611_5773489_n[1]O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) divulgou, na quinta-feira, a atualização da Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), com a inclusão de 60 novas ocupações. O arquivo passa a conter agora 2.619 ocupações. Entre as novas ocupações estão agente de proteção de aviação civil, musicoterapeuta, propagandista de produtos farmacêuticos, DJ, barista (profissional especializado em cafés especiais), sócio-educador e doula (profissionais que acompanham gestantes antes, durante e depois do parto, oferecendo suporte emocional e físico).

As novas atualizações buscam atender as demandas do público em geral e entidades governamentais como: Ministério da Saúde; do Desenvolvimento Social; do Turismo; Secretária de Direitos Humanos; Policia Federal; CIUO (Classificação Internacional Uniforme de Ocupações) da Organização Internacional do Trabalho; entre outros. Segundo o MTE, a CBO retrata a realidade das profissões do mercado de trabalho brasileiro. A atualização e modernização do documento ocorrem para acompanhar o dinamismo das ocupações e mudanças econômicas, sociais e culturais pelas quais o país passa. Essas modificações e inclusões são elaboradas com a participação de representantes dos profissionais de cada área, em todo o país.

“As inclusões têm gerado, tanto para categorias profissionais quanto para os trabalhadores, uma maior visibilidade, um sentimento de valorização e de inclusão social”, diz o diretor do Departamento de Emprego e Salário do MTE, Rodolfo Torelly.

A CBO é utilizada pelo MTE na confecção da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), no cruzamento de dados do seguro-desemprego e na formulação de políticas públicas de geração de emprego e renda. Outras instituições governamentais utilizam a CBO para seus produtos, como a Declaração de Imposto de Renda, o cadastramento no INSS, em políticas públicas de Saúde, no Censo Educacional e em pesquisas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

OGLOBO

TV paga fatura mais que TV aberta em 2012

LG_42LH7000_remote_hand_test_review[1]O setor de TV por assinatura brasileiro fechou 2012 com um faturamento de R$ 23,7 bilhões, um crescimento de 32% sobre os R$ 18 bilhões de 2011, conforme adiantou o colunista Daniel Castro em sua coluna desta terça-feira.

Os dados são da ABTA (Associação Brasileira de Televisão por Assinatura), mas ainda não foram divulgados oficialmente e podem sofrer alterações.

Foi o primeiro ano em que a TV por assinatura faturou mais do que a TV aberta no país. Porém, cabe ressaltar que isso não quer dizer que a TV aberta está ficando mais pobre ou ameaçada pela TV paga. Além de a TV paga crescer em ritmo acelerado e seguir ficando mais rica, os dados da ABTA incluem as receitas das operadoras de TV por assinatura com telefonia e banda larga nos resultados.

Outro dado que chama a atenção é que, mesmo com o crescimento, a TV paga possui menos faturamento com publicidade do que a aberta.

As receitas da TV aberta vêm quase exclusivamente da publicidade, conforme destaca o colunista. Na TV paga, publicidade representa apenas 7% do total das receitas.

Até outubro, as redes abertas tinham arrecadado R$ 16 bilhões em publicidade, segundo o Projeto Intermeios.

 

Mesmo com a maior demanda de propaganda no final do ano, dificilmente Globo, Record, SBT, Band, Rede TV! e demais redes conseguirão superar a casa dos R$ 20 bilhões de receitas em 2012. Em 2011, elas faturaram R$ 18 bilhões. Previam um crescimento de 10% no ano passado.

 

Com informações de Daniel Castro/Redação Adnews

Desenvolvedor é demitido por terceirizar seu trabalho inteiro para a China

man-resting-in-the-arm-chair-happiness-pixmac-picture-65203135[1]Muitas vezes, quem é realmente preguiçoso é muito criativo. Como este desenvolvedor, que foi pego terceirizando seu trabalho todo para a China, a fim de passar seu tempo no trabalho… sem trabalhar.

A história aparece em um estudo de caso da operadora americana Verizon. Um funcionário chamado “Bob”, que trabalhava em uma “empresa crítica de infraestrutura” nos EUA, era o culpado.

Bob é descrito como um desenvolvedor de software nos seus 40 e poucos anos, versado em C, C++, Perl, Java, PHP, Python e outras. Ele já trabalhava na empresa havia um bom tempo.

Seu truque só foi descoberto quando alguém notou a atividade suspeita em logs no VPN da empresa. A Verizon explica:

Nós recebemos um pedido de uma empresa americana pedindo nossa ajuda para entender certa atividade anômala que eles viram em seus logs de VPN. Basicamente, os logs mostravam [Bob] logado na China, mas o funcionário estava bem ali, sentado em sua mesa, olhando para o monitor.

Todo o trabalho de Bob estava sendo realizado na China. E o pior: aparentemente ele recebia avaliações de desempenho ótimas – era um dos melhores desenvolvedores da empresa.

Parece que ele já aplicou o mesmo golpe em várias empresas, ganhando “várias centenas de milhares de dólares por ano” – e ele pagava menos de 20% disso para os chineses.

Investigações posteriores revelaram um dia de trabalho típico para Bob:

9h – Chegar e navegar no Reddit por algumas horas. Assistir a vídeos de gatos

11h30 – Almoço

13h – Hora do eBay

14h – Navegar pelo Facebook e LinkedIn

16h30 – Relatório de fim do dia por e-mail para a gerência

17h – Ir para casa

Parece que agora ele vai passar bem mais tempo no LinkedIn. [Verizon via The Inquirer]

Foto por Viorel Sima / Shutterstock

Via GIZMODO

Brasileira deixa Google e Microsoft para fundar a própria empresa

isabel-pesce-matos[1]A brasileira Isabel Pesce Mattos fez o que muitos considerariam loucura no dias de hoje. Ela trocou um emprego na gigante do software Microsoft e Google para se aventurar na sua própria empresa no famoso Vale do Silício, na Califórnia.

A jovem, de apenas 23, estudou em uma das universidade de tecnologia mais famosas do mundo, O MIT, em Massachusetts, estagiou no Google e trabalhou na Microsoft antes de abrir a Lemom, uma empresa que produz um aplicativo de controle financeiro pessoal. A start up, como são conhecidas as novas empresas de tecnologia, já recebeu cerca de $10 milhões em financiamento.

Mas a história de Isabel não é uma uma história de sorte ou de uma pessoa nascida em uma família brasileira abastada. Sua trajetória é um exemplo de determinação contra todas as probabilidades. Diferentemente de muitos dos seus colegas de universidade, Isabel não foi criada para estudar em uma das melhores faculdades dos Estados Unidos.

Aos 18 anos, ela se preparava para tentar vestibular no ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica, em São José dos Campos) quando tomou conhecimento do MIT. Sem conhecer nada sobre estudar fora, ela resolveu arriscar e tentar o processo seletivo. “Fiquei interessada e participei de seis etapas de qualificação – que inclui informações pessoais, coleta de recomendação de ex-professores, redações em inglês e entrevista com um ex-aluno do próprio MIT. Não é um processo complicado, mas é desconhecido pelos brasileiros”, diz ela.

De lá, Isabel saiu com quatro diplomas nas mãos; ciências da computação, matemática, economia e administração. Sem ter conseguido uma bolsa de estudos devido ao seu excelente currículo acadêmico, ela nunca poderia pagar as altas mensalidades da faculdade.

Isabel realizou um mestrado profissional no Google e trabalhou em dois projetos da Microsoft. De quebra, foi à mansão de Bill Gates e conversou com o papa do software.

A experiência livrou Isabel das angústias típicas de um recém-formado. Ao invés de procurar emprego, preferiu aventurar-se no negócio próprio. Abriu em pleno Vale do Silício, o pulmão californiano da tecnologia mundial, a startup Lemon. O primeiro serviço, um aplicativo para controle de gastos pessoais, dá sinais de que a empresa vai prosperar: em menos de um mês, o programa registrou 400.000 downloads.

Na Google, Isabel trabalhou no desenvolvimento e aprimoramento do Google Translate durante o programa de mestrado no qual o MIT mantém uma parceria com a Google.

De lá ela foi parar na Microsoft, onde participou da construção de agregadores de RSS, além de fazer parte de uma startup interna que promoveu a criação de um serviço com uma webcam que identifica gestos. “Um dos momentos mais inesquecíveis na empresa foi o dia em que fui convidada – com outros estagiários – para visitar a casa de Bill Gates. Acabei conhecendo a família dele, mas infelizmente não pude registrar nenhum momento do encontro: câmeras e celulares foram confiscados antes”, lamenta ela.

Com a experiência adquirida, e uma proposta de fazer parte de sua própria empresa, Isabel disse que descobriu que queria mesmo era ser empreendedora e seguir o próprio caminho. “Acredito que seja o momento ideal para aprender com produtos que estão em fase embrionária. Já temos 18 empregados e a ideia é expandir cada vez mais. Basicamente, oferecemos nos dispositivos móveis e na web um aplicativo gratuito que oferece auxílio na organização dos gastos pessoas, digitalizando toda informação. Em menos de 30 dias, o serviço já está em uso por 400.000 pessoas”, diz.

 

Saiba mais  http://veja.abril.com.br/blog/vida-em-rede/entrevista/isabel-matos-uma-empreendora-brasileira-no-vale-do-silicio/

Twitter: mais de 200 milhões de usuários

twitterA rede social Twitter indicou nesta terça-feira que ultrapassou a barreira dos 200 milhões de usuários ativos, em uma mensagem publicada em sua conta.

“Atualmente, há mais de 200 milhões de usuários mensais ativos no @Twitter. Vocês são o pulso do planeta. Obrigado por seu apoio!”, afirma a companhia.

Twitter, empresa com sede em San Francisco, Califórnia, não é cotado na bolsa e, por isso, não tem a obrigação de proporcionar informações sobre suas atividades. A rede de microblogs não fornecia dados sobre seu número de usuários desde setembro de 2010, quando informou que possuía 145 milhões de usuários ativos.

Uma análise da empresa Sys-Con Media calculou há um mês a existência de mais de 465 milhões de contas no Twitter, com um número de mensagens – tweets – superior a 175 milhões por dia.

Outra companhia especializada em redes sociais, a Semiocast, havia estimado para final de julho que o site tinha mais de 500 milhões de contas, com 140 milhões delas apenas nos Estados Unidos.

No entanto, nem todas estas contas são necessariamente ativas, o que pode explicar a diferença entre os estudos da rede social e as cifras oficiais do Twitter.

DATA: 12-12-12: os astros da música vão ajudar vítimas do furacão Sandy

24420719[1]Outro dia 12-12-12 só se repetirá daqui a 100 anos, o que torna a sacada do nome do show mais especial ainda. Paul McCartney, Eric Clapton, Billy Joel, Alícia Keys, Bruce Springsteen, Bon Jovi, Davi Grohl, Eddie Vedder, Roger Waters, Kanye West, The Who, entre outros, são as estrelas confirmadas para a apresentação que acontecerá no Madison Square Garden, um dos mais importantes palcos do mundo, com renda revertida para a Fundação Hobin Hood, que ajudará os desabrigados do furacão Sandy.

Até as empresas de vendas de ingressos resolveram colaborar e não cobraram a taxa de conveniência – que encarece os preços dos tickets aqui e lá fora. Vale lembrar que a causa é nobre, já que o furacão Sandy invadiu a costa leste dos Estados Unidos no dia 29 de outubro, atingindo as áreas litorâneas dos estados de Nova Jersey e Nova York e causando a morte de 120 pessoas. Os danos, só em Nova York, foram de US$ 30 bilhões.

Brasileiros não poderão mais comprar e-books na Amazon americana

Entenda como a gigante do varejo vai operar no Brasil

Amazon no BrasilSite em português já anuncia a comercialização do leitor Kindle

Amazon chegou oficialmente ao Brasil nesta quinta-feira. A novidade pode mudar não só os hábitos de novos consumidores por aqui, mas também alterar a rotina dos brasileiros que já fazem compras no site da Amazon nos Estados Unidos. Isso porque, segundo a assessoria de imprensa da companhia, os usuários que fizerem a migração de sua contas originais para o serviço brasileiro não poderão mais comprar livros digitais na loja americana. Nada muda, porém, em relação à aquisição de obras no formato tradicional, o papel. A versão em português do site da Amazon oferece 1,4 milhão de e-books, incluindo mais de 13.000 títulos em português, sendo que 1.500 deles são gratuitos.

Entenda como vai funcionar o serviço da Amazon no Brasil:

1. Já tenho perfil no site da Amazon no exterior. Posso usar o mesmo e-mail e senha no site brasileiro?
Sim. O acesso à Amazon Brasil acontece através do mesmo e-mail e senha cadastrados na Amazon dos Estados Unidos.

2. A migração de perfil acontecerá automaticamente?
Não. Para comprar qualquer livro na Amazon Brasil o usuário terá que fazer a migração do perfil.

3. Os livros comprados na Amazon dos Estados Unidos continuarão disponíveis no meu Kindle após a migração de perfil?
Sim. Todos os livros adquiridos através da conta americana continuarão disponíveis.

4. Posso comprar e-books na loja americana após a migração de perfil para o site brasileiro?
Não. Os usuários que migrarem suas contas para o site brasileiro só poderão comprar livros digitais na loja brasileira.

5. Sou assinante de edições digitais de jornais e revistas. O que acontecerá com minhas assinaturas após a migração? 
O serviço de assinaturas não está disponível no Brasil. Portanto, os assinantes de tais serviços não poderão mais acessar aqueles conteúdos após a migração. A Amazon providenciará o estorno do valor pago. O acervo das edições anteriores também ficará indisponível.

6. Comprei vídeos e músicas usando a minha conta americana. Após a migração, terei acesso a esses conteúdos?
Vídeos e músicas não estão contemplados no serviço brasileiro. Portanto, não estarão disponíveis após a migração. As músicas já adquiridas, contudo, poderão ser baixadas para o computador do usuário a partir do Cloud Player, serviço de armazenagem em nuvem da companhia.

7.  O que acontecerá com os aplicativos e games comprados na loja americana após a migração?
Tanto os aplicativos quanto os games estarão disponíveis após a migração de perfil. Serviços de assinatura continuarão disponíveis pelo período vigente, mas a renovação da assinatura só acontecerá se o recurso estiver disponível no Brasil. A oferta de assinaturas pode variar de país para país.

Facebook Messenger para Android não exige mais conta na rede social

facebookmessenger[1]Se o Facebook quer mesmo comprar o WhatsApp nós não sabemos – o WhatsApp nega o rumor – mas que a rede social quer ao menos roubar espaço e criar o substituto dos SMS, ela quer. E a nova versão do Facebook Messenger para Android deixa isso bem claro.

Em uma atualização disponível para alguns países (o Brasil a terá em breve), você não precisa ter mais uma conta no Facebook para se comunicar com outras pessoas pelo app. Você só precisar colocar o seu nome, seu telefone e começar a usar o serviço –exatamente como no WhatsApp.

A atualização por enquanto está disponível apenas em alguns países – Índia, Austrália, Indonésia, Venezuela e África do Sul – mas logo o Facebook expandirá o novo Messenger para o mundo inteiro, assim como também trará uma atualização para o app no iOS (sem dizer quando).

É claro que o WhatsApp é o mais popular, mas não é o único serviço disponível no mercado. Quem tem iPhone pode usar o iMessage, da Apple, e a RIM tem o BlackBerry Messenger para seus dispositivos. Além disso, há diversos apps multiplataforma como o KakaoTalk, WeChat e até o ChatOn, da Samsung. Ou seja, é um mercado com bastante gente participando.

É difícil imaginar alguém que não tenha uma conta no Facebook e tenha um smartphone, mas até dá para entender alguém que prefira não vincular a conta ao app para poder conversar com amigos com mais facilidade. De qualquer forma, o Facebook quer, definitivamente, ser o grande nome da comunicação nos smartphones. [Facebook via The Verge]

TECNOLOGIA: mais segurança na Web brasileira

O Brasil está entrando em uma fase que pode oferecer uma segurança maior para a navegação na Web. Trata-se da evolução do conhecido DNS; o DNSSEC que o Brasil já está apto para usar e é recomendado pelo Registro.br (que gerencia os domínios daqui).

Um protocolo inovador que impede o redirecionamento da página para sites estranhos, uma das táticas mais usadas por crackers, já está disponível no Brasil. Trata-se do DNSSEC, um novo protocolo que garante ao velho DNS mais rapidez, redundância e muito mais proteção para as lojas virtuais, serviços financeiros e com dados confidenciais.

O sistema garante que a página aberta ao digitar um endereço no browser seja mesmo a solicitada, em vez de cópias perigosas. Com o novo sistema, imediatamente é confirmada a procedência do site e aí assim ele será visualizado. Essa segurança extra foi adotada como padrão no Reino Unido, Portugal e Suécia. O Registro.br, organização brasileira responsável pelo registro de domínios com a terminação .br, já recomenda o uso da nova tecnologia, e apenas a Hostnet oferece essa tecnologia para domínios .com, .br e .net.

Para o internauta, não muda nada. Usando um plugin, é possível visualizar as páginas que adoratam o DNSSEC. Para os gestores de site, porém, a novidade reduz o gasto e aumenta a estabilidade. Desenvolvido pela IETF (Internet Engineering Task Force), o DNSSEC é um novo padrão para os endereços Web. Eles são verificados em tempo integral e dão certeza sobre a veracidade do site. Maior defesa contra ameaças digitais, porém, não custa mais para quem mantém, nem para quem visita as páginas.

A Hostnet acredita que o formato vai dar impulso ainda maior no e-commerce e na área financeira. “Esse é um grande passo para a segurança na Internet e todos serão beneficiados com a proteção contra roubo de identidade de sites. Fizemos um investimento para que nossos clientes tenham a opção de aumentar sua segurança”, explica Kauê Linden, diretor de Marketing da empresa.

Desde sua criação, em 2008, nenhuma falha foi identificada no DNSSEC, que funciona com DNS, adicionando proteções. O método tradicional não possui mecanismo contra a alteração de dados dentro do domínio. A novidade usa criptografia para gerar assinaturas digitais que favorecem a autenticação do site antes mesmo das tecnologias de certificação usadas hoje em dia. Assim, até o envio de emails fica mais seguro. Outras tecnologias criadas a partir desse padrão permitem bloquear mensagem em que o remetente não corresponda ao domínio real de quem envia.

Sobre a Hostnet – Com 12 anos de existência, a Hostnet está entre as quatro maiores empresas de hosting do país. Fundada em 2000, por Kauê Linden, 31 anos, diretor de Marketing. Atualmente tem mais de 100 funcionários e mais de 40 mil clientes. Sediada no Rio de Janeiro, a empresa apoia o movimento por Software Livre e acredita que o desenvolvimento nacional depende do investimento em tecnologia e educação.

Instalações de split system devem prever renovação de ar

Obrigatoriedade é determinada por norma

Ana Paula Basile Pinheiro

A questão da renovação de ar, que é exigida pela NBR 16401 e complementada por outras portarias municipais ou estaduais, como Corpo de Bombeiros e Prefeitura, tem por objetivo principal garantir a qualidade do ar interior nos ambientes condicionados. Isso é necessário, uma vez que os condicionadores tipo splits não promovem renovação do ar externo, apenas condicionam (filtram e resfriam) o ar que está num ambiente normalmente com suas portas e janelas fechadas.
“Devido a respiração dos ocupantes, há o consumo do oxigênio e liberação de gás carbônico, podendo deixar o ambiente inadequado, causando muitas vezes dor de cabeça, tontura e sensação de cansaço. Na maioria das instalações de splits com finalidade de conforto, como em dormitórios ou sala de estar, há a circulação de pessoas, abertura eventual de portas e as janelas não são estanques o que acaba proporcionando a renovação do ar. Esse tipo de utilização está fora da cobertura da NBR 16401 e das demais portarias, em função do número de ocupantes e do tipo de ambiente”, explica Mauro Apor, gerente geral de Ar Condicionado da LG.

Segundo ele quando os ambientes possuem uma ocupação naturalmente maior, como em restaurantes, bibliotecas, escritórios, cinema, shopping center, etc, a renovação do ar torna-se obrigatória. Num caso muito específico como, por exemplo, um CPD, onde praticamente não há ocupação por pessoas, a renovação de ar torna-se dispensada. Por outro lado, instalações hospitalares como numa UTI, a renovação de ar na porção de 100% é obrigatória, para evitar contaminação dos pacientes e médicos.

“A linha de condicionadores splits não contém nenhum dispositivo ou artifício que faça a renovação do ar para atender a NBR 16401, uma vez que o volume de ar de renovação necessário para enquadramento à norma varia em função do ambiente (e não em função do produto), é atribuição do projetista definir um sistema ideal para promover esta renovação de ar. Infelizmente constata-se que no Brasil poucas instalações seguem a norma neste quesito, seja por desconhecimento, seja por falta adequada de fiscalização, ou até mesmo porque a instalação de um sistema de renovação encarece a instalação como um todo. Sugerimos que seja sempre consultado um projetista que conheça o tema, e que de fato atenda integralmente as normas exigidas a fim de manter um ambiente agradável e saudável”, orienta Apor.

O engenheiro Claudio Porcelli, diretor comercial, e Marco Felippe, Gerente Comercial, ambos da Set-ar, acrescentam que segundo a norma NBR 16401, a exigência é a renovação em sistemas de ar condicionado para equipamentos com capacidades superiores a 10 kW, ou seja, em torno de 30.000btus. Para sistema de mini split de baixa capacidade, essa exigência não se aplica…. segue   http://www.engenhariaearquitetura.com.br/noticias/501/Instalacoes-de-split-system-devem-prever-renovacao-de-ar.aspx

%d blogueiros gostam disto: