Arquivos de tags: pedofilia

França prende provedores de pedofilia online

A polícia francesa prendeu 90 pessoas na terça-feira (26/05) em operação contra uma rede de comércio online de fotos de pedofilia.

Durante a investigação, que durou vários anos, uma unidade da polícia especializada em crimes online identificou pessoas ligadas a um servidor de troca de imagens de pedofilia que foi descoberto em 2005 e era gerenciado de uma região ao norte de Paris.

O dministrador do servidor foi preso quatro anos atrás, mas a polícia localizou dezenas de usuários do servidor e quatro outras pessoas que teriam montado seus próprios servidores para fornecer fotos e vídeos ilegais.

Em uma operação que se estendeu desde a região da Bretanha, no norte, até o sudeste da França, a polícia apreendeu vários computadores.

“Descobrimos nos computadores apreendidos de uma pessoa mais de 30 mil imagens de crianças. Isso são só as imagens. Também havia cerca de mil vídeos”, disse James Juan, procurador da cidade de Beauvais, ao norte de Paris, ao anunciar as prisões junto com os policiais.

Os 90 presos estão sob a guarda da polícia e estão sujeitos a penas de até 10 anos na prisão.

Mãe acha fotos de abuso da filha; pai é preso

imagem meramente ilustrativa

Abuso sexual: imagem meramente ilustrativa

Um homem foi preso na terça-feira, em Iturama (MG), após sua mulher encontrar em casa um pendrive com imagens de sexo explícito com crianças e adolescentes, entre eles a filha do casal, de 7 anos.

A mulher denunciou o marido à Polícia Militar, que o prendeu em flagrante. Ela contou que estava procurando um DVD quando encontrou o pendrive.

Os PMs apreenderam também um notebook e uma CPU que estavam na casa. Quando chegou à delegacia da cidade, o suspeito confessou o crime.

Ele será investigado também por suspeita de integrar uma rede internacional de pedofilia. O homem foi autuado por divulgar ou publicar imagens de sexo explícito com crianças.

A pena pode variar de dois a seis anos de prisão. A filha do casal foi encaminhada ao Conselho Tutelar, que acompanhará o caso.

Terra

Pedofilia envolve irmão de governadora e deputado

A Polícia Civil do Estado do Pará solicitou a Justiça a decretação da prisão preventiva de João Carlos de Vasconcelos Carepa, 50, irmão da governadora Ana Júlia Carepa (PT), sob a acusação de abuso sexual praticado contra uma pré-adolescente de apenas treze anos de idade, afilhada da mulher dele.

A menina esteve na polícia com a mãe para formalizar a denúncia contra Carepa.

O pedido de prisão da polícia é baseado em exames de corpo de delito do Instituto Medico Legal, segundo informa o blog paraense 5ª Emenda.

Não há indícios de que a governadora tenha tentado impedir a ação da polícia.

Outro caso de pedofilia de grande destaque no Pará, protagonuzado pelo líder do DEM na Assembléia Legislativa, deputado Luiz Sefer, teve seqüência no depoimento de onze horas que ele concdeu à polícia civil. Como tem direito a foro especial, ele escolheu ser ouvido bem longe do Estado, no Rio de Janeiro. Durou 11 onze horas a tomada de depoimento do deputado Luis Sefer (DEM) no Rio de Janeiro. Dispondo da prerrogativa do foro privilegiado, de acordo com a fonte do blog, Sefer optou por ser ouvido bem longe do Pará, em sua cobertura à beira do mar, no Rio.

Vale lembrar que o bispo da prelazia de Marajó (PA), dom José Luiz Azcona, em depoimento prestado ontem à CPI da Pedofilia, na Assembléia Legislativa do Estado do Pará, reafirmou as denúncias feitas ainda em 2008, em entrevista coletiva na sede do Regional Norte 2 da CNBB, quanto a casos de violação de direitos humanos que envolvem mulheres, adolescentes e crianças, no arquipélago que fica ao norte do Estado.

O religioso foi o primeiro a ser ouvido pela Comissão, em audiência aberta à sociedade. Depois de um longo relato sobre os casos por ele documentados, dom Azcona pediu para falar isoladamente com os membros da CPI.

Dom Azcona voltou a criticar duramente o Poder Público que, segundo ele, mesmo ciente da problemática na região, não toma as providências necessárias. Também fez duras críticas às autoridades policiais, coniventes com a situação. “No Marajó, foi descoberto um policial que fazia parte de uma quadrilha de tráfico humano, em que 178 mulheres, dentre elas menores, sendo 52 de Breves, foram enviadas para prostituição na Guiana Francesa”, disse o bispo.

Além deste, outros tantos casos foram relatados pelo religioso ao longo do depoimento.

Conselhos de um pedófilo

Pedofilia
“Esse tipo de crime ocorre para alertar a sociedade

Entrevista de Aline Peres

Cabelos brancos, olhos de um azul intenso e expressão serena. Essa é a descrição do preso 14.981 do Centro de Triagem 2, em Piraquara, região metropolitana de Curitiba. Jorge Luiz Pedroso Cunha é um dos 12 homens da cela X, todos sob acusação de pedofilia. Cunha está preso por molestar um menino de pouco mais de 4 anos, no balneário de Santa Terezinha, litoral do Paraná. Com mandado de segurança expedido desde 2007 pelo crime de abuso sexual, pela Comarca de Matinhos, o desenhista foi encontrado em Itajaí (SC).

Trabalhava como coordenador de um albergue para moradores de rua e dependentes químicos. A prisão se deu com a divulgação do seu retrato falado como principal suspeito da morte de Rachel Genofre, 9 anos, em novembro do ano passado.

Testes de DNA comprovaram a inocência de Cunha. Mas sua extensa ficha criminal contém casos de estupro, homicídio, pedofilia, atentado violento ao pudor, falsificação de documentos e falsidade ideológica. Beneficiado por um indulto, cumpriu 16 anos de uma pena de 18 anos pela morte de um garoto, em 1986, na Vila Oficinas, em Curitiba. Depois do abuso sexual, estrangulou a criança e abandonou o corpo perto da linha do trem.

Em entrevista à Gazeta do Povo, Cunha falou sobre a sua vida, sobre os crimes que cometeu e o que o pensa sobre a pedofilia. É casado e tem dois filhos, a mais nova, uma menina de pouco mais de 1 ano de idade. Artista plástico, tem um painel com cenas religiosas na Igreja do Perpétuo Socorro, no Alto da Rua XV. Tinha obras pintadas também nas paredes do antigo prédio do presídio do Ahú.

Diz ter tido uma infância normal, família de classe média baixa, casa própria. Foi preso pela primeira vez em 1976, meses depois da morte do pai, funcionário do estado. A mãe, do lar, já havia morrido em 1973. Estudou mecânica em escola técnica, mas abandonou o curso por causa da bebida.

Acesse a Gazeta do Povo e leia a entrevista completa

Carta para o Papai Noel denuncia abuso sexual

Carta de criança para o Papai Noel "delata" caso de abuso sexual no TexasClique para ampliar a imagem

Uma menina de 9 anos pediu que parente parasse de “tocar” nela e em sua irmã.
Polícia foi avisada, e suspeito pode pegar até 99 anos de cadeia.

Um homem foi preso no Texas acusado de abuso sexual, depois que uma menina de 9 anos escreveu uma carta a Papai Noel pedindo que ele parasse de “tocar” nela e em sua irmã.

A informação é do jornal “Monitor of McAllen”. O homem, morador de Pharr, foi preso na sexta-feira e está na prisão do condado de Hidalgo.

Segundo o inquérito, a menina entregou a carta em sua escola. Ela foi entrevistada pelas autoridades depois que um conselheiro da escola avisou sobre a carta.

Os investigadores acreditam que os abusos ocorreram ao longo dos últimos quatro anos.

O homem, que era parente das meninas, foi acusado de abuso sexual contínuo de menor e pode enfrentar até 99 anos de prisão se for condenado.

Monitor of McAllen

Sargento é o 1º indiciado na lei contra pedofilia

Um militar da reserva da Marinha foi o primeiro indiciado na lei que pune com mais rigor os crimes de pedofilia na internet, assinada pelo o presidente Luiz Inácio Lula da Silva na quarta-feira, no Rio. O terceiro-sargento Francisco Luís Dias, de 59 anos, foi flagrado hoje por agentes da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), armado com uma pistola PT-380, em um encontro com uma adolescente de 13 anos.

A menina era chantageada há cinco meses por ele para tirar fotos pornográficas. No momento da prisão, Dias foi flagrado com vários vídeos com adolescentes, sendo que alguns protagonizados por ele.

O acusado, que confessou o crime, tem um filho de seis anos e uma filha de 16. Em depoimento à polícia, a adolescente contou que o assédio do pedófilo começou durante as férias de julho. “Ele fez um perfil falso no Orkut e se passou por uma colega minha de escola. Quando recebi filmes pornográficos, estranhei e parei de falar. Ele se identificou como homem, mostrou uma montagem com a minha imagem e começou a me chantagear. Ameaçava mostrar aos meus amigos se eu não encontrasse com ele”, revelou a adolescente.

Como a menina não aceitou o encontro, o pedófilo fez um perfil falso dela no Orkut e divulgou uma montagem em vídeo dela com cenas de sexo para os colegas de escola. Hostilizada no colégio, a menina contou a história para a mãe que a orientou a continuar a conversa com o pedófilo e acionou a polícia.

De acordo com o delegado-titular da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) Fernando Vilapouca, o pedófilo pode pegar até 20 anos de prisão por armazenar e divulgar pedofilia, além de tentativa de atentado violento ao pudor. “Vamos identificar ainda outras dez crianças que aparecem com o acusado nos vídeos apreendidos com ele no momento da prisão em flagrante”, afirmou o delegado.

AE

Sai lei contra exploração sexual de crianças na web

..
O presidente Lula sancionou nesta terça-feira (25), o projeto de lei que considera crime o armazenamento em computadores de material pornográfico em que apareçam crianças e adolescentes.

O projeto foi sancionado durante a solenidade de abertura do 3º Congresso Mundial de Enfrentamento da Exploração Sexual de Criança e Adolescentes, no Riocentro, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio.

A nova lei também aumenta a punição para quem produzir e expuser (de 4 a 8 anos de prisão), distribuir (de 3 a 6 anos), armazenar (de 1 a 4 anos), fizer montagens e simulações e aliciar crianças e adolescentes ( de 1 a 3 anos) para fins de exploração sexual.

No discurso de abertura, o presidente Lula lembrou a importância da orientação sexual que os jovens devem ter dentro de casa e nas escolas. Ele disse que esse assunto não pode ser tratado com hipocrisia.

“Temos de convencer os pais que educação sexual em casa é tão importante quanto dar comida”, disse o presidente, acrescentando que não existe lógica em não orientar os jovens na escola. “Se náo fizermos nada essa iniciação pode se dar até de forma animalesca nas ruas”.

O presidente criticou duramente quem explora crianças sexualmente e destacou que esse não é um problema que atinge somente os pobres.

“A CPI da Pedofilia provou que as mais bárbaras cenas que a gente vê na internet, muitas vezes foram feitas por gente quase rica ou rica”, observou Lula, conclamando todos trabalhar para criar um ser humano mais solidário e racional, menos animalesco.

Disque 100 contra a pornografia

Na última segunda-feira (24), a subsecretária de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente, Carmen Oliveira, explicou que o projeto vai facilitar o registro de denúncias e agilizar o encaminhamento e apuração de notícia crime.

Segundo a subsecretária, a medida será uma evolução de outra iniciativa. A partir de um convênio da Secretaria Especial de Direitos Humanos e do Ministério da Justiça com a Safernet e a Polícia Federal foi criado o Disque 100, para denúncias de pornografia infantil na internet.

O serviço recebe todos os tipos de denúncias sobre violações dos direitos da criança e do adolescente. Desde 2003, quando o serviço passou a ser conduzido pela secretaria, já foram mais de 72 mil denúncias contabilizadas.

Banco de DNA de criminosos contra a pedofilia

As estatísticas do governo do Paraná revelam: a cada seis horas, uma criança é vítima de violência sexual no estado. Só neste mês, quatro crianças foram assassinadas. Por isso, o governo paranaense decidiu implantar um banco de DNA de criminosos, o primeiro do Brasil.

Quando um suspeito for preso, amostras do DNA serão transformadas em dados e incluídas em um cadastro. Se a pessoa voltar a cometer um crime e deixar vestígios, bastará comparar com o material genético arquivado.

“A grande vantagem de se ter um banco de DNA com pessoas já previamente catalogadas nesse grande banco seria o fato de poder identificar essa pessoa sem ter um suspeito imediato ou apontado naquele momento”, diz Carlos Alonso, do laboratório de genética.

O serviço de investigação de crianças desaparecidas da polícia paranaense já mantém um banco de dados com os criminosos mais procurados. Um dos nomes da lista é o do ex-pastor Jonatas Aurélio Velozo Lourenço. Ele tem mandado de prisão por violentar uma criança de seis anos e é investigado por outros casos envolvendo meninas de nove a 11 anos. A polícia suspeita que ele esteja escondido em São Paulo.

Altair Rodrigues Farias, outro nome da lista, foi condenado por estuprar e matar uma menina de sete anos. Está foragido há dois anos. Já Célio dos Santos Vieira violentou um menino e chegou a ser preso, mas conseguiu escapar de dentro do carro da polícia.

A polícia diz que os pedófilos agem de maneira parecida. É comum praticarem o mesmo crime mais de uma vez. Na maioria dos casos, são apanhados e presos. Mas, por bom comportamento na cadeia, recebem benefícios da Justiça e têm a pena reduzida. Aí, quando ganham as ruas, voltam a agir.

“Essa pessoa costuma ser uma pessoa muito inteligente, metódica, que procura estar em ambiente onde haja muitas cranças e sem que ele seja visto. De repente ele se aproxima de uma mulher para ser companheira dele que tenha filhas da idade da preferência dele. Ou então, profissões mesmo, como professor. Pode ser escoteiro, padre, pastor. Ele procura estar próximo a crianças”, diz a delegada Ana Cláudia Batista.

Gazeta do Povo

Lei: aumenta rigor contra pedofilia

A Câmara dos Deputados aprovou o projeto que aumenta o rigor contra crimes de pedofilia. Como a proposta já havia passado pelo Senado, falta apenas a sanção do presidente Lula para entrar em vigor.

Quem produzir, reproduzir ou registrar cenas pornográficas envolvendo crianças ou adolescentes fica sujeito à pena de quatro a oito anos de prisão. A punição é a mesma para quem vender ou expuser qualquer material pornográfico infantil.

Se o pedófilo exercer função pública, aproveitar-se de relações domésticas ou tiver parentesco de até terceiro grau com a vítima, é acrescido um terço à pena.Também passam a ser punidos o consumo, a posse e a divulgação de material de pedofilia. O presidente da ONG SaferNet Brasil, Thiago Tavares, avalia que a aprovação do projeto equipara a legislação brasileira à de países desenvolvidos e afirma que a Internet é o principal meio de difusão de material pornográfico infantil.

O projeto aprovado ontem pela Câmara é de autoria da CPI da Pedofilia, realizada no Senado Federal. O presidente da Comissão, senador Magno Malta, destaca que o consenso entre os parlamentares foi fundamental para a aprovação da nova lei. A única mudança no projeto, citada pelo senador, foi em função de pressão exercida pelos provedores de Internet.

O texto original obrigava as empresas a removerem o material de pornografia infantil quando da notificação por qualquer internauta. A nova legislação especifica que os provedores serão obrigados a excluir possíveis arquivos de pedofilia somente após notificação oficial.

Para o Ministério Público Federal, a aprovação do projeto pelo Congresso representa um avanço. Se você presenciar o crime de pedofilia pela Internet, pode fazer a denúncia na página da SaferNet Brasil. O endereço é aqui. A denúncia é encaminhada ao Ministério Público Federal, e você não precisa se identificar.

JP

Aumentam denúncias de exploração sexual infantil

As denúncias de abuso e exploração sexual infantil têm crescido no País, segundo informou a subsecretária de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente, da Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Carmen Oliveira. Ela participou nesta quinta-feira de seminário na Câmara para discutir a influência da pornografia no aumento dos casos de pedofilia.

Somente neste ano, até outubro, o Disque 100, da secretaria, recebeu 25 mil denúncias. Por dia, o sistema recebe aproximadamente 1.600 ligações. Além disso, no primeiro semestre de 2008, o número de denúncias (cerca de 20 mil) foi 78% maior em relação ao mesmo período de 2007.

As denúncias de abuso têm crescido também na internet. O aumento, entre janeiro e setembro deste ano, foi de 75% na comparação com o mesmo período do ano passado, segundo dados da SaferNet Brasil, organização de combate à pornografia infantil na internet. Em 2008, ela recebeu 42.122 queixas de crimes de pedofilia, contra 24.070 no ano passado.

Segundo Carmen Oliveira, o aumento pode ser resultado de medidas adotadas por diversos setores do governo, em uma ação coordenada por sua secretaria. Elas incluem campanhas, programas de atenção às vítimas de violência sexual, ações em rodovias e parcerias com instituições como a SaferNet.

Apesar disso, a subsecretária reconhece que falta muito e que o orçamento do setor é pequeno. Neste ano, foram executados R$ 4 milhões da secretaria especial em ações de combate à pedofilia, valor 500% superior ao do Orçamento de 2003. Ainda assim, Carmen pede empenho dos parlamentares na aprovação de emendas para essa área.

O maior obstáculo para o combate da pedofilia é a invisibilidade do pedófilo. Segundo o senador Magno Malta (PR-ES), que preside no Senado a CPI da Pedofilia, “O pedófilo é uma sombra, uma pessoa acima de qualquer suspeita. É o pediatra, o pastor, o padre, o empresário. A pedofilia no Brasil é analfabeta e doutora.”

Malta informou que a CPI trabalha para que as telefônicas e as operadoras de internet assinem termos de ajuste de conduta como o que foi firmado entre a CPI e o Google, que administra o site de relacionamentos Orkut.

Esse acordo permitiu que o Google entregasse à CPI, na quarta-feira (5), informações sobre 18.500 álbuns fechados do Orkut, suspeitos de conter imagens de pornografia infantil. Os álbuns foram identificados a partir de denúncias enviadas por usuários de internet à Safernet.

O senador defendeu ainda a aprovação, pela Câmara, do PL 1167/07, que criminaliza a conduta de quem guarda material pornográfico envolvendo crianças ou adolescentes. O projeto está na pauta da Câmara.

Noéli Nobre e Maria Neves

%d blogueiros gostam disto: