Arquivos de tags: Olimpíada

O maior campeão olímpico de todos os tempos

O nadador americano Michael Phelps (foto no centro) escreveu nesta terça-feira mais um capítulo na história dos Jogos Olímpicos. Após vencer a prova dos 200m borboleta no Cubo D’Água, em Pequim, ele conquistou a sua décima medalha de ouro em Olimpíadas, e se tornou o maior vencedor da história dos Jogos.

Phelps ultrapassou os seus compatriotas Mark Spitz (natação) e Carl Lewis (atletismo), além da ucraniana Larissa Latynina (ginástica), que competia pela antiga União Soviética, e o finlandês Paavo Nurmi (atletismo), todos com nove medalhas de ouro.

OGlobo

Brasil: o terceiro bronze no judô dom/24

O judoca Tiago Camilo conquistou hoje a terceira medalha para o Brasil nestes Jogos Olímpicos de Pequim. Como seus companheiros de equipe Leandro Guilheiro e Ketleyn Quadros, Tiago conquistou o bronze, ao vencer o holandês Guillaume Elmont. Esta é a segunda medalha olímpica do atual campeão mundial, que também foi prata nos Jogos de Sydney, em 2000. Com o resultado, o judô passa a ser a modalidade a ter mais medalhas na história do país em Jogos Olímpicos, 15, deixando para trás o iatismo, que até o momento tem 14 medalhas.

quadro de medalhas

posição / país medalhas de ouro medalhas de prata medalhas de bronze
1 China CHI 51 21 28
2 Estados Unidos EUA 36 38 36
3 Rússia RUS 23 21 28
4 Reino Unido GBR 19 13 15
5 Alemanha ALE 16 10 15
23 Brasil BRA 3 4 8

» veja o quadro completo

Português: “humilhei” Derly por suposta traição

Declarações de Pedro Dias foram dadas a jornais locais
Reprodução

Julio Gomes Filho
Direto de Pequim

O judoca português Pedro Dias, que derrotou o brasileiro João Derly no último domingo no torneio olímpico da categoria meio-leve, disse em entrevista a jornais portugueses que “humilhou” o rival por que o bicampeão mundial teria saído com a ex-namorada dele quando eram “amigos”.

As declarações de Dias foram publicadas por A Bola e Jornal de Notícias. O português perdeu na seqüência do torneio e não chegou a disputar medalha.

“O bicampeão mundial, era apontado por toda a gente como favorito e eu não ganhei apenas. Derly foi humilhado no tapete, humilhado por mim”, disse Dias.

“Tinha contas a ajustar com ele. Já fomos grandes amigos, agora somos apenas conhecidos. Aqui só o cumprimentei em respeito ao judô brasileiro. Uma vez, em São Paulo, fui às compras com a mãe dele e mais tarde vim a saber que, enquanto isso, ele estava com a minha namorada. Me traiu”, acusou o português. “Pois é, o Derly gosta de passar a imagem de atleta de Cristo, mas depois…disse”.

Dias explicou que após a vitória fez um desenho de um coração com as mãos porque havia prometido o ato para a nova namorada, também brasileira, que mora em Portugal. “Prometi que faria aquele gesto depois de ganhar do Derly. Está a ver como eu sempre acreditei tanto”.

No jornal A Bola, a manchete da reportagem sobre a campanha de Pedro Dias diz: “Matar o traidor e depois morrer”, em referência à vitória sobre Derly e as duas derrotas posteriores que impediram o português de ganhar uma medalha em Pequim.

A BOLa

Olimpíadas: atletas trocam Nike por Olympikus

A delegação brasileira desembarcou em Qinhuangdao com novo uniforme. Todos usavam camisas e agasalhos da Olimpikus, a marca oficial do Comitê Olímpico Brasileiro e de toda equipe olímpica na China.

Foi mais uma derrota da CBF na briga com o COB nesta Olimpíada. A Seleção Brasileira já teve que retirar o escudo da CBF na camisa, já que as equipes só podem usar o símbolo do comitê olímpico nacional.

Na partida contra a Nova Zelândia, no domingo, a Seleção jogou com a camisa sem o escudo da CBF, apenas com números na frente e nas costas, o nome dos atletas e o símbolo da Nike, patrocinadora oficial da CBF.

No desembarque, ninguém da CBF se pronunciou, mas depois a entidade informou que a delegação vai usar o material da Olympikus apenas nos hotéis em que ficar concentrada – nos treinos e jogos, os jogadores e comissão técnica usarão roupas da Nike sem o escudo da CBF.

Ainda na partida contra a Nova Zelândia, os membros da comissão técnica taparam o escudo da CBF nos uniformes com esparadrapos. Essa novela se arrasta há semanas, tanto a que a CBF já havia se prevenido e levado à China um lote de camisas sem o escudo da entidade.

O técnico Dunga acredita que o Brasil perde uma arma em campo sem o símbolo na camisa. De acordo com ele, até mesmo os adversários notarão a diferença.

– Nas partidas do Brasil, os jogadores adversários ficam ansiosos em pedir a nossa camisa, a de cinco estrelas, para levar para os seus países. Dá para ver como ficam felizes, é como se tivessem ganho um troféu, concluiu.
Oficialmente, a CBF divulgou que decidiu acatar a determinação do COB, de não usar o escudo na camisa, como forma de não prejudicar a campanha do Rio a sede da Olimpíada de 2016.

Olimpíada: barra de 162kg cai sobre brasileiro

Agência/Reuters Agência/Reuters

Welisson repete cena do Pan de Santo Domingo e cai nas Olimpíadas de Pequim

O brasileiro Welisson Silva sofreu um derrame na cartilagem do joelho direito na prova de levantamento de peso (categoria até 69kg) nas Olimpíadas de Pequim. Passou pelo médico na Vila Olímpica, onde fez uma ressonância, fará outro exame daqui a dois dias e mostrou que não vai se deixar abater com o problema.

– Vou voltar a treinar assim que chegar ao Brasil. O que aconteceu aqui foi normal. Assim como no basquete alguém erra uma bandeja e um atleta pode queimar o salto no atletismo, pode acontecer isso no levantamento de peso. Mas a barra não bateu no meu rosto. A altura do peso é feita para que isso não aconteça – disse ele, após deixar o médico.

Welisson, que compete na categoria até 69 quilos, havia batido o recorde brasileiro do arranco com 135 quilos (a melhor marca entre os oito competidores de seu grupo). No arremesso, ele ergueu 155 quilos na primeira tentativa e depois aumentou para 162 quilos. Aí falhou e terminou em terceiro no geral, para tristeza do técnico Edmílson Dantas, ex-atleta olímpico.

– Foi uma pena o que aconteceu. Seria bom sair daqui hoje com dois recordes brasileiros e em primeiro no grupo. Na hora em que ele colocou o peso no peito, o joelho dele abriu e fechou. É uma falha técnica que percebemos nos treinos e estamos tentando corrigir – diz.

Confira as imagens do momento em que o brasileiro cai no levantamento.

G1

Olimpíada: agenda do Brasil para Domingo


Agenda do Brasil para este Domingo

– uma da manhã – Volei de Praia Feminino –   Talita e  Renata enfrentam Candela e Garcia do México

– duas da manhã – Volei de Praia Masculino-  Márcio e Fábio enfrentam  Lione e Amore da Itália

– tres e meia da manhã – Volei Masculino –  Brasil estréia contra a seleção do Egito

– seis da manhã  – Futebol –  O Brasil enfrenta a seleção da Nova Zelândia e tenta a segunda vitória

“Jornada nas Estrelas” na ponte Rio-Niteroi

Desafio encarado pelos campeões do vôlei de praia Ricardo e Emanuel, antes de embarcar para Pequim. Ultrapassar a ponte Rio-Niterói, uma das maiores do mundo, com um saque jornada nas estrelas.

Isso mesmo: nestes dias olímpicos, surgiu no YouTube um vídeo em que os nossos campeões do vôlei de praia pegam um barco na Baía de Guanabara, navegam até pertinho da Ponte Rio-Niterói e…

Acredite: Ricardo dá um saque jornada nas estrelas e atravessa a bola por cima da ponte. É sensacional.

Veja:

Dica do Ancelmo Goes

Os atuais campeões olímpicos, os brasileiros Ricardo e Emanuel começaram com o pé direito a luta pelo bi nos Jogos de Pequim. A dupla teve uma estréia de sonho na competição: diante dos fracos angolanos ‘quarentões’ Fernandes e Morais, de 41 e 40 anos, respectivamente, garantiu uma vitória fácil por 21/8 e 21/13 e ganhou moral para seguir na disputa.

Após a vitória, Emanuel mostrou que está totalmente no clima dos Jogos de Pequim: cumprimentou a torcida com a saudação “Namastê”, utilizada pelos orientais para agradecer os momentos vividos, que significa “O divino em mim saúda o divino em você”.

G1

Olimpíada: Ana Paula e Larissa vencem

Ana Paula vibra enquanto Cris, de Geórgia, fica no chão - Reuters

PEQUIM – O jogo foi complicado e a dupla brasileira recém-formada no vôlei de praia levou um sufoco. Ana Paula e Larissa sofreram com a falta de entrosamento e os erros individuais, mas superaram, de virada, as representantes da Geórgia Saka/Rvtelo (as brasileiras naturalizadas georgianas Cris e Andrezza) por 2 a 1, com parciais de 23/25, 21/17 e 15/5. Ana Paula, que chegou esta semana a Pequim para substituir Juliana de última hora, sentiu os efeitos do fuso horário e do calor. Ela estava visivelmente cansada.

– Está muito quente. Esta madrugada acordei quatro da manhã, não consegui dormir e fui para a academia. Mas a gente foi conversando durante o jogo e foi se acertando – disse. – A gente que nunca jogou junta, agora oficialmente tem um jogo – completou Ana Paula.

Instigada a mandar um recado para a parceira Juliana, Larissa declarou:

– Vem comigo, minha ‘nega’, isso tudo é para você. É boma saber que ela está lá no Brasil com o pensamento na gente. Vamos em frente, agora a hora é de alegria, tristeza não.

Globo

Sem Censura

A Benetton, famosa por suas campanhas polêmicas, não deixou a abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim passar em branco. Nesta sexta-feira, a marca veicula em algumas publicações internacionais a imagem de um monge tibetano rezando em frente a um soldado chinês, com a palavra “vítimas” ao fundo.

Glamurama/Benetton

Clubes vencem Fifa e Brasil deve perder Diego

As chances dos brasileiros Rafinha e Diego e do argentino Lionel Messi de disputarem os Jogos Olimpicos sofreram um revés nesta quarta-feira, após a mais alta instância da Justiça desportiva mundial ter afirmado que seus clubes não são obrigados a liberá-los.

A Corte Arbitral do Esporte (CAS), reunida em Pequim, acatou uma solicitação dos clubes Schalke 04, Werder Bremen e Barcelona, depois de a Fifa ter afirmado que as equipes eram obrigadas a liberar os jogadores com menos de 23 anos para o torneio de futebol da Olimpíada.

A Corte, entretanto, acrescentou que a decisão não altera a legalidade da inscrição dos atletas nos Jogos, e que eles continuam autorizados a competir, desde que as equipes os liberem.

“O painel (da CAS) concluiu que Schalke 04, Werder Bremen e Barcelona não tem obrigação legal de liberar os jogadores Rafinha, Diego e Messi, respectivamente, para o torneio olímpico de futebol”, disse a corte em comunicado.

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, respondeu imediatamente após o anúncio da CAS:

“A Fifa está desapontada com essa decisão, mas nos respeitamos. Apelo aos clubes: ‘deixem seus jogadores participarem dos Jogos Olímpicos!”‘, afirmou Blatter em comunicado.

Tanto os dois brasileiros, titulares da equipe do técnico Dunga, quanto Messi já estão na China treinando para o início da competição masculina de futebol, na quinta-feira. O Brasil estréia contra a Bélgica. A CBF diz, oficialmente, que ainda não foi comunicada da decisão e que os jogadores continuam no grupo.

AE

%d blogueiros gostam disto: