Arquivos de tags: MPB

Vovô Caetano

Caetano Veloso é avô novamente. Nasceu nesta terça pela manhã, na Perinatal, em Laranjeiras no Rio , o filho de Moreno Veloso e de Clara Mariani.

É um menino, mas o nome ainda não está decidido. Moreno e Clara já têm uma filha, Rosa Moreno, de 2 anos.

Elza Soares aos 71anos tem namorado de 26

Elza Soares está de novo amor. Novo em todos os sentidos: ele tem 26 anos. A cantora, que tem 71 anos e separou-se recentemente do marido, Anderson Lugão, foi fotografada ao lado do cinegrafista Bruno Lucide ( foto ao lado).

Ela deu e recebeu comida na boca, em um restaurante do Leblon, e os dois trocaram muitos carinhos em público. Franca, como sempre, Elza não quis dizer a idade do amado.

” Ai, ai, ai! A gente está se conhecendo. Coloca aí que é um affair (risos)”, disse.
” Ele é um descendente de italianos, lindo, chamado Bruno Lucide. Nos conhecemos num show em Itabira (MG)”, completa

E está feliz com ele?

Muito! Imagina que existem mulheres com uns 50 anos e já não sentem desejo! Deus me livre, isso é doloroso. Estou com minha saúde, intacta, estou gostosa e maravilhosa. Então, quero viver! My name is now (Meu nome é agora)!

Da Coluna Leo Dias/Extra

Adriana Calcanhotto lança livro

Os fãs paulistanos de Adriana Calcanhotto já têm compromisso para a noite desta quinta-feira. A cantora promove uma sessão de autógrafos de seu primeiro livro, “Saga Lusa: O Relato de uma Viagem”, a partir das 19h, na Livraria da Vila, nos Jardins.

Publicado pela editora Cobogó, o livro foi escrito durante um surto psicótico que Adriana teve durante uma passagem por Portugal, este ano. Para se manter minimamente saudável, se trancou no hotel e escreveu, escreveu, escreveu… Corajosa, decidiu publicar a experiência.

Gl


Gênios da MPB: Ivan Lins e Vitor Martins

Daquilo que eu sei
Nem tudo me deu clareza
Nem tudo foi permitido
Nem tudo me deu certeza

Daquilo que eu sei
Nem tudo foi proibido
Nem tudo me foi possível
Nem tudo foi concebido

Não fechei os olhos
Não tapei os ouvidos
Cheirei, toquei, provei
Ah! Eu usei todos os sentidos

Só não lavei as mãos
E é por isso que eu me sinto

Cada vez mais limpo

Ivan Lins / Vitor Martins

Livro: “300 Discos Importantes da Música Brasileira”

Será na próxima quinta-feira, dia 30, na Livraria Cultura da Avenida Paulista, em São Paulo, o lançamento do livro “300 Discos Importantes da Música Brasileira”, de Charles Gavin, mais conhecido como “o baterista dos Titãs”.

Nele, Gavin, que também é pesquisador, colecionador de discos hístóricos e apresenta o programa “O Som do Vinil” no Canal Brasil, faz um painel da música feita no Brasil entre 1929 e 2007. Cada um dos 300 discos da lista tem um texto explicativo, escrito pelos jornalistas Tárik de Souza, Carlos Calado e Arthur Dapieve.

O volume traz dois CDs encartados, com o clássico álbum de Moreira da Silva,”O Último Malandro”, de 1959. e outro de Elza Soares, “Baterista: Wilson das Neves”, de 1968.

O livro será vendido exclusivamente na Livraria Cultura – na loja real ou no site por R$ 230. Parte desse dinheiro será doado ao Instituto Sou da Paz. Depois do lançamento, Gavin arma um debate com Tárik, Calado e Dapieve na própria livraria.
Glam

Caetano Veloso: lançamentos adiados

Por conta do especial de fim de ano que Caetano Veloso está lançando com Roberto Carlos, aquele em que os dois cantam músicas de Tom Jobim, todos os lançamentos de Caetano Veloso que estavam previstos para os próximos dois meses foram adiados para o ano que vem.

O primeiro deles é o disco de inéditas gerado a partir da turnê “Obra em Progresso”, que já está praticamente pronto. Teremos que esperar mais um pouco. De todo modo, quem quiser conhecer o repertório do disco pode clicar aqui e ouvir a prévia de todas as músicas no blog do próprio Caetano.

O outro lançamento adiado para 2009 é o terceiro volume da série “40 Anos Caetanos”, que começou a reeditar em caixas a obra completa do cantor em 2007. O melhor de tudo nessa série é que, em cada caixa, além dos álbuns “de carreira”, um CD bônus com material inédito é incluido.

Segundo a assessoria de impresa da gravadora Universal Music, tanto uma coisa quanto outra chegam às lojas no comecinho do ano. Sem falta.

Glamur

Ivete Sangalo está grávida!

Ivete Sangalo está grávida! A cantora, que namora há três meses o estudante de nutrição Daniel Cady, de 23 anos, acaba de descobrir que vai ser mãe. Os dois, aliás, já estão morando juntos há um mês no apartamento da baiana.

A família de Daniel recebeu a notícia nessa quarta-feira, durante um jantar no restaurante Shiro, em Salvador. E o clima na mesa, claro, era de comemoração.

Os amigos mais próximos nem foram pegos de surpresa: há algum tempo, Ivete falava em engravidar.

Ivete e Daniel se conheceram há cerca de um ano, no prédio da cantora, no bairro de Campo Grande. O estudante fazia uma visita ao vizinho de Ivete e os dois acabaram trocando e-mails depois de um papo rápido.

O casal, no entanto, só começou a sair após o término do namoro da moça com o empresário Felipe Simão. E, ao contrário de seu antigo relacionamento, desta vez Ivete preferiu manter o eleito longe dos flashes.

E, claro, Ivete, que está na sexta semana de gestação, não poderia estar mais feliz: “Viva, viva, minha gente! Eu vou ser mamãe, graças a Deus. A nossa família está muito contente e muito emocionada com essa notícia tão esperada. Pense em um casal feliz.. Somos nós!”

Glamur

100 anos de Cartola

Hoje, dia 11 de outubro, é dia do centenário do compositor e sambista Cartola. Legítimo representante do samba carioca, Cartola tem canções gravadas por alguns dos maiores intérpretes da música popular brasileira e vários sambas feitos para a Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira – alguns, campeões do carnaval do Rio de Janeiro.

Ouça a música O Mundo é um moinho, de Cartola

Saiba mais sobre a obra de Cartola no site dedicado ao artista

Cem anos depois, bate outra vez com esperanças o coração. Em 11 de outubro de 1908, nascia no Catete, no Rio, Angenor de Oliveira, que virou Cartola, autor de canções antológicas como As Rosas Não Falam e O Mundo É um Moinho.

Ele se confundiu com a história do samba. “Cartola surgiu para a música no momento em que o samba, por razões comerciais, se dividia em ?do rádio? e ?do morro?, trazendo informações novas e um estilo de dizer coisas que não eram comuns em seu meio”, diz o pesquisador Nei Lopes. Francisco Alves gravou Divina Dama em 1933. Depois vieram mais e mais intérpretes: Carmen Miranda, Silvio Caldas, Araci de Almeida, Ataulfo Alves.

Na flor, que exala o perfume roubado da mulher amada, despontam tanto espinhos quanto pétalas – e assim é o coração de um homem. A dor e a esperança. Do espaço entre ambas brotam as composições de Cartola. O homem que usava grandes óculos escuros para esconder o nariz deformado foi operário de construção civil (o apelido se deve ao chapéu-coco que usava “pra não apanhar cimento no cabelo”) e de um lava-rápido.

O mundo como moinho. Cartola, leitor do poeta Castro Alves, preferiu cantar a vida com letras elaboradas e melodias idem. E é esse rico material que serve, agora, para gerar regravações e shows no Rio e em São Paulo, além da reedição de uma biografia. O centenário, porém, como muitos esperavam, não virou tema do enredo de sua escola, a Mangueira. O centenário escolhido para o carnaval de 2008 foi outro, o do frevo, ocorrido em fevereiro de 2007.

Cartola gravou seu primeiro disco-solo em 1974. Depois de escutá-lo interpretando a si mesmo, é preciso coragem para regravá-lo. Um dos maiores cancionistas do País, ele foi parceiro de nomes ilustres, como Elton Medeiros, Carlos Cachaça, Herminio Bello de Carvalho e de outros menos lembrados, como Nuno Veloso e Dalmo Castelo.

Herminio afirma que o samba Acontece, por sua rica harmonia, poderia ser assinado por Tom Jobim. “O estilo de seus sambas mais lentos, que ele mostrava antes da década de 1950, é atualíssimo, principalmente quando se celebram os 50 anos da bossa nova”, diz Nei Lopes.

Renato Russo: 12 anos sem o mito

Há 12 anos o Brasil perdia um ícone do rock nacional. Aos 36 anos, Renato Russo faleceu no dia 11 de outubro, à 1h15 da madrugada, vítima de broncopneumopatia e septicemia causadas pela Aids. Ele era HIV positivo desde 1990. Apesar de recusar rótulos, ele se tornou um mito como cantor, músico, compositor e líder de uma das maiores bandas de rock nacional dos anos 80, a Legião Urbana.

Renato Manfredini Júnior nasceu no Rio de Janeiro em 27 de março de 1960, filho do economista Renato Manfredini, funcionário do Banco do Brasil e de Dona Maria do Carmo, professora de inglês. Ele aprendeu inglês desde pequeno, quando morou, dos 7 aos 10 anos, em Nova York. Nova transferência do pai levou o menino, já com 13 anos, a Brasília que tanto marcou sua música. Renato teve uma infância e adolescência de classe média alta, típica do pessoal das bandas de Brasília. Entre os 15 e os 17 anos enfrentou várias operações e viveu entre a cama e a cadeira de rodas, combatendo uma doença óssea rara chamada epifisiólise. Nessa época, lia bastante, ouvia muita música e começou a sonhar em montar uma banda de rock.

Em 78, inspirado pelo Sex Pistols, Renato formou o Aborto Elétrico, que no vai e vem de integrantes, contou com participações de Fê e Flavio Lemos (depois do Capital Inicial), Ico Ouro Preto e André Pretorius. O “Russo” que adotou como sobrenome artístico foi a forma que Renato encontrou de homenagear Jean-Jacques Rousseau e Bertrand Russel, personalidades que admirava. Em 82 abandonou o Aborto Elétrico e passou a fazer trabalhos solos. Neste período ficou conhecido como “O Trovador Solitário”. Quando a lendária “cena de Brasília” já era uma força underground reconhecida, Renato Russo formou a Legião Urbana.

Com seus refrões poderosos e letras que falavam de inseguranças emocionais e do niilismo da geração crescida durante o regime militar, a Legião Urbana bateu fundo nos anseios dos jovens brasileiros.

Ao todo, lançaram treze álbuns, somando mais de vinte milhões de discos vendidos. Ainda hoje, é o terceiro maior grupo musical, da gravadora EMI-Odeon, em venda de discos por catálogo, no mundo, com média de duzentas mil cópias por mês.

Wikipedia

Claudia Leitte: enxoval do bebê virá da Europa

O primeiro show da cantora Claudia Leitte em carreira solo na Europa foi marcado por um recorde: o maior público deste ano do tradicional Carling Academy Brixton, de Londres, na Inglaterra. Quase cinco mil pessoas assistiram ao show e, 30 minutos depois da hora de terminar, ainda pediram bis, que foi aceito.

No palco, Claudia elogiou os conterrâneos presentes: “O brasileiro é este povo incrível que sabe viver intensamente onde quer que esteja e passar essa energia que contagia”.

Claudia Leitte resolveu esticar um pouco mais sua estada na Europa. A cantora, que estreou sua carreira solo no Velho Continente na última semana, quis circular esta semana por Madri (Espanha) e Paris (França) à procura do enxoval para seu bebê.

No quinto mês de gestação de seu primeiro filho com o marido, Márcio Pedreira, Claudinha continua com a agenda cheia e não interrompeu o trabalho. Após os compromissos europeus, ela e o marido deram uma esticadinha até Bruges, na Bélgica, e curtiram um míni lua-de-mel: “É tudo muito romantico”, descreveu.

Abril/Tititi

%d blogueiros gostam disto: