Arquivos de tags: Moradia

Como fazer inscrições para Minha Casa, Minha Vida

Nota: com resumo atualizado em 30.04.09

Leia com bastante atenção e veja lá embaixo se sua cidadee está incluida no programa.Nem toda cidade está ainda incluida. Se a sua cidade não estiver vc terá que esperar o governo liberar.

– Somente algumas cidades estão recebendo inscrições pela Internet. |A maioria é pela prefeitura ou algum lugar escolhido pela prefeitura ou Caixa Federal do Lugar. Leia primeiro com bastante atenção. Clic nos Links prá saber mais.

– Não adianta só escrever ao Blog prá dizer que quer participar e nem ao menos dizer qual é sua cidade.

Boa Sorte

Para as famílias que recebem entre três e dez salários mínimos, o financiamento do imóvel será parcial, porém não será preciso pagar as taxas do seguro, pois o programa criou um fundo para garantir o refinanciamento de parte das prestações, caso o mutuário perca sua fonte de renda. As famílias que se encaixam neste perfil deverão procurar a construtora ou os balcões de atendimento nas agências da Caixa Econômica Federal para aquisição do imóvel, a partir do lançamento do empreendimento.

O programa é válido apenas para casas e apartamentos novos, com o habite-se emitido após o dia 26 de março deste ano, data em que foi lançado o Minha Casa, Minha Vida, segundo o gerente regional da Caixa em Uberlândia, Henrique Marra de Souza.

As famílias já cadastradas nos programas habitacionais da Prefeitura não precisarão fazer um novo cadastro.

88 mil famílias beneficiadas

Em Minas Gerais serão financiados 88.862 dos 400 mil imóveis estipulados para as famílias que recebem até três salários mínimos no País. Na região do Triângulo Mineiro, além de Uberlândia estão cadastradas neste plano as

cidades de Araguari, Uberaba e Patos de Minas, todas elas possuem mais de 100 mil habitantes. Os outros 600 mil imóveis atenderão as famílias que recebem entre três e dez salários mínimos. Neste caso, o valor máximo do financiamento é de R$ 80 mil. Para os futuros mutuários que ganham até três salários mínimos, o imóvel pretendido pode ser uma casa no valor de até R$ 38 mil ou um apartamento de até R$ 42 mil.

As casas e apartamentos podem ter diferentes modelos, de acordo com as propostas das construtoras, mas é dada preferência aos empreendimentos

com o padrão do Programa de Arrendamento Residencial (PAR), o que significa menos burocracia e maior agilidade. O programa tem R$ 34 bilhões garantidos pelo governo federal. O plano entrou em vigor em todo o Brasil ontem, dia em que foi aberto o processo de contratação das construtoras que ficarão responsáveis pela edificação dos imóveis.

Taxa de juros será reduzida

As taxas de juros variam de acordo com as faixas de renda familiar, sendo de 5% ao ano mais TR para as famílias com renda de três a cinco salários mínimos, de 6% ao ano mais TR para famílias com rendimentos de cinco a seis salários mínimos e de 8,16% ao ano mais TR para a faixa de renda de seis a dez.

Além da taxa de juros reduzida, as famílias de baixa renda terão a isenção de pagamento nas tarifas cartoriais. O benefício se estende para a faixa de renda de três a seis, com desconto de 90% e de 80% para os mutuários com rendimentos de seis a dez salários mínimos. A Caixa vai trabalhar com o Sistema de Amortização Constante (SAC) para o pagamento do financiamento. O processo de análise e aprovação do financiamento, que

antes demorava cerca de 120 dias, foi simplificado pela Caixa e agora será feito em, no máximo, 45 dias, dependendo da modalidade.

Financiamento será garantido

Para maior segurança das famílias, o programa Minha Casa, Minha Vida criou um fundo para garantir o refinanciamento de parte das prestações, caso o mutuário perca sua fonte de renda. Para famílias com renda de três a cinco

salários mínimos, será garantido o pagamento de até 36 prestações. Para famílias com orçamento de cinco a oito salários mínimos, até 24 prestações. E para as famílias que recebem de oito a dez salários mínimos, 12 prestações.
Para ter acesso ao fundo é preciso ter efetuado o pagamento de, no mínimo, seis prestações do imóvel e é necessário também o pagamento mínimo de 5% da prestação que for refinanciada. Este valor será devolvido como bônus quando o refinanciamento for pago. O mutuário terá que solicitar formalmente seu refinanciamento, comprovando a situação de desemprego, a cada seis prestações requeridas.

REGRAS DO PROGRAMA

Para famílias com renda de até 3 salários mínimos:
– Não pode ter sido beneficiada anteriormente em programas de habitação social do governo.
– Não pode possuir casa própria ou financiamento de imóvel.
– Deve estar enquadrada na faixa de renda de até 3 salários mínimos.

– Precisa comprometer até 10% da renda durante dez anos para o pagamento das prestações.
– Precisa comprovar renda formal ou informal para enquadramento no programa.
– Não há análise de risco de crédito, ou seja, mesmo que o interessado tenha restrições nos órgãos de proteção ao crédito pode ser incluído no programa.

– Depois da seleção, o interessado é convocado para apresentação da documentação na Caixa Econômica Federal, no agente imobiliário, na prefeitura ou outros órgãos, instituições ou entidades credenciados.
– A assinatura do contrato ocorre na entrega do imóvel.

– A prestação mínima é de R$ 50.
– O registro do imóvel é feito preferencialmente em nome da mulher.
– Não é preciso dar entrada ou pagar prestações durante a obra.
– Não é cobrado seguro de vida e danos ao imóvel.
– Inscrições são feitas na Secretaria Municipal de Habitação, que fica no Centro Administrativo da Prefeitura de Uberlândia, na Avenida Anselmo Alves dos Santos, 600, Bairro Santa Mônica.

Para as famílias com renda entre 3 e 10 salários mínimos:

– Não pode ter financiamento ativo no Sistema Financeiro da Habitação (SFH).
– Não pode ter recebido desconto concedido pelo FGTS para financiamento.
– Não pode ser proprietário de imóvel residencial no local de domicílio ou onde pretenda fixar domicílio.
– Não pode ser titular de direito de aquisição de imóvel residencial.
– precisa comprovar renda formal ou informal.
– é feito uma análise do Imposto de Renda da Pessoa Física.

– é feito uma análise cadastral no Serasa, no SPC, no Bacen e no CADIN
– é verificado o Cadastro Nacional de Mutuário
– é feito uma análise de risco e de capacidade de pagamento pela Caixa Econômica Federal.
– É financiado até 100% do valor do imóvel.
– A entrada é opcional.
– O prazo para quitação do financiamento é de 30 anos.
– É exigido um pagamento mínimo durante a obra, de acordo com a renda.
– Neste caso não há inscrição. O interessado deverá procurar a construtora

ou as agências da Caixa Econômica Federal para aquisição do imóvel, a partir do lançamento do empreendimento.

……………………………………………………………………………..

Nota atualizada em 13.04.2009

Amigos leitores:

Muita gente lê a noticia mas tem preguiça ou desconhecimento de clicar nos anexos. Tá tudo aqui bem explicadinho mas vcs ficam fazendo as mesmas perguntas.

Numa boa, vamos ler com calma e mais atenção para não fazer perguntas inuteis que nem serão respondidas. Se não entender o que está escrito abaixo, volte e leia com mais atenção ou peça ajuda a alguém! Qdo se diz CLICANDO AQUI vc pega o “mause” e clic em cima da frase ( geralmente escrito com letras azuis ou vermelhas)

abraços

Nilnews

A inscrição para receber sua casa com parcelamento de R$ 50,00 será feito pelas prefeituras e pelos governos dos estados caso você tenha uma renda de zero até três salários mínimos. Não existe necessidade de correria nas prefeituras porque esse cadastramento no programa habitacional não será feito por ordem de chegada. O governo vai priorizar as pessoas mais necessitadas da casa. O estudo será feito caso a caso.

Se a quantidade de pessoas que ganham menos de 3 salários interessadas nas casas for maior que 400 mil pode ocorrer o sorteio de casas. Desta forma não acredite em promessa de pessoas ou de políticos sobre a possibilidade de colocar você no cadastro em troca de algum favor já que isso não será possível.

Veja clicando aqui as fotos de exemplos de casas de conjuntos habitacionais que servirão de modelo para a construção das casas do governo federal. Para mais informações clique aqui ou visite o site da prefeitura de São Paulo da secretaria de habitação clicando aqui.

Se você tem alguma dúvida envie suas perguntas e comentários para a Comunidade do Orkut Minha Casa Minha Vida

Informações mais detalhadas Saiba como se inscrever clicando aqui.

Clic no Link abaixo e saiba as cidades incluidas no Plano

Veja aqui Cidades incluídas no programa Minha Casa, Minha Vida

Para participar do programa você não pode ter sido beneficiado de programas habitacionais anteriores. Você não pode possuir casa própria atualmente e nem pode fazer parte de um outro financiamento de casa própria. Você só começará a pagar as prestações da sua casa própria quando ela for entregue. Desta forma não deverá pagar nenhum valor adiantado a ninguém. Para as famílias de baixa renda não haverá analise de crédito e de capacidade de pagamento. Se você tem dívidas ou está com nome sujo não terá nenhum problema para participar do Minha casa Minha vida e pagar suas prestações de R$ 50,00.

A Caixa já está em contato com diversos municípios para assinar o termo de adesão ao programa. No site da Caixa (www.cef.gov.br) é possível fazer simulação do financiamento. No portal há ainda cartilhas com informações do programa.

Quem recebe mais de 3 salários mínimos até no máximo 10 salários poderão participar do programa mas as inscrições e o cadastro no programa da casa própria Minha casa Minha vida ocorrerá dentro das agências da Caixa Economica Federal. Não será feito pelas prefeituras e governos do estado. Outros bancos poderão participar do programa. Neste caso a seleção acontecerá por ordem de chegada. Quanto mais rápido você se dirigir a caixa para se inscrever melhor. Será feita uma analise de risco e capacidade de pagamento para aprovar sua participação. As regras são parecidas com a existente na Caixa para financiamento da casa própria.

Mais informaões vc deve entrar no site da COHAB de seu estado, ou no site da Caixa Federal.

O site de incriçãopela internet para São Paulo é o seguinte;

Se Vc Mora em São Paulo inscreva-se aqui

http://www.cohab.sp.gov.br/Demanda/cadastro.aspx

……………….

(Leia abaixo a noticia mais antiga – ou a  primeira que saiu.)

Começam nesta segunda-feira as inscrições para o programa “Minha Casa, Minha Vida“, o ambicioso projeto do governo que visa construir um milhão de casas para a população de rendas baixa e média.

Também serão contempladas famílias com renda de até 10 salários mínimos.

Para as famílias com renda entre três e dez salários mínimos já é possível fazer a simulação do financiamento no site do banco. Os interessados devem procurar diretamente as construtoras ou um espaço especial que será disponibilizado nas agências da Caixa.

Informações mais detalhadas Saiba como se inscrever clicando aqui.

Clic no Link abaixo e saiba as cidades incluidas no Plano

Veja aqui Cidades incluídas no programa Minha Casa, Minha Vida

Dúvidas:

Como posso saber se me enquadro no perfil do programa?

Segundo informou o governo, os interessados não podem ter se beneficiado de outras iniciativas governamentais na área de habitação social. É vedada ainda a participação de pessoas que já mantenham financiamentos de imóveis.

O fato do meu nome constar em cadastros de proteção ao crédito pode fazer com que meu pedido seja negado? Não. Nesta faixa de renda, os interessados em adquirir a casa estão isentos da análise de crédito. A seleção será feita por ordem de inscrição?

A seleção não será feita por ordem de inscrição, e sim de acordo com o perfil de cada cidadão e de cada empreendimento lançado.

Há uma fila de prioridades?

Sim. Idosos e deficientes terão prioridade na seleção das casas.

Terei que arcar com algum custo durante as obras?

Não. O comprador só começa a pagar as prestações ao receber as chaves. A entrada não será cobrada. O contrato também só será assinado neste momento.

Quanto vou pagar, afinal?

A parcela será proporcional a 10% da renda, sendo o valor mínimo de R$ 50. Por exemplo, quem ganha R$ 700 vai pagar R$ 70. A parcela máxima será de R$ 139 (10% de R$ 1.395).

Terei que pagar alguma espécie de seguro?

Não.

No caso de uma família, em nome de quem o imóvel será registrado?

No nome da mulher.

Como são as casas?

A determinação do governo é de que as casas tenham 32 metros quadrados, com dois quartos, sala, cozinha e banheiro. O pé direito é de 2,50 metros nos cômodos. Já os apartamentos terão 37 metros quadrados, com dois quartos, cozinha e banheiro. O pé direito é de 2,40 metros.

3 a 6 salários mínimos

Como posso abrir um financiamento habitacional nos moldes do “Minha casa, minha vida”?

A partir de amanhã (dia 13), os interessados devem se dirigir às agências da Caixa. Lá, será emitida uma carta de crédito para a compra do imóvel.

Onde posso ver quais apartamentos se enquadram nesse perfil?

A Caixa não mantém uma lista com os empreendimentos. A melhor forma é procurar anúncios de construtoras, classificados ou estandes de vendas. Não deixe de perguntar se o empreendimento aceita carta de crédito.

Como posso saber se me enquadro no perfil?

O interessado não pode ter financiamento pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH) ou ter recebido desconto pelo FGTS para financiar a casa própria, a partir de 2005. Além disso, não pode ser dono do imóvel onde mora.

Só poderei comprar imóveis que ainda estejam na planta?

Não. Imóveis que já estão em construção também poderão ser adquiridos desta forma.

Haverá consulta a cadastros de proteção ao crédito?

Sim. Ao contrário da faixa de renda de um a três salários mínimos, nessa modalidade há consulta a SPC ou Serasa. Serão analisados ainda documentos pessoais, como CPF, comprovação de renda, Imposto de Renda e consulta ao Cadastro Nacional de Mutuários (Cadmut). A Caixa fará ainda análise de risco para checar a capacidade de pagamento dos interessados em adquirir um imóvel por este financiamento.

Qual é o limite de financiamento?

Nessa faixa de renda, os imóveis financiados não podem ter valor superior a R$ 130 mil.

E quais são as condições do financiamento?

O prazo de pagamento será de até 30 anos. O mutuário poderá financiar até 100% do imóvel. Os juros anuais são de 5% (para quem ganha de R$ 1.395 a R$ 2.235); 6% (entre R$ 2.235 a R$ 2.790); e 8,16% (renda entre R$ 2.790 e R$ 4.650). Há ainda incidência de Taxa Referencial (TR). O financiamento será feito pela Tabela Price, com prestação crescente, ou SAC, com parcelas decrescentes.

Terei que pagar algo durante a obra?

Sim. Há pagamento mínimo durante a obra. O valor varia de acordo com a renda do mutuário. O seguro também deve ser pago, mas com valor reduzido. O pagamento de entrada é opcional.

Vou receber algum tipo de subsídio do governo?

Sim. Os mutuários vão receber um desconto no valor total do imóvel. Esse abatimento vai variar de acordo com a renda da família e pode alcançar até R$ 23 mil.

E se eu ficar desempregado? O contrato será cancelado?

Não. O governo criou um Fundo Garantidor que vai cobrir as parcelas em caso de desemprego. O mecanismo funciona da seguinte forma: os mutuários recolhem 0,5% do valor da prestação ao fundo. O mutuário terá direito a usá-lo após pagar, no mínimo, seis prestações. Para quem ganha de três a cinco salários mínimos, o fundo poderá cobrir até 36 prestações. Na faixa de cinco a oito salários mínimos, a cobertura estará restrita a 24 prestações. Para ter acesso ao Fundo Garantidor, o mutuário deve fazer um pedido formal, apresentando documentos que comprovem a situação. O rito burocrático deve se repetir a cada seis meses, enquanto a pessoa estiver desempregada.

E quem não utilizar o Fundo Garantidor? Terá algum tipo de reembolso?

Sim. Segundo a Caixa, o valor pago será abatido do saldo final, quando faltarem poucas prestações para o fim do financiamento.

Tenho um financiamento. Posso mudar o plano para me adequar às regras do “Minha Casa, Minha Vida”?

Não. O mutuário deve se desfazer do financiamento e abrir outro empréstimo dentro das regras do programa habitacional.

Terei que arcar com os custos de cartório?

O governo pretende facilitar o registro dos imóveis e também baratear o custo da documentação em até 80%.

As pessoas que fizeram cadastro no perfil socioeconômico, precisarão apenas atualizar os dados pessoais. Para acessar as informações já cadastradas, elas deverão digitar o CPF.

O projeto restringe a construção dos empreendimentos a municípios com população de, no mínimo, 50 mil habitantes mas isso pode mudar e atender outras cidades menores.

O governo prevê que vai investir cerca de R$ 34 bilhões no programa. Desse total, R$ 25,5 bilhões virão dos cofres da União, R$ 7,5 bilhões do FGTS, e R$ 1 bilhão do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Do total de moradias, 400 mil serão destinadas para quem tem renda até três salários mínimos. Outras 200 mil para quem recebe entre três e quatro salários mínimos. 100 mil para quem tem renda entre quatro e cinco salários mínimos. Outras 100 mil para quem recebe entre cinco e seis salários mínimos. As 200 mil restantes são para população que recebe entre seis e dez salários mínimos.

Confira abaixo quantas casas estarão disponíveis para cada faixa salarial:

Renda até três salários mínimos – 400 mil casas

Renda entre três e quatro salários mínimos – 200 mil casas

Renda entre quatro e cinco salários mínimos – 100 mil casas

Renda entre cinco e seis salários mínimos – 100 mil casas

Renda entre seis e dez salários mínimos – 200 mil casas

O plano habitacional estabelece em R$ 130 mil o valor máximo do imóvel a ser comprado por famílias com renda entre três e seis salários mínimos. Esse valor se refere a moradias em regiões metropolitanas em São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal.

A pessoa interessada pode estar no SPC ou qualquer outro serviço de proteção ao crédito.

Em municípios com mais de 500 mil habitantes e demais capitais e seus municípios limítrofes, o valor cai para R$ 100 mil. Nos demais municípios, o limite é de R$ 80 mil.

Atenção Amigo leitor: sei que tem muita gente séria lendo esta noticia sobre o “Minha Casa Minha Vida” mas quero crer que tem muita gente fazendo graça com o problema das pessoas. Não dá prá  admitir que por mais que nós estejamos alertando que TODAS as questões e dúvidas estão  esclarecidas aí em cima ( na noticia) ou onde tirar sua dúvida … como fazer, como se inscrever, etc e ainda tem gente que depois (abaixo) escreve fazendo a mais absurda pergunta que, é claro, não estamos respondendo mais.  Por favor, eiam atentamente e não façam mais perguntas. Nao tiramos mais suas dúvidas. É só ler com calma.

abraços

Nilnews

………….

%d blogueiros gostam disto: