Arquivos de tags: Mel

Encontrada proteína da geléia real que transforma abelha em rainha

A Ciência, que já sabia que o alimento estava ligado à diferenciação entre as abelhas, só agora isolou a proteína e compreendeu como se dá o processo

Abelha no jardim do palácio presidencial de Nova Déli, ÍndiaAbelha operária (foto) produz a geléia real que alimenta as larvas que se transformam em rainha (Gurinder Osan/AP)

A proteína 57-kDa encontrada na geléia real – secreção produzida pelas abelhas operárias e que serve de alimento ao inseto em sua fase larval – é o ingrediente ativo que culmina na transformação de uma larva de abelha em rainha, segundo um estudo publicado na última edição da revista “Nature”.

Uma larva de abelha fêmea (Apis mellifera) pode se transformar tanto em uma operária estéril quanto em uma rainha – que é fértil e possui um corpo mais longo, além de uma evolução mais rápida e vida muito mais longa. A rainha põe ovos fecundados que dão origem às operárias, enquanto os não fecundados transformam-se nas abelhas macho, os zangões.

O nutriente existente na geléia real responsável pela diferenciação entre as abelhas operárias e a rainha é a proteína 57-kDa, já identificada. Os cientistas já sabiam que o dimorfismo das abelhas fêmea baseia-se no consumo de geléia real e que não depende de diferenças genéticas. Entretanto, o ingrediente ativo e o mecanismo que guia o desenvolvimento das abelhas rainha não eram muito conhecidos.

No Japão, o grupo dirigido por Masaki Kamakura, cientista da Universidade de Toyama, mapeou, por meio de experimentos com moscas-das-frutas (Drosophila melanogaster), como a 57-kDa ativa outra proteína, a p70 S6, aumentando assim a atividade da MAP quinase – grupo de substâncias que, respondendo a estímulos externos, faz com que proteínas desencadeiem processos celulares.

Os estudiosos acreditam que a p70 S6 é responsável pelo aumento do tamanho do corpo da abelha rainha, enquanto a MAP quinase causa a aceleração em seu desenvolvimento.

Estes processos – mediados pelo Receptor do Fator de Crescimento Epidérmico (EGFR, na sigla em inglês) – produziram nas moscas-das-frutas fenotipos similares aos das abelhas rainha.

(com agência EFE)

%d blogueiros gostam disto: