Arquivos de tags: jesus

Suspensos transplantes de medula por falta de leitos

A falta de leitos hospitalares no Sistema Único de Saúde (SUS) dificulta a expansão dos transplantes de medula no País, apesar do crescimento do número de potenciais doadores. Atualmente, 89 pacientes que já encontraram doador compatível aguardam na fila em razão da falta de infraestrutura adequada de atendimento. Para amenizar o problema, o Ministério da Saúde promete liberar R$ 15 milhões para a implantação de 80 novos leitos em todo o Brasil dentro de um ano, segundo informou a pasta.

O número de potenciais doadores de medula óssea no Brasil subiu de 40 mil, em 2003, para 1,6 milhão, em 2010. O Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome) já é o 3º maior banco do gênero no mundo e está integrado com o Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário. Com isso, as chances de portadores de doenças como leucemia, linfoma e anemia grave encontrarem um doador de medula não-aparentado minimamente compatível subiu de 10% para 74%. “Quanto mais rápido se encontra o doador, maior se torna a demanda por leitos”, explica o secretário de Atenção à Saúde, Alberto Beltrame.

Hoje existem 350 leitos no País e 61 hospitais que realizam transplante de medula – a maioria nas Regiões Sudeste e Sul. “Pretendemos ampliar a oferta onde já há leitos, mas também criar novos centros onde hoje não há nenhum, como no Norte e Nordeste”, afirma Beltrame. “Espero que, colocando à disposição os recursos, em cerca de um ano os leitos estejam funcionando.”

Mas criar um novo leito de transplante não se resume a construir um apartamento com uma cama. Para Luis Fernando Bouzas, diretor do Centro de Transplante de Medula Óssea do Instituto Nacional de Câncer (Inca), a falta de recursos humanos é um obstáculo ainda maior que a falta de infraestrutura física. “No ano passado, o Ministério da Educação autorizou a residência médica em transplante de medula óssea, o que foi importantíssimo. Com o aumento no número de leitos, vai aumentar a demanda por médicos especializados. Sem eles essas unidades não evoluem”, diz Bouzas.

Madonna: pintinho de Jesus a mostra

Tirem as crianças de perto! (Conteúdo não indicado a menores de 18 anos)

Quem não se lembra do editorial “Blame it on Rio”, estrelado por Madonna e Jesus Luz para a revista “W”, no qual o modelo aparece seminu, coberto apenas por uma toalha branca?

Reprodução “W”

Pois não é que supostas imagens inéditas do ensaio – onde o casal se conheceu – acabam de pipocar na web?

Acontece que nas fotos a toalha desaparece e um homem que aparenta ser Jesus fica… completamente nu! Madonna, que não deve estar gostando nem um pouco desta história, tem um motivo ainda mais grave para se irritar: a imagem não foi tratada por photoshop. O que isso quer dizer? Tirem as próprias conclusões…É ele ou não?

Reprodução

Por que madonna escolheu Jesus Pinto da Luz: Clique aqui

Raimundos: onde anda Rodolfo, o ex-doidão?

Já se disse, com uma certa dose de razão, que três sons estão por trás da felicidade dos homens: o tilintar das moedas, o gemido das mulheres e o alarido das palmas. Felizes seriam aqueles que descobrissem como ouvi-los com uma certa regularidade.
.

Em 2001, aos 29 anos, o vocalista e guitarrista Rodolfo Abrantes, líder dos Raimundos, já poderia, com tranqüilidade, ser considerado felizardo. Vivia em São Paulo, cheio de grana. Nas noites da cidade, era bajulado pelos fãs e chegava a perder peso e ficar com a pele acinzentada, tamanha a quantidade de baladas que freqüentava, regadas a maconha e ácido.
.
Sem falar nas groupies, meninas bonitas. Rodolfo só ia para casa desacompanhado se quisesse. “O palco exerce um certo fascínio sobre os outros. As pessoas gostavam do cara que viam lá em cima. E eu sempre fui de mergulhar de cabeça em tudo”, conta.

Se mulheres e dinheiro já não bastassem, Rodolfo também tinha reconhecimento. Com 2,5 milhões de discos vendidos, já havia produzido um clássico da geração dos 1990, justamente o disco de estréia, Raimundos, que fazia uma releitura do som pesado e melódico da banda americana Ramones, com referências do forró.

Ele havia alcançado tudo o que sonhara desde os 13 anos, quando freqüentava o bar do Gilbertinho, em Brasília, cidade onde nasceu, para ver de perto bandas como Legião Urbana, Plebe Rude e Capital Inicial, que já haviam despontado no Brasil. Tudo o que sempre quis foi tocar guitarra e ter uma banda de rock”, lembra.

Justamente no auge da fama e do dinheiro, uma coisa estranha aconteceu. Rodolfo conta ter percebido que havia chegado ao fundo do poço. O mau humor era permanente. A relação com a namorada, com drogas-baladas, era destrutiva. “As pessoas confundem estar feliz com ser feliz. Ser feliz é outra coisa”, filosofa.

“Eu não agüentava mais aquela vida frenética e sem rumo. Foi quando Jesus Cristo entrou na minha vida.” A conversão veio. Estava magro, com ínguas pelo corpo. Mesmo sem diagnóstico suspeitava estar com câncer. A mulher, convertida, chamou algumas senhoras para orarem por ele. “Não posso dizer qual era a doença. Só sei que estava mal e fiquei bem”, diz.

Na última quinta-feira, sete anos depois da conversão, Rodolfo era mais um entre as 2 mil pessoas na Igreja Bola de Neve, na zona oeste. Discreto, de calça e jaqueta jeans, assistindo ao show de uma banda gospel chamada Livres para Adorar.

Morando em Balneário Camboriú, em Santa Catarina, lançou dois CDs evangélicos em carreira-solo: Santidade ao Senhor (2006) e Enquanto É Dia (2007), vendendo cerca de 20 mil cópias. Não é mais um rock star. Assumiu de vez o papel de missionário. Dedica-se integralmente a dar seus testemunhos por igrejas do Brasil e do mundo. Esteve em Belém e Santarém, antes de São Paulo. Nas próximas semanas, vai aos Estados Unidos e Japão.

Mesmo defendendo o amor eterno à mulher e à vida comedida, ele nega o rótulo de careta. As tatuagens, boa parte feita durante a vida louca, permanecem. Rodolfo não sente falta da fama. “Acredito no sucesso. Um padeiro ou um pedreiro podem ter sucesso se fazem seu trabalho bem feito. É o que eu busco. Digão, Canisso e Fred, ex-companheiros de Raimundos, mesmo depois das brigas da separação, deixaram Rodolfo emocionado ao comparecerem ao enterro do pai dele, no ano passado. “Ainda vamos dar muita risada do que rolou”, diz.

Bruno Paes Manso/Estadao

Cantor gospel Kirk Franklin se apresenta no Brasil

Um dos nomes mais conhecidos da música gospel norte-americana, Kirk Franklin, 38, vai fazer três shows no Brasil. O músico se apresenta no Rio, em São Paulo e em Belo Horizonte. O cantor é vencedor de três Grammys e já liderou por cem semanas a lista gospel da revista Billboard.

A turnê começa no Rio, no Canecão, onde o músico se apresenta no dia 29 de maio. O grupo brasileiro Gospel Night fará a abertura da noite, com o DJ Marcelo Araújo. Franklin vai cantar músicas de seu nono disco, “The Fight of my Life”.

Há quatro anos o músico não se apresentava no país. Participam do show do cantor uma equipe de 25 pessoas. Entre os sucessos, estão as músicas “Stomp” e “Revolution”.

Kirk Franklin nasceu em Fort Worth, no Texas, em 26 de janeiro de 1970. O músico foi abandonado ainda criança por sua mãe e jamais conheceu o pai, tendo sido criado por uma tia.

Desde criança, começou a cantar em corais de igrejas evangélicas norte americana, até lançar, em 1993, seu primeiro disco, “Kirk Franklin & The Family”. O disco foi sucesso, o colocando no topo da parada musical evangélica por quase dois anos.

O disco “The Fight of my Life”, seu nono trabalho que apresenta no país, foi lançado em 2007. Saiba mais sobre os shows.

Kirk Franklin

Rio
Quando: quinta (29 de maio), às 20h
Onde: Canecão (av. Venceslau Brás, 215, Botafogo, Rio; tel. 0/xx/21/2105-2000)
Quanto: R$ 100 a R$ 300

São Paulo
Quando: sábado (31 de maio), às 14h (abertura dos portões)
Onde: Arena Skol Anhembi (av. Olavo Fontoura, 1.209, Santana, São Paulo; tel. 0/xx/11/2268-1101)
Quanto: R$ 30 a R$ 150

Belo Horizonte
Quando: segunda (2 de junho), às 21h
Onde: Chevrolet Hall (av. Nossa Senhora do Carmo, 230, Savassi, Belo Horizonte; tel. 0/xx/31/2268-1101)
Quanto: R$ 50 a R$ 80

%d blogueiros gostam disto: