Arquivos de tags: Emprego

EDUCAÇÃO: Fundo agora quer ensino de qualidade

Os fundos de private equity, que nos últimos dez anos investiram pesadamente em instituições de ensino no país, estão mudando de estratégia. Depois de ganhar escala, planejam melhorar a qualidade dos cursos para atrair e reter alunos.

São dez fundos que compraram participações em 14 grupos de ensino superior, básico e de idiomas. Antes desse processo começar, em 1996, o valor médio das mensalidades cobradas pelas faculdades era de R$ 950. Desde então, caiu 43% em termos reais, para R$ 538, utilizando-se o IPCA como deflator.

Executivos de sete desses fundos, ouvidos pelo Valor, falaram da importância de melhorar a qualidade do ensino para expandir os negócios. No setor, os fundos costumam ser olhados com certa desconfiança e receio de que vão mercantilizar a educação. “As pessoas custam a acreditar que os financistas olham para a questão da qualidade”, diz Eduardo Alcalay, sócio do GP e maior acionista da Estácio.

Valor

As melhores universidades do mundo têm cursos online grátis

A prestigiada Universidade de Harvard e o Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT) são apenas algumas das instituições que estão a lançar cursos gratuitos, através da Internet, disponíveis em todo o mundo. E as “aulas” começam logo.

Ainda este ano, algumas das mais prestigiadas universidades do mundo vão disponibilizar vários cursos online. Gratuitamente e acessíveis em qualquer parte do mundo. É o caso da Universidade de Harvard e do MIT, que se juntaram no projeto Edx (https://www.edx.org/ ), para possibilitar “um estudo interativo via Internet”. Quem terminar os cursos e demonstrar aproveitamento, através de um exame ou de trabalhos, receberá um certificado.

Outras 16 grandes instituições, que incluem as universidades de Stanford, Princeton ou Johns Hopkins, vão disponibilizar também, através do programa Coursera (https://www.coursera.org/ ), várias dezenas de cursos.
“Trata-se da maior mudança no mundo da educação desde a invenção da imprensa”, congratulou-se o presidente do EdX, professor no MIT, Anant Agarwal, na apresentação do projeto. No caso das duas instituições envolvidas nesta plataforma, a disponibilização dos cursos online representa um investimento de 60 milhões de dólares e inclui aulas em vídeo, laboratórios online e feedback dos professores.

Empregados domésticos com carteira assinada não chegam a 40% em todo Brasil

A formalização entre empregados domésticos não chega a 40% em nenhum dos estados brasileiros. Apesar dos dados do relatório Perfil do Trabalho Decente no Brasil: um Olhar sobre as Unidades da Federação, divulgado  pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), indicar que houve avanços na formalização dos trabalhadores do país – que chegou a 53,6% entre 2003 e 2010–, o acesso à prImagemoteção social, a benefícios e à Previdência não atingiu os trabalhadores domésticos – ocupação que inclui empregadas, diaristas, jardineiros, motoristas, entre outras funções. 

São Paulo é o estado onde há o maior índice de formalização, com 38,9% dos trabalhadores domésticos com carteira assinada, seguido por Santa Catarina (37,6%) e Distrito Federal (37%). No Amazonas, no Ceará e no Piauí, o índice de formalização não atinge 10% dos empregados domésticos – 8,5%, 9,3% e 9,7%, respectivamente.

Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), usados pela OIT no estudo, há 6,9 milhões de trabalhadores domésticos entre 16 e 64 anos no Brasil, dos quais cerca de 93% são mulheres – o que corresponde a 6,4 milhões de pessoas. Desse total, 61,9% são negras.De acordo com a diretora da OIT no Brasil, Laís Abramo, constata-se que os trabalhadores domésticos não têm os mesmos direitos que o conjunto dos outros trabalhadores assalariados do país.“Houve aumento de formalização entre esses empregados, mas em ritmo inferior ao restante do mercado de trabalho”, informou Laís.

Desde 2010, tramita no Congresso a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 478/10, a PEC das Domésticas, que tem o objetivo de reduzir a informalidade no setor e ampliar o direito dessas trabalhadoras.De acordo com a proposta, os empregados deverão ter direito ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), limitação de jornada de trabalho, recebimento de hora extra e adicional noturno, férias, décimo terceiro salário, entre outros benefícios.

A PEC ainda não foi aprovada porque não houve definição quanto ao número de dias de trabalho que caracterizarão o vínculo empregatício, o que atinge especialmente os empregados diaristas.

Lenovo vai abrir fábrica em Itú SP

A Lenovo vai investir 30 milhões de dólares para construir uma fábrica no interior de São Paulo, em Itu. As instalações empregarão até 700 funcionários dentro de dois anos, sendo que incluem uma fábrica de computadores comerciais e de consumo para os clientes no Brasil e um centro de distribuições. Dan Stone, vice-presidente da Lenovo, foi nomeado como presidente das operações no Brasil.

“O anúncio é a primeira etapa de um plano ousado e de longo prazo que compreende estratégias orgânicas e inorgânicas de crescimento, cujo objetivo é dobrar a nossa participação de mercado no Brasil”, afirmou Stone.

Via The Next Web

Carreira: Salário federal tem diferença de até 580%

A folha de pagamento de servidores federais revela que a diferença salarial pode chegar a 580%: um professor universitário auxiliar começa ganhando R$ 2,2 mil; um advogado, R$ 14,9 mil.

 

A divulgação dos salários de todos os servidores públicos do Executivo federal, que começou nesta semana por força da Lei de Acesso à Informação, revelou o tamanho da discrepância entre as remunerações de diferentes áreas. Embora em toda campanha eleitoral candidatos apregoem nos palanques que ensino e saúde são prioridades do país, isso não se reflete na estrutura salarial do funcionalismo federal.

Entre as carreiras de nível superior, ninguém recebe tão pouco quanto professores e médicos. As diferenças chegam a 580% quando se compara o salário inicial de um professor auxiliar universitário ou de escolas técnicas em início de carreira, com 40 horas semanais, com o de um advogado da União com mesma carga horária: o primeiro começa com R$ 2,2 mil; o segundo, com R$ 14.970. Essa discrepância na folha de pagamento federal é um reflexo do que já se verifica na iniciativa privada.

Esse mesmo advogado chega ao setor público ganhando 368% a mais que um médico federal de início de carreira, que tem salário de R$ 3,2 mil. O GLOBO fez levantamento dos salários de todas as carreiras de nível superior do serviço público federal — do Executivo, do Legislativo e do Judiciário.

Na elite do Executivo estão carreiras como delegado da Polícia Federal, perito criminal, advogado da União, procurador federal, auditor fiscal da Receita e diplomata. Todos têm salários iniciais a partir de R$ 13 mil e no fim da carreira os vencimentos passam dos R$ 18 mil, isso sem contar gratificações.

OGlobo

Brasilia: operário do aeroporto que achou US$ 10 mil e devolveu é promovido

Depois de ser rebaixado de cargo numa empresa que presta serviços no terminal, Francisco Cavalcante, o homem que devolveu US$ 10 mil achados num banheiro, foi promovido ontem.

A vida profissional de Francisco Bazílio Cavalcante, 64 anos, 34 deles como funcionário terceirizado no Aeroporto Internacional de Brasília, nunca esteve tão movimentada, apesar de ele estar às vésperas da aposentadoria. Em cinco dias, ele foi demitido, recontratado, rebaixado e promovido novamente no emprego. De encarregado-geral, com maior salário entre os colegas, ele passou a servente em menos de uma semana. Depois de oito anos como chefe, voltou a limpar banheiros e outras dependências do terminal e teve redução salarial de mais de R$ 1,2 mil.

Este ano, houve troca de contrato da empresa prestadora de serviço no aeroporto e Francisco perdeu as vantagens obtidas há oito anos, quando encontrou uma maleta recheada com U$$ 10 mil (equivalentes a R$ 30 mil, à época, em 2004), e devolveu-a ao dono, um turista suíço. O ato de honestidade transformou a vida de Francisco, morador de Céu Azul, no Entorno, que ganhava R$ 370 mensais. Ele recebeu promoção, recomendada pelo então presidente da República, e passou a ganhar R$ 1,2 mil, que subiram para R$ 1,9 mil, em 2011.

Quando achou as notas de dólar, mesmo sem ter condições de pagar a conta de luz no valor de R$ 28, que estava atrasada, Francisco não pensou duas vezes antes de procurar o dono do dinheiro e a devolveu minutos depois de achá-la abandonada em um banheiro do aeroporto de Brasília. Usou o sistema de som do saguão para buscar o proprietário daquela quantia que, aos olhos dele, parecia uma fortuna.

Depois da ascensão profissional, Francisco começou a trabalhar de terno e gravata e a supervisionar o serviço dos outros mais de 200 companheiros. Recebeu os parabéns, pessoalmente, até mesmo de Luiz Inácio Lula da Silva e tornou-se garoto-propaganda do governo federal, apareceu na tevê sem ganhar cachê, divulgando o slogan Sou brasileiro e não desisto nunca. Mas Francisco quase deixou de acreditar que a vida era justa.

Coreio Braziliense

BRASIL: acidentes de trabalho mataram 16,5 mil em seis anos

Os 3,8 milhões de acidentes de trabalho ocorridos no Brasil no período de 2005 a 2010 mataram 16,5 mil pessoas e incapacitaram 74,7 mil trabalhadores. Os dados foram citados pela presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait), Rosângela Silva Rassy, em audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), nesta segunda-feira (23).

O evento, que se integra às atividades do Dia Internacional em Memória das Vítimas de Acidentes de Trabalho (28 de abril), contou com a participação de representantes de centrais sindicais, do governo federal, da Justiça do Trabalho e do Ministério Público do Trabalho.

Rosângela Rassy denunciou o “definhamento” da inspeção do trabalho: o quadro de 3.025 auditores fiscais, segundo ela, é insuficiente para fiscalizar mais de 7 milhões de empresas espalhadas pelo país.

Degradação

O vice-presidente do Sinait, Francisco Luís Lima, apontou como causa dos acidentes a degradação das condições do  trabalhador e do meio ambiente de trabalho. Contribuem para isso, segundo ele, problemas como falta de treinamento, não fornecimento de equipamento de proteção individual e remuneração por produção (que induz ao trabalho excessivo e exaustivo), entre outros.

O coordenador nacional do Fórum Sindical dos Trabalhadores, José Augusto da Silva Filho, disse que quatro em cinco acidentes ocorrem com trabalhadores terceirizados. Ele cobrou mais proteção para os empregados com esse tipo de vínculo trabalhista.

Ações

A secretária de Inspeção do Trabalho, Vera Albuquerque, destacou um termo de cooperação entre o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e o Ministério do Trabalho e Emprego para análise de acidentes de trabalho.

Essa cooperação, iniciada em 2008, já resultou em 1.250 ações regressivas acidentárias, com expectativa de ressarcimento de R$ 200 milhões. Nesse tipo de ação, o INSS cobra do empregador que deu causa ao acidente de trabalho os valores pagos em benefício aos trabalhadores incapacitados.

– A medida tem caráter punitivo e pedagógico e visa à concretização da política pública de prevenção de acidentes do trabalho – acrescentou.

Humanização

A secretária da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Junéia Batista, cobrou humanização da perícia médica. Por sugestão dela e de outros participantes, o presidente da CDH, senador Paulo Paim (PT-RS), apresentou requerimento que convida o presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Mauro Hauschild, para debater um novo esquema de alta programada de pessoas afastadas do trabalho.

Paim quer conhecer as razões que levaram o INSS a lançar uma consulta pública sobre o “tempo estimado para a recuperação de capacidade funcional baseado em evidências”.

Os participantes da audiência alertaram para riscos de prejuízos ao trabalhador acidentado quando o novo sistema for implantado.

Agência Senado

Comissão aprova piso salarial de R$ 4,6 mil para enfermeiros

Conforme a proposta, técnicos receberão R$ 3.255, e os auxiliares, R$ 2.325.

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público aprovou na quarta-feira (18 de abril) o Projeto de Lei 4924/09, do deputado Mauro Nazif (PSB-RO), que fixa o piso salarial de enfermeiros em R$ 4.650.

Por sugestão do relator,  deputado Assis Melo (PCdoB-RS), a comissão também acolheu emenda anteriormente aprovadapela Comissão de Seguridade Social e Família, que fixa o salário dos técnicos de enfermagem em 70% do piso (R$ 3.255), em vez dos 50% previstos no projeto original.

O texto aprovado também aumenta o percentual previsto para auxiliares de enfermagem e parteiras. No projeto original eles receberiam 40% do salário do enfermeiro. O texto aprovado fixa um percentual de 50% do piso (R$ 2.325) para essa categoria.

“Sabemos que um piso salarial digno desestimula que os trabalhadores mantenham diversos empregos em detrimento da saúde deles e de seus pacientes. Nossa realidade demonstra que grande parte dos profissionais da saúde se submete a longas jornadas e a múltiplos vínculos contratuais”, disse Assis Melo.

Tramitação
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, ainda será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

Ambev abre inscrições para Programa Trainee Industrial 4,3 mil de salário

Interessados em carreira de engenheiro industrial ou mestre cervejeiro serão selecionados

A Ambev abriu inscrições para a terceira edição do Programa de Trainee Industrial. Com cerca de 20 mil inscritos em 2011, a companhia vai selecionar, até 1º de maio, estudantes universitários interessados em uma carreira de engenheiro industrial ou mestre cervejeiro. Não há limite de vagas e o treinamento total tem duração de até 18 meses. Uma vez aprovados no processo seletivo, os trainees tornam-se imediatamente funcionários.

Estudantes de todo o país, formados desde o segundo semestre de 2010 ou que irão se formar em julho deste ano nos cursos de engenharia, química, farmácia, agronomia, biologia, ciências da alimentação e biotecnologia podem se inscrever pelo site. Entre os critérios analisados, estão: habilidade para gerenciamento de pessoas, interesse por desenvolvimento de novas tecnologias, negociação, capacidade de liderança, visão empreendedora, disponibilidade para viagens e mudanças de cidade, estado ou país, e inglês fluente.

Após o término das inscrições, os candidatos passarão por um teste online de português, inglês e raciocínio lógico; dinâmicas de grupo – que ocorrerão por todo o país – e farão entrevistas individuais. O treinamento começa em agosto e o salário inicial é de R$ 4.300,00 mais benefícios, como assistência médica, assistência odontológica, seguro de vida, previdência privada, vale refeição, vale transporte, 14º salário, entre outros.

A partir do segundo semestre, a companhia volta a abrir vagas, dessa vez para o Programa Trainee, que seleciona estudantes para todas as demais funções da companhia. Em 2011, o Programa Trainee contou com quase 74 mil inscrições.

http://www.traineeambev.com.br/ambev2011/2011/07/11/inscreva-se-no-programa-trainee-ambev-2012/

Novos “pontos mínimos” para copiloto da TAM

Tá no blog do Raul Marinho.

Depois de anos exigindo até 1.200h de experiência para candidatos a copiloto, a TAM finalmente baixou seus requerimentos de experiência de voo para 500h, mas com um sistema de pontos adicionais. De acordo com o site da TAM (clique em “COPILOTO – AIRBUS 320F” nesta página), os requisitos agora são os seguintes:

Competências e habilidades desejadas
Serão chamado para o processo apenas os candidatos que atendam aos requisitos mencionados:
* Licença de Piloto Comercial;
* Licença de Vôo por instrumento em vigor;
* Licença de Aeronaves Multimotores/Tipo;
* Proficiência lingüística Inglês nível intermediário;
* Possuir PLA teórico;
* Ser brasileiro ou naturalizado;
* Disponibilidade para residir em São Paulo

Para admissão na TAM, o candidato deverá ter, no mínimo, 500hs de vôo, IFR e Multi/Tipo válidos, PLA teórico e atingir 1200 pontos conforme tabela abaixo:
1) Curso superior=> 400 pontos;
2) Jet training=> 150 pontos;
3) ICAO NÍVEL 4 ou superior=>100 pontos;
4) CHT em aeronaves a reação sob o RBAC 121 e RBAC 135=> 300 pontos;
5) CHT em aeronaves turbo hélice sob o RBAC 121 e RBAC 135=> 200 pontos;
6) Cada hora de vôo comprovada=> 01 ponto.

Nota 1: Além da comprovação das horas declaradas, o candidato deverá efetuar:
a)Entrevista técnica;
b)Exame de Inglês tendo como mínimo para aprovação ICAO 3;
c) Avaliação psicotécnica

Nota2: No caso do candidato ter a CHT de aeronave a reação sob o RBAC 121 e RBAC 135, o item 2 não poderá ser utilizado como bônus

Assim, um candidato com nível superior (400 pts), Jet Training (150 pts) e ICAO-4 (100pts) totalizaria 650 pontos. Para atingir os 1.200 pontos requeridos, faltariam 550 pts.  Logo, este candidato precisaria ter, no mínimo, 550h de voo para poder entrar no processo seletivo.

%d blogueiros gostam disto: