Arquivos de tags: Emerson

Emerson ‘Ser cortado foi ótimo pra mim’

Emerson sempre fez questão de ser discreto. Mas aos 32 anos, o volante do Milan mudou. Está mais solto e deixa transparecer em público a coragem que sempre teve.

Em entrevista ao JT, fez várias revelações e reclamou muito do tratamento que a CBF dá para Kaká.

‘O Kaká, melhor jogador do mundo, enfrentou toda a diretoria do Milan para tentar jogar a Olimpíada. Teve de chegar um diretor e falar ‘não adianta que não vamos deixar’. Eu estava junto e vi como ele ficou decepcionado. Ele tinha de ser respeitado pela CBF.’

O que sobrou da Copa de 2006?

Uma tristeza pelo desperdício. Nós tínhamos uma Seleção muito forte. Não treinamos com a seriedade que deveríamos. Na Suíça, com público de 15 mil pessoas, não ouvíamos o que o Parreira falava. Ficávamos constrangidos de perguntar de novo e também teve o pecado mortal.
Acreditarmos na história de que éramos os melhores disparados. Isso subiu na cabeça de todos. Foi fatal. Fatal.

O Cafu disse que se sentiu como um marginal. As pessoas olhavam para ele com desprezo pela perda da Copa do Mundo.

Grande absurdo. Se o Cafu fosse inglês teria uma estátua no lugar mais importante da Inglaterra. Houve muita injustiça com ele, Roberto Carlos. Enfim, o povo brasileiro não estava preparado para perder a Copa.

E você foi perseguido também?

Não. Eu fiquei muito tempo na Europa com a minha filha. Deixei a poeira baixar. Ficou um gosto ruim na boca. Dava para ganhar.

O destino o atrapalhou a ganhar uma Copa? O que aconteceu em 2002 foi incrível…

É verdade. Eu seria o capitão da Seleção do Felipão. Fui jogar no gol perto da estréia e acabei com uma bela contusão no ombro. Fui cortado. Mas eu vou falar o que nunca disse para ninguém. Ser cortado salvou a minha vida. Ela mudou. E foi para muito melhor.

Como assim?

Nem sei se deveria falar. Mas vou dizer assim mesmo. Eu era muito infeliz no casamento. Tinha certeza que se o Brasil fosse campeão eu iria arrastá-lo pela vida inteira. Quando eu fui cortado resolvi fazer um balanço sério da minha vida. A primeira coisa que fiz foi acabar com o meu casamento. A partir daí, só tive coisa boa. Continuo solteiro até hoje.

O Milan decepcionou nesta temporada. Foi quinto no Italiano e não se classificou para a Champions League. Que aconteceu?

O clube queria tanto a Champions que descuidou do Italiano. A desclassificação para o Arsenal acabou pesando. O Kaká colaborou demais. Jogou com dores terríveis por dois meses. Precisava ser operado, mas não podia sair do time

Você é muito ligado ao Luxemburgo. Quando acabar seu contrato em 2009 volta para jogar no Palmeiras com ele?

Não vou negar nunca a influência do Vanderlei na minha carreira. Eu era um meia avançado. Ele me colocou como volante e mudou a minha vida. Passei a ser jogador de seleção e de grandes times da Europa. Mas tenho um grande amor ao Grêmio. Não sei se voltarei a jogar em um time brasileiro que não seja o Grêmio.

E vai criar a fundação Emerson para ajudar crianças carentes?

É um projeto que tenho. Preciso retribuir um pouco de tudo de bom que recebi na vida. Será em Pelotas, onde nasci.

COSME RÍMOLI/JT

%d blogueiros gostam disto: