Arquivos de tags: Doação de órgãos

Gaúchos terão número fácil 153 para notificar doação de órgãos

A Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa gaúcha, aprovou por unanimidade (9 votos a zero), o parecer favorável ao PL 240/2011, do Deputado Paulo Borges.

O projeto de lei prevê a criação de um número telefônico de fácil memorização, o NÚMERO 123, que passará a ser o novo número telefônico da Central de Transplantes do RS. O objetivo é facilitar o acesso dos profissionais de saúde e da população em geral e agilizar o processo de doação de órgãos. Sediada em Porto Alegre, a Central de Transplantes hoje possui um número fixo convencional de oito dígitos, pouco conhecido até dentro dos hospitais e entre os profissionais de saúde. Além disso, as ligações provenientes do interior do Estado, tem o custo de um interurbano e a discagem do código 51 antes do número.

A ANATEL já disponibilizou ao deputado, o NÚMERO 123 para esta finalidade. O projeto de lei já obteve o apoio das principais entidades médicas do Estado, como AMRIGS e Santa Casa de Misericórdia, por exemplo. O Deputado Paulo Borges informa que nos próximos dias o PL, aprovado hoje na Comissão de Constituição e Justiça, será levado ao Plenário.

Autorizada doação de órgãos de Eloá

A família da adolescente Eloá Cristina Pimentel, 15, que teve morte cerebral atestada no final da noite de ontem, autorizou a doação de órgãos da menina, afirmou na manhã deste domingo Rosa Maria Pinto de Aguiar, diretora do hospital municipal de Santo André (Grande São Paulo).

A médica afirma que foi avisada da decisão por um irmão da menina. Médicos do Instituto Dante Pazzanese devem chegar à unidade no começo da tarde. Não foi divulgado quanto tempo levará o procedimento.

Eloá foi baleada na cabeça após passar cem horas rendida pelo ex-namorado. Houve perda de massa encefálica, e ela chegou a passar por cirurgia. A bala, no entanto, não pôde ser retirada –ficou alojada no cerebelo.

A amiga da adolescente que também estava no imóvel e foi baleada no rosto passa bem. Nayara, 15, ainda não sabe que foi constatada a morte cerebral da amiga.

O delegado Luiz Carlos dos Santos, seccional de Santo André, afirmou na manhã deste domingo (19) que a morte de Eloá Cristina Pimentel, de 15 anos, complica a situação de Lindemberg Alves, o ex-namorado da garota que a manteve refém por 100 horas. De acordo com o delegado, Lindemberg, que tinha sido autuado em flagrante por três tentativas de homicídio, agora responde por duas tentativas e um homicídio. A morte cerebral de Eloá foi anunciada no fim da noite de sábado (18).

Santos explicou que, além de atirar em Eloá e na amiga Nayara Silva, de 15 anos, Lindemberg também disparou em direção do primeiro policial militar que negociava a libertação das vítimas do seqüestro. Lindemberg foi autuado ainda pelos crimes de cárcere privado e periclitação de vida. Ele está detido no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo.

Como a prisão foi em flagrante, explicou o seccional, o prazo para a conclusão do inquérito é de dez dias. A polícia ainda não sabe a procedência do revólver calibre 32 usado pelo seqüestrador para atirar nas reféns, pois a arma não tem registro.

NF/G1

Brasil: 66 mil aguardam doação de órgãos

O Brasil tem hoje uma lista de espera de 66 mil pacientes que precisam de algum tipo de transplante e apenas 15 mil operações desse tipo são feitas anualmente. A informação é do coordenador nacional do Sistema de Transplantes do Ministério da Saúde, Abrahão Salomão Filho.

Segundo ele, o Brasil é o terceiro país do mundo melhor preparado para fazer transplantes, depois dos Estados Unidos e da China. A dificuldade maior para a obtenção de doações é que a decisão precisa ser tomada individualmente pelos brasileiros. Para o médico, embora tenha registrado pequeno crescimento nos últimos anos, as doações ainda estão abaixo do ideal.

O número de doadores no Brasil é mais crítico do que se pensa, se for levado em conta que, na estatística de transplantes anuais, são misturados casos que envolvem a vida do paciente e cirurgias reparadoras como o transplante de córnea, de rim ou fígado, que podem ser feitos com doação de pessoas vivas.

Os doadores em geral são vítimas de acidentes, que podem oferecer órgãos, tecidos, a medula óssea e o sangue. O Ministério da Saúde pede que os candidatos a doadores avisem à família que, em caso de morte, concordem com a doação. Salom]ão lembrou que, no Brasil, a doação só ocorre com a permissão dos familiares.

Campanha do ministério alerta que “se você tem um doador na família, respeite a vontade dele. A importância da divulgação e conhecimento da intenção das pessoas por parte de seus familiares em relação à doação de órgãos é fundamental no momento da autorização de uma doação”.

AGÊNCIA BRASIL

%d blogueiros gostam disto: