Arquivos de tags: Contran

Aprovada obrigação de air bag nos carros

A Câmara aprovou o projeto que torna obrigatória a instalação de air bag para o condutor e para o passageiro do banco dianteiro do carro.

O projeto agora será encaminhado para sanção presidencial. Os novos modelos deverão conter o equipamento de segurança a partir do primeiro ano de regulamentação pelo Contran das especificações técnicas e do cronograma de implantação.

Para os carros zero de modelos já existentes, a obrigatoriedade será a partir do quinto ano após a definição das regras pelo Contran.

Mesmo com  críticas, os deputados comemoraram a aprovação do projeto. Eles ressaltaram o aumento da segurança do condutor e do passageiro. Na defesa da obrigatoriedade do equipamento, o líder do DEM, deputado Ronaldo Caiado (GO), médico ortopedista, afirmou que o air bag protege e dá mais chance de recuperação ao acidentado.

O deputado Marcelo Almeida (PMDB-PR) disse que a obrigatoriedade do air bag vai aumentar o preço dos carros. “O carro mais simples não vai mais custar R$ 20 mil, mas sim R$ 22 mil”, afirmou.

Atualmente, o air bag é importado e instalado nos carros pelas montadoras no País, mas empresas brasileiras estão se associando para produzir o equipamento nacional.

A assessora da Rhodia, Renata Bley, informou que a empresa, que produz o fio usado no air bag, e as empresas de autopeças Takata e TRW poderão desenvolver a cadeia produtiva do air bag nacional em um prazo de um ano, porque já possuem a tecnologia para isso. Renata Bley afirmou que a obrigatoriedade vai permitir a produção em grande escala, o que fará cair o preço do equipament. Além do ganho social com a segurança e a queda de gastos com acidentes, a produção nacional vai garantir empregos.

Carro: documento não terá endereço do dono

Desde segunda-feira (2), o endereço do proprietário de um veículo não é mais impresso no Certificado de Registro e Licenciamento (CRLV).

No campo destinado ao nome e ao endereço do proprietário só consta, a partir de agora, o nome do dono do veículo. A medida foi determinada por meio da deliberação de número 76 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

De acordo com Alfredo Peres da Silva, presidente do órgão, que assina a determinação, a medida tem por objetivo dar mais proteção ao cidadão. Em um caso de roubo do documento, por exemplo, o ladrão fica sem acesso ao endereço do proprietário.

Essa deliberação estabelece ainda que o Certificado de Registro do Veículo (CRV, mais conhecido como recibo de compra e venda de veículo) tenha nova redação, alertando para a necessidade de transferência do documento do veículo em até 30 dias, no caso de venda a outro proprietário.

Contran

Mudam regras para tirar carteira de motorista

O Diário Oficial da União (DOU) publicou nesta sexta-feira, 21, uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que altera as regras para quem vai tirar a carteira de motorista. As mudanças entram em vigor apenas em 1.º janeiro de 2009, por isso, quem começar o processo para retirar a CNH antes desta data ainda vai pegar as regras antigas.

Entre as principais mudanças, está a carga horária do curso teórico, que passa de 30 para 45 horas/aulas, e do curso prático, que vai de 15 para 20 horas/aulas. Além disso, novos conteúdos serão implantados nos cursos para que haja uma adequação às novas medidas que estão em vigor no País. Exemplo disso é o da conscientização da ingestão de bebidas alcoólicas, por causa da Lei Seca, e de cuidados com os motociclistas.

Segundo a publicação, as mudanças consideram necessidade de “melhorar a formação dos condutores” já que há uma “crescente incidência de acidentes de trânsito”, principalmente envolvendo motociclistas. Além disso, também é citado na resolução que existe a “necessidade de revisar os conteúdos e a carga horária do curso” para obtenção de CNH.

Diario Oficial/AE

Lei Seca é bem aceita pela sociedade

A lei que proíbe a ingestão de bebida alcoólica pelos motoristas foi bem aceita pela sociedade, na avaliação da Polícia Militar de São Paulo. O diploma legal foi sancionado pelo presidente Lula na tarde do último dia 19 após ter sido aprovado pelo Congresso Nacional.

Anteriormente, as autuações só ocorriam quando o bafômetro indicasse nível acima de 0,6mg de álcool por litro de sangue do condutor. Agora esse patamar foi reduzido e aceita apenas a margem de erro do aparelho medidor que é de 0,1mg. Quem for flagrado com álcool no sangue pagará uma multa de R$ 957 e perderá o direito de dirigir por até um ano. Acima ou igual a 0,3mg, além destas punições o motorista poderá pegar de seis meses a três anos de prisão.

A Polícia Militar realiza blitze há quase um ano em todos finais de semana nas principais vias de acesso aos bairros boêmios. O comandante das operações na cidade, Major Ricardo Fernandes, afirma que agora o uso do bafômetro é bem aceito. O diretor da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego, Fabio Racy, acredita que cairá o número de mortes no trânsito.

Os taxistas também apostam que haverá mais passageiros e mais segurança nas ruas com a fiscalização da lei seca. Mas, entre os freqüentadores da noite de São Paulo, as opiniões estão divididas em relação à lei.

JP

Contran torna assento infantil item obrigatório

Pais de crianças com até sete anos e seis meses de idade terão de incluir na lista de despesas um item obrigatório para a segurança de seus filhos: o Contran (Conselho Nacional de Trânsito) acaba de tornar obrigatório o uso da cadeirinha infantil nos bancos traseiros dos veículos de passeio. A regra não foi estendida ao transporte coletivo, escolar e aos táxis, segundo a assessoria de imprensa do órgão.

A decisão deve trazer gastos aos motoristas (o preço do acessório varia de R$ 150 a R$ 1.000) e dificuldades de fiscalização aos órgãos competentes. Crianças de até 1 ano de idade deverão usar o bebê conforto ou assento conversível; de 1 a 4 anos, a obrigatoriedade será em relação à cadeirinha; de 4 a 7 anos e meio, a criança deverá ser acomodada em um assento de elevação ou booster; e a partir de 7 anos e meio, fica permitido o uso do cinto de segurança no banco traseiro.

A decisão do Contran estabelece dois anos – a partir da data de publicação da resolução no Diário Oficial, prevista para este mês – para que ocorram medidas educativas de esclarecimento aos usuários e para que a fiscalização entre em vigor. A falta do dispositivo de segurança no transporte de crianças passa a configurar como infração gravíssima, com multa no valor de R$ 191,54 e perda de sete pontos na carteira.

O uso da cadeirinha já era obrigatório desde fevereiro de 1998, de acordo com uma resolução do Código de Trânsito Brasileiro. Entretanto, a resolução, segundo especialistas, deixava brechas na interpretação, o que impossibilitava uma fiscalização mais rígida.

“Antes da regulamentação, a norma tolerava o transporte de crianças no banco traseiro dos carros com a utilização do mesmo cinto de segurança usado pelos adultos, sem os ajustes necessários”, explicou Arruda. O cinto de segurança no banco traseiro somente é adequado para pessoas com peso superior a 35 kg e 1,45 metros de altura, segundo o professor da Unicamp.

%d blogueiros gostam disto: