Arquivos de tags: Cirurgia Plástica

Pacientes poderão voltar a hospital após plásticas

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária criou novas regras sobre a esterilização de instrumentos utilizados em cirurgias abdominais, plásticas de mama e lipoaspiração.

Mais de 2,1 mil casos de infecção por micobactérias foram registrados nos últimos cinco anos pela Anvisa em todo o Brasil. Os hospitais poderão continuar terceirizando o serviço de esterilização, mas serão responsabilizados em caso de problemas.

A partir de agora, os hospitais que fizerem esse tipo de cirurgia também ficarão responsáveis pelo acompanhamento médico dos pacientes por pelo menos dois meses. Pacientes que perceberem qualquer problema em função da cirurgia ganham o direito de procurar o hospital até dois anos depois da operação. De acordo com o gerente de Tecnologia da Anvisa, Héder Murari, só no Espírito Santo foram quase 300 casos, desde 2006, em pessoas que se submeteram a videocirurgias e lipoaspirações.

O que provocou as infecções foi a esterilização inadequada dos instrumentos cirúrgicos.

Michael Jackson infectado por superbactéria

Michael Jackson teria contraído uma superbactéria, a MRSA, potencialmente letal, durante uma cirurgia plástica para reconstrução do nariz, afirmou o jornal britânico “The Sun”.

O cantor, de 50 anos, estaria recebendo tratamento em uma clínica de luxo em Beverly Hills para tentar acabar com a infecção, que teria começado no rosto e se espalhado pelo corpo.

Este é o mais recente boato envolvendo a saúde de Jackson, que negou relatos publicados em dezembro de que estaria sofrendo de uma doença grave no pulmão.

As especulações aumentaram depois que o astro foi flagrado, com aparência fragilizada, sendo empurrado em uma cadeira de rodas na porta de um hospital.

Segundo o jornal, testemunhas teriam visto o astro com a pele das mãos “visivelmente inflamada” e com manchas vermelhas e roxas, além de aparentar estar com o rosto inchado.

A publicação afirma que a infecção causada pela MRSA pode se desenvolver a ponto de destruir as células da pele, e que Jackson precisaria passar por uma grande cirurgia.

– Uma infecção do tipo MRSA é perigosa por ser resistente a antibióticos tradicionais, então ele tem vindo à clínica para tomar remédios especiais. A doença se espalhou pelo rosto e pelo corpo, mas está sendo tratada de forma agressiva pelos médicos – disse uma fonte ao “The Sun”.

O porta-voz do Rei do Pop não se manifestou sobre o assunto.

Humor: Cirurgia da ministra foi um sucesso

Dilma Roussef após cirurgia plástica em Porto Alegre

ClaudioHumberto

Cirurgia Plástica: alerta para excesso de cirurgias

A beleza física, o emagrecimento e o rejuvenescimento são uma constante preocupação dos a ficcionados pelo corpo e pela saúde, que não pensam duas vezes na hora de recorrer a cirurgia plástica e a lipoaspiração. No Brasil, o mercado de cirurgia plástica movimenta mais de R$ 4 bilhões por ano, colocando o país em terceiro lugar entre os países que mais realizam cirurgias desse tipo, perdendo apenas para EUA e México.

Ainda são os adolescentes os que mais procuram pelas cirurgias para corrigir certos “defeitos”. Nos últimos três anos, cerca de 15% dos pacientes que buscam um especialista têm entre 14 e 18 anos, quase o dobro do registrado em território americano. Em 2006, dos 105 mil jovens submetidos às cirurgias estéticas, 70% eram meninas a procura mamoplastia (diminuição de mamas), liporaspiração, rinoplastia (plástica no nariz), dentre outras. Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica do Rio de Janeiro (SBCP-RJ), o médico Sergio Levy, a procura é tão grande que muitos cirurgiões recusam-se a operar cerca de 20% dos pacientes, pois julgam que eles têm autocrítica exagerada em relação aos pequenos defeitos e em muitos casos baixa auto-estima, comum nesta idade.

Contudo, essa mania de beleza não se restringe mais somente as mulheres. Ela já atingiu também aos homens. Muitos empresários e executivos estão buscando manter uma boa aparência para crescerem na carreira, já que a competitividade do mercado é cada vez maior. “A cirurgia plástica tem sido a saída encontrada por muitos executivos cansados daquela barriguinha de chope ou daquele indesejável queixo duplo. São operações simples, que duram de uma a três horas, não exigindo um tempo de recuperação que possa atrapalhar o desempenho profissional dos pacientes. Para se ter uma idéia, a busca dos homens por cirurgias estéticas teve um aumento de 20%”, diz Levy.

Esses dados apontam uma indiferença dos pacientes às conseqüências de um procedimento cirúrgico e os danos que o mesmo pode causar a saúde, como paralisia dos músculos, deslocamento de próteses e até necroses. “As pessoas acham que é tudo simples como ir ao salão de beleza”, afirma Levy, que já atendeu caso de necrose na barriga, resultante de uma hidrolipo malfeita.

O alto número de cirurgia plástica no país deve ao aumento da concorrência de cirurgiões altamente treinados, a redução do tempo de internação, a variação dos preços cobrados entre as clínicas e o parcelamento do preço das cirurgias. O que é condenado pela SBCP-RJ. “Atualmente muitos médicos e consultórios que se utilizam de propaganda enganosa, prometendo “milagres”. Há, por exemplo, quem ofereça serviços com valores muito abaixo da tabela e parcelados em até 36 vezes, fazendo da cirurgia plástica um verdadeiro “varejão”, condena Levy.
Bonde

CIRURGIA PLÁSTICA SÓ COM ESPECIALIZAÇÃO

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal resolveu entrar na polêmica que envolve os cirurgiões plásticos não especializados. Ainda neste mês, o secretário Augusto Carvalho vai se reunir com representantes de entidades médicas para, juntos, tentarem encontrar uma solução. Há no DF, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), quase 200 médicos que realizam intervenções cirúrgicas nessa área. Pelo menos 50 deles, no entanto, atuam sem o devido treinamento. Apesar dos riscos, não há nenhuma lei que os proíba de exercer a atividade.

A opinião do secretário já é conhecida. Em 2003, ainda deputado distrital, ele apresentou um projeto de lei que obrigava a inscrição do profissional na SBCP para atuar como cirurgião plástico. Essa é a garantia de que o médico passou por três anos de estudo na área. Pelo projeto, as clínicas ou hospitais do DF que infringissem a legislação estariam sujeitos a multa e cassação do alvará de funcionamento. A Secretaria de Saúde ficaria responsável pela fiscalização da lei.

No Brasil, realizam-se, em média, 600 mil cirurgias plásticas por ano. Elas são consideradas delicadas e exigem técnicas muitas vezes complexas. “O médico que não é especializado não deve se aventurar a fazer algo para o qual que não foi capacitado”, destacou o segundo secretário do Conselho Regional de Medicina (CRM) do DF, Luiz Fernando Salinas. A preocupação do CRM e da SBCP se estende às intervenções estéticas, diferentes das cirurgias plásticas (leia quadro). “Muitos médicos buscam o caminho mais curto e esquecem que todo ato médico exige especialização”, reforçou o professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília e cirurgião plástico Jefferson Macedo.

A polêmica incomodou o chefe do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital das Forças Armadas (HFA), Oswaldo Nascimento Júnior. Ele faz intervenções cirúrgicas mesmo sem ser cirurgião plástico e reitera que não há nada de ilícito nisso. “Quem deve operar é quem tem competência para operar e ponto. Vender a idéia de que quem não é membro da SBCP é incompetente beira ao absurdo. O que a sociedade defende se chama reserva de mercado”, disse.
Seis dicas para escolher bem um cirurgião plástico:

1 Não escolha um nome ao acaso.
Converse com pessoas que já tenham feito cirurgia plástica, peça referências e tire todas as suas dúvidas sobre o atendimento do médico, sobre o pré e o pós-operatório e os resultados obtidos.
2 Procure saber se o médico é especialista em cirurgia plástica. Ligue para a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica pelo telefone 3346-2300 ou acesse o site www.cirurgiaplastica.org.br/df — na seção “membros”, é possível conferir, por estado, se o profissional em questão está na lista dos associados.
3 Entre em contato também com o Conselho Regional de Medicina (CRM) e pergunte se há algum decisão da entidade contra o médico.
4 Feito isso, marque consulta com, pelo menos, dois médicos e compare opiniões. Privilegie os profissionais que transmitam confiança e segurança, os que deixam claro os riscos envolvidos com a cirurgia e deixam a decisão final para você.
5 Conheça também o local onde será realizada a cirurgia. Cheque se há Unidade de Terapia Intensiva (UTI), aparelhos, medicamentos e infra-estrutura adequada para casos de emergência.
6 Desconfie dos que cobram valores muito abaixo do preço de mercado. Também desconfie de anúncios mirabolantes que prometem resultados fantásticos.

Correio Braziliense

Como Jackson seria aos 50 sem as plásticas

Ao completar 50 anos, nesta sexta-feira, 29, a edição online do “Daily Mail” fez uma simulação de como ficaria a aparência de Michael Jackson se ele não tivesse feito cirurgias plásticas (à direita). 

O cantor de “Thriller”, Jackson dominou por mais de duas décadas as paradas de sucesso do mundo inteiro. Mas depois passou a chamar muito mais atenção da imprensa por seu comportamento controverso, como andar de máscaras e luvas, e seu descontrole financeiro.

“Daily Mail”/Ego

Jennifer Aniston aumenta os lábios

O jornal inglês “The Sun” mostra que Jennifer Aniston, ao que tudo indica, também está se rendendo à beleza de consultório. A ex-de Brad Pitt deu uma aumentada na boca, ficando com os lábios mais grossos.

A publicação coloca estas duas fotos de Jennifer lado a lado sugerindo que ela teria feito algum tratamento anti-rugas nos lábios. Segundo o jornal, a atriz estaria sentindo a pressão de namorar o músico John Mayer, bem mais novo que ela. Jennifer faz 40 anos em fevereiro do ano que vem.

“Todas as namoradas que ele teve são dez anos mais novas que Jen. Ela está obcecada com seu rosto porque é a única parte dela que envelheceu. Do pescoço para baixo ela é uma atleta”, diz uma fonte citada pelo “Sun”. Jennifer Aniston já admitiu ter feito cirurgia no nariz e comenta-se também que ela teria se submetido a aplicações de botox para suavizar rugas nas bochechas e na testa.

The Sun

D. Marisa Letícia foi paciente de Farah

Para provar que o ex-médico Farah Jorge Farah era um cirurgião plástico conceituado em São Paulo, sua defesa levou uma testemunha que confirmou que ele já teve como paciente a atual primeira-dama, Marisa Letícia. O ex-médico começou a ser julgado ontem (15) pelo assassinato, seguido de esquartejamento, da paciente e ex-namorada Maria do Carmo Alves em 2003.

Os advogados levaram para prestar depoimento Rosangela, uma das secretárias de Farah que trabalhava em sua clínica, na zona norte da cidade, na época do crime.

Questionada pela defesa se o ex-médico era famoso e reconhecido Rosângela respondeu que “era”. “Lembro de uma vez que pessoas do exterior vieram para operar com ele”.  A defesa então perguntou: “a senhora se lembra que ele operou a atual primeira-dama?” Rosangela respondeu: “sim, operou”.

Além de Rosangela, também foram ouvidas nesta quarta-feira ex-pacientes de Farah que afirmaram que sofreram abusos sexuais do ex-cirurgião enquanto estavam sedadas devido a procedimentos cirúrgicos.

Maria do Carmo foi morta no consultório de Farah, em Santana (zona nortede SP). Em novembro de 2006, o Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo) cassou a licença para o exercício de medicina do cirurgião. Em maio de 2007, Farah conseguiu liberdade provisória.

Farah usou um bisturi e pinças para dissecar o corpo da mulher e retirar a pele de parte do rosto, tórax e pontas dos dedos das mãos e pés.  Ontem, em interrogatório, o ex-cirurgião disse que era ameaçado pela vítima e afirmou não lembrar do momento do crime.

FolhaonLine

%d blogueiros gostam disto: