Arquivos de tags: Chico Mendes

Aposentada quer receber dívida de Chico Mendes

A professora aposentada Carmem Rodrigues Moreira, de 68 anos, atualmente radicada em Rio Branco, no Acre, acusa o líder sindical Chico Mendes de não haver lhe pago o valor total relativo à compra da casa (foto) onde viria a ser assassinado em 1988. A propriedade se tornou famosa após a morte do seringueiro e transformou-se, no ano passado, no primeiro patrimônio histórico nacional tombado no Acre.

A aposentada diz que vendeu a casa ao líder sindical em 1987, um ano antes de sua morte, pelo valor de 400 mil cruzeiros – moeda corrente da época – dos quais afirma ter recebido apenas 150 mil. Com base nestas alegações, a professora se declara ainda proprietária da residência. A questão é motivo de polêmica entre Carmem Rodrigues e a viúva de Chico Mendes, Ilzamar Mendes, que nega haver algum tipo de fundamento nas alegações da aposentada.

O caso já foi parar na justiça, onde a professora foi condenada a pagar um salário mínimo de indenização por invadir a Fundação Chico Mendes gritando ofensas contra o líder sindical, a quem chamou de “preguiçoso”, na presença de visitantes. A viúva Ilzamar promete voltar à justiça contra a aposentada pela acusações feitas contra o seu marido.

DireitoGlobal

Artigo: A praia de Minc é outra

Sai a cabocla Marina Silva, herdeira de Chico Mendes, criada descalça na Amazônia, só alfabetizada na adolescência, contaminada por malária e por mercúrio. Entra Carlos Minc, o ambientalista do Leblon e de Ipanema. Digamos que a Amazônia não é exatamente a praia dele.

Os dois são do PT e respeitados por ambientalistas de diferentes cores, mas os contrastes podem, em vez de diminuir, aumentar as reações e a perplexidade diante da queda de Marina, principalmente fora do país. Acrescente-se que Minc tem fama de ser rápido na concessão de licenças ambientais. Para alguns, um grande mérito. Para outros, um risco.

Lula preferia o ex-governador Jorge Viana por uma questão mais política do que ambiental. Ele também é do PT do Acre e cresceu sob o simbologismo de Chico Mendes, o que ajudaria a neutralizar as reações externas.

Mas, desta vez, a decantada habilidade de encantador de serpentes não funcionou, e Lula não convenceu Viana a aceitar a cadeira de Marina. Com Viana fora, Lula agora tem de convencer gregos e troianos, não só acreanos, de que a prioridade de Minc, dele próprio e do Brasil é a Amazônia -que é o que interessa ao mundo.

Para isso, Lula precisa admitir que errou. Ou que o seu “problema” não era só o endereço do ministério; tinha cara e nome: Marina Silva.

Eliane Cantanhede 

%d blogueiros gostam disto: