Arquivos da Categoria: Wikipedia

Morre Steve Jobs um visionário que mudou nossas vidas

No mundo árido da informática, o empresário Steve Jobs, que morreu hoje na Califórnia, aos 56 anos, deu cores e beleza aos computadores. Cofundador da Apple Computer Inc. e do estúdio Pixar, mais tarde comprado pela Disney, Steve Jobs trabalhou na ponta da inovação desde a era do Macintosh, o computador da Apple que na década de 1980 trazia um ambiente bem mais amigável para o usuário que os sistemas operacionais DOS e Windows 3.1 da rival Microsoft, bem como os computadores pessoais de cor bege – as máquinas da Apple eram coloridas.

Nascido em 24 de fevereiro de 1955 em São Francisco (EUA) e criado por pais adotivos, Steve Paul Jobs chegou à fama e ao sucesso empresarial em 1984 quando ajudou a criar e lançar o Macintosh – um computador pessoal com uma interface agradável e diferente do que havia até então, além de um sistema operacional palatável ao consumidor. O começo da década de 1980 marcou, nos Estados Unidos, o advento do computador pessoal e o início da difusão em larga escala da internet. O Macintosh era um computador que tinha mais recursos gráficos e por isso caiu no gosto dos consumidores.

Em 1985, Jobs foi afastado temporariamente da Apple pelo conselho de administração após brigas internas. Ele fundou outra empresa de informática, a NeXT, e em 1986 comprou da Lucasfilm os estúdios de computação gráfica Pixar, que então começaram sua trajetória de usar recursos digitais nos desenhos animados. O Pixar iniciou uma parceria lucrativa com a Disney, produzindo mais tarde (anos 1990 e 2000) filmes como “Toy Story”, “Monstros SA”, “Procurando Nemo”, “Cars” e vários outros desenhos de qualidade e enredo refinados, que conquistaram crianças e adultos no mundo inteiro.

Jobs voltou à Apple em 1997, após a empresa, então à beira da falência, ter comprado a NeXT. Ele foi trazido como consultor e conseguiu salvar a Apple com o sistema operacional Mac OS, que unia a estabilidade dos sistemas operacionais Unix à plataforma Macintosh.

Mas Jobs inovou não apenas com computadores e desenhos animados: desenvolveu um sistema, o iThunes, que permitiu aos consumidores escutarem músicas em aparelhos portáteis, entre eles o iPod, lançado em 2001 pela Apple. Em 2000, a Apple tinha valor de mercado de US$ 5 bilhões. Em 2009, o valor de mercado da corporação era de US$ 170 bilhões, de acordo com a revista Fortune.

Jobs era considerado arrogante na indústria. “Você é incrivelmente arrogante – você não sabe o que não sabe”, disse Andy Groove, ex-executivo-chefe da Intel, a Jobs durante um jantar em Palo Alto, no Vale do Silício, em 1983. A resposta de Jobs, contou Groove 25 anos depois: “Me ensine. Me diga o que eu preciso saber”. A entrevista de Groove foi dada ao jornalista Michael V. Copeland, da Fortune.

Em 2008, os problemas de saúde de Jobs, que aparentemente datavam de 2006, vieram à tona. O empresário visivelmente perdia peso e isso ficou claro quando dava suas populares palestras. Com os rumores persistentes sobre que doença o empresário sofria, Jobs publicou uma carta à comunidade da Apple em 5 de janeiro de 2009, explicando que pela primeira vez “em uma década” passava o feriado do Natal e Ano Novo junto à esposa e aos quatro filhos. Jobs disse que sofria de um descontrole hormonal, que roubava as proteínas do seu corpo. Especulações publicadas na imprensa dos EUA diziam que ele sofria um câncer de pâncreas e ficaria afastado da Apple durante meses.

Uma matéria do Wall Street Journal esclareceu um pouco o episódio: segundo o jornal, Jobs sofreu um transplante de fígado no Tennessee em abril. Ele voltou ao trabalho em julho.

No começo de novembro de 2009, a Fortune elegeu Steve Jobs o executivo-chefe (CEO) da década passada. A publicação destacou em seu site que Jobs desafiou “as piores condições econômicas desde a Grande Depressão e os seus próprios e sérios problemas de saúde”, e “reviveu a Apple”.

“Nos últimos dez anos Jobs reordenou “radicalmente e de maneira lucrativa três mercados – o da música, o dos filmes e o dos telefones móveis – e o impacto em sua indústria original, de informática, apenas cresceu”, escreveu a revista.

AE/ Agencias

A foto tem 100 anos e não foi modificada

Nem Photoshop, nem truques espertos, e certamente nenhum tipo de viagem no tempo foram usados aqui. Em vez disso, essa foto tirada na rússia há 100 anos usou o Harris Shutter Effect, que cria essas cores fortes e saturadas que parecem um tanto com as fotos atuais.

Primeiro, um pouco de contexto sobre a foto. As três camponesas foram clicadas pelo fotógrafo russo Sergey Prokudin-Gorsky em 1909, famoso por ter tirado a única foto colorida revelada até hoje de Leo Tolstoy, em 1908. Ele chamou a atenção do czar Nicholas II, que o contratou para documentar a vida na Rússia em cores – especificamente, usando o Harris Shutter Effect.

Criada pela Kodak, o sistema criava cores brilhantes pela reexposição de um frame em três filtros (vermelho, verde e azul). Qualquer um que conheça as câmeras de lomografia – ou qualquer câmera que permita exposições múltiplas – deve entender rapidamente a ideia, onde o objeto clicado é fotografado várias vezes, apenas mudando o filtro de cor em cada uma das imagens. O resultado, como você pode ver acima e em várias outras disponíveis no site da Biblioteca do Congresso americano, parece algo tão brilhante e moderno, como se a tecnologia de hoje tivesse sido usada há um século. Ou, pelo menos, mostra a variedade de roupas e suas cores em épocas que os registros eram apenas em preto e branco.

A foto abaixo, vinda da Wikipedia, mostra como a técnica de fotografia de Prokudin-Gorsky pegava três fotos individuais monocromáticas com uma exposição de cerca de 3 segundos, e com filtros de cores diferentes, ele junta tudo em uma foto, projetando os três slides juntos. É verdade que esse exemplo foi construído em uma foto digital com tecnologia moderna usando camadas digitais, mas o resultado não é muito diferente do que Prokudin-Gorsky fez há um século, quando as pessoas se amontoavam na frente de um projetor para assistir a mágica das fotografias em telonas. [Library of Congress via Big Picture via Laughing Squid via Photojojo]

14:34 – 28 de Setembro de 2010

Por Kat Hannaford

Wikipedia irá postar vídeos

A Wikipedia, enciclopédia virtual, anunciou na última quarta-feira (21) que irá ganhar um espaço para vídeos na plataforma.

“Agora, muitos poucos artigos da Wikipedia têm vídeos. É hora de mudar isso! Começando agora, você pode estar entre as primeiras pessoas a experimentar com as possibilidades de vídeo colaborativo. Suas contribuições poderão modelar o futuro da Wikipedia, fazendo [dela] uma fonte rica e dinâmica de conteúdo educacional de alta qualidade”, diz a nota.

“Quando você posta um vídeo na Wikipedia, você também ajuda a promover o vídeo aberto”, acrescenta a nota.

O site também especificou que todos os vídeos postados serão gratuitos e de código aberto, sob tecnologia HTML5, informa Folha Online.

%d blogueiros gostam disto: