Arquivos da Categoria: Sexo

Acusado de estupro no programa ex BBB vai exigir prêmio em processo contra a Globo

O modelo Daniel Echaniz vai pedir, em processo contra a TV Globo, indenização no valor igual ao prêmio oferecido ao vencedor do BBB12. O montante de 1,5 milhão de reais vai ser exigido como contrapartida à quebra de contrato por parte da emissora, que o retirou do programa por “atitude inapropriada”, segundo explicação oficial da emissora.

“Há uma série de condições que preveem a expulsão de um participante no contrato e nenhuma delas versa sobre ‘atitude inapropriada’. Nem a TV Globo conseguiu nos explicar o que isso quer dizer”, diz a advogada do modelo, Elizeth Alvim de Souza Mello.

Aos 1,5 milhão de reais vão ser acrescidos outros valores referentes à indenização por danos morais e materiais, que ainda vão ser calculados pela Justiça.

O ex-participante foi expulso do BBB12 depois que espectadores do programa  levantaram a suspeita de que e,le tivesse esuprado a companheira de confinamento Monique Amin.  O inquérito policial que investigou o caso, porém, foi arquivado após ouvir o modelo e a estudante. O depoimento de Monique deu a entender ao Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) que não houve crime.

Segundo a advogada, o contrato de Daniel com a TV Globo chegou ao fim neste sábado e, por isso, ele tomou a decisão de processar a emissora. “Daniel foi convidado a fazer um acordo com a Globo, que lhe prometeu trabalhos e uma ajuda de custo. Mas nada disso foi feito. Por isso, entramos com a ação.”

Procurada, a Globo não quis comentar o assunto.

Mãe de óctuplos faz filme pornô para pagar dívidas

Atriz pornô Jessica Drake ‘treinou’ Nadya Suleman durante a gravação.
Octomãe aceitou fazer filme para tentar sustentar seus 14 filhos.

Jessica foi a “treinadora” de Nadya durante a performance, segundo o site.

Nadya fez o filme pornô e também aceitou um emprego de stripper na Flórida para tentar evitar a perda de sua casa, disse sua representante. Segundo Gina Rodriguez, esse tipo de trabalho “não é novidade” para sua cliente.

Em abril, Nadya disse que, se fosse necessário, aceitaria empregos no “mercado do entretenimento adulto” para garantir um futuro para seus 14 filhos -ela já tinha 6 quando os óctuplos nasceram.

Mas ela ressaltou que não pretendia se prostituir.

Suleman, de 36 anos, vai fazer dois shows por noite em um clube de West Palm Beach, a partir de 11 de julho.

Ela vai fazer topless durante o show, disse Gina.

O cachê da “octomãe” não foi revelado.

A casa em que ela mora foi posta para leilão, mas ele acabou sendo adiado diversas vezes.

Nadya decretou falência em maio, mas ela não foi aceita por questões burocráticas.

Ela afirmou que não conseguia lidar com dívidas no valor de US$ 1 milhão, segundo a imprensa.

O empresário que vendeu a casa ao pai da mulher disse que já está há mais de um ano sem receber qualquer pagamento, segundo a emissora KTLA.

Nadya se submeteu a um tratamento de fertilidade que a transformou em mãe de óctuplos em janeiro de 2009, o que imediatamente provocou um tremendo interesse midiático nos EUA pelo êxito clínico e abriu um debate sobre a ética da reprodução assistida.

O parto de óctuplos concedeu um status de estrela midiática a Suleman, e inclusive lhe permitiu protagonizar seu próprio programa de televisão.

Mulher quer indenização na justiça por ter casado com homem de p… pequeno

Karla Dias Baptista, 26 anos, advogada e residente no município de Porto Grande no Amapá decidiu processar seu ex-marido por uma questão até então inusitada na jurisprudência nacional. Ela processa Antonio Chagas Dolores, comerciante de 53 anos, por insignificância peniana.

Embora seja inédito no Brasil os processos por insignificância peniana são bastante frequentes nos Estados Unidos e Canadá. Esta moléstia é caracterizada por pênis que em estado de ereção não atingem oito centímetros. A literatura médica afirma que esta reduzida envergadura inibe drasticamente a libido feminina interferindo de forma impactante na construção do desejo sexual.

O casal viveu por dois anos uma relação de namoro e noivado e durante este tempo não desenvolveu relacionamento sexual de nenhuma espécie em função da convicção religiosa de Antonio Chagas. Karla hoje o acusa de ter usado a motivação religiosa para esconder seu problema crônico. Em depoimento a imprensa a denunciante disse que “se eu tivesse visto antes o tamanho do ‘problema’ eu jamais teria me casado com um impotente”.

A legislação brasileira considera erro essencial sobre a pessoa do outro cônjuge quando existe a “ignorância, anterior ao casamento, de defeito físico irremediável, ou de moléstia grave”. E justamente partindo desta premissa que a advogada pleiteia agora a anulação do casamento e uma indenização de R$ 200 mil pelos dois anos de namoro e 11 meses de casamento.

Antonio que agora é conhecido na região como Toninho Anaconda, afirma que a repercussão do caso gerou graves prejuízos para sua honra e também quer reparação na justiça por ter tido sua intimidade revelada publicamente. O fato é que se o gato não come o bife. Ou o gato não é gato. Ou o bife não é bife.

Fonte: Revista Nova

Vocalista de banda punk Against Me! vira mulher

Tom Gabel, vocalista da banda punk americana Against Me!, revelou à revista Rolling Stone ser transgênero e que planeja viver como mulher. Além de tomar hormônios e fazer tratamentos com eletrólises para se depilar, Gabel pretende mudar seu nome para Laura Jane Grace.

De acordo com a publicação, ele tem sofrido de transtorno de identidade de gênero por anos em segredo. Pai de uma menina, o músico diz que pretende continuar casado com sua mulher, Heather. “Para mim, a coisa mais aterrorizante sobre isso era como ela reagiria”, afirmou em entrevista. “Mas ela tem sido incrível e compreensiva”.

Gabel acredita que passará por “momentos de vergonha” durante a transformação. “Isso não será divertido. Mas faz parte do processo de contar às pessoas: você espera que elas compreendam e espera que sejam gentis”.

A banda Against Me! tem cinco álbuns lançados. Em “New wave”, uma das canções do grupo, Tom Gabel canta que “se eu tivesse escolhido, eu teria nascido uma mulher. Minha mãe me disse uma vez que ela daria o nome de Laura”.

HvWeP18RpmM

Mulher: cientista diz ter encontrado ‘ponto G’

Efe

Ginecologista afirma ter encontrado o cobiçado ponto G – zona erógena das mulheres que divide opinião de especialistas – ao dissecar as camadas da parede vaginal do cadáver de uma mulher de 83 anos.


O médico Adam Ostrzenski (foto), da Flórida, nos Estados Unidos, teve seu trabalho sobre o tema publicado no “The Journal of Sexual Medicine”. Um trecho do estudo que foi publicado na internet detalha que o ponto G tem “uma estrutura anatômica diferenciada e se encontra próximo a membrana perineal dorsal, a 16,5 milímetros da parte superior do orifício uretral, formando um ângulo de 35 graus com a borda lateral da uretra.

Entre outros detalhes, o trabalho aponta que o ponto G, denominado assim pelo ginecologista Ernst Gräfenberg, “parece uma bolsa bem delineada no interior da vagina”. A região apresenta paredes que se assemelham a tecidos fibroconectivos e eréteis. Além disso, a parte superior teria visíveis irregularidades de tom azulado.

Sob esse tecido da parte superior, Ostrzenski diz ter achado uma série de “composições em forma de uva”, de 81, milímetros de comprimento, entre 1,5 e 3,6 milímetros de largura e 0,4 milímetros de altura.

O médico do Instituto de Ginecologia de Saint Petersburg, na Flórida, afirma no estudo que a descoberta pode ter “um impacto nos exames e clínicos no campo da função sexual feminina”.

A existência desta região, a qual se atribui a capacidade de aumentar o nível de excitação sexual da mulher e provocar nela orgasmos, é posta em dúvida cientificamente. Já houve relatos, inclusive, da existência de diversos “pontos G”.

Saúde: parteiras tradicionais indígenas passam por qualificação

Encontro realizado em Roraima faz parte da estratégia da Rede Cegonha e capacitará 30 mulheres para que auxiliem o os cuidados aos recém-nascidos nas aldeias

Trinta parteiras tradicionais indígenas das etnias Makuxi e Wapixana, ambas do estado de Roraima, participam de encontro de qualificação em cuidados com recém-nascido, que será realizado a partir desta segunda-feira (23) até 30 de abril, na comunidade indígena de Tabalascada, na cidade Cantá, município distante 40 quilômetros da capital Boa Vista.  A iniciativa do encontro é da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) do Ministério da Saúde, por meio do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Leste de Roraima, em parceria com Secretaria de Saúde de Roraima. A ação faz parte do programa Rede Cegonha.

O objetivo do encontro é capacitar as parteiras para que auxiliem nos cuidados básicos imediatos aos recém-nascidos nas aldeias e com isso ajudar na redução da mortalidade infantil.  A abertura do curso ocorre nesta segunda, a partir das 9h, e contará com a presença chefe da DSEI Leste de Roraima, Dorotéia Reginalda Moreira Gomes, e do secretário Estadual de Saúde de Roraima, Antônio Leocadio Filho. Durante o evento serão entregues 30 kits com equipamentos básicos de assistência imediata ao recém-nascido. Os kits possuem 35 itens, entre eles, estojo de alumínio com tesoura reta, fita métrica uterina, capa de chuva e balança pediátrica. Os Kits foram fornecidos pela Secretaria de Saúde de Roraima.

A capacitação também faz parte da estratégia da SESAI de promover atenção integral à saúde por meio da integração entre a medicina tradicional indígena com as práticas da medicina ocidental. As parteiras são profissionais importantes na atenção à saúde indígena no que se refere ao auxilio às equipes de saúde no pré-natal e também no parto, principalmente em aldeias de difícil acesso. De acordo com o último levantamento do Distrito, atualmente existem cadastradas no DSEI 78 parteiras, sendo que 95% delas também são Agentes Indígenas de Saúde (AIS).

A metodologia utilizada na qualificação será a participativa baseada na educação popular. Assim, durante o curso, além das orientações sobre as principais doenças e complicações com recém-nascidos e a identificação de casos de gestação de risco, as parteiras irão relatar casos de partos que fizeram e descrever seus conhecimentos tradicionais relacionados à gestação e ao parto: como a concepção cultural de cada etnia sobre a gestação, o uso de ervas medicinais e restrições alimentares durante a gravidez e puerpério (pós-parto). O evento contará com a participação de um consultor do Ministério da Saúde, dois facilitadores do DSEI Leste e duas médicas pediatras.

Sobre o DSEI Leste de Roraima – O Distrito Sanitário Especial Indígena Leste de Roraima é a unidade gestora descentralizada do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena, responsável por organizar e prestar o atendimento básico de saúde aos indígenas que vivem na região leste e norte de Roraima, inclusive nas aldeias na fronteira com a Venezuela e a Guiana. A população atendida pelo Distrito é de cerca de 40 mil índios, de 12 etnias diferentes, com predominância da etnia Makuxi, seguida da Wapixana.

Por Aedê Cadaxa, da Agência Saúde.
(61) 3315-6256

LIVRO: Os segredos eróticos de astros de Hollywood

FERNANDA EZABELLA
DE LOS ANGELES

No auge de sua carreira num posto de gasolina em Hollywood, o ex-fuzileiro naval de olhos azuis Scotty Bowers ( na foto hoje ) serviu à nata das estrelas dos estúdios ao redor.

Mas elas não vinham encher o tanque. Katharine Hepburn queria saber de jovens morenas, Bob Hope pedia mulheres mais maduras e Errol Flynn, moças que “aparentassem 14 anos”.

Não à toa, Bowers acabou conhecido como “sr. Sexo”.

E só agora, aos 88 anos, ele resolveu registrar suas histórias em livro, tirando celebridades do armário e contando detalhes explícitos, como as posições sexuais preferidas de astros de cinema, música e teatro.

Vincent Price, Cole Porter e Ty Power são outros que desfilam pelas 288 páginas de “Full Service” (serviço completo), sem previsão de chegar ao Brasil (sai, na Amazon.com, por US$ 14,79 ou R$ 27).

“Apesar de não ser tímido, sempre fui reticente em revelar detalhes sobre o que fiz, principalmente em respeito à privacidade daqueles que cruzaram meu caminho”, diz Bowers no livro -os clientes citados estão mortos. “Agora, enquanto faço um balanço da vida ao chegar aos meus anos finais, sinto-me compelido a compartilhar.”

Editoria de Arte/Folhapress

Biógrafos de Cary Grant e Spencer Tracy negaram a bissexualidade dos atores, com quem Bowers diz ter feito sexo. Mas outros apareceram para lhe defender, como o neto de Walter Pidgeon, um amante de Rock Hudson e Gore Vidal, que recomenda o livro em seu site:

“Conheço Scotty Bowers há anos. Fiquei feliz que ele tenha decidido finalmente contar sua história”, diz Vidal. “Scotty não mente; as celebridades, às vezes, sim.”

Bowers diz que não era um cafetão e que nunca recebeu um tostão pelos arranjos que fez entre os anos 1940 e 1980, muitas vezes escalando seus ex-colegas da Marinha que, esses sim, eram pagos.

Ele mesmo também resolvia a necessidade dos amigos (ou amigas) em troca de uma nota de US$ 20 (cerca de U$ 200 nos dias de hoje, ou seja, cerca de R$ 365).

A lista é longa: Brian Epstein foi para a cama com ele quando esteve em Los Angeles em 1964 para o show dos Beatles. Edith Piaf foi outra, assim como Vivien Leigh e até mesmo o duque de Windsor (que abdicara do trono da Inglaterra para se casar com uma divorciada que, segundo Bowers, era lésbica).

Tudo começou quando ele deixou a Marinha, no final da Segunda Guerra Mundial, e foi trabalhar no posto da Hollywood Boulevard, local que logo se tornaria ponto de encontro de jovens.

Num dia de 1946, Pidgeon (“Como Era Verde o Meu Vale”) apareceu para abastecer e lhe fez uma proposta. Então com 23 anos, ele aceitou, sem saber que era o início de suas operações, que mais tarde incluiria até um trailer-motel estacionado ali.

Nada disso era novidade para ele. Sua primeira experiência sexual havia sido com o pai de um amiguinho, aos nove anos, caso nunca tratado por Bowers como abuso. Adolescente e engraxate em Chicago, prestou serviços para “quase todos” os padres da cidade. “Caramba, até os padres precisam disto!”, diz.

“O que fiz nessas décadas todas foi manter as pessoas felizes”, escreve, completando que 60% dos clientes eram gays -Hepburn, por exemplo, devia a ele encontros com 150 amantes ao longo de 40 anos.

FSP

Mulheres terão 20 milhões de camisinhas grátis em 2012

O Ministério da Saúde começa a distribuir em maio o primeiro lote dos 20 milhões de preservativos femininos que serão entregues ao longo do ano.

As populações prioritárias serão definidas de acordo com critérios de vulnerabilidade a doenças sexualmente transmissíveis (DST), incluindo a aids e as hepatites virais.
No público-alvo estão profissionais do sexo, mulheres em situações de violência doméstica e/ou sexual, pessoas com HIV/aids, usuárias de drogas e seus parceiros e pacientes do DST.

Também se enquadram pessoas de baixa renda e usuárias do serviço de atenção à saúde da mulher que tenham dificuldade em negociar o uso do preservativo masculino com o parceiro.
Segundo o ministério, esta é a primeira aquisição feita pelo governo de camisinhas femininas de terceira geração, fabricadas com borracha nitrílica.
Foram gastos R$ 27,3 milhões, sendo o preço unitário R$ 1,36.

O preservativo feminino chegou ao mercado brasileiro em 1997, quando a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou a comercialização do produto no país.
As 20 milhões de unidades a serem distribuídas este ano representam um aumento de 25% em relação à compra de toda a série histórica, que totaliza 16 milhões de camisinhas.

Uma pesquisa feita pelo Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais em 2008 mostrou que cerca de 90% das mulheres sexualmente ativas no Brasil conhecem ou pelo menos já ouviram falar da camisinha feminina.

Fiocruz pesquisa preferência das brasileiras pela cesariana

O estudo, encomendado pelo Ministério da Saúde para ajudar a fortalecer a Rede Cegonha ,entrevistará 24 mil mulheres no pós-parto. Embora ministério preconize o parto normal, cesarianas chegam a 52% no país.

Para descobrir o porquê da preferência de muitas brasileiras pelo parto cirúrgico, a Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz, ligada ao Ministério da Saúde, está coordenando a pesquisa “Nascer Brasil: Inquérito sobre Parto e Nascimento”. O estudo vai entrevistar 24 mil mulheres em situação de pós-parto. Dados recentes do Ministério da Saúde revelam aumento no número de cesarianas.

Com base nesses dados, o Ministério da Saúde espera fortalecer ainda mais a estratégia da Rede Cegonha, ação que tem entre os objetivos melhorar a qualidade do pré-natal e do parto no Brasil.

A coordenadora da pesquisa, Maria do Carmo Leal, explica que um dos problemas observados no Brasil é que o serviço onde a mulher realiza todas as consultas do pré-natal não efetua uma conexão direta com o hospital onde ela deverá realizar o parto. Por isso, a mulher acaba tendo que buscar o hospital por conta própria, o que não é recomendado pelo Ministério da Saúde.  A estratégia Rede Cegonha também visa garantir a vinculação da gestante à maternidade do dia do parto.

A pesquisadora da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz, Silvana Granado, explica que, no caso das mães que optaram passar por uma cesárea, será questionado o motivo da escolha.

“A gente entrevista a mãe no pós-parto na própria maternidade e pergunta um pouco sobre a história estética dela, quantas vezes ela ficou grávida, quantos filhos ela já teve. Para ver a idade gestacional que esse neném está nascendo e se foi parto normal ou cesariana”, diz a pesquisadora da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz, Silvana Granado. Ela explica que a pesquisa também verificará qual indicação médica e a preferência pelo tipo de parto, onde ela fez o pré-natal, se foi o mesmo profissional que fez o parto. Com base nessas informações, as responsáveis pela pesquisa esperam também subsidiar o Ministério nas políticas públicas já existentes que pretendem reduzir os índices de cesarianas.

Dados do Ministério da Saúde apontam que, em 2010, o Brasil registrou mais cesarianas do que partos normais. Enquanto em 2009 o país alcançava uma proporção de 50% de partos cesáreos, em 2010, a taxa subiu para 52%. Na rede privada, o índice de partos cesáreos chega a 82% e na rede pública, 37%.

Estudos comprovam que as chamadas “cesáreas eletivas” são as que representam maior risco. Nesse tipo de parto, a mãe agenda o dia do nascimento e o bebê nasce sem que ela entre em trabalho de parto, o que pode causar problemas de saúde, principalmente respiratórios, na criança.

REDE CEGONHA – A estratégia, lançada em 2011, reforça as estruturas da rede pública para incentivar o parto normal. O Ministério da Saúde já liberou R$ 213 milhões para os primeiros estados que tiveram seus planos aprovados: Bahia, Pará, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Pernambuco.

Esses estados foram os primeiros a receber recursos para custeio dos Centros de Parto Normal, de Casas da Gestante, do Bebê e da Puérpera e Maternidades, além da qualificação de leitos de Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) e Unidades de Terapia Intensiva (UTI), Canguru e leitos obstétricos para atenção à gestante de alto risco. Até agora, dezessete estados e 800 municípios já aderiram à estratégia

Atriz paquistanesa que posou nua está desaparecida

Actriz paquistanesa fotografada nua desapareceu
Veena Malik

Veena Malik, a atriz paquistanesa que chocou o país quando foi capa da revista masculina FHM, semi-despida e com a sigla dos serviços secretos tatuada no braço, está desaparecida.

A atriz desapareceu horas depois de ter enviado uma SMS ao realizador do filme de terror que está filmando, desculpando-se pelo seu fraco desempenho.

“Na mensagem, me pediu desculpa por ter estado pouco concentrada durante as filmagens do dia, porque estava preocupada”, explicou o realizador Hemante Madhukar.

Logo após ter recebido a mensagem, Madhukar tentou ligar para o celular de Veena, mas o aparelho estava desligado.

O desaparecimento da atriz foi já confirmado pelo seu representante, que explicou que Veena está sem contato desde sexta-feira, motivo pelo qual denunciou a situação à polícia.

Veena Malik mora em Bombaim, meca da indústria cinematográfica indiana, cidade a partir da qual chocou os compatriotas quando posou nua para uma revista masculina, com a sigla dos serviços secretos paquistaneses tatuada num braço.

Jornal de Noticias/PT

%d blogueiros gostam disto: