Arquivos da Categoria: Moto

Harley-Davidson reverte prejuízo e vendas sobem

A Harley-Davidson divulgou nesta terça-feira, 24, que teve alta de 12% nas vendas do quarto trimestre, em um resultado melhor que o esperado pelo mercado. A fabricante de motos registrou um lucro líquido de US$ 105,7 milhões, ou US$ 0,46 por ação, ante prejuízo líquido de US$ 46,8 milhões, ou US$ 0,20 por ação, um ano antes.

A receita de motocicletas e produtos relacionados, o que exclui o braço financeiro do grupo, cresceu para US$ 1,03 bilhão, acima dos US$ 917,1 milhões de um ano antes e da estimativa de analistas, de US$ 1,01 bilhão.

A debilitada economia dos EUA prejudicou a demanda pelas motos da montadora, que respondeu reestruturando a base de fabricação e lançando motos menos caras para usuários mais jovens.

As ações da Harley subiram cerca de 17% em 2011, bem acima dos 3% do Standard & Poor’s 500.

Pirelli faz recall de pneus de motos de 250 CC

A Pirelli Pneus convocou proprietário de motocicletas de 250 CC com pneu Pirelli aro 17 tipo 130/70-17 62S, Sport Demon (uso traseiro), lote 1311, adquiridos a partir de 26 de março deste ano, para inspeção e possível substituição imediata e gratuita do pneu.

A empresa informa ter identificado uma anomalia na banda de rodagem capaz de afetar o tempo normal de desgaste dos pneus e, por conseguinte, causar eventuais acidentes.

O produto equipa motocicletas Yamaha Fazer YS 250 2011/2012 como equipamento original, sendo compatível, ainda, com as especificações técnicas de quaisquer outras motocicletas de 250cc equipadas com roda aro 17. Esses pneus são instalados na roda traseira e podem ser identificados por meio da matrícula semanal DOT XE DP F960, 1311, que se encontra gravada na região lateral do pneu, próximo à roda.

O programa tem inicio imediato e terá continuidade por período indeterminado. Para mais informações os consumidores poderão entrar em contato pelo SAC da empresa no número 0800-7287638 ou pelo site http://www.pirellipneus.com.br/informe.

Da Agência O Globo

RJ: Harley-Davidson inaugura a primeira concessionária

A Harley-Davidson inaugura oficialmente, amanhã, a primeira concessionária da marca no Rio de Janeiro.

A RIO Harley-Davidson fica localizada no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste da cidade. Com mais de 3 mil m2, sendo 2,3 mil m2 de área construída, a concessionária foi desenvolvida dentro dos padrões mundiais da marca e busca oferecer uma experiência premium aos clientes da região.  Além dos serviços de vendas e pós-vendas, a RIO Harley-Davidson será o ponto de encontro dos motociclistas e apaixonados pela marca no Rio de Janeiro.

Estarão presentes na inauguração o diretor-superintendente comercial da Harley-Davidson, Longino Morawski; o vice-presidente da Harley-Davidson Motor Company para a América Latina, Mark Van Genderen; e o vice-presidente Sênior e CFO da Harley-Davidson Motor Company, John Olin.

RIO Harley-Davidson/Avenida das Américas, 14.800 – Lojas A, B e C
Recreio dos Bandeirantes – Rio de Janeiro – RJ

A Harley-Davidson promove pela primeira vez no Brasil o Rio Harley Days, o maior evento internacional da empresa aberto ao público no País e na América Latina, que reunirá os aficionados por suas motos e pelo estilo de vida sobre duas rodas. Já tradicional em países como Espanha, Croácia, Suíça e Alemanha, o festival será realizado nos dias 4, 5 e 6 de novembro de 2011, na Marina da Glória, na cidade do Rio de Janeiro, com organização da Playcorp.

“O Harley Days é um modelo de encontro que a Harley-Davidson organiza em algumas partes do mundo e agora chegou a vez do Brasil também entrar no calendário internacional de eventos da empresa”, afirma Longino Morawski, diretor-superintendente Comercial da Harley-Davidson do Brasil.

O objetivo do evento é promover um grande encontro com pessoas de diferentes faixas etárias, sejam elas fãs da Harley-Davidson, motociclistas ou não. O ambiente foi cuidadosamente planejado para criar uma experiência única com a marca, por meio de uma programação extensa e variada de atividades e atrações.

Num espaço superior a 20 mil metros quadrados, o evento contará com uma estrutura completa com estacionamentos, praça de alimentação, bares, feira de produtos, acessórios, roupas e customização, tudo para atender a expectativa de visitantes, que deve ultrapassar 30 mil pessoas nos três dias de evento.

Os membros do H.O.G. – Harley Owners Group – terão uma área exclusiva no Rio Harley Days com um bar customizado e pocket shows numa programação VIP. Os associados têm desconto de ingressos (day pass e full pass) e ganham o segundo ingresso grátis na mesma categoria para levar um acompanhante, durante as vendas do primeiro lote exclusivamente.

Além do lote de lançamento, a Harley-Davidson faz uma promoção nas concessionárias da marca: na compra de um ingresso do Rio Harley Days de qualquer categoria, o cliente ganha um ingresso para visitar o Salão Duas Rodas 2011 entre os dias 4 e 7 de outubro, em São Paulo, evento que a empresa participa com um estande de mil metros quadrados ambientado ao estilo Harley-Davidson.

O Rio Harley Days é um evento aberto ao público e os ingressos já estão à venda em todas as concessionárias Harley-Davidson e na Tickets 4 Fun (postos de venda e internet) sem taxa de conveniência (nas compras feitas pessoalmente, de acordo com lote e disponibilidade). Para o início das vendas, haverá um lote especial de lançamento com valores entre R$ 96,00 e R$ 300,00, sendo que crianças até 12 anos não pagam; estudantes, maiores de 60 anos e jovens de até 21 anos pagam meia entrada. A doação de um quilo de alimento não perecível também garante o pagamento de 50% do valor do ingresso. Para mais informações sobre o Rio Harley Days, acesse <a href="http://www.rioharleydays.com

Serviço – Rio Harley Days

De 4 a 6 de novembro de 2011

Horário: das 14h à 1h (sexta-feira), das 10h às 2h (sábado) e das 10h às 20h (domingo)

Local: Marina da Glória – Rua Infante Dom Henrique, s/n, Glória, Rio de Janeiro, RJ

O maior evento internacional da marca no País reunirá os fãs do motociclismo em novembro, na Marina da Glória, no Rio de Janeiro  

BMW tropicaliza nova motocicleta

A BMW Motorrad inicia, em março, a produção do modelo F800R em Manaus. A moto com 798 cilindradas será o carro-chefe da montadora alemã para emparelhar no mercado com a japonesa Kawasaki.

As 798 cilindradas da F800R lhe dão aceleração de 0 a 100 km em 3,9 segundos

Assim, a BMW vai disputar a liderança do mercado naked – segmento que agrupa modelos premium com desenho intermediário entre motos de passeio e esportivas. A Kawasaki é produtora da Z750.

A divisão movimenta apenas 10 mil unidades por ano no Brasil, mas ocupar esse mercado significa prestígio junto ao público de alto poder aquisitivo.

Rolf Ep, diretor da BMW Motorrad, relata que a produção em Manaus vai promover uma desaceleração forte no valor da F800R. “A redução de preço vai ser em torno de 25%. Essa moto vale hoje R$ 51,9 mil e estamos trabalhando para ficar perto dos R$ 38 mil”, antecipa o diretor.

O modelo, que hoje é importado, terá 100 unidades emplacadas em 2010. A meta inicial da BMW é concluir 2011 com 800 F800R vendidas. “A F800R vai conquistar clientes de outras marcas, principalmente das japonesas”, confia Ep.

A F800R consolida a estratégia da BMW Motorrad de instalar há um ano em Manaus (AM) a sua primeira linha de montagem de motocicletas fora da Alemanha. Passo estratégico para a companhia crescer no mercado brasileiro de motos premium, acima de 450 cilindradas (cc), cujas vendas no país já haviam atingido a marca das 40 mil unidades em 2008.

A decisão de se instalar no país veio acompanhada por um plano de negócios disposto a tornar as motos da BMW mais conhecidas do brasileiro – consumidor que até então associava a marca aos carros de luxo que a partir da Segunda Guerra transformaram a antiga fabricante de turbinas de avião da Baviera, no sudeste da Alemanha, em uma das principais indústrias automotivas do mundo.

Para viabilizar seu investimento, a Motorrad firmou uma parceria com a Dafra para instalar um núcleo CKD (linha de montagem com peças vindas da matriz) na fábrica da brasileira em Manaus. O núcleo ficou responsável por montar o modelo de entrada da BMW no país, a G650GS.

O processo industrial no Amazonas reduziu o preço da moto de R$ 45 mil para R$ 29,8 mil – fator essencial para ganhar clientes em um mercado emergente, no qual motos de lazer são a menor fatia do segmento duas rodas. A G650GS estacionou nas lojas em janeiro.

“Começamos com uma produção diária de cinco motos, mas a procura foi grande e logo passamos a 14 unidades por dia. Hoje, produzimos de 180 a 200 motos por mês”, comemora Rolf Ep.

Metas superadas

O presidente da BMW Brasil, Jörg Henning Dornbusch, confirma que a procura superou a meta inicial da montadora de vender 3 mil unidades neste ano. Comercialização puxada por uma expansão geográfica para além do eixo Rio-São Paulo como uma aposta no futuro. “Estamos plantando para colher daqui há uns quatro ou cinco anos”, confia.

Mas os primeiros frutos já começaram a ser colhidos neste ano. A Motorrad encerra 2010 com 3,5 mil motos vendidas e 9% do mercado de altas cilindradas. O percentual é o dobro do alcançado no ano passado.

O desempenho é 118% superior ao de 2009, quando a marca vendeu 1.608 motos. A G650GS respondeu até novembro por 1.174 unidades comercializadas em pontos 20 pontos de vendas, oito a mais que no ano passado.

O resultado ajudou a alçar o Brasil a sétima posição entre os mercados mais importantes da divisão duas rodas da BMW, apesar do mercado premium prever fechar o ano com 36 mil motos – volume 10% menor que o pico atingido em 2008.

Brasil Econômico

Hermès: luxo sobre duas rodas

hermes

Novo brinquedo da Hermès tem lista de espera menor que a bolsa Birkin.
Alguém se habilita?

A Hermès expande cada vez mais sua marca para produtos que vão além do vestuário. Desta vez a grife francesa imprime novamente seu conceito, agora em motos numa parceria com a Yamaha.

A VMAX Concept Bike é cheia de detalhes em couro de búfalo, que além de ser à prova d’água acompanha o acabamento de alumínio do escape da moto. E para quem quiser andar com estilo, um capacete Hèrmes que segue o mesmo padrão de cores (preto e chocolate) está disponível.

Essa máquina pode ser sua por 62 mil dólares e o prazo de entrega é de até quatro meses – que é bem menos que uma lista de espera por um Birkin.

Do Blog Finíssimo

SP aprova seguro para moto em estacionamento

A Câmara Municipal de São Paulo aprovou ontem, em primeira votação, o Projeto de Lei número 19, de 2009, que prevê a cobertura de seguro contra roubos de motos e bicicletas em estacionamentos com mais de 50 vagas.

O projeto, de autoria do vereador Chico Macena (PT), ainda passará por uma segunda votação antes de seguir para sanção ou veto do prefeito Gilberto Kassab (DEM).

De acordo com o vereador, a atual legislação obriga a cobertura apenas de veículos de passeio. O projeto garante que os proprietários de motos e bicicletas roubados nos estacionamentos sejam indenizados pelo valor de mercado do bem. Caso sancionada, o descumprimento da lei implicará multa diária de R$ 1.000.

BMW lança nova moto no Brasil

Depois de fazer o primeiro lançamento mundial de um modelo automotivo no Brasil neste ano, agora a BMW escolheu o país para ser o primeiro a produzir motos da marca fora da Alemanha. A BMW Motorrad vai montar o modelo G 650 GS em parceria com a Dafra Motos a partir de dezembro em Manaus (AM). O produto estará disponível ao consumidor brasileiro em fevereiro de 2010, ao preço de R$ 29.800, cerca de 40% menos do que custaria se fosse importado da Alemanha.

A escolha do Brasil para montar a moto da BMW deve-se ao desempenho das vendas do país, afirma Rolf Epp, diretor da BMW Motorrad no Brasil, que espera uma expansão de 10% neste ano.

“O Brasil é o único país em que as vendas de motos da montadora crescerão dois dígitos.” A BMW quer encerrar 2009 com 5% de participação no mercado brasileiro de motos acima de 500 cilindradas.

Além da nova arquitetura com dois cilindros, antes era apenas um com 652 cm³, o propulsor da nova F 650 GS está bem mais potente: 71 cv (a 7.000 rpm) contra os 50 cv (a 6.500 rpm) da anterior. Sem falar que o novo bicilíndrico é bem mais silencioso que seu antecessor monocilíndrico.

O novo motor, apesar de derivado da esportiva F 800S, parece ter sido feito para essa funbike. Oferece um ótimo equilíbrio entre torque em baixas rotações e potência em altos giros para se acelerar em avenidas de trânsito rápido. Aliás, o torque máximo do novo motor também é bem maior: agora são 7,65 kgf.m já nas 4.500 rpm – contra os 6,12 kgf.m que chegavam nos 4.800 rpm.

Como resultado, a nova F 650 GS ficou bem mais “esperta”, como se diz no jargão dos motociclistas. Ou seja, responde prontamente a qualquer giro no acelerador. Seja na estrada quando mantém com facilidade boa velocidade de cruzeiro ou no trânsito quando não exige muitas trocas de marchas no câmbio de seis velocidades em função do torque elevado. Resumindo: diversão garantida tanto no uso urbano ou em curtas viagens, já que o novo motor pode levar essa BMW a 200 km/h.

Ciclística mais on-road

A nova F 650 GS ganhou também um conjunto ciclístico mais on-road. Ganhou um quadro tubular e rodas em liga-leve – aro 19 na dianteira e 17 na traseira – em vez das rodas raiadas da antiga versão. Apesar disso, o curso de suas suspensões foi aumentado. Na frente, o garfo telescópico agora tem 180 mm e, atrás, a balança traseira em alumínio tem um único conjunto mola-amortecedor com 170 mm de curso. Cursos bastante longos, fazendo da F 650 GS a moto ideal para enfrentar as valetas, buracos e lombadas de uma cidade como São Paulo. Porém as rodas de liga-leve limitam seu uso no off-road.

A posição de pilotagem continua bastante semelhante à versão anterior – bem ereta e com os braços abertos. Já o assento foi melhorado, e bastante. Está mais largo e confortável tanto para o piloto como para a garupa.

No sistema de freios, a F 650 GS traz a qualidade e a segurança características das motos BMW. Um disco de 300 mm de diâmetro na dianteira com pinça Brembo de dois pistões e um disco de 265 mm com pinça de um pistão na traseira. A versão testada contava ainda com sistema ABS bastante eficaz.

Ela ficou um pouco mais longa que a versão anterior, mas um pouco mais estreita. No total, com a nova ciclística e motor, a nova 650 engordou apenas 7 kg – agora ela pesa 199 kg em ordem de marcha.

Mercado Aberto e Web Motors

2009 BMW F 650 GS Photos – wBW Lightbox – Click photo to view.

2009 BMW F 650 GS in the dirt 2009 BMW F 650 GS Engine 2009 BMW F 650 GS Front Wheel, Tire and Brakes 2009 BMW F 650 GS Fuel Tank 2009 BMW F 650 GS Headlight
2009 BMW F 650 GS Instruments 2009 BMW F 650 GS Rear Wheel and Tire 2009 BMW F 650 GS Seat 2009 BMW F 650 GS Rear Shock 2009 BMW F 650 GS Tail Light

Moto: Ducati Hypermotard versão 796

A italiana Ducati resolveu apresentar semana passada as primeiras fotos da Hypermotard 796, uma motard urbana (modelo trail, calçada com rodas menores e pneus esportivos) que será uma das principais atrações da marca no Salão de Milão (ITA), que acontece entre 10 e 15 de novembro. Com este lançamento, a família de design ousado e agressivo conta com três opções: 1100, 1100 S e agora a 796, que deve chegar as concessionárias da Ducati no final de outubro, com preço sugerido a partir de 7.990 Euros.

Seguindo o mesmo design das versões de 1100 cc, a Hypermotard 796 tem um motor de menor capacidade, porém totalmente novo chamado de “Desmodue”. De comportamento suave, extremamente elástico e econômico, mas sem renunciar à tradicional arquitetura de dois cilindros em “L” da Ducati. O propulsor da 796 gera 81 cv de potência máxima e 7.7 kgm de torque.

Um dos grandes apelos da nova Hypermotard 796 é a baixa altura do assento em relação ao solo: 825 mm, 20 mm a menos que na sua irmã maior de 1100 cc. Além disso, a nova Hypermotard 796 pesa apenas 167 kg. O responsável pelo peso reduzido é a adoção de um motor mais leve e um chassi redesenhado, sem perder suas características – quadro em treliça.

A 796 traz no trem dianteiro suspensão invertida (upside-down) e sistema de freios da grife Brembo com dois grandes discos, “mordidos” por pinças de dois pistões. Na traseira, disco simples e suspensão monoamortecida.

A nova Ducati Hypermotard 796 vem com acabamento no melhor estilo “urban-dark”, ou seja, várias partes pintadas em preto fosco: tanque, bico e moldura do farol. Para completar rodas de liga leve, quadro e suporte das pedaleiras também em preto. Outra opção será a 796 com tanque branco fosco, contrastando com as demais peças na cor preta.

O modelo também estará disponível na tradicional cor vermelha.  Detalhe: os piscas foram embutidos nos protetores de mão e o duplo escape está posicionado sob a rabeta e abaixo da lanterna, que utiliza LEDs. As vendas começam no final de outubro no continente europeu, porém a marca aceita reservas antecipadas.

Serviço: Peso a seco da moto é de 167 kg e seu banco é 20 mm mais baixo que o da 1100, com 825 m. Em terras italianas, o preço sugerido da Hypermotard 796 é de 8 990 euros — equivalente a R$ 23 800. No Brasil, o Grupo Izzo, representante oficial da marca, ainda não revelou planos de importar o novo modelo.

Motos: tudo sobre manutenção

Em um recente levantamento feito pela Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares) foi detectado um dado alarmante. O estudo apontou que 90% das motos em circulação na capital paulista apresentam alguma necessidade de manutenção e o detalhe fica agravado pela deficiência de um ou mais itens. Quase metade das motos inspecionadas tinha falhas em mais de quatro itens.

Para quem faz questão de andar seguro, segue uma lista de itens que devem ser inspecionados periodicamente.

Pneus

O segredo é manter a calibragem bem ajustada, pois o pneu precisa estar aderente ao solo para que o condutor tenha toda segurança durante a pilotagem. Não esqueça que ao carregar alguém na garupa é preciso aumentar a pressão do pneu traseiro. Já o dianteiro deve usar em torno de quatro libras a menos, pois o volume cúbico é menor quando comparado ao que vai na traseira.

A calibragem varia de acordo com as medidas do pneu, porém sempre são divulgadas tanto pelo fabricante da moto quanto pelo fornecedor do pneu. É importante ficar atento aos detalhes, pois o pneu esquenta com a rodagem e isso provoca uma dilatação do ar, o que pode aumentar a calibragem em até 6 libras. Assim sendo, tenha em mente que ao calibrar o pneu a pressão vai aumentar e em uma viagem, por exemplo, o pneu pode ficar muito duro, vai perder aderência e isso o condutor vai sentir mais durante as curvas.

Para andar na cidade mantenha a calibragem justa, mas ao ter que trafegar por distâncias maiores, como na estrada, por exemplo, ajuste a calibragem para menos, a fim de compensar o aumento da pressão. Uma dica legal é calibrar com nitrogênio, pois o ponto de dilatação é mais elevado , o que mantém a calibragem mais estável e por mais tempo.

Outra preocupação com os pneus está no momento de fazer a troca. Ao escolher um local para esse serviço confira se a máquina de montagem é mesmo para motos. Esse cuidado é essencial, principalmente para as rodas raiadas. Geralmente os pneus originais agüentam em torno de 10 a 12 mil quilômetros, mas independente da quilometragem é importante ficar atento ao friso na faixa central. Quando perceber que tem falhas, ou seja, está gasto, não bobeie e procure fazer a substituição o quanto antes. Certa instabilidade também pode denunciar o momento da troca, assim o fundamental mesmo é não estender a substituição.

Para escolher o pneu certo, o melhor é manter a versão original de fábrica, mas como existem vários tipos de pneus, o condutor pode optar por uma versão de composto mais duro, que vai durar mais, porém menos eficaz para aqueles pilotos que pretendem andar mais forte, utilizando toda a capacidade do pneu. O composto do tipo mais macio por sua vez vai durar menos, entretanto conta com a melhor aderência e isso se converte em segurança. Para todos os fins, sempre é bom seguir a recomendação do fabricante da moto, mesmo para fazer alterações.

Após a troca lembre-se de que todo pneu vem de fábrica com uma camada de cera bastante escorregadia. Assim, evite forçar as acelerações nas primeiras voltas, principalmente nas curvas.

Corrente

A corrente é responsável por transmitir o torque, ou seja, a força gerada pelo motor às rodas. Contudo, a necessidade da corrente é apenas a lubrificação, que deve ser feita a cada 500 km. A lubrificação da corrente evita o desgaste excessivo e por conseqüência a necessidade de troca de uma relação, composta por pinhão, coroa e corrente, o que não é nada barato. O lubrificante mais recomendado para fazer a lubrificação é óleo do tipo 90, que é bem grosso. Outra opção a ser empregada é a graxa náutica. Sua vantagem é não sair com água.

Freios

Existem dois tipos de freio. Um é modelo a tambor e o outro a disco. A tambor a manutenção é mais simples e mais em conta, porém esse modelo não é tão eficaz quanto o freio a disco. O modelo a tambor sofre mais em condições adversas, como por exemplo, em dia de chuva. Entretanto, se bem regulados funcionam adequadamente. Esse é o cuidado a se tomar. Como ele não se ajusta automaticamente é muito importante sempre manter ajustado a folga do cabo ou do varão de acionamento do freio.

No freio dianteiro é recomendável observar o estado do cabo de acionamento, sempre mantendo a lubrificação. Caso entre água no tambor, as lonas podem acumular sujeira e gerar ruídos durante a frenagem. Isso não é um problema, mas exige atenção e com o tempo a devida manutenção.

No modelo a disco, por ser hidráulico ele se auto-ajusta, mas é preciso conferir sempre o nível de fluido do reservatório, geralmente no guidão. Muitas vezes, quando o nível baixar não será indicio de que o fluido vazou e sim que está na hora de trocar as pastilhas.

Óleo do motor

Dizer para seguir a recomendação do fabricante, não é nada mais que o correto, mas é também o que ninguém presta atenção. O ideal é trocar o óleo do motor da motocicleta a cada 5.000 km, sempre em conjunto com o respectivo filtro. O tipo da composição geralmente é mineral, já que boa parte das fábricas de motos evita o uso de óleos com base sintética. Lembre-se que uma vez que o óleo esteja no motor, independente da quilometragem ele deverá ser substituído em no máximo seis meses.

Motos de baixa cilindrada e baixa rotação o mais recomendado é o óleo do tipo 20W50, uma versão muito utilizada nos carros. Já as motos de maior cilindrada e também de giro mais elevado, o ideal é colocar óleo do tipo 20W40. Apenas para ilustrar, as motos de alta rotação são aquelas que andam em torno de 6 a 15 mil giros, ou seja, RPM (rotações por minuto). Com o óleo do motor de uma moto, aliás, para qualquer motor, é importante manter sempre o controle do nível de óleo, pois só assim é possível manter o correto funcionamento.

Bateria

A parte elétrica de um determinado modelo pode ser mais complexo, dotado de diversos equipamentos, mas independente disso, o que o condutor nunca deve deixar de examinar é a bateria. Ao menos uma vez a cada seis meses o nível da água da bateria deve ser verificado. Alguns indícios podem denunciar a falta de solução na bateria, como por exemplo, quando o farol enfraquece em marcha lenta e fica forte ao acelerar, ou então quando o pisca é acionado e a luz em geral pisca junto. Se isso ocorrer é sinal de a bateria está enfraquecendo e precisa urgentemente de ser completada. Ao deixar a bateria sem solução por muito tempo, de uma hora para outra o condutor pode ficar na mão.

Carenagem e suportes

Se a sua moto tiver carenagem é fundamental fazer um reaperto ao menos a cada dois meses, pois a vibração do motor tende a afrouxar os parafusos. O mesmo cuidado deve ser estendido para os suportes em geral, como por exemplo, um porta-bagagem, painel e acessórios variados.

Crédito para compra de moto para trabalho

O Codefat (Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador) autorizou nesta quarta-feira a abertura de duas linhas de crédito com recursos do fundo.

Segundo o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, a primeira, no valor de R$ 100 milhões, é destinada à compra de motocicletas por pessoas que usam esse tipo de veículo para trabalhar, como os motoboys.

A Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares) aprovou a medida. De acordo com Moacyr Alberto Paes, diretor executivo da entidade, “a linha de crédito é um forte incentivo para a categoria dos motofretistas, pois proporciona melhorias na condição de trabalho dos profissionais do segmento e colabora para a modernização da frota”.

A segunda linha de crédito, no valor de R$ 200 milhões, destina-se à formação de capital de giro em empresas de turismo e será lançada no dia 8 de junho, no Rio de Janeiro, em cerimônia que terá também a presença do ministro do Turismo, Luiz Barretto.

Lupi informou que, para a linha de crédito entrar em vigor, a medida precisa ser publicada no “Diário Oficial da União”. Os recursos estarão disponíveis para os trabalhadores em breve, disse ele.

Condições

Segundo o Ministério do Trabalho, podem ter acesso a linha “FAT-Motofrete” pessoas físicas autorizadas, trabalhadores autônomos inscritos no INSS ou classificados como motociclistas no transporte de pequenos valores.

A linha prevê o financiamento de 100% para motonetas ou motocicletas novas, de até 150 cilindradas, incluído o seguro inicial. O prazo de contratação do crédito pode ser em até 48 meses, com taxa de juros que varia de 6% a 18%.

Segundo o ministro Lupi, o financiamento terá três taxas de juros, de acordo com o prazo: em 24 meses, a taxa efetiva final será de 6% ao ano; em 36 meses, 12% ao ano; e em 48 meses, 18% ao ano.

“Todas essas são taxas máximas. Isso significa que ainda tentaremos junto aos agentes operadores –Caixa e Banco do Brasil– uma diminuição do valor. Essa linha é voltada para trabalhador formal, autônomo e terceirizado”, informou o ministro do Trabalho.

Na linha “FAT-Giro Setorial Turismo”, o financiamento será por taxa de juros efetiva pós-fixada TJLP + (até) 2,8% ao ano ou taxa de juros pré-fixada de até 8,5% ao ano. “Esses valores também são teto, ou seja, pode ser menor, dada a discussão junto a Caixa e Banco do Brasil”, informou o ministério.

Min Trabalho

%d blogueiros gostam disto: