Arquivos da Categoria: CQC

Bolsonaro: Preta Gil vai aciona-lo na justiça

Tá no YouTube:

O Deputado Jair Bolsonaro ao participar do quadro “O povo quer saber” do Programa CQC, respondia a diversas perguntas feitas por anônimos e famosos quando chocou os telespectadores ao dizer que ter um filho gay era algo que nem passava por sua cabeça, pois seus filhos tiveram boa educação e um pai presente. Por isso, segundo ele, “não corria o risco” de ter um filho homossexual.

A cantora Preta Gil perguntou o que ele faria se o filho dele se apaixonasse por uma negra.
Sua resposta na íntegra foi: “Ô preta, eu não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja. Eu não corro esse risco e meus filhos foram muito bem educados e não viveram em ambiente como, lamentavelmente, é o teu”.


Os apresentadores do CQC com intenção de amenizar o calor da fogueira, disseram que preferiam acreditar que o Deputado Bolsonaro não havia entendido a pergunta feita pela cantora Preta Gil e por isso tinha dado tal resposta. ¬¬

Segundos depois, os internautas indignados, explodiam o twitter com mensagens referentes ao bafafá causado por Bolsonaro, fazendo com que a tag “Jair Bolsonaro” fosse parar nos Trending Topics do microblogging.

Alguns minutos depois Preta Gil se manifestou em seu twitter, dizendo:
“Queridos, quando gravei o quadro pro CQC, O Povo quer saber, a produção me pediu que fizesse uma pergunta ao Deputado Jair Bolsonoro…”
“fiz a pergunta, e não vi a resposta dela, mas vocês estão me escrevendo e já já estará no youtube, meu advogado já me ligou e iremos…”
“avaliar o que foi dito, e se me sentir lesada e ofendida irei sim entrar com um processo contra ele, pelo que li, foi grave o que ele falou”
“não farei somente por mim e pela minha familia que foi ofendida e caluniada por ele mas também por todos os Negros e Gays desse País.”
“Racismo é crime!!!! e ele assume que o é!!!!! e conto com o apoio de vocês e na realidade vamos agradecer ao CQC que nos deu a Prova maior!!”
“Advogado acionado, sou uma mulher Negra, forte e irei até o fim contra esse Deputado, Racista, Homofobico, nojento, conto com o apio de vcs”
“vou tentar dormir depois dessa bomba, mas estou feliz com o apoio de vocês, li muitos depoimentos inteligentes e emocionantes#esperanca #fe”
“Fiquem com Deus, estou em Paz, sei muito bem a familia que tenho o orgulho de ser Negra e a Consciência dos meus direitos como cidadã, bjs”

MP desiste da ação de proibir livro de Danilo Gentili

O Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) arquivou o processo que pedia a proibição da venda do livro “Como se tornar o pior aluno da escola”, do humorista e repórter do programa “CQC”, Danilo Gentili. Segundo o MP-SP, o inquérito civil foi aberto por representação anônima, que alegava que a publicação tinha conteúdo inadequado para crianças e adolescentes.

O procedimento havia sido instaurado sob alegação de que o livro de Gentili não poderia ser classificado como literatura infanto-juvenil, e que estimularia a prática de violência entre crianças e adolescentes no ambiente escolar.

A Promotoria chegou a adquirir um exemplar do livro para confirmar as acusações de inadequação do conteúdo, e constatou que a publicação, editada e distribuída pela Editora Panda Books, não era apropriada para menores de 18 anos.

A promotora Dora Martin Strilicherk, em seu parecer, afirmou que a decisão de retirar o livro de circulação poderia ser entendida como uma “suposta tentativa de censura” imposta pelo MP paulista. Dessa forma, a entidade fez um acordo com o representante legal da Panda Books, Marcelo Duarte, que assinou um Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta (TAC) no dia 16 de março deste ano.

Ao assinar o Termo, a editora se comprometeu, em um prazo de 30 dias, a readequar a catalogação do livro de Gentili, que será classificado como Livro para Adultos – Humor, e não mais como infanto-juvenil. Além disso, deverá publicar na capa um selo de advertência: “Leitura inadequada para menores de 18 anos”.

Caso a editora descumpra os termos para adequação do livro, será cobrado multa no valor de R$ 100 mil.

Paula Franco/Portal IMPRENSA

%d blogueiros gostam disto: