Arquivo do dia: abril 23, 2012

Nestlé Compra a Nutrição Infantil da Pfizer‎ por US$ 11,8 bilhões

Com intuito de alavançar sua posição em nutrição infantil, a Nestlé desembolsou US$ 11,85 bilhões pela Pfizer Nutrition, que vai complementar o portfólio atual da companhia. “Seremos capazes de combinar marcas bem conhecidas como SMA e Promil com nossas marcas de sucesso como Nan, Gerber, Lactogen, Nestogen e o cereal infantil Cerelac”, destacou a Nestlé em nota.

“A nutrição infantil é o coração de nossa empresa desde que foi fundada, em 1866. A Pfizer Nutrition é uma combinação estratégica excelente e esta aquisição destaca nosso compromisso de ser a companhia líder mundial em bem-estar, saúde e nutrição”, salientou o executivo-chefe da Nestlé, Paul Bulcke.

Em nota, a Nestlé recordou que 85% das vendas da Pfizer Nutrition se originam em mercados emergentes. Para 2012, a expectativa é de que o negócio gere vendas de US$ 2,4 bilhões. No ano passado, segundo a Pfizer, a operação registrou receitas de US$ 2,1 bilhões.

A transação ainda depende de aprovação das autoridades reguladoras, mas deve estar concluída no primeiro semestre de 2013, notou a Pfizer em comunicado. Nele, a empresa explicou que a venda da atividade de nutrição para a Nestlé é consistente com o plano da Pfizer de gerar maior valor aos acionistas.

Juliana Cardoso | Valor

Igrejas pagam R$ 280 mi por ano a Band

Priscila Fonseca/Comunique-se

 

Com a estreia de mais um programa comandado por Silas Malafaia (foto), da Assembleia de Deus, no próximo mês, o Grupo Bandeirantes baterá o recorde como a rede de TV que mais fatura com religião no Brasil. São mais de R$ 280 milhões por ano com parte da programação vendida para igrejas, informa a Folha.

Segundo informações do jornal, 33 diárias horas (duas emissoras) foram vendidas para três religiosos: Valdemiro Santiago (Mundial) – que arrenda 22 por dia do canal 21 e parte das madrugadas da Band -, R. R. Soares (Internacional da Graça), ocupa o horário nobre – e Malafaia, que voltará às madrugadas do canal 13 de São Paulo.

Ainda de acordo com a Folha, 30% do faturamento bruto da Band tem origem no dinheiro pago pelas instituições religiosas .

Comissão aprova piso salarial de R$ 4,6 mil para enfermeiros

Conforme a proposta, técnicos receberão R$ 3.255, e os auxiliares, R$ 2.325.

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público aprovou na quarta-feira (18 de abril) o Projeto de Lei 4924/09, do deputado Mauro Nazif (PSB-RO), que fixa o piso salarial de enfermeiros em R$ 4.650.

Por sugestão do relator,  deputado Assis Melo (PCdoB-RS), a comissão também acolheu emenda anteriormente aprovadapela Comissão de Seguridade Social e Família, que fixa o salário dos técnicos de enfermagem em 70% do piso (R$ 3.255), em vez dos 50% previstos no projeto original.

O texto aprovado também aumenta o percentual previsto para auxiliares de enfermagem e parteiras. No projeto original eles receberiam 40% do salário do enfermeiro. O texto aprovado fixa um percentual de 50% do piso (R$ 2.325) para essa categoria.

“Sabemos que um piso salarial digno desestimula que os trabalhadores mantenham diversos empregos em detrimento da saúde deles e de seus pacientes. Nossa realidade demonstra que grande parte dos profissionais da saúde se submete a longas jornadas e a múltiplos vínculos contratuais”, disse Assis Melo.

Tramitação
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, ainda será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

Saúde: Mamografia x Câncer na tireoide: Fato ou Mito?

O exame de mamografia tem assustado cada vez mais as mulheres. A preocupação é que alguns especialistas americanos têm relacionado o fato do aumento de câncer na tireoide, com o exame realizado periodicamente em mulheres.

De acordo com a Comissão Nacional de Mamografia do Colégio Brasileiro de Radiologia, a ligação entre a mamografia e o câncer na tireoide não tem base cientifica, pois estudos mostram que o exame não expõe a tireoide a doses consideradas nocivas. Segundo a Comissão, na mamografia moderna há uma exposição insignificante para outros locais sensíveis à radiação que não seja a mama.

O assunto poderia ser encerrado após a afirmação da Comissão Nacional de Mamografia do Colégio Brasileiro de Radiologia. Mas a dúvida que permanece na cabeça de muitas mulheres é: Porque ao se fazer qualquer exame de raios X, até mesmo de um dente, é preciso usar como proteção um avental de chumbo e, para a mamografia pode-se expor o corpo à radiação?

O professor de Mamografia e Controle de Qualidade da Faculdade LS, Edmário Brandão Leite explica, que não se usa avental de chumbo em todo exame de raios X: “Em odontologia usa-se o protetor tiroidiano ou avental de chumbo pela proximidade dos órgãos e pelo número de dentes existentes. Quanto à mamografia, o feixe de radiação é colimado de maneira que só atinge a área de interesse, no caso, a mama”, afirma.

De acordo com o professor, o protetor de tireoide, quando bem colocado não atrapalha o exame, pois o feixe primário de radiação é colimado e o tubo de raios X é instalado no equipamento de maneira que o feixe de radiação passa paralelo a todo tecido da parede toráxica: “O protetor existe para outros tipos de exame, como a radiologia odontológica e a radiologia convencional”, explica Edmário Brandão.

Sendo assim, a relação entre mamografia e câncer na tireoide pode ser considerada um mito, já que o exame não interfere diretamente à tireoide.

Leia mais: Mamografia x Câncer na tireoide: Fato ou Mito? – Artigos – Enfermagem e Saúde

Saúde: parteiras tradicionais indígenas passam por qualificação

Encontro realizado em Roraima faz parte da estratégia da Rede Cegonha e capacitará 30 mulheres para que auxiliem o os cuidados aos recém-nascidos nas aldeias

Trinta parteiras tradicionais indígenas das etnias Makuxi e Wapixana, ambas do estado de Roraima, participam de encontro de qualificação em cuidados com recém-nascido, que será realizado a partir desta segunda-feira (23) até 30 de abril, na comunidade indígena de Tabalascada, na cidade Cantá, município distante 40 quilômetros da capital Boa Vista.  A iniciativa do encontro é da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) do Ministério da Saúde, por meio do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Leste de Roraima, em parceria com Secretaria de Saúde de Roraima. A ação faz parte do programa Rede Cegonha.

O objetivo do encontro é capacitar as parteiras para que auxiliem nos cuidados básicos imediatos aos recém-nascidos nas aldeias e com isso ajudar na redução da mortalidade infantil.  A abertura do curso ocorre nesta segunda, a partir das 9h, e contará com a presença chefe da DSEI Leste de Roraima, Dorotéia Reginalda Moreira Gomes, e do secretário Estadual de Saúde de Roraima, Antônio Leocadio Filho. Durante o evento serão entregues 30 kits com equipamentos básicos de assistência imediata ao recém-nascido. Os kits possuem 35 itens, entre eles, estojo de alumínio com tesoura reta, fita métrica uterina, capa de chuva e balança pediátrica. Os Kits foram fornecidos pela Secretaria de Saúde de Roraima.

A capacitação também faz parte da estratégia da SESAI de promover atenção integral à saúde por meio da integração entre a medicina tradicional indígena com as práticas da medicina ocidental. As parteiras são profissionais importantes na atenção à saúde indígena no que se refere ao auxilio às equipes de saúde no pré-natal e também no parto, principalmente em aldeias de difícil acesso. De acordo com o último levantamento do Distrito, atualmente existem cadastradas no DSEI 78 parteiras, sendo que 95% delas também são Agentes Indígenas de Saúde (AIS).

A metodologia utilizada na qualificação será a participativa baseada na educação popular. Assim, durante o curso, além das orientações sobre as principais doenças e complicações com recém-nascidos e a identificação de casos de gestação de risco, as parteiras irão relatar casos de partos que fizeram e descrever seus conhecimentos tradicionais relacionados à gestação e ao parto: como a concepção cultural de cada etnia sobre a gestação, o uso de ervas medicinais e restrições alimentares durante a gravidez e puerpério (pós-parto). O evento contará com a participação de um consultor do Ministério da Saúde, dois facilitadores do DSEI Leste e duas médicas pediatras.

Sobre o DSEI Leste de Roraima – O Distrito Sanitário Especial Indígena Leste de Roraima é a unidade gestora descentralizada do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena, responsável por organizar e prestar o atendimento básico de saúde aos indígenas que vivem na região leste e norte de Roraima, inclusive nas aldeias na fronteira com a Venezuela e a Guiana. A população atendida pelo Distrito é de cerca de 40 mil índios, de 12 etnias diferentes, com predominância da etnia Makuxi, seguida da Wapixana.

Por Aedê Cadaxa, da Agência Saúde.
(61) 3315-6256

%d blogueiros gostam disto: