Mais antigo carnívoro já encontrado é gaúcho


Animal viveu há mais de 260 milhões de anos no pampa gaúcho Crédito: Vinicius Roratto
Animal viveu há mais de 260 milhões de anos no pampa gaúcho
Crédito: Vinicius Roratto

Uma equipe de paleontólogos apresentou na manhã desta terça-feira, no Museu de Paleontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), uma das maiores descobertas dos últimos anos. Envolto por um tecido e recoberto de cuidados, o crânio de um predador que viveu há mais de 260 milhões de anos no pampa gaúcho, no Período Permiano, o último da Era Paleozoica, foi mostrado por profissionais do Brasil, da Turquia e da África do Sul.

A caixa óssea, com pouco mais de 35 cm com a coloração de uma rocha azul escura, é de um dinocefálio, uma espécie que antecede os mamíferos e os dinossauros, apresentado como o mais antigo carnívoro terrestre encontrado na América do Sul. A nova espécie foi denominada como “Pampaphoneus biccai”.

O nome do gênero significa em grego “matador dos pampas” e o da espécie (biccai) é uma homenagem a José Bicca, o proprietário da fazenda onde ele foi encontrado. A descoberta será publicada na próxima semana na revista Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), considerada uma das mais importantes na área.

A partir de agora, a peça poderá ser vista no Museu, onde irá integrar o acervo junto com outros fósseis encontrados no Estado. Segundo o professor Juan Carlos Cisneros, um dos responsáveis pelo estudo, a confirmação de que seria uma nova espécie ocorreu quando houve uma série de comparações com as informações internacionais sobre o dinocefálio. Assim, se constatou que ele era diferente de todos os outros já identificados.

“Pelas características, ele é muito próximo à espécie que foi encontrada na Rússia. Mas não são iguais, o que consolidou o descobrimento de uma espécie”. Ele lembrou que o fóssil foi encontrado durante uma ação de busca em 2008, em uma fazenda na região dos pampas do Rio Grande do Sul. O local foi indicado como um bom local para haver as investigações por imagens obtidas por satélite.

Durante as atividades de campo, a peça foi encontrada, assim como outros itens significativos. Ele antecipou que a expectativa é ampliar as investigações nesta região do Estado, que é a centro sul. “Essa localidade nunca foi muito explorada. Ocorreram algumas buscas na década de 70 e depois foram suspensas. Por isso, acreditamos que será possível encontrar outros itens”, afirmou ele.

 

Correio do Povo

Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: