Arquivo do dia: julho 15, 2011

Preciosidade histórica: a canção que Chico Buarque cedeu para FHC candidato a prefeito

Da Coluna do Ricardo Setti na VEJA:

Amigos, este vídeo é uma preciosidade histórica — da época em que Chico Buarque, hoje adepto de carteirinha do lulo-petismo, vestiu até literalmente a camisa da campanha do então senador Fernando Henrique Cardoso para prefeito de São Paulo, em 1985, pelo PMDB.

Entre outras manifestações de apoio, o compositor cedeu sua canção “Vai passar” para, com letra do jornalista Aloísio Falcão e interpretação do próprio Chico, ser transformada no jingle “Vai ganhar” (“Vai ganhar/ Fernando Henrique/o voto popular…”)

A candidatura sem chance de vitória de Eduardo Suplicy, pelo PT, subtraiu votos que FHC certamente teria contra o ex-presidente Jânio Quadros, que venceu por uma margem de 100 mil votos.

Confira, que é muito interessante:

ZH prevê espaço de foto em página, mas deixa de publicar a pedido de leitores

Tá no ColetivaNet:

Zero Hora prevê espaço de foto em página, mas deixa de publicar imagem alegando manifestações contrárias de leitores

Zero Hora deu chamada de capa para matéria sobre a ação de vândalos contra os novos contêineres da coleta de lixo em Porto Alegre. O tema mereceu ainda artigo na seção de editoriais e uma página para a publicação de reportagem. Certamente, trata-se de um assunto de interesse da população da Capital, principalmente. O curioso, no entanto, é que, apesar do destaque dado ao ocorrido – sem contar a cobertura em outros veículos do Grupo RBS –, o jornal decidiu não publicar imagens dos equipamentos destruídos.

A alegação seriam manifestações contrárias de leitores à publicação de imagens. No entender daqueles, a exibição das fotos iria estimular outros atos de depredação – um argumento comum entre leigos, mas capaz de ser rechaçado com facilidade por qualquer estudante de Comunicação. Não bastasse seguir a orientação pela não informação, editores de Zero Hora também optaram por reservar espaço para imagem na página, mas deixando em branco a área delimitada

Ladrão morre com tiro acionando por ratoeira

 

Ladrão que invadiu casa morre com tiro no peito ao acionar armadilha. Foto: TV Globo

 

Cansado de ter a casa invadida pelo mesmo bandido, na cidade de Formosa, em Goiás, a 70 quilômetros do Distrito Federal, José Geraldo Souza, de 32 anos, montou uma armadilha para o assaltante. Ele usou fios, uma ratoeira, um cano, pólvora e munição utilizada em espingarda e armou o ‘artefato’ sobre a mesa da cozinha. Quando o criminoso, identificado como Jeferson Evangelista, de 32 anos, invadiu a residência na última quarta-feira, pela porta da cozinha, a armadilha disparou, ele levou um tiro no peito e morreu na hora.

Souza foi indiciado por homicídio doloso. Ele pagou fiança, responderá ao processo em liberdade, mas pode pegar até 30 anos de prisão, caso seja condenado.

– Ele exagerou.Quando o bandido invadiu a casa, a ratoeira desarmou e fez os cartuchos dispararem no peito do ladrão – disse a delegada Renata Machado.

José Geraldo alegou que costuma viajar frequentemente e sua casa já tinha sido invadida pelo menos nove vezes.

Um vizinho de José Geraldo viu o ladrão chegando de bicicleta, ligou para o dono da casa, que pediu que ele chamasse a polícia.

– Quando os policiais chegaram, o bandido já estava morto com um tiro no peito – contou o mecânico Júlio Pereira.

Advogados dizem que o dono da casa pode alegar legítima defesa.

– Mas ele sabia que a arma era letal – diz a delegada.

José Geraldo também foi indiciado por porte ilegal de arma.

%d blogueiros gostam disto: