Ex-dono da Mesbla e Mappin condenado a 11 anos de prisão


Mais de dez anos depois da quebra de seus negócios, o empresário Ricardo Mansur (ex-Mesbla e Mappin) foi condenado a 11 anos e meio de prisão por gestão fraudulenta no MPP (Mappin Previdência Privada) e no Banco Crefisul. Outros dois ex-diretores, Herald Paes Leme e Realsi Roberto Citadella, receberam sentença de quatro anos de prisão. A condenação é em primeira instância.

O juiz da 6ª Vara Criminal de São Paulo, Marcelo Costenaro Cavali, concedeu aos réus o direito de apelar em liberdade.

“As consequências do crime foram gravíssimas, especialmente danosas ao Sistema Financeiro Nacional”, diz a sentença.

Pela fraude no processo do MPP, Mansur pegou 6 anos de prisão e mais 5 anos e meio no caso do Crefisul. Os crimes ocorreram entre meados de 1998 e 1999.

Está muito clara a imputação de que o acusado (Mansur) era, na qualidade de administrador de fato de quase todas as empresas do grupo, o responsável pela determinação de todas as operações”, afirmou o juiz Cavali, na sentença.

“Na véspera da liquidação extrajudicial da instituição financeira [Banco Crefisul], o acusado [Mansur] teria realizado saque a descoberto no valor de R$ 10 milhões”, diz outro trecho da sentença. Àquela época o banco já devia mais de R$ 120 milhões só para o Banco Central.

O advogado de defesa de Mansur, Marcelo Rocha Leal Gomes de Sá, afirma que ele não comandou as ações apontadas pela Justiça.

“A condenação foi uma surpresa para nós. Como administrador de vários negócios, ele não teve participação nessas operações. Não há nem sequer uma assinatura dele nos documentos”, disse Gomes de Sá.

O processo também aponta vários saques injustificados, entre eles, um no valor de R$ 2 milhões do fundo de pensão dos funcionários do Mappin, em janeiro de 1999. Uma semana mais tarde, o dinheiro retornou à conta do MPP, sem remuneração.

O MPP ainda acabou tendo de pagar R$ 4 mil de ICMS.

RETORNO

Atualmente, Mansur vive em Indaiatuba, no interior paulista, depois de uma temporada em Ribeirão Preto. Em Ribeirão Preto, Mansur manteve intacto seu padrão de vida, frenquentando os dois principais clubes da cidade e participando de festas.

“Hoje é uma pessoa de classe média, que vive graças à prestação de seus serviços de consultoria”, diz Gomes de Sá.

Mansur voltou ao mundo dos negócios no ano passado, com a compra de uma participação acionária na Usina e Destilaria Galo Bravo, em Ribeirão Preto, além da Faculdade Batista de Vitória (Fabavi), no Espírito Santo.

No caso da faculdade, o negócio teria sido desfeito pela falta de pagamentos das prestações. Por responder na justiça por crimes, Mansur não pode ser dono de nenhuma empresa. Seu advogado nega que ele tenha se envolvido nesses negócios.

PENDÊNCIAS

A massa falida dos ex-funcionários do Mappin e da Mesbla deve receber um reforço com a venda de uma propriedade de R$ 35 milhões, que Mansur tentou passar para um terceiro. Mansur alegava ter vendido o casarão, antes da falência de suas empresas, por US$ 1 milhão. A Justiça rejeitou as alegações e classificou o preço informado por Mansur como “vil”.

Vários fornecedores, como a Gradiente e Multibrás; investidores, como a Fundação Cesp; e instituições financeiras, como o Bradesco e a GE Capital, esperam para receber de Mansur. Anos atrás, suas dívidas eram estimadas em R$ 3 bilhões.

Comente ou deixe um trackback: URL do Trackback.

Comentários

  • Maria Luiza Moreira Noleto  On março 15, 2018 at pm:11 pm

    Trabalhei nas lojas Mappin na década de 80, perdi minha profissional com meus registros. Gostaria de saber como localizar meu registro para efeito de aposentadoria..ja procurei a caixa econômica em outro estado mas não consegui

  • Hamako Hiratsuka Veiga  On junho 13, 2017 at am:11 am

    Não recebi o FGTS quando me aposentei, tentei agora receber o FGTS, mas também não recebi.Fui funcionária da Mesbla em Santo André SP. Como faço pra receber???

  • Adilson  On maio 15, 2017 at pm:03 pm

    Boa tarde, gostaria de saber quando vai serem pagas as idenizações trabalhistas de quem trabalhou na loja Mesbla de departamentos s/a de Maceió/Al.

  • Josias santana  On novembro 1, 2016 at am:13 am

    Este ladrão E meliante deve morfar na cadeia pois roubou o dinheiro de grandes e pequenos inclusive paguei no início dos anos 90 16 parcela de uma moto no consórcio mesbla e com a decretação de falência fiquei no prejuízo!

  • Nilson r. Ribeiro  On abril 19, 2016 at pm:20 pm

    uma noticia boa tomare que volte mesmo

  • Fernanda  On novembro 15, 2013 at am:06 am

    Até agora não vimos a cor do dinheiro! Sou filha de um ex trabalhador da ?Mesbla e cheiro da indenização que é bom: NADA!

  • maciel tavares  On junho 11, 2013 at pm:23 pm

    sou ex funcionario gostaria de saber como estão sendo feito os pagamentos ?

  • adriana tavares  On junho 11, 2013 at pm:17 pm

    gostaria de saber se os funciorário mappin tem direito a receber alguma endenisação ??????

  • cirlei de oliveira  On maio 27, 2013 at pm:30 pm

    Gostaria de saber quando vou receber, sou ex funcionária da mesbla.

  • leslie valverde  On setembro 27, 2012 at pm:23 pm

    atualmente onde localiza-se a massa falida da mesbla ?

  • Leslie Alen Valverde de Moraes  On agosto 11, 2012 at am:28 am

    sou ex funcionária da mesbla da barra da tijuca rj,quero saber se já estão fazendo o pagamento da indenização aos ex-funcinários. porfavor preciso dessa informação.

    • Maria Luiza Moreira Noleto  On março 15, 2018 at pm:05 pm

      Trabalhei nas lojas Mappin aproximadamente três anos, sai em 1984 , vou dar entrada na aposentadoria, perdi a carteira profissional que usava na época, como faço para localizar meu registro na empresa, já tentei pela caixa econômica mas não consegui./??

  • ADEVALDO DA SILVA ARAUJO  On março 16, 2012 at pm:34 pm

    SOU EX FUNCIONÁRIO DAS LOJAS MAPPIN ,GOSTARIA DE SABER SE AINDA TENHO DIREITOS TRABALHISTAS Á RECEBER?

  • Mércia  On janeiro 24, 2012 at pm:49 pm

    Estou sabendo que os ex – funcionários da Mesbla, começaram a receber suas indenizações, gostaria de confirmar quando iniciará este repasse de verbas mais do que merecidos dos ex – funcionários.

  • eliana oreques peres  On janeiro 11, 2012 at pm:07 pm

    sou ex funcionária da mebla de Pelotas rs, coloquei a mesbla na justiça porem meu advogado diz que meus créditos foi creditado nas massas falidas do Rio de janeiro, como ter a certeza que ele esta falando a verdade????

  • Ednaldo Oliveira  On janeiro 9, 2012 at am:02 am

    E os pagamentos dos ex funcionarios como estão?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: