Arquivo do dia: fevereiro 28, 2011

Morre Jane Russell, estrela de Hollywood

A atriz Jane Russell, que estrelou o filme “Os homens preferem as loiras” (1953), de Howard Hawks, e se tornou um controverso símbolo sexual de Hollywood, morreu na Califórnia aos 89 anos, informou o jornal Los Angeles Times nesta segunda-feira (28).

Russell morreu de problemas respiratórios em sua casa em Santa Maria, no centro da Califórnia, de acordo com Etta Waterfield, sua nora.

Depois de dividir a cena com Marylin Monroe no clássico “Os homens preferem as loiras”, a atriz estrelou o filme que foi uma resposta: “Gentlemen marry brunettes” (“cavalheiros se casam com morenas”), de Richard Sale.

A atriz também fez parte do elenco de outros filmes como “De tanga e sarong” (1952), “Seu tipo de mulher” (1951) e “O proscrito” (1943).

Biografia:

Foi descoberta por Howard Hughes quando trabalhava como recepcionista em um consultório dentário.

Protagonizou Os Homens Preferem as Loiras, junto com Marilyn Monroe.

Jane casou três vezes e adotou três filhos. Seu primeiro marido era o namorado do colégio. Também fundou uma instituição para encaminhar crianças à a doção, o WAIF (World Adoption International Fund).

Em homenagem aos seis da atriz, dois montes foram batizados de Jane Russell’s Peaks, no Alasca.

Parentes de presos poderão perder o auxílio-reclusão

O deputado federal Fernando Francischini apresentará um projeto de lei para proibir a concessão do auxílio-reclusão para parentes de presos condenados por crimes hediondos como estupro, homicídio e tráfico de drogas.

Para Francischini, delegado licenciado da Polícia Federal (PF), não faz sentido o governo federal premiar a família de um criminoso e deixar familiares das vítimas sem nenhuma proteção social ou financeira. “Acho um absurdo que a família de um pai morto pelo tráfico, por exemplo, fique desamparada enquanto a família do preso que cometeu o crime receba um auxílio previdenciário de R$ 590,00, maior até que o salário mínimo aprovado pelo Congresso”, disse Francischini.

Ele defende que pessoas condenadas por crimes graves devem sustentar os dependentes com o trabalho nas cadeias. “A ideia passa pela criação de novos presídios por meio de Parcerias Público-Privadas (PPPs), que oferece ao preso que cometeu crimes hediondos uma oportunidade de trabalho para que receba um salário para sustentar sua família”, afirmou o deputado em entrevista à Banda B.

Segundo informou Francischini, só em 2011 serão gastos mais de R$ 200 milhões do orçamento para dependentes de presos que cometeram crimes hediondos.

Blog Banda B/Fabio Campana

Ouça: Rádio Senado vaza obituário de José Sarney

Com 81 anos, José Sarney (PMDB-AP) disse fazer um “sacrifício” no ínicio do mês ao assumir pela quarta vez o comando da Casa. Com a saúde debilitada, ele ficou metade do mês de outubro de 2010 internado em hospitais do Maranhão e de São Paulo após sofrer uma arritmia cardíaca. Na Casa, porém, parece haver setores preparados para um eventual falecimento do presidente. A Rádio Senado, inclusive, já tem pronto um obituário para colocar no ar caso o fato venha a acontecer.

Ouça na íntegra clicando aqui Necrológico?

A Secretaria, porém, não soube explicar por que os verbos do material obtido pelo Radar Político estão todos no pretérito. “Além de uma extensa vida política, Sarney se destacou nas artes. Ele era membro da Academia Brasileira de Letras desde 1980″, diz um trecho. A justificativa oficial é que pode ter havido “erro verbal”.

O material mistura entrevistas e discursos de Sarney com falas de outras personalidades políticas, como Tancredo Neves, já falecido. A gravação começa com a afirmação de que “o ponto mais alto da carreira de Sarney foi a Presidência da República”, mas antes destaca a trajetória do maranhense até chegar a este posto.

Em trecho de entrevista, Sarney afirma que o regime militar aconteceu por que “todo o país sentia que estava à beira de uma desordem coletiva”. Seu papel no regime ocupa a primeira parte do obituário, com destaque para sua primeira reeleição para o Senado em 1978. O narrador destaca que ele teve “o maior percentual de votos naquela eleição em todo o país”.

O período de Sarney na presidência da República é destacado, principalmente, com a convocação da Assembleia Constituinte. A reportagem lembra também da hiperinflação. “O lado ruim do governo Sarney foi a grave crise econômica que atingiu o pais”, diz o narrador, que lista todos os planos econômicos fracassados daquela época.

A matéria destaca que na primeira vez que presidiu o Senado, entre1995 e 1997, Sarney criou o sistema de comunicação da Casa e menciona que um plano estratégico feito em 2010 decidiu pela ampliação.

A crise do Senado, que explodiu na terceira administração do peemedebista a frente da Casa, também é lembrada na reportagem. A gravação coloca como problemas administrativos o excesso de diretores, o pagamento de horas extras no recesso e os atos secretos. O enfoque, porém, é de destacar “40 medidas” que foram tomadas pela administração Sarney para melhorar a estrutura da Casa e que Sarney foi absolvido pelo Conselho de Ética das acusações feitas contra ele. O tema é encerrado com uma afirmação dele do fim de 2009 dando a crise por encerrada. Não há qualquer menção à reforma administrativa prometida por ele e que até hoje não foi aprovada.

O material fala ainda da defesa de Sarney do Mercosul, de suas atividades literárias e de suas colaborações com veículos de imprensa. Todos os termos são usados no pretérito, apesar de ele ainda executar algumas dessas atividades.

Eduardo Bresciani/Estadão

A voz do Creed em Porto Alegre


A voz do Creed em Porto Alegre

Mais um artista confirma sua vinda à Capital gaúcha: Scott Stapp, a voz da banda Creed. O cantor, que faz show por aqui no dia 15 de junho, às 21h, no Teatro do Bourbon Country, vem ao país pela primeira vez para cantar os grandes sucessos do grupo como ‘My Sacrifice’, ‘With Arms Wide Open’, ‘Higher’, ‘One Last Breath’ e ‘One’, e também canções do seu trabalho solo, ‘The Great Divide’.
O público em geral vai ter acesso aos ingressos a partir de 21 de março, nos mesmos canais de venda. Antes de passar pela Capital gaúcha, o cantor também se apresenta em Belo Horizonte (09/06), no Rio de Janeiro (11/06) e em São Paulo (12/06). A realização é da T4F e Hits Entretenimento.
Scott Stapp
À frente da Creed, Stapp já vendeu mais de 35 milhões de álbuns e recebeu diversos prêmios. O disco da banda ‘Human Clay’ chegou ao primeiro lugar das paradas da Billboard. Em 2001, a canção ‘With Arms Wide Open’ ganhou o prêmio Grammy na categoria “Melhor Canção de Rock” e, posteriormente, acabou dando o nome da fundação beneficente de Scott Stapp, a ‘With Arms Wide Open Foundation’.
A organização tem o intuito de proteger a vida e o bem-estar de crianças e desde sua criação, já doou mais de um milhão de dólares em prol de crianças carentes ao redor do mundo. E em 2005, quando lançou o primeiro álbum solo, ‘The Great Divide’, recebeu disco de platina certificado pela RIAA (Recording Industry Association of America).

Remédios anti-HIV são roubados para fabricar droga altamente viciante

Usuário de whoonga (Foto: BBC)Mistura de antirretroviral, detergente e veneno de rato é altamente viciante 

Um novo coquetel que mistura medicamentos anti-Aids com detergente e veneno de rato está ameaçando a saúde de portadores do vírus HIV na comunidade sul-africana de Umlazi, na província de KwaZulu-Natal.

Pacientes cujas vidas dependem do antirretroviral Stocrin para conter o avanço do vírus se tornaram vítimas frequentes de gangues de ladrões que procuram matérias-primas para a fabricação da chamada “whoonga”, uma droga recreacional.

A mistura de substâncias químicas, altamente tóxica e viciante, tem como um dos ingredientes as pílulas antirretrovirais, que são misturados a outras substâncias e adicionadas a cigarros de maconha.

Os traficantes crêem que a droga anti-HIV potencializa os efeitos alucinógenos da marijuana – embora não haja provas científicas de tal efeito.

“Por um lado, estamos em uma batalha para permanecer vivos. Agora, temos de nos cuidar contra vândalos que querem roubar a nossa única chance de vida – porque é isso que eles estão levando quando roubam o nosso medicamento”, resume Phumzile Sibiya, que toma o antirretroviral há seis meses.

Por causa do risco de roubos, em vez de levar os medicamentos para casa, ela agora visita a clínica em grupo para tomar a pílula.

O chefe de polícia da África do Sul, Bheki Cele, descreveu o coquetel como “um grande problema nacional” e disse que a sua contribuição para os números do crime está sendo investigada pela força de elite sul-africana, os Hawks.

Crise de abstinência

A clínica de Ithembalabantu é o maior ponto de distribuição de drogas anti-Aids nesta parte de KwaZulu-Natal, a província com o maior número de infecções por HIV no país.

Comparada a outras drogas, a whoonga é barata: um tablete custa apenas 20 rands (cerca de R$ 5).Mas os viciados na mistura precisam de várias doses por dia, segundo Vukani Mahlase, que conseguiu abandonar o vício, e que passou o último ano preso por roubo.

Entre outros riscos da whoonga apontados pelos médicos estão hemorragias internas, úlceras de estômago e, em alguns casos, até a morte.Vida nova

Até 2008, o tratamento de HIV/Aids na África do Sul com antirretrovirais enfrentava limitações por causa do alto custo das drogas.

Estima-se que em 2007 as mortes por Aids na África do Sul alcançaram 350 mil. O país tem 1,4 milhão de órfãos da Aids.

O presidente sul-africano, Jacob Zuma, eleito há dois anos, prometeu aumentar a distribuição dos medicamentos. Mas o governo precisa garantir que os medicamentos acabem nas mãos certas.

BBC/UK

Sthefany receberá pensão de R$ 50 mil de Pato

Sthefany Brito receberá pensão de R$ 50 mil (Divulgação

Sthefany Brito receberá pensão de R$ 50 mil

Ela conseguiu! Nesta segunda-feira (28), aconteceu a audiência para estabelecer o valor da pensão que o jogador de futebol Alexandre Pato irá pagar a sua ex-mulher Sthefany Brito.

De acordo com a 1ª Vara da Família da Barra da Tijuca, do Rio de Janeiro, a atriz deverá receber R$ 50 mil por mês até 2012. A decisão foi tomada pela juíza Maria Cristina Brito Lima e começará a valer a partir de março deste ano.

No documento publicado dizia que “considerando, em síntese, ter a Ré interrompido a sua carreira profissional por exigência do Autor ao com ela se casar por aproximadamente dois anos, julgo parcialmente procedente o pedido autoral, para o fim de fixar em favor da Ré alimentos no valor de R$ 50 mil”.

%d blogueiros gostam disto: