AIDS: diminui risco de homens infectados


Em uma descoberta com potencial para alterar as estratégias mundiais de prevenção do HIV, o estudo iPrEx foi publicado hoje na revista New England Journal of Medicine, mostrando que homens que fazem sexo com homens reduziram em 43,8% as chances de se infectarem ao tomarem um comprimido por dia, contendo os medicamentos antiaids entricitabina e tenofovir (FTC/TDF).

Trata-se da primeira evidência de que este método de prevenção, chamado de profilaxia pré-exposição (PrEP), reduz o risco de infecção pelo HIV em humanos.

Um total de 2.499 pessoas participaram do estudo realizado em três centros no Brasil (Faculdade de Medicina da USP, Fundação Oswaldo Cruz e Universidade Federal do Rio de Janeiro), e em outros oito centros de pesquisa nos Estados Unidos, Tailândia, África do Sul, Peru e Equador.

Todos os participantes receberam um pacote abrangente de serviços de prevenção planejado para reduzir o risco de infecção ao longo do estudo, incluindo o teste de HIV, aconselhamento intensivo para sexo mais seguro, preservativos e tratamento para doenças sexualmente transmissíveis. Metade dos participantes do estudo também recebeu a pílula da PrEP, enquanto a outra metade recebeu placebo.

Ao todo, 64 infecções pelo HIV foram registradas entre os 1.248 participantes do estudo que receberam uma pílula de placebo, enquanto 36 infecções pelo HIV foram registradas entre os 1.251 participantes que receberam a droga em estudo.

A redução média no risco de infecção pelo HIV inclui todos os participantes do estudo – mesmo aqueles que não tomaram a pílula diariamente de forma consistente.

O iPrEx comprovou que a profilaxia pré-exposição era mais protetora entre aqueles que relataram tomar o comprimido regularmente. Entre os participantes que usaram o comprimido em 50% ou mais dias – medido pela contagem de comprimidos, de frascos e auto-relatos – o risco de infecção pelo HIV caiu em 50,2%. Entre aqueles que usaram a pílula em 90% ou mais dias, conforme determinado pelas mesmas medições, o comprimido reduziu o risco de infecção em 72,8%.

“Este estudo prova que a PrEP fornece proteção adicional importante contra o HIV quando oferecido com outros métodos de prevenção, tais como testes de detecção do vírus, aconselhamento, uso de preservativos e tratamento das infecções sexualmente transmissíveis”, disse o Presidente do Protocolo iPrEx, Dr. Robert Grant. “Como acontece com outros métodos de prevenção, a maior proteção vem com o uso consistente. Espero que esta descoberta suscite um renovado compromisso das comunidades, indústria e governo para impedir a propagação do HIV”, finalizou.

Redação Agência de Notícias da Aids

Dicas de entrevista:
Faculdade de Medicina da USP Tels.: (0XX11) 5574-5071/5081/5258
Praça Onze –Universidade Federal do Rio de Janeiro Tel.: (0XX21)-2273-9073

Comente ou deixe um trackback: URL do Trackback.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: