Arquivo do dia: julho 20, 2010

U2 o maior faturamento em um ano

A banda U2 foi a que mais faturou nos últimos 12 meses, segundo pesquisa da revista “Forbes”. Os irlandeses faturaram US$ 130 milhões. Apenas em ingressos para turnê, o grupo arrecadou US$ 10 milhões. O AC/CD ficou em segundo lugar com US$ 114 milhões com turnê do disco “Black ice”. Beyoncé ficou em terceiro lugar com US$ 87 milhões.

Bruce Springsteen e Britney Spears completam os cinco primeiros. Já Lady Gaga ficou em sétimo, faturando US$ 62 milhões, à frente de Madonna.

A turnê mundial da banda irlandesa U2 foi interrompida por causa da queda que provocou uma lesão nas costas do vocalista Bono durante um ensaio. Mas os fãs podem ir se divertindo com a edição em DVD do show gravado em outubro passado, no Estádio Rose Bowl, em Pasadena, na Califórnia (EUA). Tudo que se espera do U2 está resumido ali: um quarteto afiado, com ótima presença de palco, um repertório bem amarrado, a plateia afinada e com as letras das canções na ponta da língua e surpreendentes efeitos especiais, principalmente no telão ao fundo. Melhor que o vídeo só mesmo estando lá, ao vivo.

Facebook: mortos preocupam

Conforme atinge a maturidade, o Facebook vê crescer um novo problema: como lidar com antigos usuários do sistema que faleceram. Conforme o perfil dos frequentadores envelhece – nos EUA, o maior número de cadastros novos é de pessoas com mais de 65 anos de idade – o problema se torna ainda mais frequente. O problema também afeta os mais jovens, e conforme o tempo passa, muitos destes participantes morrem e seus cadastros continuam.

A queixa mais comum é a de que os “perfis fantasmas” continuam sendo apresentados pelo Facebook como sugestões para “novas amziades”, inclusive para a família e amigos próximos, trazendo à tona lembranças incômodas e dolorosas. É comum o sistema convidar um usuário a reativar o contato com alguém, porém esta pessoa já está morta. Ou ainda, o falecido é sugerido como contato para novos cadastros.

A porta-voz do site, Meredith Chin, disse ao jornal The New York Times que empresa está ciente do problema, mas que a delicadeza do tema dificulta o trabalho. “Nós não podemos errar. Precisamos fazer direitinho”, diz ela, pois o cancelamento do cadastro de uma pessoa que não morreu seria igualmente grave.

Atualmente, o site retira um cadastro do ar se algum amigo ou parente envia documentos comprovando o óbito, mas o recurso é pouco conhecido e imensamente burocrático. Além disso, ele é susceptível a trotes: um amigo pode “matar” o outro no Facebook, à guisa de piada prática.

Aylons Hazzud, Geek

Morrre filho de Cissa Guimarães

Nota atualizada em 23/07/2010

Clic aqui: PMs pediram 10 mil reais para liberar atropelador
…………

O filho mais novo da atriz e apresentadora da Rede Globo, Cissa Guimarães, faleceu nesta terça-feira (20), depois de ser atropelado em um túnel no Rio de Janeiro. O jovem Rafael Mascarenhas ( na foto com ela) estava andando de skate no Túnel Acústico, que estava interditado, quando foi atropelado por volta das 1h50.

O veículo, porém, estaria trafegando por uma área permitida onde é possível fazer um retorno. Policiais do 15º DP estão à procura do motorista, que fugiu do local.

Rafael foi encaminhado pelos bombeiros ao Hospital Miguel Couto, onde teria chegado com vida. Ele ainda teria sido submetido a uma cirurgia, mas não resistiu aos ferimentos.

Rafael era estudante e o mais novo dos três filhos da atriz. Ele era fruto de seu relacionamento com o cantor Raul Mascarenhas.

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio confirmou a informação e falou que ele foi socorrido ao Hospital Miguel Couto. O filho de Cissa Guimarães foi socorrido pelos bombeiros com traumatismos na cabeça, no tórax, braços e pernas.

O motorista que teria atropelado Rafael Mascarenhas não foi identificado e nem prestou socorro à vítima. Além disso, a polícia informou que dois carros estavam no local na hora do atropelamento.

Mais autonomia para Universidades Federais

Presidente Lula assinou decretos que dão mais liberdade para as instituições gerirem seus recursos, realizarem concursos e contratarem fundações

As Universidades federais ganharam mais liberdade para gerir seus recursos e seu pessoal. A antiga reivindicação da autonomia administrativa e orçamentária, debatida por mais de um ano com o Ministério da Educação, veio sob o formato de três decretos e uma medida provisória, assinados ontem pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Um dos decretos altera dispositivos referentes à gestão financeira e orçamentária das universidades federais. Com o novo instrumento, é possível transferir recursos não empenhados de um ano fiscal para o seguinte. A medida evita a penalização de instituições que, por várias razões, não conseguem utilizar todo o orçamento em um mesmo ano e, por isso, acabam perdendo a chance de usá-lo.

O texto permite ainda que o Poder Executivo abra créditos suplementares para universidades e seus hospitais.

“A universidade passa agora a contar com um completa autonomia de gestão do seu orçamento”, afirmou o ministro da Educação, Fernando Haddad. “Do ponto de vista financeiro e orçamentário, as instituições ganham para as despesas de custeio e investimento uma liberdade que não tinham”, completou.

Com outro decreto, as universidades ficam autorizadas para concursos fazer concursos de contratação de servidores sem prévia consulta ao Ministério do Planejamento. A contratação, porém, tem de respeitar os limites orçamentários e pode ser aplicada apenas para preencher cargos abertos por exonerações, aposentadorias e mortes.

Medida semelhante havia sido adotada para a contratação de professores. “Não fica mais ao arbítrio dos ministros da Educação e do Planejamento a autorização de concursos públicos para reposição de pessoal que de alguma maneira deixa de pertencer ao pessoal ativo das instituições”, afirmou Haddad.

O terceiro decreto regulamenta a assistência estudantil, um programa cujo orçamento atual é de R$ 300 milhões, destinados ao pagamento de bolsas e transporte. Com o novo texto, o programa passa a ser considerado como política de Estado.

A medida provisória visa a tornar mais transparente a relação entre universidades e fundações de apoio à pesquisa. Ela permite que universidades contratem as fundações para financiar obras de infraestrutura para laboratório, por exemplo.

“O avanço feito por esses decretos é muito significativo”, afirmou o ministro. “É o início de uma história”, completou.

Durante a cerimônia de assinatura, o presidente Lula procurou enfatizar sua proximidade com setores organizados da sociedade e sua disposição de negociar. Segundo ele, o governo “aprendeu a ouvir”. “É um paradigma que ficou para quem assumir a presidência a partir de 1.º de janeiro. Fizemos oito reuniões com os reitores, com todas as pessoas das escolas técnicas brasileiras, com todos os segmentos organizados da sociedade”, disse o presidente.

Predileto vende 50% de seu negócio para Glencore

Dois anos após vender a Pena Branca para a Marfrig, o grupo Predileto Alimentos, que já esteve entre os maiores produtores de frango do país, mas agora atua apenas na moagem de trigo, acaba de vender 50% de seu negócio para a trading de commodities agrícolas suíça Glencore. O valor exato do aporte só será definido após o fim da due diligence, a ser concluída em 120 dias. Mas, segundo o diretor da Predileto, Antenor de Barros Leal, a Glencore levará metade das ações por cerca de R$ 180 milhões.

A negociação começou no início deste ano, segundo Leal, e se fez necessária porque, embora a empresa tenha se capitalizado com a venda de seus negócios em frango – só com a Pena Branca foram US$ 53 milhões -, o recurso não foi suficiente para fazer frente aos planos de expansão em processamento do cereal. “Estávamos buscando um sócio estratégico para recuperar nossa capacidade de alavancagem e cumprir nosso plano de ser consolidadora em trigo. Esse aporte nos trará equilíbrio financeiro para continuar os investimentos”.

Fontes do mercado afirmaram ao Valor que a Predileto estava altamente endividada e com necessidade de capital de giro. A empresa teria créditos a receber do governo, referente às operações de PEP (Prêmio de Escoamento da Produção) de trigo e recursos represados com a quebra do Banco Santos. Teria ainda passivos trabalhistas, segundo essas fontes.

Nos últimos cinco anos, a Predileto, que tem como sua principal empresa o Moinho Cruzeiro do Sul, investiu cerca de R$ 80 milhões em um plano para atingir até 2011 a capacidade de processamento de 1 milhão de toneladas de trigo por ano, ante as 700 mil toneladas atuais. A capacidade de moagem da unidade de Belém (PA), de 350 toneladas diárias, está sendo ampliada para 600 toneladas, e ainda há expansões em andamento nas plantas de Recife, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro.

A Predileto encerrou 2009 com lucro líquido de R$ 26,8 milhões, revertendo prejuízo de R$ 24,9 milhões do ano anterior. A dívida líquida da companhia, na casa dos R$ 168 milhões, equivaleu, em 2009, a seis vezes sua geração de caixa (lajida – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) que foi de R$ 28 milhões.

A parceria entre a Glencore e o Predileto já é antiga. Controlador do Moinho Cruzeiro do Sul, com cinco unidades próprias em Belém (PA), São Luís (MA), Recife (PE), Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, a empresa tem duas unidades arrendadas – uma em São Paulo e outra em Mato Grosso, que pertencem à Glencore .


Fabiana Batista e Mônica Scaramuzzo/Valor

%d blogueiros gostam disto: