Arquivo do dia: abril 24, 2010

Balneário Camboriú: fotos no Orkut localizam assassino de jornalista

Mensagens postadas no MSN (sistema de bate-papo virtual) e fotos salvas no seu computador ajudaram a polícia a prender Dyego Calton Gonçalves (foto), de 23 anos filho do ex-vereador Sidnei Gonçalves e atual diretor da Cosip, em Balneário Camboriú, no Litoral Norte de Santa Catarina.

Ele é apontado, junto com Anderson Edson da Cruz, 23, e Adílio Ferreira, gaúcho de 35, como autor do assassinato da jornalista Pamela Cristiane Mittmann, de 26 anos, em 24 de janeiro deste ano.
Segundo o delegado – Os três têm passagens por roubos, sequestros e latrocínios (roubo seguido de morte). Eles são investigados pela participação em uma quadrilha que atua no Estado – explica o delegado André de Oliveira Filho.
Dyego Calton Gonçalves ( vulgo Cabeça) desenhou a cabeça de uma mulher levando um tiro de um homem ( foto ao lado) . Ele não poupou detalhes no MSN. Desenhou o local atingido pelo projétil e o sangue. Depois, salvou a conversa no computador.

A Polícia Civil de Balneário Camboriú juntou esse material a recortes de jornais e fotos dele com armas e dinheiro também arquivadas no computador do Dyego Calton.

O delegado André de Oliveira Filho, da Central de Investigações Policiais de Balneário Camboriú, explica que a participação em um sequestro e assalto em dezembro passado também colaborou para as prisões.

Na ocasião, conforme o delegado, Dyego Calton foi visto pelas câmeras de segurança de um banco sacando dinheiro da vítima em um caixa eletrônico.

— Identificamos a participação dele nesse crime. As investigações e o retrato-falado do Dyego, após o assassinato da Pamela, ligaram um crime ao outro. A partir daí que chegamos também ao Anderson e ao Adílio — relata. Os dois também residiam no Jardim Iate Clube.

Dyego Calton sendo encaminhado a delegacia

Gonçalves e Cruz foram presos há dez dias e estão no Presídio Regional de Balneário Camboriú. Os dois foram reconhecidos pela mãe e o marido de Pamela.

Conforme as testemunhas, Dyego Calton teria subido com a vítima no segundo andar da casa onde ocorreu o latrocínio (roubo seguido de morte) e efetuado o disparo.

Ferreira já estava detido no Presídio Regional de Chapecó, de onde era foragido. Ele é responsável pelo assassinato de um comerciante em Balneário Camboriú, no início de fevereiro.

CNJ vai apurar caso de desembargadora e PMs

"Sabe quem sou?! Sou desembargadora do Tribunal de Justiça de SC

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) pretende apurar a atitude da desembargadora Rejane Andersen, do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ), em uma blitz de trânsito em Florianópolis que terminou em confusão com policiais militares.

A informação é do conselheiro catarinense do CNJ em Brasília, Jefferson Kravchychyn. Ainda não há detalhes sobre como a investigação será feita.

Segundo o conselheiro, o órgão abriu o processo depois de a sua ouvidoria receber manifestações de pessoas que viram a repercussão do episódio pelos meios de comunicação de várias regiões do país. O conselheiro acredita que o processo será enviado à Corregedoria do TJ.

— Magistrado tem que dar exemplo. Eu não conheço os fatos, mas se eles forem verdadeiros, as penas deverão ser aplicadas com o maior rigor — enfatizou Kravchychyn.

A desembargadora envolveu-se em discussão com policiais militares quando o carro do filho dela seria apreendido por transitar com documentação vencida. O fato foi na noite de 15 de abril.

Um dos soldados gravou um vídeo no celular no qual a magistrada aparece exaltada e ressaltando a função que exerce no TJ.

Na noite desta sexta-feira, em nota, Rejane Andersen acusou a mídia de sensacionalismo. Disse que o vídeo foi truncado e editado. Também destacou que foi desrespeitada pelos policiais e ameaçada de detenção ao ser contra a filmagem.

Confira a íntegra da nota da desembargadora

Ela nega abuso de autoridade ou que tenha interferido na ação policial — os policiais afirmam que ela não queria que o carro do filho fosse apreendido. Rejane lamentou a aprovação da conduta dos soldados pelo comando-geral da Polícia Militar. A PM informou que o comando ainda está analisando o episódio.

Se preferir, ouça a gravação feita pelo policial

ClicRBS

%d blogueiros gostam disto: