Arquivo do dia: abril 23, 2010

Pedofilia: pastor prega cura sexual

O pastor evangélico T.B.S., 56 anos, de uma igreja na região noroeste de Goiânia, foi indiciado pela Polícia Civil em Goiás por abusar sexualmente de pelo menos seis fiéis – todas do sexo feminino e duas delas, com 10 anos de idade. Segundo depoimento das vítimas, ele as abordava oferecendo aconselhamento sexual e curas para relacionamentos infelizes. Ele prestou depoimento na manhã de hoje e disse ser vítima de perseguição.

De acordo com relato das seis vítimas já ouvidas pela polícia, o tratamento durava de 40 minutos a uma hora. Eram usadas técnicas de hipnose. O pastor perguntava detalhes sobre a vida amorosa das fiéis, detalhes sobre a vida sexual de cada uma e se havia algo que as deixava insatisfeitas sexualmente.

“Ele falava que era especialista sexual, que fez curso para isso, perguntava o que elas queriam que os maridos fizessem, mas que não faziam e dizia que ele podia fazer no lugar dos maridos. Durante o suposto tratamento, aproveitava para passar a mão nas partes íntimas das fiéis e tocar seu órgão genital no corpo delas”, disse o delegado Valdir Oliveira, titular do 22º DP, onde o caso é investigado.

Ainda segundo a polícia, no final de cada tratamento, o pastor ameaçava as mulheres dizendo que era ex-policial militar e ex-presidiário e que algo de ruim poderia acontecer a elas caso contassem para alguém o que aconteceu durante as sessões. T.B.S. já cumpriu pena por furto. Para os homens, T.B.S. oferecia uma vigília de sete dias para curar crises conjugais e cobrava de R$ 800 a R$ 1 mil por cada tratamento. “Temos o relato de pelo menos um fiel que pagou R$ 800 e não foi curado”, disse o delegado.

Os golpes pelos quais o pastor é acusado estariam sendo praticados nos últimos seis meses no Grupo Evangélico Luz para o Mundo, que teria sido fundado por ele há dois anos e hoje se encontra no Bairro Floresta. “Ele tirava proveito que as fiéis estavam em um momento de extrema fragilidade, procuravam ajuda e aconselhamento para seus problemas familiares e explorava elas”, diz o delegado.

De acordo com o delegado, T.B.S. vai responder por estelionato e abuso sexual. O pastor teria assinado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por causa de ameaças que teriam sido feitas às vítimas. “Se ele continuar ameaçando elas, vamos entrar com pedido de prisão preventiva”, disse Valdir.

Em seu depoimento, o pastor diz que as acusações são uma armação de algumas fiéis que foram expulsas da igreja por ele. Ele confirma que faz um trabalho de aconselhamento conjugal, mas nega que haja sessão de hipnose ou abuso sexual.

Terra

Adriano Imperador já tem nova escolhida

Não precisou de muito tempo para que o jogador Adriano, conhecido como Imperador, encontrasse uma substituta para Joana Machado. A escolhida é a estudante de 26 anos Ana Cristina Carlucio.

A moça é de São Gonçalo, estudou odontologia na Estácio de Sá e hoje faz um curso de estética no Senac, de acordo com a coluna Retratos da Vida. Os dois já se conheciam há tempos e Ana estava na festa que aconteceu na casa do jogador em março do ano passado.

Ex-miss Universo nega relacionamento com chefe do tráfico

A venezuelana Alicia Machado, Miss Universo em 1996, assegurou, nesta sexta-feira, que nunca teve qualquer tipo de relacionamento com José Gerardo Alvarez, destacado chefe do tráfico de drogas, detido esta semana perto da capital mexicana.

“Garanto não ter, nem ter tido, relação alguma com o senhor José Gerardo Álvarez Vásquez, conhecido pelo apelido ‘o índio'”, disse em um comunicado a ex-miss, cuja vida pública tem estado envolvida em polêmicas e que trabalha como atriz no México.

A venezuelana respondeu, assim, a notícias veiculadas na imprensa que divulgaram trechos de uma investigação da promotoria mexicana, nos quais uma testemunha afirmou que Alicia Machado teria um relacionamento afetivo com Alvarez, com quem inclusive teria tido uma filha.

“Ratifico que a paternidade da minha filha, atribuída à pessoa antes mencionada, é totalmente falsa, pois o pai dela é um empresário muito respeitado”, acrescentou Alicia no texto enviado à imprensa.

Alvarez, considerado um dos chefões que disputam o controle do cartel dos Beltrán Leyva e cuja extradição foi pedida pelos Estados Unidos, foi capturado em uma operação militar em que três de seus homens morreram e outros 15 foram detidos em um bairro de mansões próximo da capital.

AFP

Brasil perde mais um patrimônio da cultura

Alagoas se despede de mais um patrimônio da cultura. Foi encontrado nesta terça-feira (20), o corpo do mestre José Sebastião de Oliveira, que comandava o Guerreiro da Viçosa. Acredita-se que José Sebastião, que morava sozinho, foi vítima de ataque cardíaco. O corpo passa por perícia no momento. O enterro será nesta quarta-feira (21), ainda sem horário definido. O mestre tinha o título de Patrimônio Vivo, concedido pelo governo do Estado.

José Sebastião de Oliveira, que tinha 62 anos, nasceu na cidade de Atalaia. Mas há 33 anos, morava em Viçosa, que fica a 86 km da capital. “Cheguei na véspera de São Pedro. Gosto de fazer uma fogueira boa para comemorar o dia do santo e o tempo em que eu vivo aqui”, contou numa entrevista dada no ano passado. Foi o município que deu nome ao folguedo dele, o Guerreiro da Viçosa.

“Mestre Sebastião era um dos grandes nomes do guerreiro em Alagoas. Tinha amor pela tradição popular, era exímio tocador de viola, compositor. Domava o pandeiro. Era um mestre. Lamentamos mais essa perda”, conta o secretário de Estado da Cultura, Osvaldo Viégas.

Na mocidade, o mestre deu a partida na “brincadeira” como cantador de pagode. Depois, conheceu a viola. “Eu sou repentista. Gosto de um bom improviso. Já toquei muito com o Elias Procópio (outro patrimônio)”, afirmou em reportagem à Agência Alagoas. Mas a paixão era mesmo pelo guerreiro – auto surgido em Alagoas e que nas palavras de Sebastião, “é filho do reisado”.

“Sempre achei bonito. Menino, eu não participava. Mas gostava muito de ver os mestres Adelmo, Juvenal, Venâncio e Benon”, chegou a revelar. O folguedo entrou na vida de Bastião do Guerreiro, como era conhecido em toda a Viçosa, somente quando chegou ao município.

“Já sabiam que eu era cantador de pagode e repentista. Por isso, me pediram para montar um grupo de guerreiro. Já faz quase 30 anos. Consegui graças às orientações do Severo Luiz e do Luiz Belo, dois moradores da cidade, que já morreram”, explicou.

Apesar do pouco estudo, fez-se conhecido pelas composições. Sentia saudades também do tempo em que dançava três horas seguidas. O pisado continuou forte até pouco antes de sua morte, parecia estremecer o chão.

Fonte: Telma Elita/Secult

%d blogueiros gostam disto: