Arquivo do dia: abril 12, 2010

FSP e Folha Online com redação única


As redações da Folha de S.Paulo e da Folha Online amanheceram unificadas na 4ª.feira (7/4), numa decisão que surpreendeu, mas que de certo modo muitos consideravam necessária, segundo este J&Cia ouviu de alguns profissionais da casa.

“É o fim do comando duplo e a integração definitiva das redações”, disse um deles a este J&Cia, numa clara demonstração de que, no geral, a medida parece ter sido bem recebida, não só por integrar as equipes, mas porque permitirá ganhos no próprio fazer jornalístico dos dois veículos.

O comunicado oficializando a decisão circulou no início da noite da 3ª.feira (6/4), assinado pelo diretor de Redação Otavio Frias Filho. Nele, Otavio informa que a partir de agora “as Redações da Folha de S.Paulo e da Folha Online serão fundidas, sob o comando da Editoria Executiva da Folha de S.Paulo” (leia-se Sérgio Dávila).

Diz também que “será criado o cargo de secretário-assistente digital, subordinado à Secretaria de Redação, a ser ocupado por Camila Marques”. E acrescenta que “no processo, os atuais editores da Folha Online assumem a função de editores-adjuntos e passam a integrar as editorias da Folha de S.Paulo com suas respectivas equipes”.

Jornalista & Cia

Fotos da Lady Gaga antes da fama

Mas você acha que ela sempre teve esse estilo “exótico” de ser? Não, ela era uma criança e até um adolescente  comum.

fotos lady gaga antes da fama

fotos lady gaga antes da fama

fotos lady gaga antes da fama

fotos lady gaga antes da fama

fotos lady gaga antes da fama

fotos lady gaga antes da fama

fotos lady gaga antes da fama

fotos lady gaga antes da fama

fotos lady gaga antes da fama

Escritores britânicos vão pedir prisão do papa

Dois renomados ateus britânicos expressaram sua intenção de processar o papa Bento 16 pelo seu papel nos casos de abusos sexuais envolvendo padres da Igreja Católica em diversas partes do mundo.

Os escritores Richard Dawkins e Christopher Hitchens disseram que moverão um processo contra o papa tanto na Justiça da Grã-Bretanha, país que o pontífice visitará em setembro, quanto na Corte Penal Internacional.

Dawkins, biólogo de formação, é um conhecido autor de livros que questionam a validade e a veracidade das religiões. Seu trabalho mais conhecido, Deus, uma ilusão, vendeu mais de 1,5 milhão de cópias e virou um best-seller publicado em mais de 30 países.

Hitchens é filósofo e cientista político pela Universidade de Oxford, e colunista de diversas publicações, como Vanity Fair, Harper’s e Granta.

A argumentação jurídica seguiria a mesma lógica da ação que culminou com a prisão do ex-ditador chileno Augusto Pinochet durante sua visita a Londres em 1998.

Os pensadores alegam que o pontífice “não é imune à prisão no Reino Unido” porque, apesar de ser o chefe do Vaticano, não é um chefe de Estado reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU).

“Acredito que a Justiça britânica rejeitará (o argumento de imunidade do papa)”, disse o advogado especializado em direitos humanos que representará os escritores, Mark Stephens.

“Se o papa viesse em visita de Estado, normalmente um chefe de Estado teria imunidade soberana. O que defendo é que ele não é um soberano, não é chefe de Estado, por isso não pode se valer dessa defesa.”

Dawkins e Hitchens e seu advogado crêem que podem acusar o papa de crime contra a humanidade.

Escândalos

Bento 16 tem sido alvo de críticas diante das inúmeras denúncias de abusos de menores que surgiram, porque ele chefiava o braço da Santa Sé responsável pela disciplina.

Em muitos casos o papa, então cardeal Joseph Ratzinger, é acusado de omissão. Mas no fim da semana passada veio a público uma carta de 1985 em que ele resiste à ideia de destituir das funções sacerdotais o padre americano Stephen Kiesle, acusado de abuso sexual.

O então cardeal Ratzinger afirmou na carta que o “bem da Igreja universal” precisava ser levado em conta em um ato como a destituição das funções sacerdotais.

O Vaticano confirmou a assinatura do cardeal no documento, revelado pela agência de notícias Associated Press.

Em resposta à divulgação da carta, o porta-voz do Vaticano disse que o documento foi apresentado “fora do contexto”.

Fonte: BBC

%d blogueiros gostam disto: