Buda é apreendido por apologia ao nazismo


Diz a Wikipédia (enciclopédia livre na internet) que “a suástica ou cruz gamada é um símbolo místico encontrado em muitas culturas em tempos diferentes: dos índios hopi aos astecas, dos celtas aos budistas, dos gregos aos hindus”.

Quando adotada pelo nazismo no século passado, porém, ela foi invertida e inclinada, adquirindo uma aura maldita. Sexta-feira, a representação gráfica virou o centro de uma polêmica no Shopping da Gávea (Zona Sul), com desdobramentos na 15ª DP.

Policiais civis apreenderam um biombo com cerca de dois metros de altura que traz a figura de um Buda com a cruz suástica (não invertida nem inclinada) no peito, na loja de bijuterias e decoração oriental Cheia de Graça. Atenderam a uma denúncia de que a imagem faz apologia ao nazismo.

– Vamos apurar também junto ao fabricante da peça, no Rio Grande do Sul, se há tentativa de propaganda escamoteada – afirmou o delegado Henrique Pessoa, responsável pelo Núcleo de Combate à Intolerância Religiosa.

Estupefatos, os proprietários da loja não compreenderam a ação.

– Isso tudo é de uma ignorância sem comentários. Esse símbolo existe na cultura oriental há mais de 5 mil anos, quando o nazismo nem pensava em nascer. Tentei evitar a confusão, mas não teve jeito: a polícia apreendeu o biombo e eu estou nervosa até agora com essas acusações – desabafou a proprietária Samara Nolding.

De acordo com o marido de Samara, também proprietário da loja, o biombo custa R$ 590 e foi fabricado há cerca de dois meses. O casal é de Florianópolis (SC) e mantém 13 lojas em vários estados.

– É muito ruim você estar 100% certo e sofrer punição como se tivesse cometido algum erro. Esta sensação é horrível e irreparável. Tinha uma festa e Carnaval na escola da minha filha que nós não tivemos como ir – disse José Henrique, que faz questão de ressaltar que é católico.

Autores da denúncia, o deputado estadual Gerson Bergher e a vereadora Teresa Bergher, ambos do PSDB, acompanharam a operação junto com membros da colônia judaica.

– Vivemos em um mundo globalizado e ninguém pode desconhecer o que é a cruz suástica. Criada pelos povos antigos como um símbolo do bem, ela foi incorporada ao nazismo por Adolf Hitler. A sociedade deve denunciar – protestou Teresa.

Alvo da polêmica, símbolo parece… mas não é

A diferença entre a suástica nazista e a que representa o budismo é que a adotada por Adolph Hitler tem as suas pás invertidas e inclinadas a 45 graus. O budismo explica que o símbolo gira no sentido horário e, automaticamente, absorve energia do universo, promovendo a auto-salvação de quem a usa. Ao girar no sentido anti-horário, ela emite energia, oferecendo a salvação ao próximo.

Estudos mostram que já na antiguidade a suástica foi utilizada largamente pelos indo-arianos, hititas, celtas e gregos, dentre outros. Em especial, como símbolo sacro do hinduísmo, budismo e jainismo.

O nome suástica vem da palavra sâncrita svastikah, que significa bem-estar e boa fortuna. O símbolo é basicamente uma linha reta com braços perpendiculares a cada extremidade, seguindo em direções opostas.

Com a alteração estética no símbolo, Adolf Hitler, que era ocultista e sobreviveu a 42 atentados contra a sua vida sem ferimentos, queria representar o roubo da energia do universo para seus propósitos. A ideia era paralisar o tempo e iniciar os mil anos de domínio da Nova Ordem: o 3º Reich.

O líder do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães inspirou-se num conteúdo místico para elaborar a bandeira nazista, que ficaria marcada para sempre na história da humanidade.

A composição entre o vermelho e o branco indicavam a ideia social do movimento. A temida suástica nazista representava a luta pela raça ariana e o triunfo do ideal trabalho criativo, que, para eles, seria para sempre anti-semítico.

Comente ou deixe um trackback: URL do Trackback.

Comentários

  • Ana Maria  On agosto 24, 2010 at pm:45 pm

    Quando o homem se tornar consciente dos movimentos dos seus próprios pensamentos ele verá a divisão entre o pensador e o pensamento, entre o observador e a coisa observada, entre aquele que experimenta e a coisa experimentada. Ele descobrirá que esta divisão é uma ilusão. Só então haverá observação pura, significando isso percepção sem qualquer sombra do passado ou do tempo. Este vislumbre atemporal produz uma profunda e radical mutação em nossa mente. A negação total é a essência do positivo. Quando há negação de todas aquelas coisas que o pensamento produz psicologicamente, só então existe o amor, que é compaixão e inteligência.

  • Julio Cesar Basile  On abril 15, 2010 at pm:24 pm

    Tem que mandar essa cambada de ignorantes se alfabetizarem.. nao saber diferenciar um simbolo nazista do budista eh o cumulo do absurdo.. mais absurdo que isso soh mesmo o muro que Israel construiu para segregar o povo que jah vivia lah quando eles invadiram aquela terra fugindo da guerra.. reclamam do Hitler e segregam da mesma forma.. faça o que eu digo mas nao o que eu faço.. esses racistas enrustisdos esquecem que podem manipular a midia, os policiais ignorantes que lah foram e apreenderam o material, enganar quem quiserem com o seu poder $$$ de convencimento constrangedor, irracional, arrogante, prepotente e ultra-racista, mas se esquecem de que a DEUS NAO SE ENGANA e que AQUI SE FAZ AQUI SE PAGA.. estao pagando pra ver depois vao reclamar do destino.. vao arrumar o que fazer e parem de atrapalhar quem trabalha.. esse comerciantes pagam impostos com uma carga superior ao do imperio, ficam em suas lojas sofrendo as agruras do comercio e vem esses idiotas, desocupados, manipuladores, fazer pressao e tirar proveito da midia para induzir autoridades mal informadas e analfabetas a cometerem esses abusos da ignorancia. O pior analfabeto eh aquele que sabe ler mas nao o quer.. pois bem, cambada de idiotas.. o Duque de Caxias exterminou milhares de mulheres gravidas e criancas, com as espadas de seu exercito e nem por isso a espada virou simbolo de homicidio em massa, de carnificina, muito pelo contrario, eh utilizada ate hoje como um simbolo usado para libertacao de povos.. tudo manipulacao.. raça de imbecis.. vao arrumar o que fazer.. eh igual o homosexualismo.. vc nao pode expor qq tipo de opiniao que desagrada.. eles podem bradar e assumir que sao gays a todo canto mas se eu fizer o mesmo, que adoro ser heterossexual, logo logo aparecerah um analfabeto racista para querer me condenar por homofobia. Homofobia de quem@@ Eventualmente minha ou deles, gays@ Eu os respeito, tenho amigos gays, nao tenho qq preconceito ou rejeicao mas acho esse comportamento racista, semelhante a materia, o cumulo do absurdo e o verdadeiro racismo. Outro exemplo: temos inumeros conjuntos musicais os quais demonstram orgulho pela raça negra (raça negra, os mestiços, etc, etc). Imagine eu, branco, se me junto com mais meia duzia de outros, tb brancos e crio um conjunto, raça branca, raça pura, ou algo que se assemelhe.. igualmente tenho muitos amigos de cor negra ou mulatos e me dou muito bem, mas com certeza iria chover de FDP racistas, disfarçados de defensores da raça, para querer me processar e massacrar na midia. Quem sao os racistas@ Cambada de hipocritas.. vao trabalhar.. vao arrumar o que fazer.. se gostam tanto de aparecer, vistam uma roupa de palhaço e vao para o circo..

  • aracri  On março 20, 2010 at am:00 am

    Eu sempre falo de brincadeira a seguinte frase “se até os pokémons evoluem, por que não os seres humanos?” (mas já teve um evangélico que quase me crucificou por achar que eu estava me referindo à teoria da evolução de darwin), mas quando falo sério, digo “a civilização ocidental não me parece tão civilizada assim afinal”… imagine a situação: se você for pego comprando um livro sobre hitler ou sobre o nazismo, ou flagrado acessando sites nazis, você corre o risco de ser chamado de nazista? É provável que sim, mesmo que você esteja apenas interessado em saber mais sobre o assunto porque quer entendê-lo melhor. Se este tipo de confusão é possível num caso assim, imagine só quando se trata de algo que a maioria das pessoas sequer sabe: que a suástica é um símbolo milenar que está presente em várias culturas antigas. Em plena era da internet, as pessoas conhecem tudo, mas não sabem nada…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: