Arquivo do dia: março 6, 2010

MEC compra questões p/exames a 100 reais

O Ministério da Educação (MEC) inicia na segunda-feira o cadastramento de professores e pesquisadores de instituições públicas interessados em elaborar questões para compor o banco de dados das avaliações do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

O Inep é responsável por algumas das provas mais importantes do País, como o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade).

O docente receberá R$ 100 por questão enviada que for aprovada pela banca do Inep. O MEC anunciou também que contratará professores para fazerem a revisão técnica e de língua portuguesa. Para essas tarefas, o ministério pagará, respectivamente, R$ 50 e R$ 20 por questão.

Esta será a primeira vez que o Inep comprará diretamente de professores questões de provas. Até agora, as perguntas só eram compradas de empresas. Segundo o instituto, foi necessário alterar a legislação que proibia o órgão de pagar a pessoas físicas pelo serviço.

Além do vínculo com instituições públicas de ensino ou pesquisas, o outro pré-requisito para participar da seleção é ter diploma em licenciatura ou bacharelado, independentemente da área. Não podem concorrer docentes que sejam servidores efetivos ou comissionados de órgãos e entidades do MEC.

COMO PARTICIPAR

Os interessados têm de se cadastrar no site http://bni.inep.gov.br entre os dias 8 e 15. O instituto vai divulgar no dia 18 uma lista de pré-selecionados, que serão convocados para um treinamento obrigatório. A capacitação será realizada entre 10 de abril e 31 de julho.

O Inep deve chamar 500 elaboradores e revisores de questões de várias áreas e 25 profissionais para correção de língua portuguesa. O Banco de Colaboradores será reaberto para novos cadastramentos sempre que necessário, com divulgação pela internet.

Li gostei colei: é muito pouco…


.
As eleições só ocorrem em outubro — e há até um segmento importante da sociedade brasileira, no caso o representado pelos admiradores do PSDB e seus aliados mais diretos, sem candidato. Mas desde já uma pergunta se impõe: o que teremos de novidades nesse pleito? Sabemos o que o potencial candidato tucano José Serra pensa e vemos que Dilma Rousseff apenas manterá intacto o que Lula fez — e até o que deixou de fazer. Por enquanto, para nossa infelicidade, discutem-se apenas temas óbvios, embora relevantes, como a manutenção da estabilidade econômica e das garantias econômico-sociais. E só.

É muito pouco para um país que quer deixar de ser coadjuvante na política internacional.

É muitíssimo pouco para um lugar onde há milhares de professores semianalfabetos.

É insuficiente para quem quer se tornar mais do que simples convidado em fóruns econômicos globais.

É uma pauta mixuruca para quem não combate com eficiência o contrabando.

É uma bobagenzinha de nada para um país que se deixa sujeitar a lobby de fazendeiros gananciosos e abre espaço para a destruição de florestas.

É algo minúsculo para um país onde os políticos brigam para não identificar seus doadores de campanha.

É pouco para um Estado onde as agências reguladoras trabalham em favor das empresas, não do cidadão.

É pouco para um país onde governador, em pleno exercício do mandato, é preso sob suspeita de corrupção.

E é um pingo para um lugar onde outras autoridades — até desembargadores! — também deveriam estar presas.

É uma ninharia porque sabemos que, em muitas metrópoles, chuva é sinônimo de tragédia e dor — em função principalmente da falta de infraestrutura e da ausência do Estado na organização urbana.

É pouco, ainda, para uma nação onde o melhor método de investigação policial é a tortura.

É muito, mas muito pouco mesmo, para um país em que não se passa uma semana sem que haja recall de automóveis.

A quem interessa que essas questões sejam “esquecidas”?

Autor: Renato Ferraz Correio Braziliense

Eletrobrás: gasta um milhão para tirar o acento

A Eletrobrás programou para dia 22 o lançamento de sua nova marca, que passará a identificar todas as suas subsidiárias. A mudança, que custou R$ 1 milhão, é considerada um passo importante no processo de fortalecimento da companhia, que, segundo o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pode se transformar na “Petrobrás do setor elétrico”.

Como a Petrobrás, a nova marca da Eletrobrás não terá acento, em uma tentativa de facilitar o entendimento do público estrangeiro. A internacionalização é um dos planos do governo para a empresa. A Eletrobrás já tem ações na Bolsa de Nova York e iniciou no ano passado a análise de projetos de investimentos em países como Peru, Argentina, Nicarágua, Bolívia e Guiana.

Veja abaixo a nova marca:


Foto: Divulgação

Guardada a sete chaves para um grande lançamento no dia 22, está pronta a nova marca da Eletrobras –  agora, é sem acento, assim como a Petrobras. É mais um passo para a transformação da empresa na ‘Petrobras do setor energético’.

A nova marca usará as cores verde, amarelo e azul. Todas as subsidiárias da estatal vão adotar o padrão. Assim, Furnas e Chesf, por exemplo, passarão a se chamar Eletrobrás-Furnas e Eletrobrás-Chesf.

Lobão adiantou que todas as subsidiárias da empresa usarão uma marca padrão, antes de seu nome. Assim, Furnas e Chesf, por exemplo, passarão a se chamar Eletrobrás-Furnas e Eletrobrás-Chesf. A companhia planeja se mudar para um prédio próprio, nas proximidades da Avenida Chile, no centro do Rio, onde já estão instalados o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Petrobrás.

O lançamento da marca deve ser um dos últimos atos últimos atos públicos do ministro Lobão, que terá de se desincompatibilizar do cargo até 30 de março, para concorrer à reeleição para o Senado.

Estadão

Governo cede imóveis para APAE e Chocolatão

O Diário Oficial da União de sexta-feira publica a autorização do Ministério do Planejamento (MP) para uso gratuito de imóveis em seis Estados: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Pernambuco, Bahia e Ceará.

Uma das cessões é para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) do imóvel com área de 2.700,00m², situado no balneário Vila Elsa,  localizado no município gaúcho de Guaíba.

Também no Rio Grande do Sul, foi autorizada para a cessão provisória de uso gratuito, ao município de Bagé, do imóvel com área de 66.149,32m² e benfeitorias, proveniente da extinta Rede Ferroviária Federal S.A. (RFFSA), destinado a provisão habitacional, execução de projetos referentes à mobilidade urbana e criação de espaços culturais, desportivos, de lazer e de economia solidária.

Outra cessão ao Rio Grande do Sul é a de imóvel com área de 33.451,11m², em Porto Alegre, destinado à regularização fundiária e implantação de conjunto habitacional, com a construção de 181 unidades habitacionais onde serão reassentadas 152 famílias de baixa renda que atualmente ocupam área no Centro Administrativo Federal, com a denominação de Vila Chocolatão.

RS: diploma de jornalismo em órgãos públicos

A Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul aprovou o Projeto de Lei (239/2009), de autoria do deputado Sandro Boka (PMDB), que exige graduação específica para a atuação como jornalista em cargos públicos no estado.

O projeto recebeu parecer favorável do deputado Fabiano Pereira, que assinou o documento, e deverá ser votado na próxima semana.

O texto defende a capacitação dos profissionais da imprensa como forma de consolidar a ética e a democracia. “A informação tem que ter uma grande responsabilidade, e a técnica e a consolidação da ética no jornalismo devem ser aprimorados através de uma formação acadêmica, onde o diploma universitário é fundamental para que se consiga comunicar bem a sociedade, fortalecendo o regime democrático”.

No Amazonas e em Belo Horizonte, os órgãos públicos contratam apenas jornalistas diplomados na área. Projetos semelhantes tramitam em outras cidades e estados do país.

Comunique-se.

Arruda teria tido informações sobre investigações da PF

O governador afastado do Distrito Federal, José Roberto Arruda, mantinha uma rede de informações que funcionaria a partir dos serviços de integrantes da cúpula da Polícia Civil no DF. A informação é confirmada por depoimentos colhidos pelo Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) obtidos pelo site “G1”.

De acordo com o site, a suspeita teve início com a apreensão de documento pela Polícia Federal na casa do ex-chefe de gabinete de Arruda, Domingos Lamoglia. Os depoimentos fazem parte do conjunto de informações na quinta-feira pela vice-procuradora da República, Deborah Duprat, durante o julgamento do habeas corpus que pedia a libertação de Arruda no Supremo Tribunal Federal (STF).

“Temos provas recentes que mostram que várias provas só foram obtidas agora depois da prisão do governador. Policiais civis tiveram coragem, agora, porque o governador está preso, de denunciar que em outras duas operações o governador tinha interferido para impedir que houvesse a investigação a respeito de Marcelo Toledo e de um outro doleiro”, revelou a vice-procuradora.

Morre o ator Dener Pacheco, da ‘Caras e Bocas’

Morreu na madrugada deste sábado (6), no Rio, o ator Dener Pacheco, de 25 anos. De acordo com a assessoria de imprensa do ator, ele foi internado em um hospital da Barra da Tijuca, na Zona Oeste, há três dias, com fortes dores no abdômen. A suspeita era de câncer de estômago e pulmões.

Dener integrou o elenco da novela “Caras e Bocas” e contracenou com as atrizes Isabelle Drummont, Sophie Charlotte, entre outras. Ele morava no Rio desde agosto de 2009.

O corpo será enterrado na cidade natal de Dener, que era de Tubarão, em Santa Catarina. Ainda de acordo com a assessoria, a família está muito abalada e não quis se pronunciar.

Jovem, bonito e talentoso. É com esses ingredientes que Dener Pacheco surgiu no cenário nacional e prometia ficar. Com pouco tempo na televisão, Dener já conquistava o público, principalmente o feminino, e era um dos campeões de correspondências do elenco de Caras & Bocas, da Rede Globo.

Mas toda essa fama não veio por acaso. Nascido em Tubarão, Santa Catarina, Dener foi ainda jovem para São Paulo, aos 14 anos. Durante cinco anos trabalhou como garçom na cidade, mas sempre com um objetivo traçado: ser ator, custe o que custar.
“ Vim para cá cedo para estudar teatro. Fiquei na casa de uma tia uns tempos e depois segui minha vida. Sempre quis ser ator” diz Dener, que também já trabalhou como vendedor de material de limpeza.

Entre estas experiências ocorreu a oportunidade como modelo, no qual trabalhou em campanhas internacionais, como a Louis Vuitton Uruguay e a Meriva Europa. Em Punta Del Leste, foi apresentador da Fashion TV, esbanjando simpatia e bom humor.

No teatro, Dener possuia uma vasta experiência. Sua estreia aconteceu em “O Auto da Barca do Inferno”, passando por adaptações de “Pocahontas” e “Romeu e Julieta”, além do espetáculo “A Saga”, no qual foi o roteirista.

Na televisão, estreiou em “Sete Pecados” e atualmente dava vida ao personagem Renam, em Caras & Bocas, um jovem rico e estudante de gastronomia.

Walcyr Carrasco, autor da novela Caras & Bocas, falou sobre a luta de Dener Pacheco para estrear na TV. “Seu grande sonho era fazer uma novela. Eu espero de coração ter realizado o sonho que ele tinha e que merecia ter, pois tinha talento”, disse ele em seu Twitter, acrescentando estar “tristíssimo” com a notícia da morte do jovem ator, vítima de câncer na madrugada deste sábado (6).

Segundo Carrasco, Pacheco fez um teste para o papel de Cássio em Caras & Bocas, que acabou ficando com Marco Pigossi. “Dener ficou arrasado. Meses depois surgiu o Renan e eu o chamei. Soube então que ele havia operado de um gânglio na garganta. Na época, perguntei se era maligno e ele não respondeu, julguei que não era. Mas hoje penso que ele já sabia”, contou o autor.

Carrasco chegou a ligar para o ator antes de viajar para o Japão. “Ele me contou que estava com metástase na boca. Eu no fundo já sabia o que ia acontecer, e o aconselhei a ir para a casa dos pais”.

O autor ainda escreveu uma mensagem carinhosa em homenagem ao amigo: “Dener, agora você esta entre as estrelas. É onde sempre mereceu estar. Obrigado por ter sido meu amigo. Sabe, você era e é super boa gente“.

Cacau come morango em ensaio sexy


Fotos de Marcos Serra Lima /  Paparazzo

Cacau nem bem saiu da casa do “Big Brother Brasil 10” e já posou para o “Paparazzo” em ensaio que entra no ar neste sábado. A ex- BBB também negocia tirar a roupa para a “Playboy”, mas já avisou que não quer dividir o set com Angélica, a Morango. “Só se for para ganhar muito mais dinheiro”, disse a bela, que virou a cabeça da colega.

Adriano: briga com noiva no morro é o problema

O atacante Adriano faltou no último treino do Flamengo e completou nove dias sem ir para Gávea (somando o tempo em que estave na seleção). De acordo com o jornal carioca Extra, os ‘motivos particulares’ para a ausência do Imperador teria sido uma festa no Morro da Chatuba e uma discussão com sua noiva, Joana Machado.

Segundo a publicação, o camisa 10 do Fla fez um churrasco, onde estariam presentes Vagner Love, Bruno, Álvaro e alguns jogadores mais jovens do elenco rubro-negro. A namorada de Adriano descobriu o encontro, foi até o local e apedrejou os veículos dos jogadores e agrediu seu companheiro.

Revoltado, o Imperador pediu para os chefes do tráfico local para que expulsassem sua noiva da favela e, caso ela recusasse, para que fosse amarrada em uma árvore até o amanhecer.

Fato é que depois de faltar no treino, Adriano não enfrentará o Resende neste sábado, às 19h30, pelo Campeonato Carioca e também não estará em campo ante o Caracas na quarta-feira, às 22h20 (de Brasília), pela Copa Libertadores da América. Bruno Mezenga, de 21 anos, é seu substituto natural.

Rádio chilena destruida ajuda população

Um dia depois de o terremoto da semana passada destruir seu estúdio, o radialista chileno Leonardo Amigo, da cidade de Cauquenes, de 50 mil habitantes, recolheu os equipamentos que se salvaram e montou uma rádio improvisada com um gerador que tinha no quintal.

Dois dias depois, quando voltou a luz ao estúdio, ele reorganizou tudo e refez a Radio Surcos, em conjunto com a equipe da outra emissora local, para montar uma programação especial de ajuda para os moradores e habitantes dos povoados vizinhos na região de Maule.

“O técnico Eduardo Aravenga fez conexões de cabos impensáveis e conseguimos colocar internet sem fio aqui. Procuramos fazer um serviço pra população, indicando onde há distribuição de comida, repassando comunicados de famílias que buscam alguém e procurando acalmar as pessoas.”

Foto: Giovana Sanchez/G1

O técnico Eduardo Alvarenga e suas ‘conexões de cabos impensáveis’ em rádio da cidade chilena de Cauquenes. (Foto: Giovana Sanchez/G1)

Agora, com o restabelecimento do telefone fixo, a rádio não para de receber chamadas e visitas. A maioria das solicitações é por ajuda. Não há nenhuma programação fixa, e cada atualização nas páginas dos jornais chilenos na internet é lida no ar.

Foto: Giovana Sanchez/G1

O estúdio original ficou completamente destruído. (Foto: Giovana Sanchez/G1)

Giovana Sanchez/G1
Foto: Giovana Sanchez/G1

O radialista Leonardo Amigo mantém a rádio ativa desde domingo passado, um dia depois do tremor. (Foto: Giovana Sanchez/G1)

Foto: Giovana Sanchez/G1

Grupo se reveza na locução de notícias e na programação de músicas.

Giovana Sanchez/G1

%d blogueiros gostam disto: