Arquivo do dia: março 6, 2009

Trabalhadores deixam de sacar R$ 273 milhões

Em tempos de crise e aumento do desemprego, 658 mil trabalhadores parecem não dar importância a um dinheiro extra, no valor de um salário mínimo. Esse é o número de pessoas que têm direito ao abono salarial do PIS e ainda não sacaram. São R$ 465, que dá um total de R$ 273 milhões. É importante lembrar que o abono não sacado até 30 de junho não é incorporado às cotas do PIS, mas devolvido ao Fundo de Amparo ao Trabalhador.

Antes de ir aos locais de atendimento, o trabalhador deve verificar se recebeu ou não o benefício antecipadamente, por meio de crédito em conta. Para se certificar, basta olhar os extratos bancários de julho e novembro de 2008 e os contracheques dos salários de julho, agosto ou setembro de 2008.

O abono pode ser sacado com o cartão do cidadão nas máquinas de auto-atendimento, casas lotéricas e Caixa Aqui, inclusive em fins de semana. Quem não tem o cartão do cidadão deve procurar uma agência da Caixa com documento de identidade e comprovante de inscrição no PIS.

Recebe o abono o trabalhador cadastrado no PIS ou Pasep até 2003, que trabalhou pelo menos 30 dias, consecutivos ou não em 2007 com carteira assinada por empregador contribuinte do PIS-Pasep, recebeu, em média, até dois salários mínimos mensais e a sua empresa informou corretamente seus dados de emprego na Rais do ano-base 2007.

Já os rendimentos do PIS podem ser sacados pelo trabalhador cadastrado no PIS-Pasep até 4/10/1988 e tenha saldo de PIS. Diferentemente do abono, o trabalhador que não sacar os rendimentos não perde o dinheiro. Ele é creditado na sua conta do PIS.

Finalmente, as cotas (o saldo total depositado na conta do PID) podem ser sacadas por motivo de  aposentadoria, invalidez permanente, reforma militar, transferência para a reserva remunerada, aids ou câncer do titular ou de seus dependentes, morte do titular, benefício assistencial à pessoa portadora de deficiência e ao idoso e participante com idade igual ou superior a 70 anos.

Rádio do carro acessa 16 mil canais na internet

Foi apresentado durante a Cebit o protótipo de um rádio para carro que permite escutar músicas pela internet. Segunda a fabricante Blaupunkt, o aparelho permitirá que usuário escute até 16 mil estações de rádio.

Para conectar, é necessário um celular 3G que possibilite a conexão em banda larga, além de sistema Bluetooth para transferência das músicas para o rádio.

A Blaupunkt também garante que será possível procurar estações por genêro musical, país e palavra-chave. As estações poderão ser acesadas por meio do portal miRoamer.

A fabricante também pretende lançar dispositivos que recebam programação de IPTV. Os modelos devem chegar ao mercado europeu neste ano, com preços entre 300 euros e 400 euros (o equivalente a R$ 900 e R$ 1.200).

Ronaldinho Gaúcho lança novo site oficial

A nova fase de Ronaldinho Gaúcho já pode ser vista além dos gramados. O craque também está com a nova versão do seu canal de comunicação oficial na internet, o www.ronaldinhogaucho.com, onde mostra mais do seu premiado trabalho como jogador e de sua personalidade.

Entre os destaques do site – que traz uma biografia precisa da vida e carreira do atleta -, constam informações atualizadas diariamente, com imagens em alta resolução e vídeos de qualidade, aliados ao rápido acesso.

Entre os links disponíveis, estão obras vinculadas ao jogador, como o Instituto Ronaldinho Gaúcho, as tirinhas de Mauricio de Sousa – com a versão infantil do craque -, produtos da grife 10R da Nike e uma revista que explora a linha de produtos da loja que veste o jogador. Tudo isso sendo navegado sob a seleção pessoal de músicas do meia destaque do Milan: o ronaldinhogaucho.com toca as faixas que ele ouve em seu player.

O site também conta com uma área de comunicação direta com a imprensa. O portal, desenvolvido pela Ondaweb, agência digital de Porto Alegre, tem, inicialmente, versões em cinco idiomas: português, inglês, japonês, italiano e espanhol.

Andréia Odriozola

Barbie tem 57 mas esconde idade

Na 2a feira, dia 9, a Barbie completa 50 anos. Foi em março de 1959 que a boneca foi apresentada pela primeira vez ao mercado americano, em uma feira de brinquedos. Porém, como muitas mulheres, a Barbie também tem o seu segredinho. Sua idade real, acredite, é um pouquinho maior – ela tem na verdade 57 anos.

A moça loura de pernas longas foi criada de fato em junho de 1952, pelo cartunista alemao Reinhard Beuthien, que trabalhava para uma revista de Hamburgo. Originalmente ela se chamava Lili.

Lili fez tanto sucesso com os leitores, que a revista resolveu fazer uma boneca, inspirada no desenho, para dar de brinde aos seus clientes. Em 1959, a boneca foi vendida para a empresa americana Mattel. Em homenagem a sua filha Bárbara, Ruth Handler, dona da Mattel, rebatizou a boneca como Barbie. E o resto é história.

Nesses anos todos, a Barbie acompanhou a evoluçao dos hábitos e preferências das meninas dos 4 cantos do planeta. Mas apesar de ainda ser um ícone, as vendas da Barbie nao sao mais as mesmas. Afinal, as meninas estao enjoando de bonecas cada vez mais cedo. Mesmo assim, Barbie, um dos maiores cases de marketing do mundo moderno, resiste bravamente e continua presente nas casas de muitas meninas e na lembrança de milhoes de mulheres que um dia já carregaram essa boneca debaixo do braço.

Luiz Alberto Marinho/Blue Bus

Fotos inéditas dos Beatles e dos Stones

Fotografias inéditas de duas das maiores bandas da história da música, os Beatles e dos Rolling Stones, foram descobertas, segundo reportou o jornal “Daily Telegraph”.

As fotos dos momentos dos músicos foram encontradas depois de 45 anos. Segundo o jornal elas estavam guardadas em uma mochila do organizador das turnês dos dois conjuntos. A coleção possui mais de 50 fotografias de autoria de Bob Bonis, morto em 1999, que foi o responsável pela turnê americana dos Beatles e Rolling Stones nos anos 60, quando foram levar o rock Inglês à América.

As imagens foram descobertas pelo filho de Bonis, Alex, numa velha mala. Elas serão exibidas em uma galeria de Nova York, como parte da exposição “The British Are Coming: The Beatles and The Rolling Stones 1964 66”.Veja algumas:

Bancos vão à Justiça pra evitar perdas com poupança

Depois de a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) ter tentado, sem sucesso, um posicionamento do governo federal para auxiliá-la a barrar a avalanche de ações de milhões de correntistas brasileiros que cobram dos bancos os expurgos dos Planos econômicos Verão, Collor I e II, outra entidade do setor, a Confederação Nacional do Sistema Financeiro (Consif) protocolou ontem uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para evitar que os bancos paguem a diferença nas perdas no rendimento de cadernetas de poupança causadas pelos planos econômicos adotados no passado.

A ação de Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) da Consif visa confirmar a constitucionalidade dos planos e, portanto, a ilegalidade da restituição das perdas nessas aplicações. A ADPF é um instrumento usado para a proteção de direitos e garantias fundamentais previstos na Constituição contra atos abusivos do Poder Público e é usado também em casos de relevante controvérsia constitucional.

A Consif alega, na ADPF, que os planos econômicos foram uma iniciativa legítima do Estado de mudar políticas monetárias e mudar indexadores, buscando o combate da inflação. As regras definidas pelos planos tinham o objetivo de combater elevados índices de correção monetária que faziam repercutir, no presente e no futuro, inflações passadas, sem causar prejuízo ou favorecimento a qualquer segmento da sociedade, informa a entidade na ação.

Segundo a Consif, os novos indexadores foram determinados em leis, as quais os bancos também são obrigados a cumprir. Assim como o rendimento das poupanças foi alterado, a correção dos contratos de financiamento imobiliário foi reduzida por causa dos planos. Considerando-se tais fatos, não houve afronta aos princípios do direito adquirido e do ato jurídico perfeito, como se tem alegado nos pedidos judiciais de diferenciais de correção das cadernetas, complementou a entidade.

De acordo com cálculos da entidade, 550 mil ações, que tramitam na Justiça em todo o País, reivindicam o pagamento da diferença dos rendimentos.

A entidade informou que, caso os bancos sejam condenados a ressarcir todos os clientes, terão de processar o Estado para também serem ressarcidos dos possíveis prejuízos causados pelas mudanças nos planos econômicos.

Segundo dados já divulgados pela Febraban, o montante que está em jogo é de mais de R$ 100 bilhões, mas procurada pelo DCI, a entidade preferiu não se manifestar sobre a ação no STF.

%d blogueiros gostam disto: