Jornal ‘Tribuna da Imprensa’ deixa de circular


Jornal aguarda indenização por danos causados pela ditadura militar para retornar

O jornal carioca “Tribuna da Imprensa”, dirigido por Helio Fernandes de 87 anos,  deixa de circular a partir de hoje por tempo indeterminado. O diário alegou não ter dinheiro para pagar dívidas e salário de funcionários.

Desde o período da ditadura militar (1964-85), é a primeira vez que a “Tribuna” deixa de circular. Os salários de outubro ainda não foram pagos e encargos como FGTS e INSS não teriam sido depositados desde 1995, segundo o Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio de Janeiro.

Para continuar em circulação, a “Tribuna” depende dos recursos de um processo milionário que move contra a União, no qual quer ser indenizada por danos morais e materiais referentes à censura sofrida durante a ditadura militar. O valor da indenização não foi informado.

– É uma interrupção momentânea, de alguns meses, até sair o pagamento da indenização – disse o jornalista Hélio Fernandes, há 46 anos dono da “Tribuna”, jornal fundado por Carlos Lacerda em 27 de dezembro de 1949.

A disputa judicial se arrasta desde 1982. O jornal venceu em primeira e segunda instâncias. A União recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF), onde o processo está parado, desde abril de 2006, com o ministro-relator Joaquim Barbosa.

Segundo Fernandes, os problemas financeiros do jornal têm origem na perseguição sofrida durante os governos militares. Por isso, ele cobrou mais rapidez do judiciário. Os 68 funcionários da “Tribuna” não foram demitidos, mas não terão salário até que saia a indenização, quando receberão pelo período.

Lia aqui a Coluna do Hélio Fernandes O Desabafo do Mestre

NF/

Comente ou deixe um trackback: URL do Trackback.

Comentários

  • Jorge Arantes  On abril 6, 2011 at am:42 am

    Caro Helio Fernandes,
    acabo de concluir um trabalho acerca do golpe de 1964. Tenho tentado de todas as formas, acesso ao texto integral do famoso “Relatório Saraiva”, que acusa o então embaixador do Brasil na França, Delfim Neto, de procedimentos irregulares. Recentemente (dez.2010), consultando o site da Tribuna, li um artigo, de sua autoria, que menciona tal relatório,informando que, em determinada época, o havia pulicado em parte. Gostaria de saber como posso ter acesso ao mesmo para fazer figurar em meu livro como documento.
    Desde já os meus agradecimenbtos e os votos de sucesso em sua empreitada.
    Atenciosamente,
    Jorge Arantes

  • Aristides Ferreira de Morais  On outubro 24, 2010 at am:26 am

    Caro jornalista se possível queira mandar a resposta do meu comentário do dia 23/10/2010 para o meu e-mail Aristidesmorais2009@gmail.com,lhe desejo que DEUS lhe ilumine a cada dia de sua vida pois não tenho dúvidas que o senhor é um ancião A serviço de DEUS na terra na luta pelo comprimento da democrácia em seu e nosso estado democrático de direito.UM GRANDE ABRAÇO DE ARISTIDES FERREIRA DE DE MORAIS DE VALPARAIZO DE GOIAÍS ENTORNO DO DF.

  • Aristides Ferreira de Morais  On outubro 23, 2010 at pm:23 pm

    CARO mestre do jornalismo,do jornal tribuna da imprensa senhor Helio fernandes hoje um ancião com 87 anos mais que guarda na alma a bravura de de um homem que sempre lutou e continua lutando pelo estado democrático de direito de todo nós brasileiros,apesar de ter sido perseguido na ditadura militar por mostra em suas matérias as horrendas ,sórdidas e levianas de abuso do poder cometida pelas autoridades desse regime tão cruel contra a nação brasileira,senhor jornalista Helio fernandes na bíblia esta escrito da honrra a quem tem honrra,pois sou leitor do jornal á tribuna da imprensa e lendo á matéria do dia 18/10/2010 aonde fala dos ataques criminoso cometido pelo o regime de ditadura eu não poderia deixar de lhe homenagear não só o senhor mais todos os jornalistas e funcionarios dessa horrosa tribuna da imprensa,e aproveito essa oportunidade de lhe pedir uma ajuda no sentido de uma públicação de uma matéria sobre pratica de parcialidade cometida por um juíz de primeiro grau aqui no distrito federal em uma ação de mandato de segurança no sofrir uma injustiça no ano de janeiro de 1990 quando fui excluído da corporação de bombeiro militar por um abuso de autoridade praticada por um coronel inconformado com o estado democrático de direito,pois de aguardar uma decisão da justiça militar na época resolvel cometer este ato que não era da sua competencia,pois a lei federal 7479/86 e código penal militar e também o código de processo penal militar e a nossa carta maior foram disrrespeitada por oligarquia que vem investindo contra mim pois a corregedoria geral do df já me deu parecer favoravél mais o juiz de primeiro grau do tjdf DR PAULO CESAR DURAM REPUDIOU O DEMOCRÁTICO PARECER DO DIA 19/06/2009 foi dado 10 dias para que o comandante dessa infomação do meu pedido de reintegração no CBMDF mais ele venceu os prazo de lei de mandato de segurança,mais o juíz agindo com parcialidade não recebeu o meu recurso de prequestionamento por eu te r vencido um dia de prazo,caro mestre do jornalismo o comandante geral do corpo de bombeiro venceu o prazo de cinco dias muito mais do que eu e o juíz recebeu o recurso ai esta provada á parcialidade desse juíz,pois tenho documentos veraz que comprovam tal abuso desse juíz pois peguei tudo que possa provar contra esse abuso.obs um grande abraço desse ex bombeiro injustiçado.contatos 61 36298247 61 92695526 end Rua sem nome QD 11 casa 10 valparaizo II VALPARAIZO DE GOIÁIS ENTORNO DE BRASILIA,ARISTIDES FERREIRA MORAIS CEP 72870111.

  • João Batista  On outubro 10, 2009 at am:21 am

    Helio,

    Apela para organismo internacional como a ONU por exemplo sobre seus direitos humanos para ser julgado o seu processo.

    Apele, já.

    Peça para ser julgado o processo de sua empresa em organismo internacional que defende Jornalistas e Jornais.

    As associações que proteje a democracia e todos veiculos de comunicação não fala nada a respeito de sua situação.

    Vou mandar e-mail para a CCJ, para fazer uma audiência pública a respeito disso.

  • Ivanisio Manso Maciel  On abril 13, 2009 at am:59 am

    Pelo que vejo, a justiça brasileira (com “j” minúsculo, mesmo) não é somente cega. É também, surda e muda. Surda, porque não ouve o clamor da sociedade que pede rapidez no julgamento desta ação. Muda, porque não fala, não se pronuncia diante de um clamor público pelo julgamento desta causa. É muito cômodo para Ministros do STF que têm salários estratosféricos, não se penalizarem pelos chefes de famílias, profissionais de larga experiência, funcionários de muitas décadas de trabalho em prol da informação transparente, que estão com os seus salários em atraso, unicamente pelo descaso e falta de senso humanitário de membros desta Suprema Corte. Mas não se esqueçam senhodres ministros, que acima da justiça de vocês, está a Justiça Divina, esta sim, SUPREMA, VERDADEIRA E REAL.

  • Reinaldo  On janeiro 12, 2009 at pm:16 pm

    E realmente uma grande tristeza receber essa noticia, isso mostra o quanto o nosso povo Brasileiro se encontra ”dominado” pela informacao manipulada que se colocam nas bancas atraves de outros jornais.
    Espero que A Tribuna consiga se recuperar e voltar a publicar o espetacular jornal que sempre como sempre fez.

  • paulo pereira  On dezembro 9, 2008 at pm:13 pm

    É uma pena que este jornal deixe de circular. Mas se militares nao te calaram não vai ser o Lula que vai calar nos somos “POVO“ a maoria e nao vamos deixa fé em Deus e nos nossos Senadores Mao Santa e o Pedro Simon. GRTO Paulo de Manaus.

  • gerson Tavares  On dezembro 4, 2008 at am:32 am

    Quinta-feira, Dezembro 04, 2008
    Tribuna da Imprensa, um jornal de peso

    Gerson Tavares

    No mês de dezembro de 1949, o jornalista Carlos Lacerda fundava o jornal “Tribuna da Imprensa”. Nasceu do desejo do jornalista, de ter seu próprio jornal. Um jornal que se fazia diferente e contava a história do Brasil de um outro modo, sempre desafiando a censura, mesmo durantes os chamados “anos de chumbo”, sempre tentando resgatar a verdade brasileira. Um jornal combativo, que se sentiu com a perda de seu fundador e idealizador.

    A “Tribuna da Imprensa” teve seu grande momento nos anos 50, quando foi um dos principais instrumentos da oposição ao segundo governo Getúlio Vargas, entre 1951 e 1954. Em 5 de agosto de 1954, Lacerda foi baleado no pé num atentado que custou a vida do major da Aeronáutica, Rubens Vaz, e aumentou a pressão sobre Vargas, acusado diariamente nas páginas do jornal, de comandar um governo corrupto. Getúlio Vargas se matou no dia 24 do mesmo mês.

    Agora, a “Tribuna da Imprensa” deixa de circular. Na segunda-feira, em sua última edição, o diário anunciou a suspensão temporária com um artigo de primeira página repleto de críticas ao ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Joaquim Barbosa.

    O atual dono, Hélio Fernandes, acusa o magistrado de protelar o julgamento de uma ação contra a União no valor de R$ 10 milhões por conta de perseguições durante a ditadura. Hélio Fernandes conta com a indenização para tirar o jornal da crise. Os 90 funcionários da empresa entraram em férias coletivas sem salários. A “Tribuna da Imprensa” nestes últimos tempos, estava vendendo 800 exemplares por dia.

    É com uma grande mágoa que vejo hoje, quando os “companheiros” petistas se regalam com suas “bolsas ditaduras”, o sonho de um jornalista combativo acabar e para maior tristeza, levando 90 famílias ao pesadelo do desemprego.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: