Morre o sambista Luiz Carlos da Vila



Morreu hoje, no Hospital do Andaraí no Rio, o grande sambista Luiz Carlos da Vila, de 59 anos. Ele estava internado desde o início de setembro, e nos últimos dias sua situação piorou, e os médicos proibiram as visitas. Luiz Carlos deve ser enterrado amanhã, no Cemitério de Inhaúma. Como cantor e compositor, deixa grandes obras, como “Kizomba”, “Doce refúgio”, Cabô meu pai” e “O show tem que continuar”.

Luiz Carlos nasceu em 21/07/1949 na Vila da Penha, e daí vem seu apelido. A Vila Isabel só surgiu em sua vida anos depois, em 1977, quando entrou na ala de compositores da escola. No final da década de 70 e início dos anos 80, foi um dos mais ativos participantes das rodas do Cacique de Ramos, que formataram o atual estilo de samba.

Sua primeira música gravada foi “Graças ao mundo”, pelo Conjunto Nosso Samba, nos anos 70. Em 1979, ganhou seu primeiro samba-enredo na Unidos de Vila Isabel, “Os anos dourados de Carlos Magno”, e a escola foi a campeã do segundo grupo. No ano seguinte, Beth Carvalho gravou duas músicas suas, “Herança” e “O sonho não acabou”. Em 1983, gravou seu primeiro disco, com produção de Martinho da Vila.Em 1988, sua música “Além da razão” ganhou o Prêmio Sharp de Melhor Música. No mesmo ano, foi o autor de “Kizomba – A festa da raça”, com o qual a Vila ganhou seu primeiro título entre as grandes do carnaval carioca.

Entre seus parceiros estão Paulo César Pinheiro, Aldir Blanc, Moacyr Luz, Martinho da Vila e Wilson das Neves. Suas composições já foram gravadas por vários cantores da música popular brasileira, como Jair Rodrigues, Simone, Fundo de Quintal, Nara Leão e Jorge Aragão. Nas Diretas Já, sua música “Um dia de graças” tornou-se um hino.

Recentemente, fez vários shows com o grupo Os Suburbanistas, formado por ele, Mauro Dinize e Dorina. Na última sexta-feira, um samba seu concorria nas eliminatórias da Unidos de Vila Isabel para o carnaval 2009, mas foi derrotado.

Extra

Comente ou deixe um trackback: URL do Trackback.

Comentários

  • Professor Freire  On dezembro 25, 2015 at am:07 am

    Imagine que um gênio na interpretação de samba morre e poucos souberam. Porque será que a imprensa tem endeuzado tanto a mediocridade artística?????

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: