SBT oferece 80% menos para Galisteu renovar


Isso mesmo: redução de 80% no salário fixo, divisão de publicidade –mas só depois de pagos os custos de produção e salários–, e um programa semanal. Essa é a proposta que o SBT fez a Adriane Galisteu para a renovação de seu contrato, que venceu há dez dias. Pessoas a par das negociações,  afirmam que a proposta pode ser considerada “humilhante”.

Dos R$ 500 mil mensais que ela recebia no contrato anterior, o SBT oferece agora R$ 100 mil (e mais dois anos de contrato). Galisteu só receberia mais do que isso se seu programa atrair anunciantes e merchandising. Nesse caso, o SBT ficaria com 50% e Galisteu com outros 50%.

Só que, antes da divisão dos lucros, o SBT teria direito de descontar todos os gastos da produção –da energia elétrica à produção; do custo de transporte de eventuais platéias a gastos com convidados. Enfim, todo o custo de produção.

Esse modelo contratual já vem sendo usado há anos entre o SBT e Gugu Liberato, com extrema lucratividade para apresentador e emissora. Mas há uma diferença imensa entre públicos (e de anunciantes) de Gugu e Galisteu.

O SBT deu-lhe um prazo (não revelado) para que Galisteu pense bem e procure outros interessados em seu passe antes de renovar. Foi-lhe informado que, caso receba alguma proposta, que a leve para o SBT analisar e decidir se vai cobri-la ou não.

Trata-se de um tapa com luva de seda na apresentadora que reclamou que o SBT estaria obrigando-a, por meio de uma cláusula, a ficar mais dois anos na casa, mesmo contra sua vontade.

Duas emissoras se interessaram em conversar com Galisteu: a Band e o canal pago GNT.

A Band, meses atrás, teria falado em algo em torno de R$ 70 mil mensais, mas muito tempo já se passou desde então, e a emissora agora estaria receosa de levar mais um “mico” de audiência. Afinal, já tem o caso Cicarelli, cujo programa foi tirado do ar por falta de ibope.

Já o GNT, muito mais contido, reza a lenda que o salário de Adriane Galisteu ficaria em torno de módicos R$ 35 mil. Módicos, é claro, para quem ganhou R$ 500 mil mensais nos últimos quatro anos. Mas, tudo leva a crer que o tempo de artistas com salários nababescos acabou.

Ricardo Feltrin – UOL

Comente ou deixe um trackback: URL do Trackback.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: