UniRitter é vendida à Anhanguera


Veja aqui Confirmação da Venda atualizada em 03 setembro

ATENÇÃO: ENTRE NO LINK E VEJA NOTA EMITIDA HOJE (28/08/2008) PELA UNIRITTER

UNIRITTER EMITE NOTA OFICIAL SOBRE A VENDA

Embora ainda não seja uma informação oficial, está praticamente selada a venda do UniRitter, de Porto Alegre, à Anhanguera Educacional, com sede em São Paulo, uma das maiores organizações privadas do setor de ensino superior no Brasil, com 48 unidades distribuídas no sudeste, centro-oeste e sul do país. Seu principal acionista é o professor de matemática em cursinhos nos anos de 1970, Antonio Carbonari Netto, que em 14 anos multiplicou por 14 o número de alunos, de 10 mil em 1994, quando a criou em Valinhos, para 140 mil.

É a primeira instituição de ensino superior da América Latina a realizar oferta pública de ações a investidores, daí porque a notícia da nova aquisição demora a ser oficializada. Desde a abertura de capital em janeiro de 2007, já fez duas ofertas públicas de ações na Bolsa, captando R$ 860 milhões, usados para treinamento de professores e, sobretudo, para aquisições.

O Centro Universitário Ritter dos Reis (UniRitter) foi fundado em 1971 por Romeu Ritter dos Reis e tem 7 cursos de graduação: Administração, Arquitetura e Urbanismo, Design , Direito, Letras, Pedagogia e Sistemas de Informação. E duas Graduações Tecnológicas: Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Tecnologia em Processos Gerenciais.

Os estudantes da Ritter dos Reis programaram ato público contra a venda, na segunda-feira no Campus Canoas.

Embora Anhanguera e Ritter dos Reis não confirmem, sabe-se que cada aluno da Ritter dos Reis está sendo vendido por R$ 4,4 mil, o mesmo preço que os paulistas ofereceram em setembro do ano passado pela Faculdade Planalto, de Passo Fundo.

. A Anhangüera Educacional existe desde 1994, e é formada por 34 unidades de ensino distribuídas em várias localidades do país, com aproximadamente 87 mil alunos. No Rio Grande do Sul, com a compra da Faplan, em Passo Fundo, a Anhangüera passa a contar com três instituições. Em julho de 2007 a Anhangüera Educacional comprou a Sociedade Educacional Noiva do Mar. Com isso, o grupo passou a controlar as Faculdades Atlântico Sul, com três sedes em Rio Grande e duas em Pelotas.

A assessoria de comunicação da Anhanguera informou que, por ser uma companhia com capital aberto, negociada em bolsa de valores, não poderia se manifestar, mas reiterou que o grupo segue em expansão. Já o Uniritter, postou em seu site um esclarecimento de que a instituição não foi vendida e que as atividades acadêmicas e administrativas prosseguem normalmente.

Com medo de que ocorram demissões e mudanças na política pedagógica da instituição, professores procuraram o sindicato da categoria.

O modelo de gestão adotado pela Anhanguera, que começou a ficar conhecido nos Estados Unidos na década de 1990, destoa do perfil do Ensino Superior privado gaúcho, ainda dominado por instituições comunitárias ou confessionais e sem fins lucrativos. A preocupação dos professores está relacionada ao tipo de administração da Anhanguera, voltada a garantir ganhos aos acionistas

Fundada em 1994, transformou-se em entidade com fins lucrativos em 2003. Recebeu, então, aporte de vários investidores e experimentou crescimento vertiginoso: de três unidades de ensino, há cinco anos, chegou a 45 em 2008. Seu público-alvo principal são alunos que trabalham ao dia e estudam à noite.

Para o presidente do Sindicato dos Estabelecimentos do Ensino Privado no Estado, Osvino Toillier, uma instituição com essa postura não deve ser encarada com temor ou repúdio:”>– É uma tendência já percebida em outros países e no centro do Brasil. O lucro não é o pecado, o que importa é o que fazemos com ele.

Affonso Ritter/NF/JC

Comente ou deixe um trackback: URL do Trackback.

Comentários

  • Daniel Teixeira  On janeiro 21, 2010 at am:14 am

    Visitem minha comunidade sobre ANHANGUERA – MAIOR ROUBADA
    Histórico completo de todo esse processo em todo o Brasil

    http://www.orkut.com/Main#Community?cmm=95050262

  • Nilson de Souza Gaya  On julho 17, 2009 at pm:40 pm

    Nilson de Souza Gaya Disse:

    Meu nome é Nilson de Souza Gaya (perdi minha carteira com documentos do carro em nome de Luis Cipriani, da moto em nome de Nivaldo Sasso, carteira de motorista em nome de Nilson de Souza Gaya, carteira da Uniritter de Canoas, cartão da CEF e Banrisul, todos em nome de Nilson de Souza Gaya, documentos da UFRGS, no trajeto da Freeway até Cachoeirinha. Se alguém achar entre em contato pelos fones 51 912.97.258, 51 840.41.954, ou 51 3041-3327. Nilson de Souza Gaya é meu nome. Meu e-mail é “nilsondesouza@pop.com.br”. Obrigado.

  • eu hein...  On julho 9, 2009 at pm:20 pm

    pessoal, vcs não imaginam o quanto esse povo é ruim, péssimos salários ao funcionários, pessimas condições de trabalho, sem falar que não contratam nem mestres e doutores que é pra pagar menos…

    Os funcionários são mal educados, e poucos, aqui tem mais de mil alunos e 3 pessoa para atende-los…. o 0800 nunca funciona, vc espera 40 minutos pra ser atendido e eles mandarem vc procurar o DCA de sua unidade.. afff

    O público alvo deles são alunos da classe C e D, então nem precisa falar no “nivel” de quem estuda e do ensino…

    A uniderp não foi mudada, porque é a que dá mais lucro, inclusive foi a única que não teve o nome mudado…

    Tem empresa aqui em São Paulo que não pega alunos deles nem pra estágio…

    Fuja deles como o diabo da cruz e não deixem seus amigos serem vítimas !

  • Valmir Mendes  On maio 7, 2009 at pm:25 pm

    Nilson de Souza Gaya, se já é assim agora, então fique aí e veja multiplicar isso por um milhão!!!!!! Até fico contente que outros vão passar o que passamos !!!!!!!!rsrsrsrsrrs

  • Valmir Mendes  On maio 7, 2009 at pm:20 pm

    Espero que realmete isso não aconteça com vcs, pois aqui em Jaraguá do Sul-SC, houve a mesma coisa, vieram compraram, só querem lucros, sempre. O padrão e´de mais de 70 alunos por turma.
    Pelo que senti nos depoimentos a sua univer, é otima, não dexem acontecer…..

    Saúde e Paz…..

  • MARINA  On março 19, 2009 at pm:00 pm

    MORO EM CAMPO GRANDE E INFELIZMENTE A UNIDERP FOI VENDIDA PARA ESSA MERDA DE ANHANGUERA O ENSINO CAIU MUITO . FIQUEM ESPERTOS NÃO DEIXEM ACONTECER AI TBEM.

  • Aluna da Anhanguera de Campinas (SP)  On fevereiro 10, 2009 at pm:43 pm

    Que Dó de vocês… husausuasahshahsuasa
    coiitados….
    Vem pra Anhanguera, aqui o lema é MELHOR SEMPRE

  • Thiago  On dezembro 3, 2008 at am:29 am

    Galera, relaxa! Vocês estão perdendo tempo com todo esse movimento. Entendam, vocês não são estudantes de uma universidade pública, A universidade tem DONO. E se vocês sairem, com a redução de custos e enxugamento da grade curricular (que poder ser feita tranquilamente, porque tem muita coisa desprezível…) entrarão muitos novos alunos na nova UniRitter Anhanguerae vocês tão-somente serão substituidos por outros.
    Pensem, virão cursos de pós graduações, Cursos de Extensão…
    E a mudança não será tão grande como pensam!
    http://www.uniderp.br
    Esse link é de uma faculdade grande e muito bem colocada no país, que foi vendida para o grupo Anhanguera.
    Resultado: O ensino está o mesmo, assim como o nome, estrutura e professores. O que mudou: a cor da pintura da faculdade, entraram novos cursos de pós e graduações e outros na modalidade interativa.
    Eu sei porque estudo lá e numa outra faculdade pública.

    Aprendam a aproveitar as mudanças! Façam pesquisas, publiquem, aproveitem a Anhanguera (se comprar mesmo), para publicarem livros, artigos e outros trabalhos de cunho científico. Eles têm dinheiro! Se visam o lucro, façam trocas estratégicas. Ou acham que eles não precisam de divulgação de bons alunos, bons trabalhos…?

    Visem o sucesso! Independente de um currículo! Isso é coisa de gente medíocre.
    E, please, mantenham a calma. 🙂

  • Karina Thermis  On novembro 21, 2008 at pm:57 pm

    Nossa Sr. Nilson de Souza Gaya! Se você está tão revoltado com o UniRitter o que está esperando para “largar fora”, parece ser um aluno reclamão, daqueles que atrapalha a aula! Se vc está querendo aulas a distância está no lugar errado! Vai para a Anhanguera ou qualquer outra fábrica de diplomas vc não tem o perfil dos alunos do UniRitter deve cair fora mesmo!
    Vc Nilson de Souza Gaya deve perder as esperanças, pq a Ritter NÃO FOI VENDIDA, então melhor procurar um curso de gradução por EAD!
    Vc que se diz um aluno mais perspicaz, que faz perguntas complexas, um alunos inteligente e com mente aberta, vem até aqui para reclamar do lugar onde estuda, foi vc quem escolheu o UniRitter, tem todo o direito de mudar para outra faculdade se não está satisfeito!
    Não concordo com NADA que vc escreveu, muito pelo contrário, ou seja como a maioria do alunos do Uniritter, adoro aquele lugar os professores são muito bem qualificados, o esquema de Eixos facilita a compreensão da matéria, o Sajuir é ótimo para treinarmos a prática profissional, os funcionários e colaboradores sempre prestativos!

    • Francisco Severiano  On abril 4, 2010 at pm:07 pm

      Alguns fatos sobre o Sr. Nilson de Souza Gaya – basta ter paciência para ler.

      Processo nº 54.650 – Indenizatória
      Comarca de Cachoeirinha
      Autor: Antonio Vinicius da Silveira
      Réu: Cecílio Lacerda Martins
      Juíza prolatora: Viviane Miranda Becker
      Data: 29 de abril de 2003.
      Indenização. Danos morais. Advogado.
      Magistrado. Razões ofensivas.
      Vistos.
      Trata-se de Ação de Indenização por Danos Morais proposta por António Vinicius da Silveira contra Cecílio Lacerda Martins. Revela o demandante que, na condição de magistrado, atuou como julgador em dois, dentre muitos feitos, nos quais o réu atuou como procurador da parte autora. Na condição de magistrado, exaurou decisões que, por sua vez, se mostraram contrárias às pretensões do autor das ações. Aduziu que, quando da interposição das devidas apelações, o réu argüiu razões ofensivas à honra e boa fama do magistrado, ora autor. Sustenta que o réu o acusou de cometer o delito de corrupção passiva ou prevaricação e que as razões dos recursos são caluniosas, injuriosas e difamatórias. Revela que já representou criminalmente contra réu. Salientou que é de grande relevância o ocorrido, pois o autor exerce a magistratura desde 1989, foi professor universitário e atualmente faz parte do corpo docente da Escola Superior de Magistratura e da Fundação Escola Superior da Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Sul. Afirmou que o réu, procurando evadir-se de sua responsabilidade civil e penal, em manifestação pessoal em ambos os processos, protocolou petição em que atribuiu as ofensas a seu constituinte. Juntou cópias dos documentos que corroboram suas alegações. Citado, o réu apresentou contestação e não impugnou os fatos, mas tão somente autoria dos mesmos. Revela que o autor das acusações foi o seu cliente, nas duas ações em que o ora autor foi o patrocinador. Argüiu que o seu cliente se valeu da confiança de sua secretária oferecendo-se para imprimir as peças e que o mesmo inseriu propositadamente, nas peças, tais expressões. Defende-se, ainda, alegando que o desafeto do magistrado, em cartório, foi seu cliente, e que este foi confundido, pelo magistrado, como sendo o requerido.
      Sustentou que o Sr. Nilson de Souza Gaya jamais negou que tivesse ofendido o magistrado, e, inclusive, confirmou em depoimento perante o Juiz da 10ª Vara Criminal, todas as críticas e ofensas que fez contra o magistrado. Denunciou à lide à pessoa de Nilson Gaya. Ressaltou não existir qualquer motivo para ofender o magistrado, pessoa que segundo revela, sequer conhecia. Requereu o benefício da AJG. O autor repudiou as alegações inclusas na contestação. Insurgiu-se contra a denunciação à lide. Requereu o julgamento antecipado da lide e a condenação como litigante de má-fé
      SENTENÇAS 105
      Foi indeferido pedido de denunciação da lide na fl. 202 e, em 01/07/02, foi determinado que os autos viessem conclusos para sentença. Ocorreu que, em 14/10/02, foi juntada pelo autor uma procuração em que consta como outorgados o réu e o Sr. Nilson de Souza Gaya (fl. 205). Considerada como fato novo, foi dada vista à parte contrária em 12/11/02.
      Em 12/02/03, a parte ré manifestou-se nas fls. 207/210. Foi indeferida a produção de prova oral (fls. 202 e 211). Foi juntada a sentença criminal nas fls. 216/223.
      É o relatório.
      Decido.
      No exercício do árduo trabalho exercido pelo Ilustre Magistrado que,inconformado por ter sido atacado no seu íntimo e na respeitável honra e boa fama que ao longo de muitos anos construiu, interpôs a presente demanda.
      Antes de passar ao exame do mérito, importante consignar que a sentença do juízo criminal absolveu o réu com base no artigo 386, VI, do CPP, ou seja, absolveu com base na insuficiência de provas, o que não gera efeitos na seara cível. É sabido que o juízo criminal é mais rigoroso do que o juízo cível, uma ez que se trata de restrição de liberdade. Nada impede que o réu seja absolvido no crime e venha a ser condenado no cível, por se tratar de esferas diversas. Assim sendo, passo a análise do mérito.
      O réu reconheceu, na presente demanda, que houve, “de forma indevida”, a inscrição de expressões ofensivas ao Magistrado, nas peças por ele assinadas Contudo não admite a autoria destas e a confere a seu cliente, Sr. Nilson de Souza Gaya. Argüiu que incorreu em erro plenamente justificável, pois foi “traído” em sua confiança por seu cliente, haja vista que “assinou um documento sem o conhecimento de seu conteúdo”. (fl. 193). Sustentou que sua conduta é justificável e que a mesma não pode ser passível de indenização por danos morais, pois assim que constatou a xistência das peças, nos termos em que foram juntadas aos autos, procurou “de imediato minorar-lhe as conseqüências, peticionando no sentido de que os documentos ofensivos fossem retirados dos autos”. (fl.191).
      pode ser presumido; o simples fato de permanecer arrolado entre os “parciais e corruptos”, perante seus pares, sem dar motivos já é fato capaz de provocar angústia e sofrimento, estabelecendo-se a relação de causa e efeito no plano da faticidade. Este é o suporte fático da pretensão indenizatória, que encontra amparo
      Rejeito tal alegação, por se tratar de advogado, profissional que se presume, conhecedor e preparado para lidar, atuar, e prestar assessoria, em matéria de contratos e/ou processos, tais alegações restam inacreditáveis e incompreensíveis.Causa espanto o fato de o réu, advogado, tentar-se eximir de sua responsabilidade civil, por meio de alegações tão infundadas e ao mesmo tempo tão incompreensíveis. Mesmo que o réu não tivesse parte na autoria de tais peças, o fato de este apor sua assinatura nas peças processuais responsabiliza-o pelas mesmas, pois ao titular de direitos, só lhe é dado acesso ao Judiciário, se o fizer por intermédio de advogado, exceto nos casos previstos na Lei nº 9.099/90. Além disso, o argumento apresentado pelo réu caiu por terra quando o autor juntou procuração em que demonstra que o “cliente” faz parte do mesmo Escritório profissional do réu Cecílio Lacerda Martins, conforme atesta a procuração juntada aos autos. A responsabilidade e a autoria do ano restou comprovada, nos termos 106 SENTENÇAS do artigo 159, do CC. Afinal, uma peça processual, protocolada e juntada, deixa o autor sujeito a qualquer espécie de abalo ou dano de natureza moral e/ou material, uma vez que o processo é público e manuseado pelos funcionários, tanto do cartório quanto do fórum em geral, conforme a necessidade e rito do processo. Acertado é o entendimento Jurisprudencial do TJ/RS, Processo nº 599491710, que vem corroborar a pretensão da demanda:
      “ (…)Erro grosseiro que configura culpa grave e tangencia a má-fé. Dano moral configurado. A falta de publicidade não é causa excludente, mas causa de agravamento da indenização caso tivesse ocorrido. O dano moral se dá no íntimo da pessoa humana, no seu psíquico, razão pela qual independe de prova e decorre do próprio fato ilícito. Se há “indústria de ações de dano moral” é porque certamente há abundância de “matéria-prima”, pois é das regras da economia, e não só do direito, que só é possível indústria onde há fartura de produtos ou matérias a serem industrializados.
      Apelo Provido. Ação Julgada
      Procedente”. (grifei).
      Argüiu o réu que o dano moral deve ser provado, argumentos estes, que já foram refutados pela jurisprudência e pela doutrina, uma vez que os transtornos e constrangimentos causados pela conduta do réu caracterizam plenamente a relação de causa e efeito, nascendo para a vítima o direito à reparação pelos danos daí decorrentes, mormente sobre a sua honra e imagem.
      Com fulcro no voto do preclaro Desembargador Túlio de Oliveira Martins
      – relator da Apelação Cível nº 70000672410 da Primeira Câmara Especial Cível do TJ/RS, entendo que o dano moral pode ser provado mas também o jurídico no art. 159 do Código
      Civil e no art. 5º, incisos V e X da Constituição Federal, que por caminhos diversos estabelecem que aquele que ratica ato ilícito em prejuízo de outrem deve reparar o dano sempre que se estabelecer um nexo causal entre a lesão causada à parte e o ato guerreado; este último, no caso em tela, é exatamente a conduta irresponsável e inconseqüente do réu. No que diz com o dano moral tenho que é mais apropriada a expressão extrapatrimonial, uma vez que engloba todos os aspectos nefastos decorrentes da situação de angústia e vexame criada; seu deferimento neste caso terá, antes de tudo, efeito catártico e consolador, alcançando à parte ao menos a sensação de que sua inconformidade encontrou eco na Justiça.
      No dizer de Llambías, em seu “Tratado de Derecho Civil – Obligaciones”,
      dano moral é “todo sofrimento ou dor que se padece independentemente de qualquer repercussão de ordem patrimonial” (Buenos Aires, Perrot, T. I, pag. 272, sublinhei); diz ainda o doutrinador que no sentido maior do instituto é punitivo e não ressarcitório. Em outras palavras, em verdade o que o Direito busca é evitar que outros indivíduos sofram o mesmo mal, pois todo homem SENTENÇAS 107 busca preservar sua honra e bom nome, na família, no trabalho, e na sociedade. A dor, posto irreparável, é indenizável e a este direito não devem os homens renunciar, como nos demonstram as páginas magistrais de Rudolf Von Jhering, em “A Luta pelo Direito”. Está configurado o dano moral diante do constrangimento, evidenciado pelo vexame sofrido pelo autor, uma vez que, injustificadamente, teve seu nome envolvido em acusações de extrema gravosidade e relevância, contudo infundadas e sem veracidade, levadas a conhecimento de seus pares, em segundo grau de jurisdição, com o intuito de atacá-lo e de prejudicá-lo. São latentes as afirmações caluniosas e ofensivas utilizadas pela ré, em razões de apelação, na Ação Cautelar Inominada nº 00103040219:
      “ (…) Não é lícito ao Juiz da causa procurar fazer a defesa da parte contrária porque evidencia um ato de conluio, borrando a imagem do Poder Judiciário que, ao que se presume, deveria tomar decisões de forma imparcial aplicando sempre a justiça com o cumprimento da lei. “ (razões de Apelação da Ação Ordinária nº 103416641)
      Adiante, na mesma peça processual, referindo-se à vítima e a outra magistrada que igualmente presidiu o processo, consignou o réu que: “ De fato, eminentes Desembargadores, os magistrados não conhecem a lei e se a conhecem estão-se recusando a aplicar e cumpri-las, ou então, estão favorecendo parcialmente a parte contrária em troca de benefício desconhecido.
      Em razão de um singelo e corriqueiro indeferimento do benefício da AJG, aliás devidamente fundamentado pelo autor, constata-se a intenção de injuriar nas palavras utilizadas pelo réu, o que não ofendeu somente as pessoas dos magistrados, e sim de toda uma classe.
      “ (…) Esta mesma gratuidade, que indeferida em primeiro grau de jurisdição, originou a celeuma criada neste processo, que bem demonstra a falta de preparo profissional, ou até mesmo falta de decoro na função, dos servidores públicos Sr. António Vinicius Amaro da Silveira e Marta Borges Ortiz para o exercício da magistratura.” Adiante, na mesma peça processual, consignou o réu que: “ Mas a suspeição de incompetência para o exercício da magistratura não se finda nestes fatos. O despacho da fl. 34 se mostra constrangedor e vexatório ao apelante e vergonhoso para o Poder Judiciário numa profunda demonstração de não cumprimento da lei…”. Ao afirmar tais expressões nas peças processuais, o réu imputou falsamente à vítima os crimes de prevaricação e corrupção passiva, pois as afirmações excedem o “ animus defendendi” e ultrapassam o ânimo de apenas narrar fatos indispensáveis à fundamentação da ação proposta. Outra inverdade proferida injuriosamente documentalmente demonstrada é quando o réu aduziu que o autor levou 15 dias para a apresentação do pedido cautelando, em desatenção ao prazo de 02 dias estabelecidos na lei processual. Entretanto, conforme se verifica dos documentos acostados, a decisão em referência foi proferida exatamente no mesmo dia em que os autos estiveram conclusos e na mesma data em que o ora réu protocolou em cartório a petição
      108 SENTENÇAS das fls. 22/23 (23/12/99). Mesmo assim asseverou o réu:
      “ Mas o magistrado não respeita os prazos. “ (…)
      “ Por outro lado, insatisfatória e precária é a atuação do magistrado que conduz o andamento do processo cautelar como um todo. É que o magistrado, eminente Relator, além de não respeitar os prazos demonstra profundo desconhecimento da matéria, que é fácil. “ Como se não bastassem as imputações injuriosas e difamatórias já transcritas, houve ainda a atribuição falsa de fato definido como crime a ambos magistrados que atuaram no processo: “ É prova induvidosa de constrangimento ilegal mesmo, bem como, de falta de decoro na função de ambos os magistrados que despacharam no feito…”
      E mais:
      “ … Não é lícito ao Juiz da causa procurar fazer a defesa da parte contrária porque evidencia um ato de conluio, borrando a imagem do Poder Judiciário, que, ao que se presume, deveria tomar decisões de forma imparcial aplicando sempre a justiça com o cumprimento da Lei. (…) O não-cumprimento da lei e procurar fazer a defesa da parte constituem- se, no mínimo, em delito de prevaricação. Além do mais, as seguintes afirmações constituem o crime de corrupção passiva, excedendo o “animus defendi”: “ ato de conluio, borrando a imagem do Poder Judiciário que, ao que presume-se, deveria tomar decisões de forma imparcial aplicando sempre a Justiça com o cumprimento da lei. “
      Registre-se, outrossim, que o Egrégio Tribunal de Justiça/RS, ao julgar a Apelação Cível nº 70002415891 (10ª Câmara Cível, Rel. Des. Jorge Alberto Pestana) interposta pela parte ré, bem reconheceu as expressões injuriosas e injustificadas para com os Magistrados que atuaram no feito, incluindo o presente autor, determinando que se riscassem tais expressões (fls. 224/235). O dano moral ficou evidente e deve ser fixado, considerando a conduta do réu que insultou o autor sem a que este lhe desse motivos e sem razão, haja vista que, como supra citado, não vislumbro nenhuma excludente de culpa nas alegações do réu. Ademais, o erro do réu, de tão grosseiro e injustificável que chega a causar séria dúvida a quem examina os fatos sobre se trata de mero erro ou se foi um “chute” intencional do mesmo, ou se foi por má-fé. Convenhamos que é muito erro que, se não configura dolo, caracteriza culpa grave. A indenização do dano moral tem caráter não só de compensar a dor, mas também de penalização e de profilaxia para evitar a reincidência. Então, observado o caráter ao mesmo tempo reparatório e preventivo da condenação, suportável para o ofensor, mas pesado e sensível à sua economia, procura-se arbitrar um valor pesado e sensível à economia do réu, para que procedimentos e condutas destas espécies deixem de perturbar a tranqüilidade dos cidadãos, que, como o autor, sequer dão motivos para tanto e que, na sua labuta, já árdua, zelam pela honra e boa fama. Tal indenização deve ser fixada levando em conta a situação econômica
      SENTENÇAS 109 das partes e a culpa do ofensor. Evidente que o “erro” do réu não tem justificativa, conforme antes referido. O autor, nem que cometesse tais atos daria motivos para tais alegações, na forma, momento e local em que se deram, por se tratar de um representante de um Poder que representa a democracia e garante o exercício dos direitos dos cidadãos. Assim, não há justificativa para o procedimento do réu. Se o “delinqüente”- entenda-se, aquele que comete delito (s) – deve ser tratado com dignidade, urbanidade e educação , sem ameaças e sem incomodações a seus direitos, exceto se previsto em lei, com muito razão assim deve ser tratado aquele que sequer transgride o legal. Diante disso entendo razoável e de bom senso a indenização em 170 salários mínimos..
      Indefiro o benefício da AJG, pois o réu é advogado militante na comarca, presumindo ter condições de arcar com os ônus da sucumbência. Afinal, o instituto da assistência judiciária gratuita destina-se aos realmente necessitados. Havendo fortes indícios de suficiência de recursos, visto que o postulante é advogado e não juntou a declaração de pobreza, elidida esta a presunção juris tantum. Nesse sentido: (Apelação Cível nº 70000682393, 2ª Câmara Especial Cível do TJRS, Vacaria, Relª. Desª. Matilde Chabar Maia).
      Cabe a penalidade de litigância de má-fé, nos termos do artigo 17, inciso II, do CPC, pois ficou demonstrado que Nilson de Souza Gaya é mandatário com o réu, fazendo parte do mesmo escritório profissional (procuração da fl. 205). Ora, se trabalham juntos, não pode a parte ré alegar que não tem conhecimentos das petições escritas pelo mesmo. Isso Posto, com base no artigo 269, inciso I, do CPC, condeno o réu ao pagamento dos danos morais, que fixo em 170 salários mínimos, piso nacional, com juros de mora de 6% ao ano, a partir da citação. Condeno o réu nas custas e nos honorários, que fixo em 20% sobre o valor da condenação, atendendo o excelente trabalho desenvolvido. Condeno ainda o réu, como litigante de má-fé, a pagar multa no valor equivalente a 1% (um por cento) sobre o valor atualizado da causa, forte no art. 17, incs. IV, c/c o art. 18, ambos do CPC. Sem condenação nas perdas e danos, por não prova do prejuízo. Publique-se, registre-se e intimem-se.
      Cachoeirinha, 29 de abril de 2003.
      Viviane Miranda Becker – Juíza de Direito.

      • Nilson de Souza Gaya  On abril 5, 2010 at am:34 am

        Cruzes meu filho, os fatos que tu traz aqui são da época em que eu tinha cabelo. Tu já procurou saber que eu fui parte nesse processo, apesar de citarem meu nome. Tua já procurou saber se eu tive o direito de contraditório. Que eu saiba esse processo eu nunca fui chamado para me manifestar e por isso falaram o que quiseram…

        Vejo que tu ta bem atrasado. A Karina Thermis se manifestou em 21 de novembro de 2008 e tu achou que estaria fazendo uma grande coisa com teus escritos de 04-04-2010. Tu e movido a válvula?

        Que eu saiba o tal processo que tu cita, em que eu não fui parte, já foi extinto e o objeto prescrito.

        Vi que tu não serás um bom advogado agindo desse jeito, deveria ter fundamentado tua resposta no ponto em que nos estávamos discutindo, que era a venda, ou não, da Uniritter. Acredito que minha vida pessoal não deve te interessar nem aos colegas, ate porque vejo que há muita inveja da tua parte quanto ao meu agir, conhecimento e técnica de 21 anos de militância forense sem mesmo ser formado em direito. Deve ser dolorido para ti eu trabalhar com 08 advogados, e ter mais de 650 clientes, coisa que todo mundo sabe, e enfrentar materias complicadas, como direito imobiliário e questões possessórias, sem ao menos ser formado. E olha que recém tirei minha carteira da OAB.

        Em vez que me invejar, porque não procura me conhecer e extrair de mim um pouco de minha bagagem profissional. Tu aprenderia muito comigo. Estou abrindo Escritório no centro de Porto Alegre, na Andradas, com cerca de 200 m2, e ocupará a metade de um andar inteiro.

        Está ai o convite.

      • Nilson de Souza Gaya  On abril 5, 2010 at am:46 am

        Ah! Meu e-mail pessoal e “nilsondesouza@pop.com.br”.

        Me mande teu curriculo.

  • Nilson de Souza Gaya  On outubro 17, 2008 at pm:12 pm

    Pessoal, vocês estão todos errados. Eu sonho o dia em que chegarei na faculdade (Canoas) e receber a notícia oficial de a Ritter foi vendida. Atualmente, é uma vergonha o paternalismo que impera nos servidores da Ritter. Servidores (na grande maioria alunos que fazem bolsa para não pagar algumas cadeiras) tratam outros alunos como se fosse a ritter empresa deles. Nós não temos ensino à distância, eliminação de matérias por provas de eficência, não há aulas gravadas dos professores para que o aluno possa pegar na biblioteca e acompanhar alguma aula que por ventura tenha perdido, não há polígrafos escritos pelos professores das aulas que pretendem dar, não há, na grande maioria dos professores, material elaborado pelos próprios mestres a fim de facilitar a vida do aluno. falta pedagogia de ensino em grande parte dos professores que embora ostentam títulos de mestrados e doutorados, NÃO SABEM DAR AULA e passar o conhecimento aos alunos. A faculdade está voltada para professores graduado profissionalmente, que enchem a boca para dizer que são mestres disso e doutorados daquilo, mas quando um aluno mais perspicaz faz uma pergunta complexa (alunos inteligentes e com mente aberta) tais professores não sabem responder na hora a dúvida do aluno, demonstrando claramente que não sabem ou não dominam a matéria por completo.

    Nossas aulas, se fossem à distância, nós não teriámos aulas na faculdade mas sim em casa, no escritório ou qualquer outro lugar, tudo mediante vídeo conferência, seria reduzido em 80% os custos da faculdade. Iriámos uma vez por semana na faculdade para debater a matéria estudada em casa a semana inteira. Não precisariamos nos deslocar todos os dias no trânsito, pegar sol, chuva, etc.

    A faculdade não ficaria ridicularizada cada vez que a gente vai reclamar por escrito e a secretaria fica criando empecilho para não reeceber o protocolo (voce já viu que os alunos não tem liberdade para manifestar todas suas reclamações como em uma petição inicial, porque os formulários nãio tem espaço) alegando que não existe código no sistema pré-agendado para receber o documento escrito, mandando a gente prencher vários outros requerimentos contra a vontade de quem protocola.

    Se fosse vendida por empresa com objetivo de lucro, tudo seria mais fácil e quando houvesse erro a gente processava ela pela perda da chance, danos, indenizatória, obrigação de fazer, de não fazer, etc.

    Já na ritter se tu reclama do professor para os cordenadores, esses não investigam ou se investigam nada acontece com o professor e a culpa é sempre do aluno.

    Erroneamente dissem que a ritter é nossa! Nossa coisa nenhuma. Duvido que algum aluno inadimplente consiga fazer sua matrícula para o semestre seguinte. Duvido que se o aluno não pagar qualquer taxa adminitrativa terá seu requerimento atendido.

    Voce já viu algum aluno receber dividendo das ações da ritter?

    A ritter é empresa privada. Propriedade de terceiros. Pertence a família Ritter. Para nós tanto faz se for vendiuda ou não. Ela objetiva o lucro, tanto que cancela os cursos de menos de 15 alunos porque não quer ter despeza ensinando meia dúzia de alunos interessados.

    Nós objetivamos o conhecimento.

    Só quem não sabe nada de direito pensa o contrário (que a ritter é nossa!).

    Infelizmente muitos alunos desinteligentes estão assistindo muita malhação, achando que lá, na novelina para leigos, estudantes de escola particular podem reinvindicar atos de ensino público sobre empresa de propriedade privada, que objetiva o lucro.

    Deus do céu. Será que sabem mesmo direito? Colaram nas provas?

    Tomara que a ritter seja vendida e que nós tenhamos prestações mais baixa, carga horária reduzida, ensino semi-presencial, ensino a distância, videos conferência, que as aulas dos professores sejam gravadas e disponibilizadas na biblioteca para todos os alunos e que a presença não seja requisito de reprovação do aluno, ainda que ele tire mais do que a média nas provas.

    Somente professor incompetente e recalcado pode rodar o bom aluno, que sabe a matéria de cor e salteado, por mesquinharia de presença. Hoje com acesso a informação exagerada na internet, o aluno tem outros meios de aprendizado muito mais eficazes e faz a faculdade só para obter o diploma que lhe falta.

    Pensem nisso.

    Boa noite.

  • Nego Boca  On setembro 29, 2008 at pm:32 pm

    Parece que o grupo Abril (Revista Veja, MTV, TVA) vai entrar na briga pela compra da Ritter, assim como o grupo paranaense Objetivo.

    A Feevale tentou uma parceria mas foi acima dos valores que estavam dispostos a pagar.

  • Eu Mesmo  On setembro 19, 2008 at am:19 am

    Pessoal fiquei sabendo agora que uma tal de Apollo Americano quer comprar a UNIRITTER é verdade?

  • reitor  On setembro 18, 2008 at pm:13 pm

    escolinha do prof RAIMUNDO
    GRÊMIO-CHAMPIONS LEAGUE

    http://www.geraldogremio.com.br

  • Moises  On setembro 17, 2008 at am:35 am

    Relaxem pessoal, pense no lado positivo, se vier vem investimento, ai fica fácil é so fiscalizar a continuidade da qualidade do ensino, que vem sendo a marca da Uniriter, ademais já li que o campus de Porto Alegre foi vendido.
    Por fim assisti o movimento enfrente ao campus de Canoas, acho que o caminho é esse, pois se venderem, pelo menos saberão que os acadêmicos estão atentos e organizados e prontos a fiscalizar a qualidade do ensino.

    PARABÉNS ao manifestantes.

    Moises Delgado
    Aluno do Pós em dir trabalho

  • Rodrigo  On setembro 16, 2008 at am:55 am

    Parabéns a Anhanguera que está finalmente vindo para a região e aumentará a concorrência entre as universidades e faculdades, o que certamente fará com que outras universidades revisem o valor absurdo dos créditos.

  • Jorge Luís  On setembro 15, 2008 at pm:51 pm

    Vejam o que está sendo divulgado por alunos Uniritter, desde a semana passada…interessante !

    PALAVRA DOS ALUNOS UNIRITTER: Alunos do Centro Universitário UNIRITTER, considerado o melhor do sul do país, pelo IGC, do MEC, apreensivos e indignados com a suposta venda da instituição para o grupo paulista Anhanguera Educacional, estão mobilizados, no sentido de buscar alternativas para o problema que vem atormentando o meio acadêmico nas últimas semanas: a suposta venda do Centro Universitário UNIRITTER para o Grupo Anhanguera Educacional. Percebemos que, de fato, trata-se de um problema, já que, conforme está sendo amplamente noticiado, o grupo Anhanguera Educacional, por prezar exclusivamente o retorno financeiro aos seus investidores, no afã de minimizar custos e auferir lucros, descuida do que é caro aos alunos, a qualidade do ensino. Todo corpo discente UNIRITTER, indistintamente, entende que a relação entre instituição e aluno, NÃO pode ser tratada como uma mera transação comercial. Educação séria não é como especular na bolsa de valores e aluno da Uniritter não é mercadoria. Nós alunos da UNIRITTER não queremos, de forma alguma, ver estampados em nossos certificados de conclusão de curso, o emblema da Anhanguera Educacional. Isto não seria só mais um desrespeito ao alunos ou à memória de seu fundador, mas a depreciação radical na qualidade de ensino proposta pelo Dr. Romeu Ritter dos Reis. Um dos princípios basilares do projeto Anhanguera, é a centralização, em âmbito nacional, do conhecido plano pedagógico da Anhanguera Educacional. Trata-se de uma afronta às diferenças regionais, não funciona. Diante disto, deixamos bem claro que NÃO queremos, de forma alguma, professores desqualificados, escolhidos, quem sabe, em razão de baixos salários, meros executores de uma cartilha proposta coercitivamente pela Matriz Anhanguera, em São Paulo. NÃO queremos aulas em vídeo ou ministrada por monitores/alunos. NÃO queremos apostilas pré editadas ou livros customizados (partes de livros enxertados em capas com o nome da Anhanguera Educacional), os quais bitolam e limitam o aluno. Ao ingressar no UNIRITTER, cada aluno fez uma escolha, escolheu um dos melhores Centros Universitários do país, o qual possui um corpo docente composto de mestres e doutores, além de infra estrutura adequada, setores e serviços onde funcionários qualificados atendem com excelência e presteza. Nós, alunos do Centro Universitário UNIRITTER, não temos preço. No futuro, almejávamos um certificado de conclusão UNIRITTER, com todos os valores a ele agregados, mas, caso venha confirmar-se a venda ou qualquer outro tipo de negociação com a Anhanguera Educacional, a maioria dos alunos dos Campi Porto Alegre e Canoas, historicamente, promoverão grande evasão dos bancos acadêmicos do Centro Universitário UNIRITTER. Uma comissão de alunos do UNIRITTER está visitando outras instituições em Porto Alegre e Região Metropolitana (ULBRA, PUC, UNISINOS, UNILASSALE, etc.), visando a obtenção de suporte, no caso de uma migração massiça de alunos UNIRITTER para outros estabelecimentos de ensino superior. Todas instituições visitadas, até o presente momento, demonstraram solidariedade ao pleito dos alunos do UNIRITTER, além do que demonstraram contrariedade com a forma pela qual a Anhanguera Educacional está tratando a educação no País. Finalizando, aguardamos nova Nota oficial do UNIRITTER, já que aquela, intitulada “Palavra da Reitoria”, postada vários dias sucessivamente, no site, foi retirada do ar na segunda-feira, 08/09/2008. Queremos informações precisas, esclarecedoras sobre o caso e que, nós alunos, sejamos informados sobre quem está negociando com o UNIRITTER e quais os termos do contrato que, supostamente, será pactuado entre as partes.

  • Conference  On setembro 12, 2008 at pm:21 pm

    Pessoal, pára de ficarem se baseiando em bobagens, a Anhanguera é só um grupo que administra empresas de educação,,,,a UNIRITTER continuará a MESMA….

    meu Deus !! quanto desespero…. no Campo Grade-MS tem uma grande Universidade a UNIDERP e é do grupo anhanguera… ela é uma ótima universidade no estado embora seja da anhanguera não mudou nada… nem o nome mudou… vejam o site:

    http://www.uniderp.br

    vcs se levam muito pelo o que as opiniões dizem ,,,,valorizem seus estudos, sua faculdade, seus esforços em aprender, cobrem e exijam dos professores, façam seus estudos valerem a pena !!!

  • PROFESSOR  On setembro 8, 2008 at pm:50 pm

    SE NAO ESTAO SATISFEITOS VAO PRA PUC QUE P…… A FACULDADE É DO CARA, ELE TA POUCO SE “LIXANDO” PRA VCS, PRA QUE ALTA QUALIDADE DE ENSINO (QUE NAO É) QUANDO A QUALIDADE DE APRENDIZAGEM E BAIXA EHEHEHEHEHE…. E É MENTIRÁ, A RITTER NAO É A 3ª MELHOR DO PAIS TAO POUCO A 1ª DO ESTADO…PESQUISEM!!!!!

  • ALuno SATISFEITO  On setembro 8, 2008 at pm:56 pm

    Vai todos vcs… que vendam essa logo!!! Com certeza ficará 1000x melhor.

    Vão tomar com “A RITTER É NOSSA…”

  • Edson Arantes  On setembro 4, 2008 at pm:29 pm

    Pessoal, lamentável essa venda, mas liguem-se no seguinte. A onda agora é a expansão do ensino federal, inclusive com cursos noturnos. O ensino privado e instituições de terceira linha como a Ritter dos Reis (abaixo da Unisinos e PUC que são de segunda linha), vão sofrer grande crise. Daí a aquisição por esses grandes grupos paulistas, onde o ensino privado é dominado por sócios capitalistas e não pelo modelo comunitário do RS. O protesto é muito improtante para mostrar para outras instituições privadas que esse modelo empresarial de ensino universitário não tem muita receptividade por aqui.

  • anônimo  On agosto 28, 2008 at pm:33 pm

    Me formei na Ritter e estou muito triste com isso tudo. Se for vendida mesmo acho que os alunos tem mesmo é que saír, porque com certeza ensino vai piorar.

  • Nilnews  On agosto 27, 2008 at pm:24 pm

    Pessoal;

    leiam no link acima nota emitida hoje pela UniRitter

  • Brujah  On agosto 27, 2008 at pm:29 pm

    A reitoria da UniRitter nega em nota oficial uma possível venda

    http://www.baguete.com.br/noticiasDetalhes.php?id=27520

  • Preparem-se para o laranja!!  On agosto 27, 2008 at pm:45 pm

    Se existisse uma lata de lixo da educação, a marca de tal lata seria anhnanguera!
    Esses paulistas que vendem diploma e adoram nomes indígenas só sabem arrebentar com as esperanças dos alunos. Vão pegar um curso que é reconhecido pelo mec e reduzir carga horária, mandar professores embora, deixar a biblioteca abandonada e vender cartilhas. Além de tudo, e do nome ridículo, vão pintar tudo de laranja (pobre da camisa da seleção do Van Basten!!!).
    Que desgraça para a educação. Que o mec fique sabendo dos absurdos e da fraude que é a faculdade tibituera, ôpa, aranranguera… ah, todo mundo sabe do que eu falo.
    Bem, agora só falta inventarem faculdade pindamonhangaba.
    Pobre tupi-guarani.
    Que lixo.
    deveriam juntar todos que estão insatisfeitos com esta instituição (perguntem pro pessoal lá de pelotas, de rio grande e de passo fundo) para tacar ovo podre na sede dos laranjas lavadores de dinheiro em SA. Iria faltar ovo aqui em POA.

  • Angélica  On agosto 25, 2008 at pm:02 pm

    eu acho que isso tudo é uma falta de respeito para com os alunos que, quando ingressaram no ensino superior, acreditavam na instituição que estavam aderindo. No entanto, esses FILHOS DE UMA PUTA da Igreja Universal, se meteram no meio e o nosso bondoso reitor e sua família por motivos que ninguém sabe né ( DINHEIRO ) aceitaram vender o centro universitário. Portanto, a única religião que existe é DEUS. A igreja universal é SACANA, um bando de VAGABUNDOS que não tem o que fazer e roubam o dinheiro do povo brasileiro! Simplismente, vão se fu**! E, um dia, creio que esses cornos dessa maldita igreja que fundou essa merda dessa anhaguera, irão pagar por tudo isso! O que aqui se faz, aqui mesmo se paga. Desculpe as palavras mas, UNIVERSAL, elas são todas dirigidas à vocês com muito prazer e honra! VÃO À PUTA QUE OS PARIU!

  • Gabriela  On agosto 23, 2008 at pm:41 pm

    Gente, o que nos resta é aceitar ou fazermos manifestos, com muita mídia, não local, mas do país, vamos chamar o JN. Qual mercenário iria aceitar comprar uma instituição vazia??? Eu vou sair semestre que vem, se esta anhanguera assumir a posse, pois não vou ter cara de pau e chegar par uma empresa e constar no meu curriculo o nome anhanguera. Depois que começou as notícias de que foi vendida, entrei em sites desta coisa. É o fim para os profissionais que iriam se formar com o nome Uniritter. Vergonhoso para o Sr Reitor e Reitora. Obrigada por nos ver sair da pior forma possível da Universidade. Com vergonha, indignação e com certeza, será muito mal falada. Da 3ª melhor instituição do pais para a 1ª no ranquin das piores.

  • cloverson  On agosto 23, 2008 at am:57 am

    É muito triste mesmo pessoal. Estou no 6º semestre de Direito e assim como a maioria dos colegas fiquei chocado. Sempre tive orgulho de dizer e mostrar que cursava direito na melhor faculdade privada do RS e exibia o selo OAB recomenda. Após esta venda com certeza terei vergonh. Imagina! Onde estudas? Na faculdade Anhanguera (ou Tibiquera como chamamos na turma CMB-Canoas). Uma mudança dessas no Diploma, sera muito negativo para que for disputar uma vaga no mercado de trabalho.
    OREMOS. Como disse Regina Duarte: “Eu estou com medo”.
    Abraços

  • Priscila Ribeiro Mendes  On agosto 22, 2008 at pm:05 pm

    Eu entrei no ano de 2008, primeiro semestre, faço direito. Me lembro na apresenteção da reitoria, o Dr.flavio com os seus olhos brilhantes ao ver os novos alunos, podia sentir nele o verdadeiro amor por tudo que foi construido. E que realmente somos pra eles pessoas e não mercadorias.
    A Uniritter se torno parte da minha vida, é uma instituição diferenciada pra eles não somos mas um, mas sim um novo profissional. Posso sentir o verdadeiro amor que esse homem tem por esta instituição. Mas quando soube da noticia fiquei realmente muito triste, a historia dessa faculdade é muito bonita pra ver entregue assim aos paulistas que só visam lucro, quantidade. MAS SERA QUE A RITTER NÃO ESTA COM POSSIBILIDADE DE FALENCIA..sE VIRASSE UMA FACUL FILANTROPICA PELO MENOS TERIAMOS AJUDA DO GOVERNO E A FACUL NÃO SERIA MANTIDA SOMENTE COM AS MENSALIDADES QUE CREIO QUE DEVE SER BEM DIFICIL DE SE MANTER.
    MAS ESTOU EXTREMAMENTE TRISTE, ISTO É UM PLOBLEMA NOSSO, E TBM O QUE SERA DE NOSSOS MESTRES E DOUTORES.
    NÃO SEI SE JÁ NÃO FOI VENDIDA MAS AXO QUE PODERIAM CONVOCAR UMA REUNIÃO NO AUDITORIO E COMUNICAR O QUE ESTA ACONTECENDO.
    QUERIA ESTAR SONHANDO E QUE TUDO ISSO FOSSE MENTIRA.
    AMO MUITO ESSA FACULDADE, E ISSO TUDO É MUITO TRISTE.

  • Carol  On agosto 22, 2008 at pm:46 pm

    Piorando!!
    Quando fiquei sabendo que a Atlatico Sul pertencia a Anhanguera nunca imaginei que se transformaria nessa merda que é hoje….
    as coisas só pioram, boletos que não gerados, mensalidades a mais, uma eternidade pra se conseguir um mero comprovante de matricula ou presença, alem de custarem abusivos R$ 10,50 (cada).
    Crio esse topico pra galera mete o pau nessa merda de faculdade. 06:03 (9 horas atrás) Gabriel C. R.
    HEHEHE
    eh só um período de adaptação… estao tentando resolver os problemas… blabla..bla….bla……….bla……………

    se continua muito nessa vamo te q cria o SPA (Sindicato dos Prejudicados pela Anhanguera)… n tem jeito…

    pessoalmente eu n tenho muito a reclamar….tirando os arcondicionado,… q qdo me inscrevi pro vestiba na ATLANTICO SUL dizia na propaganda.. salas climatizadas… climatizada com ventilador eh BuuuuuCha…….

    espero q amanha ou depois n m apareçam com umas cadeiras de madera….ai fud…….

  • janaina  On agosto 22, 2008 at pm:34 pm

    ola só pessoal ,ninguem vai saindo assim mostrando contrato de compra evenda, mas relamente as propostas estão aí , procurem nos saites desta tal anhanguera, verão que é uma superpotencia , e com certeza esta rolando muita grana , e como sempre a corda sempre arrebenta no lado mais fraco , vai sobrar pra nós , não adianta ficar levantanado a moral da universidade com reenvindicações , cada um vá pra onde quizer , assim no proximo semestre essa superpotencia não terá alunos como nós e acabaram dando aulas para os fantasma , por que ninguem é besta deles. rsrsrsr

  • Carol  On agosto 22, 2008 at pm:32 pm

    Para os alunos q acham q nós não temos direitos em protestar…Saiam do Uniritter, pois como vcs mesmo dizem ela tem dono (a faculdade), mas sem nós alunos, como iriam manter a instituição? Então somos um pouco donos sim…
    Pois é com nosso suor do labor diário q deixamos todos os meses R$ para eles se manterem…
    Agora se o Reitor está doente como anda circulando pelos corredores da faculdade, porque não procurou outra pessoa para administrar…
    Preferiu vender a instituição criada pelo Dr Romeu, um eximinio senhor q aos poucos conseguiu realizar seu maior sonho, e agora tudo vai por água abaixo? Dívidas…todos tem, é só uma maneira de administrar, e quem mandou deixar a Ritter ser um cabidade de empregos para a família???
    Agora vão se ferrar, o o coitado Dr. Romeu deve se reviram no caixão de raiva pelo q estão fazendo com seu maior projeto educacional.
    As contas eles acertam no andar de cima.
    Mas as nossas devemos lutar HOJE E AGORA….
    NÃO A VENDA DA RITTER….

  • Vinicius  On agosto 21, 2008 at pm:07 pm

    Não queremos acreditar, mas infelizmente esse boato se concretiza cada vez mais a cada dia. Era muito bom para ser verdade, uma universidade com mensalidadade acessível e com excelente conceito! e com a venda somos nós alunos que “pagarão o pato”. Uma completa destruição dos sonhos de nós alunos, que vimos nessa universidade uma segunda casa! BOICOTE, se a ritter for vendida a galera que trocar de faculdade em massa. Talvez seja por isso que não anunciaram a venda ainda. Eles bem sabem a competencia dos alunos da extinta UNIRITTER, e que ninguem duvide disso. NOS UNIREMOS E AO MENOS UMA NOITE DE SONO MAL DURMIDA TERÁ ESSES CAPITALISTAS DESGRAÇADOS!!!!!

  • Conheço a anhanguera, um horror!!  On agosto 21, 2008 at pm:46 pm

    Sinto muito! A anhnaguera (com letra minúscula mesmo) é um fracasso educacional, mesmo que seja uma fonte inesgotável de dinheiro para seus donos. Quem duvida, que procure no ORKUT maiores informações. Aulas por satélite, menor carga horária (o aluno da anhanguera tem, em média 12 HORAS de aula por semana!!!). Eu não sei como os responsáveis pelo banco, quero dizer, pela instituição de ensino fazem o que fazem. Se vocês querem alguma coisa com a RITTER, ainda, que procurem o MEC e o SINPRO. Até mesmo porque professor, professor de verdade, com doutorado e mestrado, vai para a rua. Vão juntar uns advogados para dar aula. E pensar que SP sempre foi o pior centro de ensino privado do Brasil, e agora estas pragas educacionais se espalham pelo Brasil. UMA VERGONHA.
    Ah, tem tanta coisa (RUIM) sobre a araranguera que parece mentira!!! Livro texto, prova padronizada vinda de SP, menos aulas, aulas com dvd, disciplinas “lavagem-cerebral-para-o-mercado”. Tenho dúvidas se os alunos da fábrica de diplomas conseguiram alguma coisa com os diplomas que obterem. No direito, em especial, duvido que passem na prova da OAB.
    Se preparem para mudanças curriculares à margem das determinações do MEC.
    A única salvação, para vocês, é denunciarem os absurdos na mídia, se é que esta ainda não foi comprada (duvido que ainda não!!) e no MEC.

  • Conheço a anhanguera, um horror!!  On agosto 21, 2008 at pm:46 pm

    Sinto muito! A anhnaguera (com letra minúscula mesmo) é um fracasso educacional, mesmo que seja uma fonte inesgotável de dinheiro para seus donos. Quem duvida, que procure no ORKUT maiores informações. Aulas por satélite, menor carga horária (o aluno da anhanguera tem, em média 12 HORAS de aula por semana!!!). Eu não sei como os responsáveis pelo banco, quero dizer, pela instituição de ensino fazem o que fazem. Se vocês querem alguma coisa com a RITTER, ainda, que procurem o MEC e o SINPRO. Até mesmo porque professor, professor de verdade, com doutorado e mestrado, vai para a rua. Vão juntar uns advogados para dar aula. E pensar que SP sempre foi o pior centro de ensino privado do Brasil, e agora estas pragas educacionais se espalham pelo Brasil. UMA VERGONHA.
    Ah, tem tanta coisa (RUIM) sobre a araranguera que parece mentira!!! Livro texto, prova padronizada vinda de SP, menos aulas, aulas com dvd, disciplinas “lavagem-cerebral-para-o-mercado”. Tenho dúvidas se os alunos da fábrica de diplomas conseguiram alguma coisa com os diplomas que obterem. No direito, em especial, duvido que passem na prova da OAB.
    Se preparem para mudanças curriculares à margem das determinações do MEC.
    A única salvação, para vocês, é denunciarem os absurdos na mídia, se é que esta ainda não foi comprada (duvido que ainda não!!) e no MEC. Façam uma caravana até Brasília, procurem mais informações.
    Enfim, o Educacional da SA poderia ser escrito EDUCA$$IONAL, no nível da educação oferecida.
    Simplesmente um lixo. Sinto muito por vocês, mas não deixem de lutar!!!!
    Aqueles que reclamavam da qualidade de UNIRITTER agora vão ter muuuuitos motivos para reclamar, e ir para outra universidade.

  • Anônimo  On agosto 21, 2008 at am:17 am

    Admira-me muito os que só criticam a venda do Uniritter. Até ontem os alunos reclamavam da qualidade do trabalho de muitos professores, da falta de estrutura, e hoje idolatram a Uniritter, reclamam do conceito que pode cair, mas só um pouquinho o curso do Direito/POA, ainda nem teve avaliação?!. O que faz a insegurança e o receio do novo!! Até alguns dias ninguém sabia quem era a o grupo Anhanguera, hoje temos doutores no assunto. Falam do Dr. Flávio com total falta de respeito, como se cinco anos de estudo valesse mais que uma vida inteira de trabalho e dedicação a educação. Por favor, concordo que demonstrem seu senso critico(afinal Uniritter nos ensinou isso)e realmente não devemos ficar inertes a tudo isso, mas mantenham o respeito e a educação!! Caso contrário o conceito Uniritter vai cair mesmo antes de ser vendido!

  • Fabricio  On agosto 21, 2008 at am:52 am

    Fernando

    Cara tu é uma piada, só se for nu teu curso que as salas são abarrotadas no de adm não tem como ser melhor a metodologia e a quantidade de alunos que ali estudadam, e se tua revolta é com boyzinhos e patis é porque tu tem um recalque tão grande em relação a ti que entra na faculdade e a primera coisa que observa é isso vai estuda e para de olha prus lados se teu objetivo é ser alguem algum dia não vai ser isso que vai fazer diferença.o que se diz da UFRGS intão..Gente vaiasss para esse RIDICULO!

  • Fabricio  On agosto 21, 2008 at am:45 am

    Esse merda de faculdade que irá comprar a Ritter, visa lucros em vez de ensino, que instituição que visa lucros um dia irá se preocupar realmente com a qualidade de ensino de seus alunos, essa faculdade visa classes D e E a Ritter que tem um formato de colégio vai vira um coléginho publico, socando alunos em sala de aulas e com pouca exigencia curricular,não preciso ficar numa estituição que visa lucros e com um bando de muquirana que vai entrar nela com a diminuição da menssalidade,MUDAR SIM!MAS NÃO FICAR NA RITTER É FATO.VAI SER A PIADA DAS FACULDADES DOS GAÚCHOS, se o reitor não pode administrar tem várias outras formas de continuar uma administração sem a presença diária do dona da instituição, na propria faculdade se encontra várias pessoas qualificadas para isso.

    RITTER VERGONHA!

  • Formada  On agosto 21, 2008 at am:44 am

    Que sorte a minha, acabei de me formar. Pelo menos não preciso mais me preocupar com mudanças de currículo. Mas fico muito preocupada com o prestígio que a instituição vai perder com essa negociação mercenária. Se a família considerou a venda uma boa idéia, podia ao menos ter escolhido um comprador melhor. Mercenários!!! E se dizem uma instituição sem fins lucrativos!!! Imaginem se fosse COM fins lucrativos… Isso é uma vergonha, mais uma vez os gaúchos têm que se render ao poder do centro do país. Sempre o dinheiro estragando tudo!!! Boa sorte aos que ousarem ficar. Se eu estivesse no meio do curso, iria correndo para outra faculdade. Mereciam esvaziar os cursos: sem alunos, não há faculdade, quero ver quem iria querer comprar uma instituição vazia.

  • Fernando  On agosto 20, 2008 at pm:31 pm

    Bah, pelo amor de Deus, a Ritter é uma piada, estrutura muito ruim, professores despreparados e sem didática, disciplinas q nao seguem uma sequência ao longo do curso. Nao sei os outros curso mas o Design é uma PIADA, salas abarrotadas de alunos!!!! Pior do q está acho dificil ficar. Realmente parece um coleginho mesmo. Tem mais é q vender, afinal os donos fazem o q kizerem. Imaginem como vai ser se eles desistirem de vender??? Se querem vender é pq já nao estão nem ai pra uniritter. Quem sabe acabam com essa palhaçada de nao ter aula na sexta e da bagunça q é o horario de intervalo dos cursos. E outra se o publico alvo deles são alunos q trabalham de dia pra estudar a noite, ótimo, assim diminui o numero de boyzinhos e patys q vão pra aula só pra desfilar!!
    EU APOIO A VENDA DA UNIPIADARITTER

  • ALUNO  On agosto 20, 2008 at pm:50 pm

    GENTE LAMENTO, MAS JA FOI VENDIDA O ANÚNCIA VAI SER NO FINAL DO SEMESTRE.

  • ALUNA  On agosto 20, 2008 at pm:25 pm

    eu nao quero mudar de faculdadeeee…
    NÁO VENDAM A RITTER!!!!

  • Everton  On agosto 20, 2008 at pm:24 pm

    Olha, a meu ver, negócios são negócios, ele podem vender trocar….é deles mesmo…….o que não pode acontecer é deixar cair o padrão de ensino e investimentos no campus e muito menos alterações nos valores dos créditos…acredito que se as coisas mudarem para pior….haverá uma debandada geral de alunos do campus….conclamo aos novos proprietários da Uniritter, que pensem em manter e até melhorar o sistema de ensino….quanto aos vendedores, a família, o Dr. Romeu Ritter dos Reis onde quer que ele esteja, está profundamente decepcionado por ver seu sonho trocado por dinheiro….parabéns família Reis…..durmam com isso na conciência.

  • PEDIR TRANSFERENCIA  On agosto 20, 2008 at pm:44 pm

    VAMOS BOICOTAR ESTA FACULDADE!SE A RITTER FOR VENDIDA O NEGOCIO E SAIRMOS DELA,POIS OS MESMOS QUEM A COMPRAREM VAO TOMAS UM TUFO…

  • Dargor  On agosto 20, 2008 at am:18 am

    Não acredito nisso!!
    Não vai ser vendida nada!!!

  • Anônimo  On agosto 20, 2008 at am:00 am

    A possível venda da instituição trata-se de um fato extremamente desagradável, mas como tantos outros que já se manifestaram, trata-se de um direito do reitor. Não sou contrária a uma possível venda, o que sou absolutamente contra é vender para um grupo mercenário que visa somente, unicamente o lucro!!!
    Ademais, trata-se de um desrepeito para o próprio Dr. Romeu, que certamente batalhou muito para construir a Uniritter!!
    Querem vender, vendam … mas façam isso mantendo a base fundamental da instituição: a continua busca por ensino de qualidade.

  • Silvio Santos  On agosto 20, 2008 at am:32 am

    Na verdade o SBT estuda comprar o uniritter, todo inicio de semestre terá o show de calouros.

    LOL

  • Fabrícia  On agosto 19, 2008 at pm:35 pm

    A Uniritter ha anos está consagrada pela sua excelencia no ensino. Em que pese não possua a grandiosa estrutura fisica de outras instituições de ensino superior, como Puc, Unisinos. A Uniritter mantem o sistema de turmas (ao contrario do sistema de uma disciplina por dia), isso fortalece o vinculo entre os alunos, forma grupos, favorece o desenvolvimento cultural, pessoal e politico dos alunos. A Uniritter investe e acredita na pesquisa. A Uniriter trata seus alunos como pessoas, não, como mercadoria.
    É uma pena a possibilidade da venda. Entretanto, a decisão é do reitor e da vice-reitora os proprietarios. E como proprietarios tem o direito de dispor seus bens…
    Infelizmente, se a qualidade de ensino cair… será necessário procurar uma nova instituição de ensino superior com qualidade…

  • Lucas  On agosto 19, 2008 at pm:12 pm

    Galera, também sou totalmente contra a venda da Ritter, acho um tremendo descaso por parte dos administradores da instituição, que se dizem defensores da qualidade e não da quantidade de ensino, todas aquelas falas bunitas, discuros expresivos porferidos nos tradicionais “Programa Abraço” que nos enchiam de orgulho por estudar ali, tudo ensaiado, claro certeza não posso dar, mas ao que tudo indica, é oferecer um montante de zeros a direita de um numero acompanhados por um sifrão que as coisas mudas drasticamente. Me sinto desprezado, como o colega já citou, valemos R$4,4mil, mais nada, não somos levados em conta como pessoas, como alunos, como a razão de existir daquela faculdade. Infelizmente é nesse contexto que estamos, aonde até o ensino – que é a unica ferramenta que temos para tornar o mundo mais justo – tem seu preço, por sinal bem irrisório perante o que represantamos nesse anos todos para o Uniritter. Não quero criar polêmica, todos tem suas opiniões, mas gostaria de deicar aki meu desabafo. Abraço a todos!!!

  • Sergio Balder  On agosto 19, 2008 at pm:59 pm

    Estamos anualmente com aumentos em mensalidade absurdo, nao temos aulas nas sextas e somos cobrados por isso, e muito bem cobrados. O sistema de ensino a distancia é uma piada. Temos muito o que protestar, sou a favor de protestos consistentes e mais fortes do que apenas apitos… agora fazer protesto por um boato que ninguém sabe ao certo do que se trata? Isso faz os alunos perderem o crédito no quesito protesto.

    Quem quiser saber o que realmente aconteceu basta marca uma reunião com a direção. Desde que nao apareçam 50 alunos, certamente eles irão atender, pois são muito mais transparentes do que outras faculdade

  • Vinícius  On agosto 19, 2008 at pm:20 pm

    Me desculpe Sergio Balder. Mas em momento algum a Ritter falou que não vai vender. O comunicado foi muito direito: 1.Não vendemos. 2. Continuaremos com nossas atividades… E concordo com a Carolina, nos somos a faculdade. Devemos protestar contra o que achamos estar errado. Não apenas por uma redução de mensalidade. Em relação a reunião com os responsáveis, os principais interessados em resolver essa “Fofoca”, já que retratada como tal, é dos propios responsáveis. Se ficaram quietos, e não querem dar muita explicação, alguma coisa de errado tem.

  • Carolina  On agosto 19, 2008 at pm:09 pm

    Como assim quem somos nos, somos só alunos!!!
    Só um pouquinho! Alunos sim e é por isso que estamos preocupados, e devemos manifestar sim!
    Pois embora a faculdade não seja uma propriedade nossa, ela existe PARA NOS! E devemos sim manifestar nossa insatisfação com essa venda, devemos mostrar sim oq agente pensa sobre isso!Afinal de contas oq está em jogo é o nosso futuro!!!
    Estou no fim do curso de Design e estou muito preocupada com oq está acontecendo, pois há algum tempo me transferi pra Ritter por achar a metodologia de ensino, a qualidade, o conceito Uniritter e essa coisa “familia” seriam muito mais construrivos pro mim.

    Eu não quero apenas um diploma, quero qualidade de ensino e a segurança de que eu vou seguir numa instituição bem conceituada.

    Vamos continuar protestando!!

  • Sergio Balder  On agosto 19, 2008 at pm:19 pm

    Vinícios:
    Ao surgir o boato foi encaminhado um comunicado oficial a todos os alunos informando que a Faculdade não foi e não será vendida, que tudo está da mesma forma. Em contrapartida ao invés dos alunos solicitarem uma reunião – 3 ou 4 alunos – com os responsáveis pela faculdade, resolveram fazer um tumulto liderado por um pessoal que é de fora da faculdade como mostra na foto da Zero Hora. Fazer essa mobilização nao se justifica, ao menos que fosse para redução da mensalidade.

  • Aline  On agosto 19, 2008 at am:53 am

    Pessoal, manifestações são importantes, a gente não pode engolir tudo de cima pra baixo. Penso que, na UniRitter tem muito da vida, do sangue, das crenças de seus fundadores. Para eles, não está sendo fácil. Acaso realmente estão pensando em vender, deve haver um motivo muito sério para isso. No fundo, a nossa indignação é nos sentíamos como extensão de nossa casa. A UniRitter também é um pouco nossa, por isso nos dói tanto. No entanto, paulistas não se sentem bem perto de gaúchos, por que não ficam por lá?

  • lequinho  On agosto 19, 2008 at am:25 am

    Estudo na ritter a dois anos e os professores e o ensino é muito bom!a estrutura talvez possa melhorar, mas a interação é excelente. Visto que a empresa que quer comprar não possui nem uma instituição em seu cartel que figure em uma posição de destaque no cenário em termos de qualidade de ensino, isto é o que mais preocupa!!!! Uma empresa que vai visar muito os lucros que o ensino é o que vai virar provavelmente a ritter! Cursos a jato são a base desta anhanguera!!! Vamos aguardar mas se venderem e as coisas mudarem só no visual e o ensino e professores mudarem eu sou um que largo!!!!

  • Vinícius  On agosto 19, 2008 at am:10 am

    Isso é um Boato? Porque a ritter não se manifesta mais, ou o próprio Reitor Flávio não vem falar com o alunos? Concerteza ouve alguma negociação, ou ainda está em aberto a negociação. O único comunicado foi: “A ritter não foi vendida!”. Se ele, ou eles, não pretendem vender, por que não tomaram uma posição? Por exemplo, porque não disseram: “Não vendemos a ritter e não vamos vender!”. Se está havendo uma negociação, porque não falam para os alunos? O que mais me incomoda é não saber o que realmente está acontecendo. Porque, querendo ou não, a base da faculdade e o capital vem dos Alunos.

  • Fabinha  On agosto 19, 2008 at am:51 am

    Acho que o caminho não é esse! A maioria está agindo como “PERU”! (que morre na véspera… rsrsrsrsr) – Será que não existe o lado bom nisso tudo???

  • Sergio Balder  On agosto 19, 2008 at am:30 am

    ..rs é um boato apenas, a faculdade nao foi vendida e continua funcionando normalmente. Foi feito um falso protesto organizado por alunos de Dce’s, envolvidos em política, que nada se preocupam com a faculdade.
    Isso é apenas um boato

  • Paulo  On agosto 19, 2008 at am:51 am

    Ao pessoal que está em vias de se graduar na Ritter, não existe alguma lei ou norma do Ministério da Educação que proibe a mudança de currículo nesta altura do curso? Aos que gritam contra a negociação, se oferecessem uma bela soma pelo seu negócio, não venderiam? A Ritter não é a primeira instituição de ensino a ser comprada por outra, nem vai ser a última, e pelo jeito, vai ser uma tendência, as pequenas serem assimiladas pelos grandes grupos.

  • Anônimo  On agosto 19, 2008 at am:47 am

    Concordo contigo Fabinha! os idiotas estão achando que estudam em Federais, que podem protestar a qualquer atitude da reitoria. Não conseguem ter a mínima consciência que o UniRitter tem “dono” e com certeza não são os alunos!! Vamos pensar um pouco!!! Se o reitor quiser vender um dia estará em pleno direito, e ninguem tem o direito de achar que tem mais direito doque ele sobre essa Instituição!!! certamente ele deve ter seus motivos, e com certeza não devem ser poucos!! agora vocês imaginam se pra ele deve estar sendo fácil!! afinal é um trabalho que o pai dele começou, que ele, com certeza com muito esforço chegou até aqui!! quem somos nós, alunos, pra questionar se ele esta certo ou errado, afinal ninguem aqui tem direito adquirido sobre curriculo ou qualquer outra coisa. Se não ficarmos satisfeitos com a nova direção…mudamos pra outra!! e era isso!!! vamos pensar antes de falar bobagem!!! tudo bem que estejamos chateados pelo fato de gostarmos tanto da Ritter, mas isso não nos da o direito de querer tirar o direito do Dr. Flavio!! de jeito nenhum!!!

  • Renata  On agosto 19, 2008 at am:42 am

    Com certeza isso vai afetar a qualidade de ensino… E todos que tem grande apreço por isso vão sair da universidade em busca de disposição moral!!
    É irrisório nós valermos somente R$ 4,4 mil… Com certeza nossa contribuição anual é maior do que isso.
    Agora é esperar para ver… E já ir analisando novas opções de universidade!!

  • Fabinha  On agosto 19, 2008 at am:34 am

    Idiotas! A Ritter não é nossa não!!! A UniRitter é da família Ritter dos Reis. Sabe-se lá os reais motivos que os levaram a se desfazer do patrimônio. Já ouvi falar que empresa familiar não é fácil de administrar!

  • Gabriel Blancka  On agosto 19, 2008 at am:22 am

    Temos que fazer mais manifestações, não podemos nos entregar para esses paulistas…a Ritter é nossa!!!!Vamos BOICOTAR ELES!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Michelle  On agosto 18, 2008 at pm:02 pm

    Galeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeera!!!!!!!!!!!!!!! O apitaço tava show!!!! Não é mole não!! Dr. Romeu tá se virando no caixão!!!! A UNIRITTER É NOSSA!!!!!!! Se a Unritter for vendida…
    …Boicooooooooootee!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Anônimo  On agosto 18, 2008 at pm:57 pm

    Um esforço no lixo! lutaram tanto p/ fazer da uniritter o que é hoje(ou era) p/ entregar de mão beijada p/ qualquer um!
    que bela porcaria de reitor eim!
    Agora é só escolhe, p/ ond eiremos.
    uniritter nunca mais!

  • Anônimo  On agosto 18, 2008 at pm:37 pm

    eu saio fora! os professores são excelentes, a estrutura deixa a desejar comparado ao que a fevale oferece, mas os professores são bons, e se eles vão embora, vo tenta ir onde tenha bons professores de design

  • gabriel  On agosto 18, 2008 at pm:53 pm

    poisé, parece que é um fato a venda da instituição. Eu nao me incomodaria tanto se as atuais estruturas curriculares nao sofressem alterações, mas liguei para a anhanguera e fui informado que os curriculus serao modificados, adotando as apostilas e os professores pelo visto tb vao pra rua.
    Lamento, estou no 6 semestre e gosto muito da faculdade, faço design de produto e creio que terei que me mudar para prosseguir meus estudos.

  • fabio  On agosto 18, 2008 at pm:40 pm

    o que esses filhos da puta querem aqui?
    o ensino no brasil já é uma merda…e querem piorar ainda mais???
    VÃO SE FUDER!!!! NÃO Á VENDA DA RITTER!!!
    assim como todos os meus colegas de curso e faculdade, vou sair da ritter pra nunca mais voltar se ela realmente for vendida!

  • Priscila  On agosto 18, 2008 at pm:25 pm

    Só tenho uma pergunta. Vocês checaram as informações? Sabem se isso realmente é verdade ou não! Acreditam no alarde de um monte de gente que não tem o que fazer! Se a uniritter vai ou não ser vendidade não sei! Mas alguem já viu o contrato de compra e venda pra falar algo sobre o futuro da instituição? Ou são todos videntes por acaso!

  • Jéssica  On agosto 18, 2008 at pm:17 pm

    Uma triste realidade! Assim como a Ana, estou no 8º eixo, uma quase formanda, com a data da formatura marcada e serei forçada a trocar de faculdade, onde provavelmente não conseguirei aproveitar boa parte das cadeiras cursadas; perdemos tempo, dinheiro e qualidade de ensino. A unirriter era o DIFERENCIAL… Era a instituição que constaria no meu currículo, e agora? Um total descaso com os alunos!

  • Ana  On agosto 18, 2008 at pm:01 pm

    estou no 8º semestre de Direito, e vou me obrigar a trocar de faculdade…ISSO É O TOTAL DESCASO, INJUSTIÇA, IMORALIDADE DESSE REITOR EMPRESÁRIO. POIS EU DIGO: ENSINO NÃO É COMÉRCIO. É DE SE INDIGNAR…O QUE VAI SER DE NÓS, QUASE FORMANDOS???TEREMOS CADEIRAS NÃO APROVEITADAS EM OUTRAS FACULDADES, PERDEREMOS TEMPO, DINHEIRO, NOS FORMAREMOS MUITO ALÉM DO QUE SE ESPERAVA!!!QUE TRISTEZA!!!MINHA FORMATURA ESTAVA MARCADA PARA JANEIRO DE 2010..INDO PARA QUALQUER OUTRA FACULDADE, ESSE SONHO VAI DEMORAR, E NÃO VAI SER NADA COMO REALMENTE SONHAMOS QUANDO ENTRAMOS NA RITTER. MAS EU PREFIRO ISSO À QUEIMAR MEU CURRÍCULO PROFISSIONAL COM ESSA FACULDADE ESCROTA CHAMADA ANHANGUERA.

  • Diego  On agosto 18, 2008 at pm:42 pm

    Se isso for verdade vou pedir tranferência para outra Universidade ao fim do semestre.

  • Thaís  On agosto 18, 2008 at pm:16 pm

    A venda do Uniritter acaba com o sonho de muitos!
    Lembro-me bem do primeiro dia de aula quando disseram-nos que, ao contrário de mtas outras instiuições, tinhamos nomes e não eramos apenas numeros! Mas depois disso, parece-me que somos é cifras de reais.
    Também vou deixar a Universidade no semestre que vem! è vergonhoso o que está acontecendo! Imagina ter no currículo “grupo anhangüera”!

  • Michelle  On agosto 18, 2008 at pm:03 pm

    “SURPREENDENTE” PESSOAL, DESCULPA.

  • Michelle  On agosto 18, 2008 at pm:02 pm

    Os alunos prometem boicote e troca de universidade se a notícia que está rolando for verdade…
    É lamentável que uma universidade com a competência da Uniritter se venda para uma instituição que só visa lucros e não se importa em dar uma formação adequada para seus alunos. Esta instituição demitirá todos os excelentes professores da Uniritter e contratará mão de obra barata! A Uniritter já possui um preço bem em conta e oferece uma qualidade de ensino surpeendente, não é a toa que é a 3° melhor universidade do país!!
    Infelizmente, se isto se concretizar, trocarei de faculdade…
    … ALIÁS, MUITOS TROCARÃO!!!!

  • Renata  On agosto 18, 2008 at am:24 am

    Então volta pra Feevale!!! E deixa nosso colegiosinho! O UniRitter não é só o Melhor Centro Universitário do Estado, é tb o Terceiro Melhor do País, além de ter o selo OAB Recomenda e ter nota 4 no ENADE. Acho que esse colégiosinho não é tão pouca coisa como você diz. Os computadores das salas de informática foram trocados recentemente, o SAJUIR é modelo pra muitas outras universidades, e o sistemas de Eixos Integrados é admirado. Se eu fosse você voltava pra Feevale correndo, porque realmente o nome UniRitter, não pesa em curriculum nenhum!

    Pessoal não se deixem enganar com o fato de estarem se formando, porque se o nome da Ritter vai pra lama o curriculum de vocês vai junto.

  • Renata  On agosto 18, 2008 at am:23 am

    Então volta pra Feevale!!! E deixa nosso colegiosinho! O UniRitter não é só o Melhor Centro Universitário do Estado, é tb o Terceiro Melhor do País, além de ter o selo OAB Recomenda e ter nota 4 no ENADE. Acho que esse colégiosinho não é tão pouca coisa como você diz. Os computadores das salas de informática foram trocados recentemente, o SAJUIR é modelo pra muitas outras universidades, e o sistemas de Eixos Integrados é admirado. Se eu fosse você voltava pra Feevale correndo, porque realmente o nome UniRitter, não pesa em curriculum nenhum!

    Pessoal no se deixem enganar com o fato de estarem se formando, porque se o nome da Ritter vai pra lama o curriculum de você vai junto.

  • Leandro  On agosto 18, 2008 at am:22 am

    Apesar de ser considerado o melhor centro universitario do RS, acho q o UniRitter já nao é grande coisa, pouca estrutura, parece mais um “coleginho” do q uma faculdade. Pode ser que melhore, senão, volto pra GRANDE Feevale.

  • be  On agosto 18, 2008 at am:30 am

    estarei saindo no proximo semestre tb é vergonhoso uma instituição com a qualidade da ritter se vender desse jeito

  • RICARDO PACHECO  On agosto 17, 2008 at pm:41 pm

    SE ESTA NOTICIA FOR VERDADE A UNIRRITER ESTA LITERALMENTE “FERRADA” , CONHECIDA POR EXCELÊNCIA EM ENSINO, A “NOSSA FACULDADE” ENTRARÁ PARA O HOLL DE FACULDADES ADQUIRIDAS POR ESTE GRUPO DE INTERESSE LUCRATIVO E DE POUCO INVESTIMENTO QUALITATIVO. AINDA BEM QUE ESTAREI SAINDO NO PRÓXIMO SEMESTRE, MAS É LAMENTÁVEL.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: