Revista mostra filha de Mônica e Calheiros


Nascida em Brasília, a pequena Maria Catharina Freitas Vasconcelos Calheiros completa 4 anos em 11 de julho, está sendo alfabetizada e já faz balé, inglês e natação. Na internet, já mostra desenvoltura e prefere o site da boneca Barbie, mas navega também com a arquirival Polly. Quantas crianças como ela têm o nome citado mais de 6000 vezes no Google? Fruto de relação extraconjugal entre o senador alagoano Renan Calheiros (52) e a jornalista mineira Mônica Veloso (39), Catharina mesmo sem saber esteve em meio a um turbilhão em 2007 que fez sua mãe virar celebridade — com direito a capa da Playboy e à publicação do livro O Poder que Seduz —, e seu pai renunciar à presidência do Senado. Mas Mônica cansou de política.

Flagrada por CARAS no Royal Palm Plaza Resort, em Campinas — onde passeava com Catha rina e a outra filha, Luiza (11), de união anterior, a  jornalista pela primeira vez aceitou posar com as filhas — com a condição de que o “pai da Catharina”, como se refere a Renan, não fosse o foco principal da entrevista a seguir. Trechos a seguir:

– Como é a Catharina?
– É meiga, mas também muito sedutora. As pessoas ficam encantadas. Não é birrenta. E é linda! Brinco que uma mulher que nasce com um olhão desse é pra trabalhar na TV.

– Ela parece bem tranqüila.
– Super, brinca sozinha por horas, mas às vezes é agitada, adora dançar e cantar. E tem personalidade, se preocupa com a roupa. Junta um sapato e uma bolsa e pergunta: isso combina?

– Você é uma mãe calma?
– Sou nervosa! Quando Catharina nasceu, achei que estaria mais segura, mas passei pelos mesmos apertos.

– Faz um ano que estourou o escândalo que acusava Calheiros de pagar a pensão da Catharina com dinheiro de uma construtora. Você imaginava que, um ano depois, estaria tranqüila, com emprego no SBT (apresenta o programa automobilístico Vrum), morando perto da família?
– Eu não imaginava como seria nem uma semana depois. Foi muito difícil, tenso, tive medo, confusão mental mesmo. Pensava apenas em como  sair bem daquele furacão e reorganizar minha vida.

 – Você conseguia sair na rua?
– Ficou impossível. Para poupar minhas filhas, mandei a Catharina para Belo Horizonte na mesma semana e a Luiza pouco depois.

–  Mas agora elas passarão a ser conhecidas também…
– Acho que chegou a hora. As meninas estavam muito presas dentro de casa, especialmente Catharina. Para que não fosse fotografada, não a levava a shoppings, nada. Chega. Vida normal!

Caras

Comente ou deixe um trackback: URL do Trackback.

Comentários

  • verdade  On junho 15, 2008 at pm:02 pm

    horrorosa!!!!
    só podia.. filha de uma “mulherzinha” dessas!

    • marcela  On março 11, 2017 at pm:17 pm

      Não fale assim! A menina não tem culpa de nada!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: