Daily Archives: dezembro 20, 2008

RS: aumentam os pedágios, confira novas tarifas

A Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias publicou neste sábado edital com as tarifas de pedágio para as estradas gaúchas que entram em valor no dia 1° de janeiro de 2009 (confira a Tabela). Os valores sofreram reajuste médio de 11% para automóveis.

Veículos de passeio pagam R$ 6 por sentido nos pólos de Caxias do Sul, Carazinho, Metropolitano, Santa Cruz do Sul, Vacaria e Lajeado, exceto no trecho de Soledade, onde o motorista paga R$ 12 em apenas um sentido. Caminhões com seis eixos pagam o maior valor: R$ 22,60.

O pólo rodoviário de Gramado tem tarifa unificada de R$ 6, 70 por sentido para veículos de passeio, utilitários e comerciais.

EUA: Universidades para afro-americanos

Enquanto o Brasil discute as cotas em universidades federais, aprovadas na Câmara no mês passado, os Estados Unidos debatem a existência de instituições somente para negros.

O Estado da Geórgia, no sudeste do país, tem duas universidades estaduais centenárias que atendem apenas os chamados afro-americanos. O jornal The New York Times publica matéria mostrando que um senador causou polêmica ao apresentar um projeto que pretende fundir as duas universidades negras a duas outras, majoritariamente brancas.

O senador Seth Harp, que preside a comissão de Educação Superior da Geórgia, justificou o projeto dizendo que o Estado não tem condições financeiras de sustentar tantas universidades separadamente. Geórgia registra um déficit de US$ 2 bilhões no orçamento.

“Instituições bancadas pelas pessoas que pagam impostos deveriam promover a diversidade e a educação para homens e mulheres de todas as cores e credos. Não existe mais nenhuma razão para universidades só de negros ou só de brancos”, disse Cynthia Tucker, intelectual que escreve artigos em jornais locais. Já quem apóia as universidades separadas por cor diz que elas têm um papel importante na comunidade e no país. “Elas permitiram que um grande número de jovens homens e mulheres que nunca frentariam universidade tivessem acesso à educação”, afirmou Dwayne Ashley, de uma instituição que sustenta bolsas para universidades negras.

O projeto do senador propõe a junção da Savannah State University (só para negros e que existe desde 1890 e tem 3.200 estudantes) com a Armstrong State University. A Albany State University (também só para negros, criada em 1917) com o Darton College.

Renata Cafardo/Estadão

Saúde: como curtir o verão sem barriga

Dá, sim, para zerar o abdômen até o verão que já está batendo à porta. Não, não vamos falar de dietas milagrosas, mas de truques simples revelados por especialistas em nutrição. Claro que nem por isso você vai deixar de lado os exercícios e a alimentação balanceada — a dupla que combate a gordura pra valer.
Por CARLA CONTE

1. BOTE OS DENTES PARA TRABALHAR
Mastigar bem faz toda a diferença nesse processo de enxugar a barriga. “Quanto mais você fracionar o alimento, mais fácil fica a digestão, o que evita aquele efeito estufa no abdômen”, garante Marcella Amar, da clínica Essentiale, no Rio de Janeiro. “Se não mastigamos, há uma sobrecarga no estômago e um aporte maior de fluxo sanguíneo, o que distende essa região”, completa a nutricionista e fitoterapeuta Vanderlí Marchiori, de São Paulo.

2. COMA MENOS E MAIS VEZES
Excesso de comida faz volume no estômago. Por isso, diminua o tamanho das refeições principais e faça pequenos lanches entre elas. “Procure também se alimentar sem pressa e em ambiente calmo. Quem come num piscar de olhos tende a engolir mais ar, o que também aumenta a barriga”, afirma a nutróloga ortomolecular Tamara Mazaracki, do Rio de Janeiro.

3. PREFIRA OS ALIMENTOS DE FÁCIL DIGESTÃO
Alguns itens, como as frutas, os grãos integrais e as verduras, passam mais rapidamente pelo intestino e azeitam seu funcionamento. Já os de absorção lenta favorecem a fermentação, responsável pelo aspecto de barriga inchada. “Logo, evite comidas gordurosas, como queijos, carne vermelha, grão-de-bico, repolho, couve-flor e doces”, recomenda a nutricionista Marcella.

4. CAPRICHE NAS FIBRAS, MAS SEM EXAGERO
Elas ajudam o intestino a funcionar, o que elimina aquele aspecto de abdômen estufado. E estão presentes nas frutas, nas hortaliças e nos produtos integrais, como granola, aveia e linhaça. Mas exagerar na dose pode ter o efeito contrário, provocando cólicas e inchaço. “Para facilitar a eliminação do excesso, é importante beber bastante líquido durante o dia”, sugere Vanderli Marchiori.

5. TROQUE OS REFINADOS POR INTEGRAIS
Deixe de lado o pão, o arroz, a farinha e a massa convencional e opte pelas versões integrais. De novo, além de terem mais fibras e ajudarem o intestino a funcionar melhor, esses alimentos baixam o índice glicêmico, o que evita a produção excessiva de insulina, hormônio que estimula o organismo a estocar gordura.

6. MANEIRE NO SALGADO
Evite alimentos muito condimentados e/ou salgados. Excesso de sódio provoca retenção hídrica, responsável pelo aspecto de inchaço no corpo — inclusive na barriga, claro. “Os condimentos irritam o intestino e aumentam a formação de gases”, explica Tamara Mazaracki. Portanto, olho vivo nos vilões: azeitonas, anchovas, salgadinhos em geral, picles, carne seca, defumados e embutidos (salame, presunto, bacon), queijos salgados e muito temperados (gorgonzola, parmesão, roquefort), catchup e molhos prontos para saladas.

7. BEBA ÁGUA, MUITA ÁGUA
Pelo menos dois litros ao longo do dia, mas não durante as refeições, o que dificulta a digestão e favorece a fermentação – e o aumento do volume abdominal. Os líquidos, como água, chás e sucos, além de ajudarem a regular o intestino, permitem também a eliminação do sal. Quanto mais se bebe, mais diluído fica o sódio e mais facilmente ele vai embora com a urina. Mas bebidas gasosas ficam fora dessa, pois dilatam a barriga. “Alimentos ricos em potássio (caso das frutas e dos legumes) são outros que contribuem nessa tarefa de expulsar o sal que ficou sobrando”, completa Tamara.

8. DÊ UMA CHANCE PARA A GORDURA DO BEM
Já está provado que alguns tipos, como a mono e a poliinsaturada
– em doses moderadas, bem entendido –, agem contra os pneuzinhos, principalmente no abdômen. Além disso, elas são capazes de baixar o índice glicêmico da refeição, o que reduz a produção de insulina — ela de novo! Por isso, abra espaço no seu cardápio para o azeite de oliva, o abacate e as frutas oleaginosas, como a castanha-do-pará e a amêndoa.

Revista Saúde

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 2.456 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: